Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Inclusão

MEC retoma atenção ao atendimento pedagógico de alunos em hospitais

  • Quarta-feira, 16 de agosto de 2017, 10h01

O Ministério da Educação retomou a discussão sobre o atendimento pedagógico em ambiente hospitalar e domiciliar. O ministro Mendonça Filho determinou que as diretrizes desse tipo de atendimento sejam definidas e enviadas ao Conselho Nacional de Educação (CNE) para apreciação. Ele também orientou que seja criado um programa de formação de professores para atuarem nos ambientes hospitalares e domiciliares com crianças, adolescentes e jovens que se encontram impossibilitados de frequentar as escolas por motivo de tratamento de saúde.

A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) e a Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC serão responsáveis por elaborar a proposta de orientações normativas a serem enviadas ao Conselho Nacional de Educação para apreciação e regulamentação. Ivana de Siqueira, titular da Secadi, explica que é necessária a normatização do MEC para garantir que esse atendimento chegue aos estudantes que dele necessita.

“Precisamos de uma orientação para que os estados possam se organizar”, observa a secretária. “Houve também a proposta de fazermos a formação de professores para a oferta desse atendimento. Nossa ideia é começar já neste semestre”, detalha.

Reunião – Mendonça Filho recebeu na terça-feira, 15, profissionais representantes do Grupo de Apoio à Crianças com Câncer (GAC) de Pernambuco, da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação (Consed), da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e do Ministério da Saúde para discutir a questão.

Assessoria de Comunicação Social 

X
Fim do conteúdo da página