Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Acessibilidade > Perguntas Frequentes > Prouni > Bolsistas do ProUni receberão auxílio de R$ 300
Início do conteúdo da página

Haddad conversa com bolsistas do ProUni

Nova Iguaçu (RJ) – Com o refrão “Ôôô, filho de pedreiro também vai virar doutor”, cerca de dois mil bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni) do estado do Rio de Janeiro receberam neste sábado, 29, no Sesc de Nova Iguaçu, o ministro da Educação, Fernando Haddad, o prefeito da cidade, Lindberg Faria e a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho.

Haddad veio a Nova Iguaçu ouvir os estudantes sobre o andamento do programa e anunciar a abertura do financiamento estudantil para os alunos que têm bolsas de 50% da mensalidade. No estado, 29.546 alunos têm bolsas do ProUni, dos quais, 26.454 têm bolsas integrais e 3.092, bolsas de 50%, que podem agora financiar a outra parte da mensalidade.

Na conversa que teve com os alunos, Haddad contou um pouco da história do ProUni e ressaltou os bons resultados obtidos por eles no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). “Vocês são responsáveis por um fenômeno: em todas as áreas do conhecimento as médias do Enade obtidas pelos bolsistas foram superiores às dos outros alunos.” Esse fato, explicou, contraria os opositores do programa e os que discriminaram os alunos. Existem forças políticas no país que não dizem, mas que são contra o acesso da população à universidade. “Os mesmos que criticaram o ProUni, agora são contra o Reuni”, disse Haddad, referindo-se ao Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, que vai aplicar R$ 2 bilhões na expansão das universidades públicas e federais. “Não aceitem discriminação. Vocês merecem as bolsas, fizeram jus a esse direito e não devem favor a ninguém.”

Carta – Na carta de Nova Iguaçu, a União Estadual de Estudantes do Rio de Janeiro (UEE/RJ) e os bolsistas do ProUni defendem o programa, como uma política pública de inclusão social e esforço legítimo na democratização do acesso à educação superior, e fazem sugestões. Entre elas, os bolsistas pedem a criação de uma ouvidoria no Ministério da Educação; a vinculação da bolsa-permanência ao valor do salário mínimo; normatização das atividades de monitoria, estágio e pesquisa; e criação de equipes de atendimento aos alunos nas instituições de ensino superior.

Estágio – A presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, anunciou a abertura de duas mil vagas de estágio para bolsistas do ProUni. O aluno fará estágio de cinco horas por dia, de segunda a sexta-feira e receberá uma bolsa de R$ 475 por mês. Poderão se inscrever alunos a partir do quinto semestre do curso. O estágio tem duração de um a dois anos e será feito nas áreas do banco que cuidam de recursos humanos, marketing, contablidade e setor jurídico.

Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página