Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Professora de MS cria projeto sobre bebês e ação pedagógica
Início do conteúdo da página
Diversidade

Alfabetização na zona rural em debate na China

  • Segunda-feira, 28 de novembro de 2005, 14h32

A cidade de Pequim, capital da China, sedia a 5ª Reunião do Grupo de Alto Nível de Educação para Todos, de segunda-feira, 28, a quarta, 30. O evento é realizado anualmente pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), com o objetivo de monitorar as metas internacionais pactuadas nas conferências mundiais de educação de Jontiem (Tailândia), em 1990, e Dacar (Senegal), em 2000.

O secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do MEC, Ricardo Henriques, participa da reunião que tem como tema a alfabetização com foco na educação da população rural. A conferência contará com a participação dos ministros de educação de vários países. Henriques vai apresentar os dados de alfabetização de jovens e adultos do programa Brasil Alfabetizado na zona rural. De acordo com informações do cadastro do programa, 39,7% dos alfabetizandos em 2005 moram em áreas rurais, que têm 35,9% de sua população analfabeta.

Na reunião será apresentado o relatório mundial da situação da educação no mundo. O evento pretende resgatar o sentido amplo de educação para todos, seguindo parâmetros estabelecidos nas conferências de Jontiem e Dacar, garantindo à população mundial o direito à educação e à aprendizagem ao longo de toda a vida.

Gênero – Antes do início da 5ª Reunião do Grupo de Alto Nível de Educação para Todos, Henriques participou de outro encontro, em que falou sobre a educação de meninas e alfabetização de mulheres adultas. A comparação de dados internacionais mostra que, apesar dos problemas, o Brasil está progredindo, estando à frente de países em desenvolvimento. Os dados revelam que gênero associado a variáveis como raça e região leva a diferenças nos indicadores educacionais. E que no mundo do trabalho –carreira e rendimento – o Brasil está longe da igualdade de gênero.

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2004 (Pnad/IBGE) divulgada na sexta-feira, 25, a taxa de analfabetismo é maior entre os homens acima de 15 anos (11,4%) do que entre as mulheres (11,1%). Entre os inscritos do Brasil Alfabetizado, as mulheres são maioria: 57,39%. A promoção da igualdade entre os gêneros e o fortalecimento do papel da mulher na sociedade são algumas das metas de desenvolvimento do milênio, estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Repórter: Iara Bentes

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página