Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Programa que estreia no dia 16 explica regras da língua escrita
Início do conteúdo da página
Trilhas da Educação

Projeto de rádio escolar ajuda a mudar a realidade de estudantes em Porto Velho

  • Sexta-feira, 11 de maio de 2018, 11h34


Mídia com amplo poder de alcance, o rádio tem sido um aliado forte no estímulo à aprendizagem na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Professor Orlando Freire, de Porto Velho, Rondônia. Quem apostou na importância desse canal para desenvolver um método que de pronto conquistou os alunos foi o pedagogo Reinaldo Ramos das Neves, de 49 anos. Ele conta sobre essa experiência vitoriosa no programa Trilhas da Educação, produzido e transmitido pela Rádio MEC.

Tudo começou há oito anos, com a criação da Rádio Falante, que aos poucos foi mudando a relação dos alunos com os estudos e a escola. Inicialmente, a emissora, além de oferecer música, servia como espaço para pequenos informes preparados pelos próprios alunos – trabalho que evoluiu para a criação de notícias elaboradas em formato jornalístico e acabou transformando a rádio em um veículo de grande audiência.

“Eu cheguei à escola e vi aquelas caixas de som”, lembra Reinaldo. “Foi quando conversei com a diretora e ela disse: ‘Vamos montar uma rádio’. Quando se falava em rádio-escola, se pensava em música e recado. Nós mudamos essa concepção e passamos a trabalhar com informação na escola, entrevistas. Toda semana levamos alguém, um escritor, uma pessoa ligada à área médica, à comunicação”.

Transformações – Em pouco tempo, a popularidade da rádio começou a transformar o ambiente escolar, para além do envolvimento dos alunos. Localizada em uma área marcada por altos índices de violência, a escola, muitas vezes, enfrentava o desafio de lidar com o comportamento de alguns estudantes que frequentavam pouco as salas de aula e lotavam os corredores.

“No intervalo, havia confusões, brigas, mas isso mudou”, conta o pedagogo. “Eles passaram a colocar o foco na rádio, e isso deu resultados. Acho que o melhor termômetro é a sala de leitura, que passou a ter muita procura. [A emissora] fomentou a pesquisa na escola e a procura na biblioteca. Os alunos estão procurando ler mais devido a essas sugestões de leitura, e isso melhorou o ambiente da escola”.

A iniciativa de Reinaldo já rendeu parceria com uma rádio local, abrindo caminho para várias doações de livros à biblioteca – que, entre outros volumes, tem obras do consagrado escritor Paulo Coelho e do senador e ex-ministro da Educação Cristovam Buarque, além de peças do acervo da Biblioteca da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Por sua importância no desenvolvimento de um trabalho que reaproximou os jovens da escola, a Rádio Falante já ganhou o voto de louvor da Assembleia Legislativa de Rondônia e foi premiada pelo Instituto da Cidadania do Brasil.

Atualmente, a emissora funciona em um expediente que não para de se expandir. De manhã, as transmissões vão das 7h15 às 7h30, quando começam as aulas. Nesse primeiro período, além do hino oficial do estado de Rondônia, há músicas instrumentais, informativos da supervisora da escola e o que o Reinaldo aponta como o maior destaque: as entrevistas, que, graças a uma câmera instalada no estúdio, podem ser acompanhadas pelos alunos em um monitor que fica nos corredores. O recurso já se desdobrou no que eles chamam de TV Paredão.

“Nós levamos uma jornalista para entrevistar, uma aluna acompanhou o bate-papo, gostou e, hoje, está trabalhando em uma emissora de rádio em Porto Velho”, comemora o pedagogo. “Ou seja, estamos abrindo mercado de trabalho para essas pessoas. Acho que esse vale a pena investir nos jovens”, conclui.

Assessoria de Comunicação Social

 

Assunto(s): Escola , Rádio , aprendizagem
X
Fim do conteúdo da página