Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Aberto período de interposição de recursos a prova do Revalida

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) abriu o período para interposição de recursos ao resultado preliminar da Prova de Habilidades Clínicas do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2017. O período de recursos é de dois dias úteis e começou às 10h desta quarta-feira, 13 de fevereiro. O prazo termina às 23h59 (Horário de Brasília) de quinta-feira, 14 de fevereiro. Todo o processo ocorre mediante acesso com CPF e senha no Sistema Revalida.

    O Inep publicou os resultados preliminares do Revalida 2017 nesta terça-feira, 12 de fevereiro. As notas são referentes à prova de habilidades clínicas, segunda etapa do exame, aplicada em 17 e 18 de novembro de 2018, em cinco capitais brasileiras, para 950 médicos formados no exterior. Na segunda etapa do Revalida, o participante percorre dez estações para resolução de tarefas sobre investigação de história clínica, interpretação de exames complementares, formulação de hipóteses diagnósticas, demonstração de procedimentos médicos e aconselhamento a pacientes ou familiares.

    O Edital Inep nº 91/2018 previa duas fases recursais para a prova de habilidades clínicas do Revalida 2017. A primeira fase, já encerrada, possibilitou a interposição de recurso frente ao Padrão Esperado de Procedimentos (PEP), possibilitando questionamentos relacionados à pertinência dos procedimentos definidos como esperados durante a execução das provas.

    A segunda fase, aberta até 14 de fevereiro, tem como objeto o desempenho específico de cada participante, que pode interpor recursos questionando os escores atribuídos a cada quesito avaliado, em conformidade com as versões finais do PEP. Os recursos devem ser feitos por meio do Sistema Revalida, e devem ser tempestivos, consistentes, objetivos, devidamente fundamentados, respeitosos aos membros da Bancas de Especialistas do Exame e em estrita observância ao Edital.

    Para subsidiar a análise do resultado preliminar, estão disponíveis, no Sistema Revalida, o espelho detalhado do resultado preliminar e as filmagens das dez estações de prova de habilidades clínicas. Ambos ficarão disponíveis para visualização apenas durante o período de interposição de recursos. As filmagens estão disponíveis exclusivamente para fins de interposição de recursos, sendo vedado o download e a divulgação, ainda que para uso próprio e sem fins lucrativos, sob pena de eliminação do exame.  

    Revalida – O Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) subsidia os processos de revalidação, feitos por determinadas universidades públicas, dos diplomas de médicos que se formaram no exterior. O Revalida é direcionado aos médicos estrangeiros e brasileiros que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão no Brasil. Para participar é preciso ser brasileiro ou estrangeiro em situação legal de residência no Brasil e ter diploma médico expedido por instituição de educação superior estrangeira, reconhecida no país de origem pelo seu ministério da educação ou órgão equivalente, e autenticado pela autoridade consular brasileira.

    Acesse o Sistema Revalida

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Aproveitamento

    Quanto ao aproveitamento de estudos realizados no exterior, informa-se a necessidade de se chancelar o histórico escolar no Consulado da República Federativa do Brasil, no país onde foram cursadas as disciplinas. Conforme o disposto na Resolução CFE nº 05/79, alterada pela Resolução CFE nº 1/94, o aproveitamento dos estudos se dará na forma prevista e disciplinada no estatuto ou regimento da instituição de destino, com as adaptações regulamentares, nos casos de transferência amparada por lei ou de ingresso em novo curso.

    Assim, as matérias estudadas com aproveitamento, em instituição regularmente credenciada, serão reconhecidas pela escola que receber o aluno, devendo haver compatibilidade de carga horária e conteúdo programático, sendo-lhe atribuídos, portanto, os créditos, notas e conceitos correspondentes, obtidos na instituição de origem. Ressalte-se, entretanto, a possibilidade de abreviação do tempo de duração do curso, por meio de extraordinário aproveitamento nos estudos, detectado a partir de processo avaliativo institucional, como preconiza o artigo 47, § 2º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394, de 20 de dezembro de 2006.

  • Aproveitamento 1

    Quanto ao aproveitamento de estudos realizados no exterior, informa-se a necessidade de se chancelar o histórico escolar no Consulado da República Federativa do Brasil, no país onde foram cursadas as disciplinas. Conforme o disposto na Resolução CFE nº 05/79, alterada pela Resolução CFE nº 1/94, o aproveitamento dos estudos se dará na forma prevista e disciplinada no estatuto ou regimento da instituição de destino, com as adaptações regulamentares, nos casos de transferência amparada por lei ou de ingresso em novo curso.

    Assim, as matérias estudadas com aproveitamento, em instituição regularmente credenciada, serão reconhecidas pela escola que receber o aluno, devendo haver compatibilidade de carga horária e conteúdo programático, sendo-lhe atribuídos, portanto, os créditos, notas e conceitos correspondentes, obtidos na instituição de origem. Ressalte-se, entretanto, a possibilidade de abreviação do tempo de duração do curso, por meio de extraordinário aproveitamento nos estudos, detectado a partir de processo avaliativo institucional, como preconiza o artigo 47, § 2º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394, de 20 de dezembro de 2006.

  • Aproveitamento de Estudos Realizados no Exterior

    Para o aproveitamento de estudos realizados no exterior, é necessário realizar o apostilamento ou legalização do histórico escolar na Embaixada ou Consulado estrangeiro do país onde foram cursadas as disciplinas ou no Consulado da República Federativa do Brasil no país onde foram cursadas as disciplinas.

    Conforme o disposto na Resolução CFE nº 05/79, alterada pela Resolução CFE nº 1/94, o aproveitamento dos estudos se dará na forma prevista e disciplinada no estatuto ou regimento da instituição de destino, com as adaptações regulamentares, nos casos de transferência amparada por lei ou de ingresso em novo curso.

    Assim, as matérias estudadas com aproveitamento, em instituição regularmente credenciada, serão reconhecidas pela escola que receber o aluno, devendo haver compatibilidade de carga horária e conteúdo programático, sendo-lhe atribuídos, portanto, os créditos, notas e conceitos correspondentes, obtidos na instituição de origem. Ressalte-se, entretanto, a possibilidade de abreviação do tempo de duração do curso, por meio de extraordinário aproveitamento nos estudos, detectado a partir de processo avaliativo institucional, como preconiza o artigo 47, § 2º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394, de 20 de dezembro de 2006.

    Voltar

     

  • Como funciona a revalidação de diploma de mestrado e/ou doutorado expedido por universidades estrangeiras?

    Os diplomas de mestrado e doutorado expedidos por universidades estrangeiras só poderão ser reconhecidos por universidades que possuam cursos de pós-graduação reconhecidos e avaliados na mesma área de conhecimento e em nível equivalente ou superior.
  • Como funciona a revalidação de diploma estrangeiro de graduação expedido por IES estrangeira?

    A revalidação de diploma de graduação expedido por instituições de ensino superior (IES) estrangeiras é regulamentada pela Resolução CNE/CES nº 1, de 28 de janeiro de 2002, alterada pela Resolução CNE/CES nº 8, de 4 de outubro de 2007.

    A revalidação é feita pelas universidades públicas que ministrem curso de graduação reconhecido na mesma área de conhecimento ou em área afim. Caso haja dúvida quanto à similaridade do curso, a universidade pode solicitar a realização de exames e provas, com o objetivo de caracterizar a equivalência.

  • Como obter

    Para obter a revalidação, os seguintes passos devem ser seguidos, segundo a legislação atual:

     

    a) Entrar com um requerimento de revalidação em uma instituição pública de ensino superior do Brasil. De acordo com a regulamentação, apenas as universidades públicas podem revalidar diplomas:

    “São competentes para processar e conceder as revalidações de diplomas de graduação as universidades públicas que ministrem curso de graduação reconhecido na mesma área de conhecimento ou em área afim.” (Art. 3º Res. nº 1, de 29 de janeiro de 2002)

    b) Deverão ser apresentados, além do requerimento, cópia do diploma a ser revalidado, instruído com documentos referentes à instituição de origem, duração e currículo do curso, conteúdo programático, bibliografia e histórico escolar.

    c) O aluno deverá pagar uma taxa referente ao custeio das despesas administrativas. O valor da taxa não é prefixado pelo Conselho Nacional de Educação e pode variar de instituição para instituição.

    d) Para o julgamento da equivalência, para efeito de revalidação de diploma, será constituída uma Comissão Especial, composta por professores da própria universidade ou de outros estabelecimentos, que tenham qualificação compatível com a área do conhecimento e com o nível do título a ser revalidado.

    e) Se houver dúvida quanto à similaridade do curso, a Comissão poderá determinar a realização de exames e provas (prestados em língua portuguesa) com o objetivo de caracterizar a equivalência.

     

    f) O requerente poderá ainda realizar estudos complementares, se na comparação dos títulos, exames e provas ficar comprovado o não preenchimento das condições mínimas.

     

    g) O prazo para a universidade se manifestar sobre o requerimento de revalidação é de 6 meses, a contar da data de entrada do documento na Ifes.

     

    O Brasil não possui nenhum acordo de reconhecimento automático de diplomas; portanto, as regras são as mesmas para todos os países.

  • Diplomados no exterior devem cadastrar-se até o domingo, 17

    Os candidatos inscritos no processo de revalidação de diplomas médicos do exterior terão até as 23h59 de 17 de outubro para realizar o cadastramento de seus dados. A participação na seleção só estará confirmada após a efetivação dessa etapa. O prazo foi prorrogado por meio de edital do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

    Podem se cadastrar os candidatos que tiveram suas inscrições homologadas pelas instituições de ensino superior conveniadas ao projeto. Os exames serão realizados em Brasília e avaliarão os conhecimentos, habilidades e competências requeridos para o exercício da medicina no Brasil.

    O processo de revalidação é formado por três testes: objetivo, discursivo e prova prática de habilidades clínicas, todas de caráter eliminatório. A data provável da prova objetiva é 24 de outubro, das 8h às 13h. O teste discursivo deverá ser realizado no dia 24 de outubro, das 15h às 18h. O edital com os locais dos exames objetivo e discursivo deve ser divulgado em 18 de outubro.

    Serão considerados aprovados nas provas escritas (objetiva e discursiva) os participantes que alcançarem 112 pontos, no mínimo. Candidatos com média igual ou superior a essa, estarão aptos para participar da prova prática de habilidades, prevista para acontecer nos dias 4 e 5 de dezembro.

    “O candidato que for aprovado nas etapas terá o seu diploma revalidado pela universidade na qual se inscreveu”, completa a diretora de Avaliação da Educação Superior do Inep, Claudia Griboski.

    Essa nova sistemática para a revalidação dos diplomas começou a ser planejada pelo grupo de trabalho interministerial criado em 2007, com a participação de representantes dos ministérios da Educação, das Relações Exteriores e da Saúde. O grupo de trabalho ouviu universidades, associações médicas e associações de ex-alunos para discutir formas de aperfeiçoamento do sistema.

    O projeto piloto foi elaborado com base na Matriz de Correspondência Curricular, que leva em consideração as diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina para estabelecer parâmetros e critérios mínimos de aferição de equivalência curricular. “O projeto tem por objetivo aperfeiçoar os mecanismos atualmente vigentes, buscando uma maior isonomia, transparência e padronização no processo”, completa Griboski.

    Veja a prorrogação do prazo no Diário Oficial.

    Assessoria de Imprensa do Inep



    Leia o Edital nº 11, publicado no Diário Oficial da União.


    Leia os editais que regulam a revalidação dos diplomas.
  • Diplomados no exterior devem se cadastrar para prova em outubro

    Os mais de 500 candidatos que tiveram a inscrição homologada para participar do processo de revalidação de diplomas de médicos obtidos no exterior poderão preencher o formulário de cadastramento a partir desta sexta-feira, 8, até as 23h59 do dia 12 de outubro. Essa etapa é fundamental para efetivar a participação do inscrito na seleção que avaliará os conhecimentos, habilidades e competências requeridos para o exercício da medicina no Brasil.

    O processo de revalidação é formado por três testes: objetivo, discursivo e prova prática de habilidades clínicas, todas de caráter eliminatório. Os exames serão realizados em Brasília. A data provável da prova objetiva é 24 de outubro, das 8h às 13h. O teste discursivo deverá ser realizado no dia 24 de outubro, das 15h às 18h.

    O edital com os locais dos exames objetivo e discursivo deverá ser divulgado no 18 de outubro, na página eletrônica do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) da Universidade de Brasília, mesmo endereço onde os interessados devem preencher o formulário de cadastramento.

    Serão considerados aprovados nas provas escritas (objetiva e discursiva) os participantes que alcançarem 112 pontos, no mínimo. Candidatos com média igual ou superior a essa, estarão aptos para participar da prova prática de habilidades, prevista para acontecer nos dias 4 e 5 de dezembro.

    O resultado final de cada candidato nas provas escritas e na prova prática de habilidades clínicas será submetido ao Comitê Coordenador da Subcomissão Temática de Revalidação de Diplomas, para homologação e subsequente comunicação às 25 universidades conveniadas.

    Essa nova sistemática para a revalidação dos diplomas começou a ser planejada pelo grupo de trabalho interministerial criado em 2007, com a participação de representantes do Ministério da Educação, do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério da Saúde. O grupo de trabalho ouviu universidades, associações médicas e associações de ex-alunos para discutir formas de aperfeiçoamento do sistema.

    O projeto piloto foi elaborado com base na Matriz de Correspondência Curricular, que leva em consideração as diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina para estabelecer parâmetros e critérios mínimos de aferição de equivalência curricular.

    Assessoria de Imprensa do Inep

    Acesse a íntegra do Edital nº 8, que define as regras para a revalidação do diploma

  • Edição do Revalida tem o menor índice de abstenção em 4 anos

    A primeira fase do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) teve este ano índice de abstenção de 8,02%, o menor desde a primeira edição, em 2011. Dos 2.157 inscritos, 1.983 fizeram a prova no domingo, 20. O exame foi aplicado em Rio Branco, Manaus, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Campo Grande.

    Dados revalida

    Essa fase inicial do exame contou com 110 questões de múltipla escolha e uma prova discursiva. A divulgação do resultado está prevista para 25 de agosto próximo. Os aprovados passarão para a fase seguinte, com provas em 27 e 28 de setembro, nas quais serão avaliadas as habilidades clínicas. Os participantes vão simular situações reais de atendimento médico.

    Sob a responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o Revalida foi criado em 2011 para simplificar o processo de reconhecimento de diplomas de medicina emitidos por instituições de ensino estrangeiras. Para exercer a profissão no Brasil, o médico formado no exterior precisa revalidar o diploma.

    O exame é orientado pela matriz de correspondência curricular para fins de revalidação de diplomas médicos expedidos por instituições estrangeiras. Na matriz foram definidos conteúdos, competências e habilidades das cinco grandes áreas de exercício profissional — cirurgia, medicina de família e comunidade, pediatria, ginecologia-obstetrícia e clínica médica.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Exame de revalidação recebe inscrições até esta terça-feira

    Termina nesta terça-feira, 30, o prazo para a inscrição on-line no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) de 2013. O exame é feito por médicos estrangeiros interessados em trabalhar no Brasil e por brasileiros que tenham obtido o diploma no exterior.

     

    O Revalida será realizado em 25 de agosto próximo, em Brasília, Rio Branco, Manaus, Salvador, Fortaleza, Campo Grande, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Para esta edição, o exame tem a adesão de 37 universidades públicas.

     

    De acordo com o edital, o participante escolherá a cidade na qual fará a primeira etapa do exame. A segunda deve ser realizada em Brasília. A primeira fase é composta de 110 questões de múltipla escola e por cinco discursivas. Na segunda etapa serão avaliadas as habilidades clínicas — os participantes simulam situações reais de atendimento médico.

     

    Para fazer a inscrição, o participante precisa ser brasileiro ou estrangeiro em situação legal de residência no Brasil, deve ter o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e diploma médico autenticado por autoridade consular brasileira e expedido por instituição de educação superior estrangeira reconhecida no país de origem. Com exceção dos naturais de países cuja língua oficial seja o português, o candidato aprovado deve apresentar à instituição de educação superior responsável pela revalidação o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras), nível intermediário superior.

     

    A inscrição deve ser feita on-line, na página do Revalida na internet, até as 23h59 desta terça-feira, 30, pelo horário oficial de Brasília. O Edital do Inep nº 1, com as regras da Revalida de 2013, foi publicado no Diário Oficialda União do dia 15 último, seção 3, páginas 67 e 68.


    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Exame para a revalidação de diploma reunirá 601 médicos

    No processo de revalidação de diplomas médicos deste ano, 37 instituições públicas de educação superior estão credenciadas a emitir certificado (foto: João Bittar)O Ministério da Educação recebeu 601 inscrições para o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). Os candidatos, brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil, fizeram a graduação em 29 países — 320 deles obtiveram diplomas na Bolívia, 146 em Cuba e 58 na Argentina.

    No grupo de inscritos há também médicos graduados na Espanha (17), Alemanha (sete), Rússia (quatro) e Estados Unidos (dois). A revalidação de diplomas de médicos ocorre duas etapas. A primeira consta de provas objetivas, de múltipla escolha e discursiva, eliminatórias, marcadas para 28 de agosto, em Brasília, Porto Alegre, Manaus, Fortaleza, Rio de Janeiro e Campo Grande.

    Os médicos aprovados nessa bateria de exames estarão aptos a fazer a avaliação de habilidades clínicas (segunda fase), em e 2 de outubro, também eliminatória. Nessa etapa, todos os candidatos serão avaliados em Brasília. O Revalida de 2011 é de responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

    Concluída a fase de aplicação das provas, o Inep encaminhará o resultado a cada universidade que tiver candidatos inscritos. No processo de revalidação de diplomas médicos deste ano, 37 instituições federais, estaduais e municipais de educação superior aderiram ao exame e estão credenciadas a emitir certificado. De acordo com as expectativas do Ministério da Educação, todo o processo estará concluído até dezembro.

    Todas as informações sobre o Revalida de 2011 constam do Edital nº 8/2011 do Inep, publicado no Diário Oficial da União de 27 de junho último, seção 3, página 37.

    Ionice Lorenzoni
  • Exame para revalidar diploma encerra inscrições nesta terça

    Termina nesta terça-feira, 30, o prazo de inscrições no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) de 2013. O exame é feito por médicos estrangeiros interessados em trabalhar no Brasil e por brasileiros que tenham obtido o diploma no exterior.

     

    Até às 18 horas de segunda-feira, 29, estavam inscritas cerca de 1,6 mil pessoas. O número é quase o dobro dos 884 inscritos em 2012. A grande maioria dos participantes da edição deste ano é de brasileiros (873), que representam 53,3% das inscrições. A confirmação da inscrição ocorre com o pagamento da taxa, de R$ 100.

     

    Para o presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luiz Cláudio Costa, o aumento no número de participantes representa o reconhecimento da sociedade à importância do exame. “O Revalida consolidou-se como importante ferramenta para profissionais que desejam exercer a medicina de forma plena no Brasil”, afirmou.

     

    O Revalida será realizado em 25 de agosto próximo, em Brasília, Rio Branco, Manaus, Salvador, Fortaleza, Campo Grande, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Para esta edição, o exame tem a adesão de 37 universidades públicas.

     

    De acordo com o edital, o participante escolherá a cidade na qual fará a primeira etapa do exame. A segunda deve ser realizada em Brasília. A primeira fase é composta de 110 questões de múltipla escola e por cinco discursivas. Na segunda etapa serão avaliadas as habilidades clínicas — os participantes simulam situações reais de atendimento médico.


    Inscrição — Para fazer a inscrição, o participante precisa ser brasileiro ou estrangeiro em situação legal de residência no Brasil, deve ter o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e diploma médico autenticado por autoridade consular brasileira e expedido por instituição de educação superior estrangeira reconhecida no país de origem. Com exceção dos naturais de países cuja língua oficial seja o português, o candidato aprovado deve apresentar à instituição de educação superior responsável pela revalidação o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras), nível intermediário superior.

     

    A inscrição deve ser feita on-line, na página do Revalida na internet, até as 23h59 desta terça-feira, 30, pelo horário oficial de Brasília. O Edital do Inep nº 1, com as regras da Revalida de 2013, foi publicado no Diário Oficial da União do dia 15 último, seção 3, páginas 67 e 68.


    Assessoria de Comunicação Social do Inep

  • Exame para revalidar diplomas tem adesão de 31 instituições

    A inscrição no Revalida pode ser feita pelo candidato que tenha diploma expedido no exterior em curso reconhecido pelo MEC ou por órgão correspondente do país onde se formou (foto: João Bittar)O exame nacional de revalidação de diplomas médicos expedidos por universidades estrangeiras (Revalida) terá a participação de 31 universidades públicas, que em abril firmaram termo de adesão com o Ministério da Educação. A região Nordeste concentra o maior número de instituições que aderiram ao exame, com nove universidades federais e uma estadual.

    O Revalida será aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) em colaboração com a subcomissão de revalidação de diplomas médicos, da qual participam representantes dos ministérios da Saúde, Educação e Relações Exteriores e da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais do Ensino Superior (Andifes), além do Inep, que fará publicar edital com o cronograma de inscrições dos candidatos e os locais de realização das provas.

    A inscrição no exame pode ser feita pelo candidato que tenha diploma expedido no exterior em curso reconhecido pelo MEC ou por órgão correspondente do país onde se formou. O Revalida terá uma etapa de prova teórica e outra de prova prática de habilidades clínicas. A avaliação será feita a partir da matriz de correspondência curricular, documento elaborado pela subcomissão de revalidação com base nas diretrizes curriculares nacionais do curso de medicina no Brasil.

    Modelo— A elaboração de um novo modelo para a revalidação dos diplomas obtidos por estudantes em universidades estrangeiras teve início no ano passado, a partir de projeto-piloto do qual participaram 25 universidades públicas. Participaram do projeto 628 candidatos com diplomas oriundos de 32 países. Atualmente, os alunos formados em medicina em universidades de outros países precisam revalidar os diplomas em instituição pública brasileira, mas cada universidade adota procedimentos próprios. Com o exame nacional, o MEC pretende unificar o processo, com critérios técnicos e conceituais claros.

    A relação das instituições que aderiram ao Revalida consta da Portaria nº 1.126, de 18 de maio de 2011, da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do MEC, publicada nesta quinta-feira, 19, no Diário Oficial da União, seção 1, página 21.

    Assessoria de Imprensa da Sesu

  • Exame terá 922 candidatos à revalidação de diploma médico

    O Revalida afere a aquisição de conhecimentos, habilidades e competências requeridas para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do SUS, em nível equivalente ao exigido dos médicos formados no Brasil (foto: João Bittar/arquivo MEC)O Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) será feito este ano por 922 candidatos ao certificado em cursos de medicina. O prazo de inscrições foi encerrado na segunda-feira, 1º. As provas serão aplicadas no dia 21 próximo.

    O exame, idealizado em parceria pelos ministérios da Saúde e da Educação, confere validade, no país a diplomas de médico expedidos por universidades estrangeiras. A edição de 2012 compreenderá etapas escrita e de habilidades técnicas, ambas de caráter eliminatório.

     

    O candidato deve apresentar diploma médico expedido por instituição de ensino superior estrangeira reconhecida no país de origem pelo respectivo ministério de educação ou órgão equivalente, autenticado pela autoridade consular brasileira. Se for natural de país cuja língua oficial não seja o português, precisará também apresentar o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras), nível intermediário-superior.

     

    O objetivo do Revalida é verificar a aquisição de conhecimentos, habilidades e competências requeridas para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), em nível equivalente ao exigido dos médicos formados no Brasil, a partir da matriz de correspondência curricular elaborada pela Subcomissão Temática de Revalidação de Diplomas (Portaria Interministerial MEC-MS nº 278, de 17 de março de 2011).

     

    A primeira edição do Revalida, realizada em 2011, ocorreu em Manaus, Fortaleza, Rio de Janeiro, Brasília, Campo Grande e Porto Alegre, com 677 inscritos na primeira etapa.

     

    Assessoria de Comunicação Social

     

     

  • Formados no exterior fazem a prova de revalidação no domingo

    A primeira fase do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) será realizada neste domingo, 20. Com 110 questões de múltipla escolha, a prova objetiva será aplicada no período da manhã, das 8h às 13h (horário de Brasília). À tarde, das 15h às 18h, também no horário de Brasília, os participantes farão a prova discursiva, com cinco itens.

    O exame de domingo será aplicado a 2.151 médicos em Rio Branco, Manaus, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Campo Grande. Os aprovados nesta primeira fase serão avaliados também quanto às habilidades clínicas, em situações reais de atendimento médico. A prova será realizada nos dias 27 e 28 de setembro, em Brasília. A taxa de inscrição será de R$ 300. Os horários ainda serão definidos.

    Sob a responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o Revalida foi criado para simplificar o processo de reconhecimento de diplomas de medicina emitidos por instituições de ensino estrangeiras. Para atuar como médico no Brasil, o estudante formado no exterior precisa revalidar o diploma. O exame reconhece a autonomia das instituições de educação superior, que podem fazer a adesão ao processo no Ministério da Educação.

    O Revalida é orientado pela matriz de correspondência curricular para fins de revalidação de diplomas médicos expedidos por instituições estrangeiras. Na matriz estão definidos conteúdos, competências e habilidades das cinco grandes áreas de exercício profissional — cirurgia, medicina de família e comunidade, pediatria, ginecologia-obstetrícia e clínica médica.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Gabarito das provas pode ser acessado nesta segunda-feira

    A primeira etapa do Exame Nacional de Revalidação dos Diplomas Médicos (Revalida), realizada no domingo, 11, contou com a presença de 78% dos inscritos. A avaliação, realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) foi aplicada em Brasília, Porto Alegre, Manaus, Fortaleza, Rio de Janeiro e Campo Grande.

    Os participantes poderão acessar o gabarito preliminar das provas escritas, objetivas e o padrão de respostas para as questões discursivas, a partir das 19 horas desta segunda-feira, 12, e poderão entrar com recursos nosdias 13e 14 de setembro. O resultado final da primeira etapa do Revalida e a convocação para a segunda etapa serão divulgados em 3 de outubro.

    Os aprovados nesta primeira fase devem fazer nova inscrição, na página eletrônica do Revalida, para a prova da segunda etapa, a de habilidades clínicas, marcada para 15e 16 de outubro, em Brasília. Essa prova terá dez questões.

    O Revalida oferece às universidades públicas que firmaram convênio de credenciamento com o Inep os subsídios para o reconhecimento dos diplomas obtidos em instituições estrangeiras. Participam do exame brasileiros e estrangeiros, em situação legal no Brasil, que tenham diploma expedido por instituição de ensino superior reconhecida pelas autoridades educacionais do país do curso.

    Concluída a fase de aplicação das provas, o Inep encaminhará o resultado a cada universidade que tiver candidatos inscritos. No processo de revalidação de diplomas médicos deste ano, 37 instituições federais, estaduais e municipais de educação superior estão credenciadas a emitir certificado.

    Até 2010, os estudantes formados em medicina em universidades fora do Brasil precisavam revalidar os diplomas em instituição pública brasileira, mas cada universidade adotava procedimentos próprios.

    Diego Rocha
  • Inep seleciona elaboradores e revisores para Banco Nacional de Itens

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) está selecionando interessados em compor o Cadastro de Elaboradores e Revisores de Itens da Educação Superior (Ceres) do Banco Nacional de Itens (BNI) para a realização do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2017. As inscrições podem ser realizadas até 19 de março.

    O edital de Chamada Pública foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 7. A inscrição no Ceres é condição necessária para participar do processo seletivo mesmo para os docentes que já participaram da elaboração do Revalida em edições anteriores. Os candidatos também precisam ser graduados em medicina e exercer atividade docente em Instituição de Educação Superior (IES) credenciada pelo poder público.

    Os selecionados atuarão como elaborador ou revisor técnico de itens, de acordo com a necessidade do Inep, e deverão indicar para qual das seguintes áreas estão se candidatando: clínica médica, cirurgia geral, medicina de família e comunidade/saúde coletiva, pediatria ou ginecologia e obstetrícia.

    Os documentos exigidos na fase de inscrição são: Termo de Conhecimento, Compromisso e Sigilo (download na página de inscrição), Termo de Responsabilidade (download na página de inscrição), diploma de graduação e diploma de pós-graduação (se for o caso). No edital estão disponíveis informações sobre a metodologia de trabalho e os valores pagos ao serviço. Dúvidas podem ser selecionadas pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..  As inscrições devem ser feitas no endereço bni.inep.gov.br/inscricao/.

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Inscrições para o exame de revalidação vão até dia 30

    Médicos estrangeiros interessados em trabalhar no Brasil e brasileiros que tenham obtido o diploma no exterior têm até o dia 30 próximo para fazer a inscrição no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) de 2013. Este ano, o Revalida será realizado em 25de agosto próximo, em dez capitais brasileiras, quatro a mais em relação ao ano passado — Brasília, Rio Branco, Manaus, Salvador, Fortaleza, Campo Grande, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Em 2012, participaram do exame 884 candidatos.

     

    De acordo com o edital, o participante escolherá a cidade na qual fará a primeira etapa do exame. A segunda etapa deve ser realizada em Brasília.

     

    A primeira fase é composta de 110 questões de múltipla escola e por cinco discursivas. Na segunda etapa serão avaliadas as habilidades clínicas — os participantes simulam situações reais de atendimento médico.

     

    Este ano, 37 universidades públicas aderiram ao Revalida. “Essa parceria por parte das instituições públicas e dos docentes de cursos de medicina no Brasil mostra o prestígio que o exame tem adquirido”, destaca Luiz Cláudio Costa, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pelo exame.

     

    Para fazer a inscrição, o participante precisa preencher requisitos exigidos pelo Revalida. Deve ter o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e diploma médico autenticado por autoridade consular brasileira e expedido por instituição de educação superior estrangeira reconhecida no país de origem. Com exceção dos naturais de países cuja língua oficial seja o português, o candidato aprovado deve apresentar à instituição de educação superior responsável pela revalidação o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras), nível intermediário superior.

     

    A inscrição deve ser feita on-line, na página do Revalida na internet, até as 23h59 do dia 30, pelo horário oficial de Brasília.

     

    O Edital do Inep nº 1, com as regras da Revalida de 2013, foi publicado no Diário Oficialda União desta segunda-feira, 15, seção 3, páginas 67 e 68.


    Assessoria de Comunicação Social do Inep

  • Legislação

    O arcabouço jurídico que normatiza o processo de revalidação e reconhecimento de diplomas é composto por uma série de leis, resoluções e portarias publicadas pelo Ministério da Educação e Conselho Nacional de Educação. Cada uma delas pode ser consultada na íntegra no Portal Carolina Bori.

     

    Voltar

Fim do conteúdo da página