Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Educação profissional

Instituto Federal Goiano terá R$ 4 milhões do MEC para obras de campus avançado em Catalão

  • Segunda-feira, 21 de maio de 2018, 18h11
  • Última atualização em Segunda-feira, 21 de maio de 2018, 20h01

Catalão (GO), 21/5/2018 – O ministro da Educação, Rossieli Soares, lançou, nesta segunda-feira, 21, em Catalão, no interior de Goiás, a pedra fundamental para o início da construção da sede definitiva do campus avançado Catalão, do Instituto Federal Goiano (IF Goiano). Na cerimônia, o ministro assinou a liberação de R$ 4 milhões, recursos do Ministério da Educação, para o começo das obras.

Rossieli Soares agradeceu a cessão do terreno, pela prefeitura de Catalão, para que os estudantes possam ter uma estrutura digna de um campus universitário. “Há muitos alunos que estudam em outras estruturas e esperamos, em pouco tempo, ter esse projeto ideal para o funcionamento de um campus do Instituto Federal, o que vai fortalecer absolutamente tudo, alunos, funcionários e toda a cidade. Para o MEC, há uma prioridade, que aquilo que foi iniciado seja concluído com qualidade”, afirmou.

Criado em 2013, o campus do IF Goiano funciona, provisoriamente, em duas edificações cedidas pelo município, uma ao lado da outra. A prefeitura de Catalão doou uma área urbana de 10.000 m² para a instalação da sede própria e o projeto arquitetônico está pronto, orçado em cerca de R$ 10 milhões, ao todo. Atualmente, o processo de licitação pública para a construção está em fase preparatória.

O reitor do IF Goiano, Vicente Pereira de Almeida, afirmou que o novo campus vai dar mais força ao ensino em todo o entorno do município. “Este projeto precisa ser consolidado para que possamos engrandecer ainda mais o IF Goiano, em Catalão, contribuir para o desenvolvimento da nossa região”, disse.

A nova sede do campus Catalão terá biblioteca, auditório, salas de aula, espaço para convivência, sala de professores, salas administrativas, laboratórios de química, física, biologia e matemática. O espaço terá capacidade para atender, inicialmente, 1.200 alunos.

O campus Catalão oferece dois cursos técnicos integrados presenciais (informática e mineração); cursos concomitantes ou subsequentes (mineração e informática); cursos de formação inicial e continuada (FIC); e pós-graduação (ensino de ciências e matemáticas). Aguarda aprovação para oferta em 2019 uma proposta de curso superior. Hoje, o campus Catalão conta com um total de 274 alunos regularmente matriculados, além de 80 novas matrículas que serão consolidadas no próximo mês de junho, totalizando 354 estudantes regulares.

Instituto – Ainda em Goiás, Rossieli Soares visitou as obras do Campus Avançado Ipameri, também do Instituto Federal Goiano (IF Goiano). O local funciona desde fevereiro de 2014 e, para sua implantação, recebeu como doação as instalações de um campus desativado da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás).

O espaço ocupa uma área total de 290 mil m², localizado no Setor Universitário de Ipameri, às margens da Rodovia GO-307. Posteriormente, foram doados mais 193 mil m², pela Prefeitura Municipal de Ipameri, totalizando, atualmente, 483 mil m². Recentemente, alguns espaços do campus foram reformados ou receberam novos equipamentos.

Para o ministro Rossieli Soares, o novo campus fortalecerá estudantes e toda a cidade (Foto: André Nery/MEC)

Durante o evento, foram inaugurados o pavilhão de laboratórios, a sala de professores, o auditório, o campo de futebol e a biblioteca. Somente nestes setores, o valor total investido foi de R$ 1.662.858,00, incluindo R$ 894.595,35, repassados ainda durante a gestão do ex-ministro Mendonça Filho, em dezembro de 2017. O recurso também foi destinado a reformas, aquisição de mobiliário, materiais bibliográficos, máquinas e equipamentos.

No campus Ipameri, são ofertados os cursos de técnico em comércio integrado ao ensino médio; técnico em redes de computadores integrado ao ensino médio; técnico em redes de computadores (modalidade concomitante); técnico em administração (concomitante/subsequente); superior de tecnologia em gestão c; segunda licenciatura em pedagogia; pós-graduação lato sensu em docência do ensino superior; e formação inicial e continuada (FIC) em finanças pessoais. Ao todo, o local conta com 20 professores e oito técnicos administrativos, atendendo 426 estudantes matriculados.

Em Morrinhos, o ministro da Educação descerrou as placas de três obras do bloco de informática e do centro de vivência no Campus Morrinhos, do Instituto Federal Goiano (IF Goiano). Situada na Região Sul de Goiás, a unidade ocupa uma área total de 200 hectares. O valor total dessas obras é de R$ 5.133.074,18. Cerca de R$ 2 milhões foram repassados durante a gestão do ex-ministro Mendonça Filho, em dezembro de 2017.

Atualmente, o Campus Morrinhos oferta cursos técnicos integrados ao ensino médio, superiores e de pós-graduação. Na educação profissional técnica de nível médio, os cursos oferecidos são técnico em agropecuária, técnico em alimentos e técnico em informática. Além desses, há o curso técnico em agroindústria integrado ao ensino médio, na modalidade Proeja - Educação de Jovens e Adultos. Na formação profissional em nível superior, os cursos são: bacharelado em agronomia, tecnologia em alimentos, bacharelado em ciência da computação, licenciatura em pedagogia, licenciatura em química, tecnologia em sistemas para internet e bacharelado em zootecnia.  

Em relação à pós-graduação, desde 2014 é ofertado o mestrado profissional em olericultura (cultivo de legumes). Em 2016, teve início a primeira turma da especialização em ensino de ciências e matemática e em 2017 passou a ofertar o mestrado profissional em educação profissional e tecnológica. Todos os cursos são gratuitos e ministrados por especialistas, mestres e doutores. Atualmente, o campus conta com 84 docentes, 70 técnicos administrativos, além de servidores terceirizados, para atender a 1.300 alunos presencias.

A história do campus Morrinhos começou na década de 1990, como Escola Agrotécnica Federal de Urutaí – Unidade Descentralizada de Morrinhos. Em 2002, passou a se chamar Centro Federal de Educação Tecnológica de Urutaí – Unidade Descentralizada de Morrinhos, Cefet Urutaí - Uned Morrinhos. Com a lei 11.892, de 29 de dezembro de 2008, tornou-se o Campus Morrinhos do Instituto Federal Goiano, quando foi instituída a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

 

21/05/2018 - Lançamento da pedra fundamental do Campus Catalão do Instituto Federal Goiano. (Foto: André Nery/MEC)

Assessoria de Comunicação Social 

 

X
Fim do conteúdo da página