Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Acessibilidade > Perguntas Frequentes > Prouni > ProUni sai mais barato que o previsto
Início do conteúdo da página

ProUni abre inscrição de alunos em 21 de novembro

O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou nesta quinta-feira, 29, que as inscrições dos candidatos às bolsas de estudo do Programa Universidade para Todos (ProUni) estarão abertas de 21 de novembro a 14 de dezembro.

A partir de agora, explicou Haddad, e até 7 de outubro, as instituições de ensino superior (IES) estão fazendo o balanço de pagantes e bolsistas para definir o número de vagas por cursos e turnos. Cumprida essa tarefa, o Sistema ProUni (SisProUni) vai gerar o número de bolsas integrais e parciais disponíveis em 2005. O calendário do MEC prevê que em 16 de dezembro serão divulgados os nomes dos estudantes beneficiários das bolsas.

Na primeira edição do ProUni, em 2004, o Ministério da Educação ofereceu 112.416 bolsas, das quais 72.016 integrais e 40.400 parciais de 50% do valor da mensalidade. As vagas foram abertas em 1.131 instituições de ensino superior não-públicas.

Enem – O ministro também considerou “muito relevante” o comparecimento dos estudantes ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado no domingo, 25. Dos mais de três milhões de inscritos, apenas 25,21% deixaram de fazer as provas, o que representa a maior participação no exame desde 2000. Em 2004, faltaram 33% dos cerca de um milhão de inscritos. Para nós, explicou, foi motivo de muita satisfação ter conseguido mais de 74% de presença dentro de uma conjuntura difícil provocada pela greve dos Correios. Os resultados das provas serão encaminhados aos estudantes em 16 de novembro.

Sobre alguns erros detectados nas provas, como colocação de vírgulas e de acentuação, o ministro Haddad disse que a análise técnica da comissão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que avaliou a prova, não identificou nenhum erro conceitual que pudesse levar o aluno a responder as questões de maneira equivocada. “Não havendo erro conceitual, não há por que anular”, explicou.

Repórter: Ionice Lorenzoni


 

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página