Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Acessibilidade > Perguntas Frequentes > Prouni > Adesão ao ProUni e recadastramento
Início do conteúdo da página

ProUni beneficia quase dois mil professores neste ano

O Programa Universidade para Todos (ProUni) beneficiará com bolsas integrais ou parciais de estudo, no segundo semestre deste ano, 679 professores que trabalham na rede pública. Os professores estão entre os 43.614 pré-selecionados no programa do Ministério da Educação. No primeiro processo seletivo do ProUni deste ano ingressaram 1.182 professores, que somados aos 679, contabilizam 1.861 professores com a possibilidade de fazer o curso superior este ano.

Diferente dos outros concorrentes às bolsas do ProUni, os professores não precisam comprovar renda e nem terem estudado em escola pública. Basta que lecionem na rede pública, pertençam ao quadro permanente, estejam no exercício do magistério na educação básica e tenham obtido nota mínima de 45 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2005). Os professores concorreram a bolsas de estudos integrais ou parciais (50% da mensalidade), em cursos de pedagogia, normal superior e nas licenciaturas de matemática, química, física, biologia, história, geografia, português (com opções de formação em inglês, francês e espanhol).

O diretor do Departamento de Modernização e Programas do Ensino Superior do MEC, Celso Ribeiro, destaca que incentivar a formação de professores é um dos objetivos do Prouni: “São 679 professores da rede de ensino básico, pré-selecionados agora em cursos de licenciatura, pedagogia e normal superior, o que mostra que realmente o programa está cumprindo o objetivo de melhorar a formação dos professores”.

Na avaliação de Celso Ribeiro, a participação dos professores no programa ainda é pequena, mas, à medida que o ProUni se torna conhecido, a procura será ampliada. O importante, ressalta, é o professor estar atento, fazer a prova do Enem e, se não obtiver uma boa nota, repeti-la no ano seguinte.

Incentivo - O titular da Secretaria de Educação Básica (SEB/MEC), Francisco das Chagas, destaca a importância de os professores das redes públicas, sem curso de graduação, ingressarem no ensino superior por meio do ProUni. De acordo com o secretário, o governo está preocupado com a falta de professores de 5ª a 8ª série, nas áreas de ciências, matemática, física, química e biologia. “O governo está incentivando os professores a ingressarem no ProUni, para que possam fazer licenciatura. O ProUni colabora para que a falta de professores nestas áreas seja resolvida”, afirma Francisco das Chagas.

Segundo o secretário, além dessa possibilidade oferecida pelo ProUni, o Ministério da Educação tem vários programas de formação de professores. Para os da educação infantil existe o Proinfantil; os das séries iniciais do ensino fundamental, o Proformação; e para  professores do ensino médio, o Prolicenciatura. “O MEC também trabalha com programas como a Universidade Aberta do Brasil para incentivar a formação de professores nas áreas das ciências”, disse Chagas.

Susan Faria e Cristiano Bastos

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página