Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC libera R$ 60 milhões para instalação de usinas fotovoltaicas em instituições federais de educação tecnológica
Início do conteúdo da página
Inovação

Com apoio do MEC, Embrapii credencia 11 grupos de pesquisas de universidades federais como unidades de inovação

  • Segunda-feira, 25 de maio de 2020, 13h08

Novas unidades Embrapii receberão R$ 30 milhões para desenvolver projetos de inovação com a indústria


Com o apoio do Ministério da Educação (MEC), 11 novos grupos de pesquisa de universidades federais foram selecionados e serão credenciados pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Os grupos de pesquisadores das instituições terão disponíveis cerca de R$ 30 milhões para investir em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para atender demandas do setor industrial.

De acordo com o secretário de Educação Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, o credenciamento das novas unidades pela EMBRAPII mostra o comprometimento do Ministério em incentivar a inovação nas universidades federais. “A Embrapii é referência no setor de inovação e tecnologia industrial. Nós queremos trazer essa experiência para dentro das universidades”, afirmou.

Os projetos serão desenvolvidos nas áreas de Energias Renováveis, Fibras Florestais, Sistemas Embarcados, Geotecnologia e Agronegócio, Inteligência Artificial, Computação Industrial, Materiais Avançados/Nanomateriais, Computação Industrial, Robótica Inteligente, Sistemas Veiculares e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). A Embrapii vai financiar um terço do valor dos projetos das novas unidades com recursos não reembolsáveis.

Potencializado pelo modelo de financiamento, a parceria tem o objetivo de atrair empresas pelo conhecimento existente e por sua capacidade de geração de soluções tecnológicas das novas unidades. A meta é gerar 175 projetos e R$ 100 milhões em investimentos de inovação, à medida que se soma ao valor aportado pela Embrapii, a contrapartida financeira de empresas e os recursos não financeiros da Unidade (mão de obra, equipamentos de ponta etc.). Espera-se que as empresas invistam cerca de R$ 50 milhões nos projetos.

“Para cada Unidade credenciada, a Embrapii assegura à indústria que aquele centro de pesquisa possa atuar como seu centro de P&D ou completar as atividades do centro que a empresa já possua”, destaca o diretor-presidente da EMBRAPII, Jorge Guimarães.

As 11 novas unidades Embrapii foram selecionadas entre 37 propostas apresentadas por grupos de pesquisas das universidades. Elas se juntam a seis unidades já credenciadas e vinculadas às universidades federais (UFRGS, UFSC, UFRJ, UFMG, UFU, UFCG). Assim, passa para 17 o número de unidades Embrapii em instituições federais de educação superior credenciadas para desenvolvimento de projetos de inovação. Ao todo, a rede credenciada conta com 55 unidades.

Capacitação profissional – Além estimular a interação entre o setor produtivo e os centros acadêmicos, o credenciamento de unidades em universidades federais também visa capacitar profissionais qualificados para atuarem em projetos de PD&I na indústria.

O programa prevê a participação de estudantes de graduação e pós-graduação em projetos Embrapii, no modelo hands-on, que permite o aprendizado a partir da experiência real, atuando em projetos de pesquisa aplicada com a indústria. Além de adquirir habilidades de pesquisa e consolidar suas competências técnicas, o programa de formação de Recursos Humanos da Embrapii permite o desenvolvimento de habilidades que ultrapassam a dimensão técnica, com a de persuasão e negociação; gerenciamento de projetos; comunicação e liderança. Cerca de 530 estudantes terão a oportunidade de participar da iniciativa.

Sobre a Embrapii – A organização social é uma instituição privada sem fins lucrativos, que tem como principal missão contribuir para o desenvolvimento da inovação e da competitividade da indústria brasileira com o atendimento às demandas de inovação do setor produtivo. Além do MEC, os ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e da Saúde são responsáveis, predominantemente, pelos recursos da Embrapii, provenientes de contratos de gestão.

Conheça as 11 unidades Embrapii selecionadas:

Unidade Embrapii em Fibras Florestais da Unidade Federal de Viçosa (UFV)

A nova unidade Embrapii vai atuar na área de Fibras Florestais, desenvolvendo PD&I, desde a produção até a conversão das fibras em novos materiais e produtos de maior valor. O grupo engloba pesquisadores do Departamento de Engenheira Florestal (DEF), que conta com infraestrutura de excelência e histórico de proximidade com as empresas da área credenciada.

Unidade Embrapii em Energias Renováveis da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

A nova unidade Embrapii reúne pesquisadores do Instituto de Redes Inteligentes, órgão suplementar do Centro de Tecnologia (CT) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul. O grupo de pesquisa atua na área de energias renováveis, abrangendo temas como integração de recursos energéticos renováveis em redes elétricas, conversão de energia, eficiência energética e armazenamento de energia e veículos elétricos.

Unidade Embrapii em Materiais e Processos Sustentáveis da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

A nova unidade Embrapii está apta a desenvolver projetos de PD&I na área de Materiais Avançados, com foco em processos e produtos inovadores, sustentáveis e funcionais. As pesquisas serão apoiadas pela infraestrutura técnica e laboratorial do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia (CCET), que possui importante produção científica no cenário nacional e internacional.

Unidade Embrapii em Materiais Poliméricos e Funcionais da Universidade Federal do ABC (UFABC)

A nova unidade, composta por pesquisadores do Grupo de Ciência, Tecnologia e Inovação em Materiais (GTIM), vai atuar no desenvolvimento de materiais avançados, com ênfase em polímeros funcionais e no aprimoramento de superfícies funcionais para aplicação nas áreas de energia, biotecnologia e transporte. O grupo é constituído por profissionais de diferentes áreas de formação, permitindo ao grupo atuar de forma interdisciplinar complementar.

Unidade Embrapii em Materiais Avançados e Nanomateriais da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

A nova unidade Embrapii, formada por pesquisadores do Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT), oferecerá ao setor produtivo a expertise na área de Materiais Avançados, com foco em materiais poliméricos e nanomateriais. O desenvolvimento de projetos de PD&I nessas áreas possibilita importante avanço nos segmentos químico, farmacêutico, saúde, aeroespacial, defesa, construção civil, celulose, cosmético e automotivo.

Unidade Embrapii em Sistemas Embarcados da Universidade do Ceará (UFC)

A nova unidade reúne pesquisadores do Laboratório de Engenharia de Sistemas Computação da Universidade do Ceará (LESC), que integra o Departamento de Engenharia de Teleinformática (DETI) da UFC. O grupo de pesquisa tem sólida atuação em projetos de sistemas computacionais. Na Embrapii, vai atuar na área de sistemas embarcados complexos, com ênfase na conversão de energia, diagnósticos de falhas e automação industrial.

Unidade Embrapii em Geotecnologia e Agronegócio da Universidade Federal de Lavras (UFLA)

A nova unidade vai desenvolver sistemas inteligentes em geotecnologia e agronegócio. O grupo integra profissionais de diferentes departamentos da UFLA e possui como principal objetivo potencializar o conhecimento gerado na Universidade, transformando-os em produtos inovadores para a sociedade, ultrapassando os limites da pesquisa e promovendo o desenvolvimento sustentável do País.

Unidade Embrapii em Inteligência Artificial da Universidade Federal de Goiás (UFG)

Sediada no Instituto de Informática da UFG e composta por pesquisadores do Centro de Excelência em Inteligência Artificial, a nova unidade tem equipes dedicadas e multidisciplinares para desenvolver soluções tecnológicas em Inteligência Artificial, com ênfase no aprendizado de máquina (Deep Learning), a partir de dados e de ambientes.

Unidade Embrapii em Robótica Inteligente da Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

A nova unidade engloba pesquisadores do Centro de Inovação em Ciência de Dados e Robótica (iTec), da FURG. Credenciado em Robótica Inteligente, o grupo de pesquisa desenvolverá projetos na área associados ao Ecossistema Costeiro e Oceânico e toda sua cadeia produtiva.

Unidade Embrapii em Computação Industrial da Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

A nova unidade Embrapii envolve pesquisadores do Instituto de Computação da UFAL, referência regional na pesquisa e desenvolvimento de projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Na Embrapii, desenvolverá projetos na área de Computação Industrial.

Unidade Embrapii em Tecnologias e Sistemas Veiculares da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

A nova unidade Embrapii é formada por pesquisadores do Centro de Informática (CIn) da UFPE, importante centro do Brasil e da América Latina. Está credenciada para desenvolver PD&I na área de Tecnologias e Sistemas Veiculares, atuando com soluções de software e hardware em sistemas automotivos e toda sua cadeia de valor. 

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página