Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Audiovisual

Cinemateca Brasileira passa a ser gerida pela Associação Roquette Pinto, gestora da TV Escola

  • Terça-feira, 06 de março de 2018, 19h01

A Cinemateca Brasileira, mais antiga instituição de cinema do país, criada em 1946, vai mudar de mãos. A Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp) vai assumir sua gestão, ao lado da TV Escola e da TV Ines, vinculadas ao Ministério da Educação. Para esse fim, foi assinado um contrato entre os ministérios da Educação e da Cultura, ao qual a Cinemateca era vinculada desde 1984, e a Acerp. Os ministros Mendonça Filho, da Educação, e Sérgio Sá Leitão, da Cultura, assinaram o contrato com o diretor-geral da Roquette Pinto, Fernando Veloso, em São Paulo.

“A Roquette Pinto tem expertise na gestão da TV Escola, que difunde conteúdos educacionais para todo o Brasil, e da TV Ines, que tem por tarefa propiciar o acesso desse conteúdo aos deficientes auditivos e surdos”, observou Mendonça Filho. “Agora ganha uma nova responsabilidade, que é a gestão da Cinemateca, algo que tem uma relação direta com as outras missões mencionadas, havendo total competência para o cumprimento das responsabilidades compactuadas no contrato.”

Com a assinatura do termo de contrato, a Acerp passa a gerir os núcleos de preservação, documentação e pesquisa, difusão, administração e tecnologia da informação da Cinemateca. O contrato tem vigência até 2021.

Os ministros Mendonça Filho e Sérgio Sá Leitão e o diretor-geral da Roquette Pinto, Fernando Veloso (centro), durante cerimônia em São Paulo (Foto: André Nery/MEC)

Sérgio Sá Leitão definiu esse documento como um “marco do processo de retomada e revitalização da Cinemateca”. “A instituição está inteiramente preservada e o que a gestão fará é nos dar mais e melhores meios para impulsionar a Cinemateca a realizar sua vocação”, disse Leitão. “O caráter público da Cinemateca está absolutamente assegurado e agora teremos meios mais eficientes e eficazes para fazer com que a cinemateca cumpra a sua função”, disse. 

Além de preservar o maior acervo audiovisual da América Latina, a Cinemateca Brasileira, cuja sede está localizada em São Paulo, exerce atividades de restauro e preservação da produção cinematográfica nacional. “A nossa diretoria está dedicada e já sabe da dimensão e da grandeza da Cinemateca, e vamos trabalhar com todo compromisso para que a Cinemateca seja destaque em eventos nacionais e internacionais”, destacou Fernando Veloso.

O acervo da instituição conta com, aproximadamente, 245 mil rolos de filmes, entre longas, curtas e cinejornais. Ainda compõem o patrimônio da entidade cerca de 1 milhão de documentos relacionados à área audiovisual, como livros, roteiros, periódicos, recortes de imprensa, documentos pessoais doados, cartazes, fotografias e desenhos.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página