Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Dez dicas importantes para controlar a ansiedade na hora de fazer a prova
Início do conteúdo da página
Especial

Projetos de ensino criativos serão estimulados com viagens à Europa e prêmios em dinheiro

  • Segunda-feira, 08 de maio de 2017, 15h13

Duas viagens internacionais estão previstas para os vencedores da décima edição do Prêmio Professores do Brasil, uma iniciativa do MEC, lançado oficialmente nesta segunda, 8, no Instituto Singularidades, em São Paulo. Os 30 vencedores da etapa regional receberão R$ 7 mil mais uma viagem de oito dias à Irlanda, onde vão participar de uma capacitação custeada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Desse total, seis professores, escolhidos na categoria nacional, receberão R$ 5 mil adicionais. Aqueles selecionados na categoria Temáticas especiais terão, entre seus prêmios, uma viagem de sete dias a Londres (Inglaterra), onde participarão de atividades educativas, interativas, palestras e visitas a museus.

Entre os presentes ao lançamento do Prêmio, além de representantes da categoria, estavam o ministro Mendonça Filho, o secretário de Educação Básica do MEC, Rossieli Soares, e o secretário estadual de Educação de São Paulo, José Renato Nalini.  

O professor amazonense Valter Pereira de Menezes recebe homenagem do secretário da Educação Básica, Rossieli Soares, e do ministro da Educação Mendonça Filho (foto: Rafael Carvalho/MEC)

Mendonça Filho entregou placas em homenagem aos profissionais que se destacaram mundialmente na premiação Professor Global, concedida desde 2015 a docentes com grande contribuição aos alunos e sua comunidade na educação básica. Foram destacados Márcio de Andrade, de Mato Grosso; Valter Pereira de Menezes (Amazonas) e Wemerson da Silva Nogueira (Espírito Santo).

 Reconhecimento – O Prêmio Professores do Brasil, segundo o ministro Mendonça Filho, demonstra o reconhecimento tanto de autoridades quanto do público em geral de uma categoria com a missão de transformar a vida de jovens e crianças. “O orçamento geral da União para a formação dos docentes supera R$ 1,5 bilhão, um número considerado elevado”, destacou o ministro. “Ao investir, precisamos integrar as ações de formação com a política de contratação dos estados e municípios.”

Para o secretário de Educação Básica do MEC, Rossieli Soares da Silva, a proposta do Prêmio Professores do Brasil é identificar e divulgar ações criativas e inovadoras nas escolas públicas, valorizando, assim, o papel do professor como sujeito ativo na elaboração do Plano Nacional de Educação (PNE). “Quando vamos buscar as melhores práticas, observar onde estão os melhores exemplos, muitas vezes olhamos para fora”, ressaltou. “O Prêmio Professores do Brasil vem olhar para dentro, porque aqui também temos boas práticas.”

O secretário estadual de Educação de São Paulo, José Renato Nalini, vê o momento como sendo de reflexão e respeito a uma categoria que considera sacrificada. “[Trata-se de] uma classe que merece uma remuneração melhor, mas que a crise econômica e a Lei de Responsabilidade Fiscal não permitem que sejam contemplados como gostaríamos”, avaliou. “O prêmio é uma forma de resgate da autoestima de um profissional essencial para a formação do Brasil.”

A professora Elaine Cristina Benteo, vencedora nona edição do prêmio na categoria alfabetização, falou sobre sua atuação: “Trabalho em sala de aula há 23 anos. Meu projeto foi sobre levar aos estudantes e comunidades locais hábitos alimentares saudáveis. Boas ideias sempre se revertem em boas práticas para a qualidade de ensino de vida. O reconhecimento do nosso trabalho é a certeza de que estamos no caminho certo”.

Prêmio – O Prêmio Professores do Brasil busca reconhecer, divulgar e premiar o trabalho de professores de escolas públicas que contribuam para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos em sala de aula. Seis categorias compõem a premiação: Educação infantil (creche); Educação infantil (pré-escola); Ensino fundamental do primeiro ao terceiro ano (ciclo de alfabetização); Ensino fundamental do quarto ao quinto ano; Ensino fundamental do sexto ao nono ano e Ensino médio.

A premiação se divide em três etapas: estadual (162 vencedores), regional (30 vencedores) e nacional (6 vencedores). Os ganhadores da etapa regional receberão troféu e R$ 7 mil cada um. As escolas às quais eles pertencem serão condecoradas com placas comemorativas e ganharão equipamentos de informática atualizados com softwares com conteúdo educacional. Já os vencedores da etapa nacional terão prêmios de mais R$ 5 mil reais, totalizando R$ 12 mil, além de troféu.

No caso da premiação especial, serão reconhecidos até 14 educadores dentro dos 162 destaques da etapa estadual. A viagem a Londres, com todas as despesas pagas pela Shell Brasil, caberá ao autor do melhor projeto, em sala de aula, que tenha como foco o estímulo ao conhecimento científico por meio da inovação. As melhores atividades sobre uso de tecnologias de informação e comunicação no processo de inovação educacional serão agraciados com R$ 5 mil cada (até três projetos).

Paralelamente, até cinco professores de educação física com relatos de destaque dentro de esportes como estratégia de aprendizagem terão uma visita de um dia ao Núcleo de Alto Rendimento Esportivo de São Paulo e até seis professores, cujas práticas pedagógicas apresentem estratégias de reflexão e ação quanto à conservação e uso consciente da água, participarão, apresentando seus trabalhos, no Fórum Mundial da Água 2018.

Inscrições – Para este ano, são esperadas 15 mil candidaturas. Podem participar educadores de escolas públicas de todo o país. As inscrições seguem até 25 de agosto, devendo ser feitas, unicamente, pela página eletrônica do prêmio. O resultado final será divulgado em dezembro.

Leia mais:
Professores relatam histórias de sucesso durante solenidade 
Entidades ligadas a educadores destacam importância do prêmio

Assessoria de Comunicação Social 

Assunto(s): professor , prêmio , viagem
X
Fim do conteúdo da página