Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Olimpíada de matemática

Estudantes receberão medalhas em cerimônia de premiação nesta terça

  • Segunda-feira, 13 de novembro de 2017, 19h13

A premiação da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) 2016, maior competição estudantil do país, ocorrerá nesta terça-feira, 14, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Serão entregues 501 medalhas de ouro aos estudantes vencedores.

Em sua 12ª edição, a Obmep registrou mais de 18 milhões de inscritos. Além dos medalhistas de ouro, a competição conferiu 1,5 mil medalhas de prata, 4.501 de bronze e 42.482 menções honrosas. A ação é promovida pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, com realização do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

“Essa olimpíada tem vários benefícios. O primeiro é detectar alunos que tenham talento para a matemática, por meio de uma prova que não requer apenas o conhecimento da matemática, mas, também, de raciocino lógico e criatividade”, afirma o diretor adjunto do Impa, Cláudio Landin.

Além das medalhas, os ganhadores recebem bolsa para participação em programas de iniciação científica. “Isso permite que tenham contato com outros alunos de matemática e com universidades de todo país; é o primeiro contato deles com este ambiente universitário. Todos os anos descobrimos diversos alunos com muito talento que tomam o caminho de cursos como a engenharia”, acrescenta Landin.

Competição – O torneio é destinado a estudantes do sexto ano do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio. Na edição de 2016, 99,6% dos municípios brasileiros tiveram pelo menos um jovem concorrendo. Minas Gerais foi o estado que registrou maior número de medalhistas e estudantes recebendo menções honrosas: um total de 11.242, sendo 125 também medalhas de ouro.

A mineira Gabriela Chaves Santos, 16 anos, foi uma das vencedoras da olimpíada este ano. Ganhou medalha de ouro pela escola estadual Coronel Xavier Chaves, instituição que leva o nome da cidade, em Minas Gerais. “Eu ganhei em 2014 e não pude vir ao Rio em 2015. Estudei e me dediquei muito em 2016 para poder estar aqui. Estou muito feliz”, comemora, ao informar que a premiação ocorre no mesmo dia de seu aniversário. “Foi um presente”.

Outro vencedor é o pernambucano Lucas Coelho Bida, de 13 anos. “Essa medalha é um passo para meu futuro. Pode abrir caminho para eu me realizar profissionalmente. Não estava esperando, mas estou muito feliz”, comenta o estudante do sétimo ano da Escola Ginásio Municipal Laudelino Freire de Mororó, no município de Santa Filomena (PE). Esta é a segunda Obmep da qual Lucas participa e a primeira em que conquista ouro. “Concorri em 2015 e fiquei com medalha de bronze na época”, lembra.

Das 47.474 escolas inscritas, 13.930 são rurais. O total de alunos participantes foi de 1,6 milhão, dos quais 322 conquistaram medalhas. A premiação da Obmep sempre ocorre no ano seguinte à sua edição. A de 2017 já foi concluída e o resultado será divulgado no próximo dia 22. Como novidade, a disputa deste ano trouxe a inclusão de escolas privadas.

Assessoria de Comunicação Social

 

X
Fim do conteúdo da página