Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Educação indígena

Alunos do Amazonas se formam em desenvolvimento sustentável

  • Quinta-feira, 02 de junho de 2011, 17h04
Para se formar, alunos de várias etnias apresentaram projetos sobre cultivo de hortaliças, espécies frutíferas e criação de aves e de peixes. Foto: Arquivo do Instituto Federal do AmazonasNesta sexta-feira, 3, na comunidade indígena de Ipanoré, situada às margens do rio Waupés, se dará a formatura de alunos indígenas que concluíram o curso técnico de desenvolvimento sustentável indígena, oferecido pelo campus São Gabriel da Cachoeira do Instituto Federal do Amazonas. São 35 alunos das comunidades de Tapira-Ponta, Curupi, Marapi e Ipanoré, localizadas na calha do Rio Negro. O curso foi dado por professores que se deslocavam de barco até as comunidades indígenas, experiência única no país.

O curso técnico de desenvolvimento sustentável visa promover a formação técnica nas áreas de aquicultura, manejo agroflorestal, agricultura e processamento de alimentos. “O objetivo é desenvolver a capacidade produtiva dos agentes sociais indígenas no campo da produção de alimentos, para melhorar suas condições de vida”, explicou o diretor do campus, Elias Brasilino de Souza.

Para se formar, os alunos das etnias tucano, dessano, ariano e piratapuri tiveram que apresentar projetos finais de curso. Eles enfocaram as necessidades de suas comunidades no tocante à produção de alimentos. Trataram do cultivo de hortaliças, espécies frutíferas e criação de aves e de peixes.

Nessas comunidades estão sendo criadas formas alternativas de produção e de aprimoramento das técnicas produtivas tradicionais, para permitir a manutenção alimentar básica das comunidades, por meio da produção de alimentos como mandioca, milho, cará, batata. O objetivo é diminuir a necessidade de adquirir alimentos na cidade.

Para dar o curso, os professores do campus São Gabriel da Cachoeira se deslocavam de voadeiras (botes motorizados) para as comunidades indígenas. Passavam de dez a quinze dias em cada uma delas. As aulas foram dadas nas próprias escolas indígenas. O curso teve duração de dois anos e meio.

O município de São Gabriel da Cachoeira está localizado ao noroeste do estado do Amazonas, na fronteira do Brasil com a Colômbia e a Venezuela. Ali vivem indígenas de 23 etnias diferentes.

Ana Júlia Silva de Souza
X
Fim do conteúdo da página