Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Acessibilidade > Serviços > Tomada de Contas do Controle Interno
Início do conteúdo da página

Comissão de controle do ProUni toma posse

O ministro da Educação, Fernando Haddad, instalou nesta terça-feira, 14, a Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social (Conap) do Programa Universidade para Todos (ProUni). Integrada por representantes da sociedade civil, dos estudantes, das instituições de ensino e do MEC, a comissão tem entre suas tarefas acompanhar o programa, identificar dificuldades de alunos e de instituições e propor soluções. O objetivo é aperfeiçoar e consolidar o ProUni.

Na avaliação do ministro Haddad, o ProUni é um programa bem-sucedido, as queixas são poucas e as dificuldades que apareceram raramente envolveram má-fé das instituições de ensino. Num contingente de mais de 200 mil matrículas em mais de mil instituições, explicou, os problemas que surgiram foram resolvidos antes de chegar ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas. “É um programa exitoso que interessa ao país e que pode e deve ser aprimorado”, disse Haddad.

Entre os bons resultados conquistados nos dois anos do ProUni, o ministro destacou a baixa evasão: hoje, das 112 mil matrículas efetuadas em 2005, no primeiro processo seletivo, cerca de 95 mil estudantes continuam no programa; o desempenho escolar dos beneficiários é igual ou superior aos de seus colegas; não ocorreu nenhum incidente envolvendo preconceito de alunos ou de mantenedoras. Entre os subprodutos do programa, o ministro destacou a melhora no desempenho dos estudantes na última prova do Exame do Ensino Médio (Enem) e a melhora da auto-estima dos alunos e de suas famílias. “É um programa que fala ao coração do presidente (Lula) que tem orgulho de propiciar essa oportunidade, que ele não teve, aos jovens.”

Comissão – A Conap é composta por 12 membros: dois representantes dos alunos das instituições privadas de ensino superior, sendo pelo menos um deles bolsista do ProUni, nomeados pela União Nacional de Estudantes (UNE); dois dos estudantes do ensino médio público, indicados pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes); dois do corpo docente das instituições privadas de ensino superior, ambos professores em regime de tempo integral; dois dos dirigentes das instituições privadas de ensino superior; dois da sociedade civil; e dois do MEC.

Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página