Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Debate

Ministro participa de reunião da CNI para discutir melhorias no setor industrial do país

  • Sexta-feira, 10 de agosto de 2018, 15h11
  • Última atualização em Sexta-feira, 10 de agosto de 2018, 20h32

São Paulo, 10/8/2018 – As indústrias brasileiras precisam de políticas públicas que atendam suas necessidades. Em busca de soluções para essa demanda, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) promoveu nesta sexta-feira, 10, em São Paulo, mais uma reunião do Comitê de Líderes Empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI). O encontro contou com a participação do ministro da Educação, Rossieli Soares.

“Não há inovação que vá dar certo neste país, a longo prazo, se não houver um olhar efetivo, em todos os setores do Brasil, para a educação básica”, afirmou o ministro. “O nosso problema começa quando as crianças estão dentro da escola, mas não estão aprendendo. A qualidade da aprendizagem é o grande desafio na alfabetização.”

Rossieli Soares aproveitou a oportunidade para reforçar que o MEC tem buscado trabalhar alinhado com as experiências mundiais, nos últimos dois anos, em torno de discussões importantes – como a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) da educação infantil e do ensino fundamental, aprovada no ano passado e atualmente em fase de implementação junto aos estados e municípios.

“Pela primeira vez, o Brasil se organiza por competências e habilidades”, destacou o ministro. “Um dos pilares dentro desse contexto é a visão para a inovação, desde a educação básica, ou seja, começar a trabalhar com as nossas crianças, desde cedo, naquilo que pode ser inovado. Estamos trazendo para dentro das escolas a questão do empreendedorismo, o desenvolvimento de tecnologias e a discussão da BNCC do ensino médio, que deve ser homologada até o fim do ano, além da quebra de paradigmas com a reforma do ensino médio.”

MEI - A MEI é um movimento que busca o estímulo de estratégias inovadoras das empresas brasileiras e visa ampliar a efetividade das políticas de apoio à inovação por meio do debate entre iniciativa privada, academia e setor público.

O comitê, formado por lideranças das principais associações industriais e das federações estaduais da indústria, se reúne periodicamente com representantes do governo federal para definir caminhos que potencializem a inovação no setor empresarial brasileiro, bem como para avaliar as ações já em curso de estímulo à inovação no país.

Educação profissional – Ainda em São Paulo, Rossieli Soares conheceu o modelo implementado na unidade Santa Efigênia, vinculada ao Centro Paula Souza, instituição estadual de educação profissional, que oferece cursos de ensino médio integral e integrado ao ensino técnico, além de oferecer cursos profissionalizantes nas modalidades subsequentes e concomitantes.

Durante a visita, o ministro se reuniu com a diretora do centro, Laura Laganá, que discutiu formas de financiamento desse modelo e apresentou dados dos números de alunos matriculados e sobre a expansão do centro. O modelo de ensino integrado da escola técnica estadual Santa Efigênia utiliza metodologia que pode servir de inspiração para a implementação do novo ensino médio.

O Centro Paula Souza tem mais de 290 mil alunos inscritos em 300 municípios paulistas e administra as 223 escolas técnicas (Etecs) e as 72 faculdades de tecnologia (Fatecs) do estado. O centro possui mais de 290 mil estudantes matriculados em cursos técnicos e superiores.

Assessoria de Comunicação Social

 

Assunto(s): educação básica , MEI
X
Fim do conteúdo da página