Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC publica edital do processo seletivo para o segundo semestre de 2019
Início do conteúdo da página
Educação superior

Primeira mulher negra eleita reitora toma posse em universidade baiana

  • Quinta-feira, 21 de junho de 2018, 14h22

A reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Joana Angélica Guimarães da Luz, tomou posse, nesta quarta-feira, 20, na sede do MEC, em Brasília, e é a primeira mulher negra a ser eleita para assumir a reitoria de universidade federal do Brasil. A solenidade de posse, que marca uma gestão de quatro anos, contou com a presença do ministro Rossieli Soares.

O ministro destacou a importância da nomeação. “Hoje nós demos posse à reitora Joana, uma mulher que representa muito, uma mulher negra, sendo a primeira eleita para a reitoria da UFSB”, disse. “A universidade tem uma referência muito grande em formação de professores, no processo de continuidade, de olhar para o desenvolvimento de uma região importante do Brasil, como o sul da Bahia. Assim, é um momento importante ter a nova reitora, olhando para frente, investindo dentro da universidade e olhando para o desenvolvimento da região”.

Formada em geologia e doutora em engenharia ambiental, Joana Angélica Guimarães da Luz tem 12 anos de experiência em gestão na área de educação (Foto de Mariana Leal/MEC)

EAD – Com quatro anos de história, a UFSB tem um modelo diferenciado quando comparada a outras universidades federais, com três campus – Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas – e oito polos espalhados em alguns municípios da região com Educação a Distância (EAD). Joana Luz, que é formada em geologia e doutora em engenharia ambiental com 12 anos de experiência em gestão na área de educação no estado da Bahia, participou da implantação da UFSB na região.

“O aluno entra na universidade e permanece no seu município para assistir às aulas, transmitidas a partir da sede, em Itabuna”, relata a reitora. “Isso facilita a inserção desses estudantes, que, muitas vezes, por terem uma vida tão difícil e por falta de condições, não têm perspectiva e não conseguem vislumbrar que a universidade está ali do lado. O fato de a gente chegar ao município faz com que o aluno tenha um incentivo, venha para a universidade e, a partir do momento em que ele chegue lá, fique mais fácil para ele permanecer”.

Assessoria de Comunicação Social

Assunto(s): posse , reitora , negra
X
Fim do conteúdo da página