Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Acessibilidade > Perguntas Frequentes > Prouni > O que o aluno concorrente ao ProUni deve fazer depois de ter sido pré-selecionado em primeira, segunda ou terceira chamada?
Início do conteúdo da página

Ministro critica "oposição conservadora" no encontro com alunos do ProUni

O ministro da Educação, Tarso Genro, recepcionou, hoje, 28, em São Leopoldo (RS), os alunos da região do Vale do Rio dos Sinos selecionados pelo Programa Universidade para Todos (ProUni). Tarso sugeriu uma reflexão sobre qual o país que se quer para o futuro. Ele criticou os setores da sociedade que fazem oposição ao ProUni e à reforma universitária.

"É oposição conservadora, reacionária e anti-social, seja pelo caminho da direita conservadora ou dos setores ultra-radicais que são os mesmos que tentaram vaiar o presidente Lula ontem", disse o ministro. Mais de cem mil jovens de baixa renda de todo o país foram contemplados com bolsas de estudos oferecidas pelo ProUni. Com o programa, o MEC levará 112 mil estudantes a 1.135 instituições de ensino superior no primeiro semestre.

Tarso Genro salientou que a resposta às críticas tem partido da população, por meio do Movimento dos Sem Universidade e dos filhos de operários, que enxergaram o preconceito a que o programa estava sendo submetido. "Eles desmascararam as forças políticas conservadoras. A sociedade que queremos construir é aberta, plural e acolhedora. É uma sociedade que tenha métodos democráticos, com formação de consciência crítica", disse.

O ministro convidou os alunos a uma reflexão. "Vocês, que vão entrar na universidade, vão ingressar em um debate sobre o futuro. Qual a visão social e o projeto de democracia que queremos?", questionou. Em seguida, Tarso disse que o Ministério da Educação quer mais. "Queremos mais universidades públicas, estabelecer novas relações com a sociedade, que a universidade seja democrática, com mais espaços de participação dos alunos e professores."

Andréia Ferreira, do curso de direito da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), representou os bolsistas. "Nós, que fomos selecionados no primeiro ProUni, temos a responsabilidade de fazer o melhor para este programa ser um sucesso e ser ampliado, para tornar nosso país um lugar de verdadeiros brasileiros e que dependam do próprio bolso para estudar."

Ela agradeceu à família pelo incentivo. "Sonhamos com um futuro melhor; pessoas como eu, com mais de 30 anos, pais de família, têm uma responsabilidade grande. Convido vocês para que a gente faça o projeto ter mais de 90% de aprovação. Estamos abrindo caminho para que nossos filhos tenham as mesmas oportunidades no futuro."

Bolsas - O Rio Grande do Sul recebeu 8.034 bolsas do ProUni. Destas, 6.337 são integrais e 1.697 parciais (50%) em 51 instituições de ensino superior, distribuídas em 29 municípios. Na região do Vale do Rio dos Sinos, foram destinadas 2.458 bolsas. O secretário de Educação do estado, José Fortunati, revelou apoio ao ProUni e à reforma universitária. "Os detratores atacam ao afirmar que os alunos da escola pública não têm condições de ingressar nas universidades porque iriam rebaixar o nível de ensino. Eles não conhecem a realidade", disse Fortunati.

O prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, reafirmou a importância do ato de ontem. "O governo federal vai nos incentivar e vamos cumprir o compromisso que assumimos com a população. O ProUni nos dá a certeza de que muitos jovens vão morar aqui e que vão estabelecer relações com a cidade", disse o prefeito.

Alexandre Costa

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página