Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
  • Escolas que fizeram escolha são 24 mil; prazo acaba na segunda

    Mais de 24 mil escolas públicas já escolheram os livros didáticos que serão usados por alunos dos anos finais do ensino fundamental a partir de 2014. O número representa 48% do total de unidades de ensino com estudantes matriculados em turmas do sexto ao nono ano. O prazo para a indicação das obras vai até segunda-feira, 12.

    O Distrito Federal é a unidade da Federação com maior percentual de escolas com a escolha efetivada (72%). Em seguida, Santa Catarina (64%), Rio Grande do Sul (63%), Espírito Santo (62%) e São Paulo (61%).

    Serão selecionadas obras de português, matemática, história, geografia, ciências e língua estrangeira (inglês ou espanhol). Os responsáveis pela escolha devem fazer duas opções de editoras diferentes. Caso não seja possível negociar os livros com a editora da primeira opção, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) tentará adquirir as obras da segunda.

    Para ajudar na escolha, está disponível o Guia de Livros Didáticos para 2014, com resumos e informações sobre as obras selecionadas para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Ao consultar o guia, os professores podem indicar os livros adequados ao projeto de ensino de cada escola.

    O FNDE prevê a aquisição de quase 90 milhões de exemplares para aproximadamente 13 milhões de estudantes. Os livros serão confeccionados com material resistente para ser usados por três anos consecutivos e servir a mais de um aluno.

    A indicação das obras deve ser feita on-line, na página do FNDE na internet.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE
  • Escolas terão de assinar termo para receber obras

    O termo de adesão, que valerá para a distribuição dos livros didáticos a partir de 2011, deverá ser firmado por secretarias de educação e escolas públicas até maio do ano que vem (Foto: Wanderley Pessoa)Em uma iniciativa para combater o descarte indevido de livros didáticos, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) mudou as regras de participação no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Com a publicação da Resolução do FNDE nº 60, do dia 20 último, as escolas públicas federais e as secretarias de educação estaduais, municipais e do Distrito Federal devem assinar termo de adesão ao programa para que as escolas indiquem os livros.


    Até então, todas as escolas públicas recebiam o material, exceto aquelas que se manifestassem em contrário. O PNLD distribui gratuitamente obras para estudantes da educação básica da rede pública.


    “Invertemos o procedimento”, afirma o diretor de ações educacionais do FNDE, Rafael Torino. “Agora, quem não aderir formalmente ao programa não receberá os livros didáticos.”


    O termo de adesão, que valerá para a distribuição das obras a partir de 2011, estará acessível na página eletrônica do FNDE em janeiro de 2010. O documento precisa ser firmado e devolvido até o fim de maio do ano que vem.


    A Resolução nº 60/2009 também confirma a distribuição de livros didáticos de inglês, espanhol, sociologia e filosofia. A partir de 2011, as obras de língua estrangeira serão distribuídas aos alunos do sexto ao nono ano do ensino fundamental. Os estudantes do ensino médio terão os livros das quatro novas disciplinas a partir de 2012.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE

  • Escolha das obras didáticas para 2019 termina nesta segunda, 10

    O prazo para o registro da escolha do Programa Nacional do Livro e Material Didático (PNLD) 2019, para atendimento da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano), vai até a próxima segunda-feira, 10. A política é executada pelo Ministério da Educação e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao MEC.

    Entre as novidades do processo, destaca-se a possibilidade de as Secretarias de Educação, em ação conjunta com as escolas da rede, decidirem pela unificação ou não dos materiais que serão distribuídos em cada Programa, sem impedir que cada escola beneficiária do PNLD continue registrando suas escolhas individualmente.

    As redes têm três modelos possíveis de seleção: devem informar se desejam que cada escola receba o material registrado no sistema, se querem criar grupos de escolas que receberão o mesmo material ou ainda se desejam adotar o mesmo material para todas as instituições da rede de ensino. Mesmo que a rede de ensino tenha optado por receber um único material para todas as escolas (unificação), cada escola registrará a sua escolha no sistema. E, finalizado o prazo para registro das coleções no sistema, os dados serão processados pelo FNDE e a coleção mais escolhida por componente curricular será enviada para todas as escolas da rede.

    Na seleção do material pedagógico para 2019, os responsáveis pela escolha poderão visualizar, via sistema, todas as obras ofertadas na íntegra. Estão sendo disponibilizados para o processo de escolha, 97 obras aprovadas na etapa de avaliação pedagógica, coordenada pelo MEC.

    As obras para 2019 serão as primeiras que estarão alinhadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O programa oferecerá manual para os professores de educação física e de educação infantil, também livros de projetos integradores, além das disciplinas dos anos iniciais do ensino fundamental. Outra novidade é que todos os livros destinados aos alunos dos anos iniciais serão consumíveis, além da inclusão do material digital em DVD.

    Programa - O PNLD é destinado a avaliar e oferecer obras didáticas, pedagógicas e literárias, entre outros materiais de apoio à prática educativa, de forma sistemática, regular e gratuita, às escolas públicas de educação básica das redes federal, estaduais, municipais e distrital e também às instituições de educação infantil comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos e conveniadas com o poder público.

    Clique aqui para acessar o sistema e saber mais sobre a escolha das obras didáticas que serão utilizadas em 2019.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Escolha das obras para 2011 tem início nesta segunda-feira

    Em 2011, serão atendidos com livros didáticos alunos do sexto ao nono ano do ensino fundamental (Foto: Wanderley Pessoa)A partir desta segunda-feira, 21, até 4 de julho, os professores de escolas públicas podem escolher os livros didáticos a serem usados em 2011. Serão contemplados os alunos do sexto ao nono ano do ensino fundamental com livros de português, matemática, história, geografia, ciências e língua estrangeira (inglês ou espanhol).

    No dia 30 próximo encerra-se o prazo para as secretarias estaduais e municipais de educação e as escolas federais aderirem ao Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). As unidades de ensino que não fizerem a adesão vão ficar sem os livros no próximo ano.

    A exemplo dos anos anteriores, é possível fazer consulta prévia ao resumo das obras no Guia do PNLD. Os livros constantes do guia foram avaliados e selecionados pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação. A senha de acesso ao sistema de escolha pela internet e as orientações de procedimento foram enviadas antecipadamente às escolas, que vão receber também a versão impressa do guia.

    O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) oferece em seu portal orientações sobre o sistema de escolha das obras.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE

  • Escolha de obras literárias pode ser feita até 5 de novembro

    O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) prorrogou até o próximo dia 5 de novembro, segunda-feira, o prazo para a escolha das obras literárias do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) que as escolas públicas utilizarão no ano de 2019. O processo de seleção começou no último dia 18.

    Até a tarde de quarta-feira, 31, 42% das unidades de ensino que serão beneficiadas nesta edição do programa ainda não tinham acessado o sistema para efetuar a escolha. Para as escolas que não fizerem a seleção a tempo, serão encaminhados acervos compostos aleatoriamente por títulos do PNLD Literário 2018, conforme critérios do FNDE.

    Esta é a primeira vez que o FNDE permite que diretores e professores escolham as obras literárias que mais se adequam ao projeto pedagógico de cada unidade de ensino. Apenas as redes municipais ou estaduais e as instituições federais, que aderiram formalmente ao PNLD Literário 2018 por meio do sistema PDDE Interativo, podem escolher o material.

    Para educação infantil e turmas do primeiro ao terceiro ano do ensino fundamental, a escolha será de acervos para sala de aula. Já para o quarto e quinto anos do ensino fundamental e para o ensino médio, a seleção será de acervos para biblioteca e de dois livros para cada aluno.

    Com o intuito de ajudar na escolha do PNLD Literário 2018, o FNDE publicou em seu portal eletrônico um guia digital do programa. O material contém resenhas e informações sobre todas as obras selecionadas para esta edição. Dentro do guia, professores, diretores e coordenadores pedagógicos poderão pesquisar sobre as obras indicadas para educação infantil, anos iniciais do ensino fundamental (primeiro ao quinto ano) e ensino médio. As orientações gerais sobre o processo de escolha, assim como as normas de conduta, estão disponíveis no portal do FNDE.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Escolha de obras para os anos finais deve ser feita até dia 12

    Professores, diretores e coordenadores pedagógicos têm até segunda-feira, 12, para indicar on-line os livros didáticos para os alunos dos anos finais do ensino fundamental a partir de 2014. Serão selecionadas obras de português, matemática, história, geografia, ciências e língua estrangeira (inglês ou espanhol).

     

    Os responsáveis pela escolha devem fazer duas opções, de editoras diferentes. Caso não seja possível negociar os livros com a editora da primeira opção, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) tentará adquirir as obras da segunda.

     

    Para ajudar na escolha, está disponível o Guia de Livros Didáticos para 2014, com resumos e informações sobre as obras selecionadas para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Ao consultar o guia, os professores podem indicar os livros adequados ao projeto de ensino de cada escola.

     

    O FNDE prevê a aquisição de quase 90 milhões de exemplares para aproximadamente 13 milhões de estudantes. Os livros serão confeccionados com material resistente para ser usados por três anos consecutivos e servir a mais de um aluno.

     

    Mais informações na página do FNDE na internet.


    Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE

  • Escolha do livro didático

    Para escolha dos livros didáticos aprovados na avaliação pedagógica, é importante o conhecimento do Guia do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). É tarefa de professores e equipe pedagógica analisar as resenhas contidas no guia para escolher adequadamente os livros a serem utilizados no triênio. O livro didático deve ser adequado ao projeto político-pedagógico da escola; ao aluno e professor; e à realidade sociocultural das instituições. Os professores podem selecionar os livros a serem utilizados em sala de aula somente pela internet, no portal do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)

    A escola deve apresentar duas opções na escolha das obras para cada ano e disciplina. Caso não seja possível a compra da primeira opção, o FNDE envia à escola a segunda coleção escolhida. Portanto, a escolha da segunda opção deve ser tão criteriosa quanto a primeira. No volume “Apresentação do Guia”, encontram-se as orientações detalhadas referente à escolha das coleções.










  • Escolha dos livros para o período 2010 a 2012 começa nesta segunda

    A partir de 8 de junho, tem início o período de escolha de um dos maiores programas de distribuição de livros didáticos do mundo. O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), financiado e executado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), irá oferecer obras para alunos do 1º ao 5º ano da rede pública de ensino fundamental. Professores e diretores terão até o dia 28 deste mês para optar pelos livros que serão usados de 2010 a 2012 no programa. os livros devem durar três anos, sendo reaproveitados por outros alunos a cada novo período letivo, exceto as cartilhas de alfabetização do 1º e 2º ano, classificadas como consumíveis.

    A escolha ocorrerá exclusivamente pelo sítio www.fnde.gov.br. Para orientar a equipe de cada colégio responsável pelo registro das obras no sistema, foi elaborado o Guia do PNLD 2010, publicação com um resumo de todos os livros didáticos disponíveis. Enviado em versão impressa para todas as escolas de ensino fundamental, o guia também pode ser consultado na primeira página do FNDE na internet, em Destaques. No mesmo local há, ainda, informações sobre como navegar no sistema, cuidados com a senha e o código de segurança e normas de conduta.

    Com conteúdo já adaptado ao novo acordo ortográfico da língua portuguesa, as disciplinas à disposição para escolha são: letramento e alfabetização linguística e alfabetização matemática (1º e 2º ano); geografia, história e ciências (2º ao 5º ano); língua portuguesa e matemática (3º ao 5º ano); e história regional e geografia regional (4º ou 5º ano).

    Premiação – Como forma de promover o período de opção dos livros, o FNDE instituiu o concurso Escolha Premiada. Dividido em quatro categorias – que ordenam os 26 estados e o Distrito Federal conforme a quantidade de escolas e sua distribuição em áreas rurais e urbanas –, o concurso vai premiar as quatro secretarias estaduais e as 12 secretarias municipais de educação que tiverem maior participação no registro da escolha.

    Também receberão prêmios as três escolas de cada município vencedor que mais rapidamente registrarem sua opção. Ao final do concurso, serão distribuídos 52 acervos completos do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), com 559 obras cada, totalizando cerca de 30 mil livros.

    Segundo a coordenadora-geral dos programas do livro, Sonia Schwartz, o principal objetivo do prêmio é “evitar o congestionamento do sistema para registro das opções na última semana do prazo”. Participarão da Escolha Premiada apenas as escolas que optarem nas duas primeiras semanas da escolha, ou seja, de 8 a 21 de junho. Durante esse período, relatórios diários com a classificação de estados e municípios mais bem colocados em cada categoria serão divulgados no sítio do FNDE. “Com isso, queremos estimular a competição entre eles”, diz a coordenadora.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Estão abertas as inscrições para o banco de avaliadores

    Estão abertas as inscrições para o Banco de Avaliadores dos Programas Nacionais do Livro e da Leitura e de conteúdos de Recursos Educacionais Digitais, da Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação. Podem participar docentes das redes públicas e privadas de ensino superior e da educação básica. Entre os inscritos serão selecionados os avaliadores pedagógicos de obras didáticas, no âmbito do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD 2020).

    A abertura foi feita via chamada pública, e o prazo para apresentação de candidaturas será encerrado em 30 de setembro. Após a fase inicial de coleta de dados, serão selecionados, entre os inscritos, professores com formação e experiência nas seguintes etapas de ensino, componentes curriculares e especialidades: língua portuguesa, arte, educação física, língua estrangeira moderna inglês, matemática, ciências, história, geografia e projetos integradores.

    O banco poderá ser utilizado para a identificação de professores que possam, eventualmente, ser convidados para apoiar a elaboração de editais, participar de comissões, atuar como coordenadores pedagógicos e adjuntos ou avaliadores na fase recursal. Além disso, há a chance de participação em outras parcerias e convites relacionados ao PNLD 2020.

    A seleção atende ao estabelecido pelo Decreto nº 9.099. Para formalização ou atualização da candidatura, o professor deverá preencher o cadastro eletrônico, disponível na página do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec), na opção livro didático, e fornecer dados pessoais e demais informações solicitadas, como formação, atividade de docência atual e experiência profissional. O sistema permite a inserção de mais de um curso de graduação, mestrado ou doutorado.

    Assessoria de Comunicação Social

  • FNDE marca presença na 19º Bienal do Livro do Rio de Janeiro

    Os visitantes que passarem pela Bienal do Livro do Rio de Janeiro, até 8 de setembro, poderão conferir de perto amostras dos livros didáticos que são utilizados nas escolas públicas, como as versões em braile.

    As obras, distribuídas pelo Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD), estão no estande do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), localizado no pavilhão 4 (verde), do Riocentro, no bairro Barra da Tijuca.

    A Diretora de Ações Educacionais do FNDE, Karine Santos, reforça a importância da aproximação com os jovens leitores, que são, tradicionalmente, o maior público durante os dez dias de evento. "A Bienal é um espaço estratégico para formação do gosto pela leitura. E o PNLD é peça fundamental nesse processo, já que alcançamos milhões de estudantes com livros impressos, material audiovisual e até mesmo livros em braile”, afirma a diretora.

    Na Bienal, o FNDE também dispõe de área para leitura e brincadeiras, onde as crianças de todas as idades podem se divertir com jogos antigos que até hoje ajudam no desenvolvimento infantil, como amarelinha e jogo da velha.

    Números - Por ano, são mais de 140 milhões de livros encaminhados às escolas públicas. Além dos didáticos, em 2019, pela primeira vez, as unidades receberam cerca de 53 milhões de livros literários, tanto para acervo de biblioteca, quanto para uso dos estudantes em sala de aula. Foram atendidas cerca de 90 mil escolas de educação infantil, dos anos iniciais do ensino fundamental e do ensino médio.

    Outra novidade deste ano foi a distribuição de mais de 20 mil exemplares de livros impressos em braile e tinta. Pela primeira vez, estudantes cegos ou com baixa visão passaram a receber exatamente as mesmas obras de quem enxerga perfeitamente.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE

  • FNDE promove audiência pública sobre o próximo edital do PNLD

    O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, irá promover na próxima quinta-feira, 22, audiência pública para discutir a definição de especificações técnicas dos editais do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2019. O evento será realizado das 10h as 17h, na sede do FNDE, em Brasília, e terá transmissão ao vivo na internet.

    Os principais temas a serem debatidos são as mudanças no processo de aquisição do PNLD, os critérios de avaliação pedagógica e detalhes da execução do programa, como o aprimoramento nas embalagens e distribuição, a resolução do controle de qualidade e a resolução sobre processo administrativo de penalidades oriundas de descumprimento de cláusulas contratuais.

    A minuta do Edital PNLD 2019 já está disponível no site do FNDE, na página do programa, onde também foi disponibilizado o aviso da audiência pública desta quinta-feira. Os interessados podem acompanhar a audiência pela internet nesse link.

    Programa – O PNLD tem por objetivo prover as escolas públicas de ensino fundamental e médio com livros didáticos e acervos de obras literárias, obras complementares e dicionários. É executado em ciclos trienais alternados. Assim, a cada ano o FNDE adquire e distribui livros para todos os alunos de determinada etapa de ensino e repõe e complementa os livros reutilizáveis para outras etapas.

    O PNLD 2019 vai atender professores da educação infantil e estudantes e professores dos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano) das escolas públicas federais e as que integram as redes de ensino federal, estaduais, municipais e do Distrito Federal.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE

  • Gestores do Nordeste expõem dúvidas sobre o livro didático

  • Governo distribuirá 52 milhões de obras para escolas em 2013

    O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e o senador e  presidente da Comissão de Educação do Senado Federal, Roberto Requião (PMDB-PR), durante audiência públicaO Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) distribuirá, em 2013, 52 milhões de livros para estudantes dos três primeiros anos do ensino fundamental. A informação foi dada pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante audiência pública na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal. O orçamento previsto para o PNLD é de R$ 1,48 bilhão em 2012. Além das compras de novos livros, também serão feitas a reposição e a complementação dos livros distribuídos para os anos finais do ensino fundamental e ensino médio, além de livros para bibliotecas.

    O programa tem como principal objetivo subsidiar o trabalho pedagógico dos professores, por meio da distribuição de coleções de livros didáticos aos alunos da educação básica. Os livros são selecionados a partir de um edital, que define os critérios, prazos e procedimentos para os detentores dos direitos autorais encaminharem as obras para o Ministério da Educação.

    Depois disso, as coleções passam por uma triagem das especificações técnicas, e depois são entregues para avaliação pedagógica, sem informações de identificação (autor, editora, etc). Após a seleção das obras, o MEC publica o Guia de Livros Didáticos, com resenhas das coleções aprovadas. O guia é encaminhado às escolas, que escolhem, entre os títulos disponíveis, aqueles que melhor atendem ao seu projeto pedagógico.

    De acordo com o ministro, o processo de avaliação e seleção do livro didático é feito pelas universidades federais. “Com esse mecanismo aberto e democrático expressamos a pluralidade do debate cultural e teórico”, explicou Mercadante. O ministro também destacou que os professores terão acesso a todas as obras em formato digital a partir do próximo ano.

    Durante a audiência, Mercadante também apresentou dados sobre outros programas do governo federal: atendimento da educação infantil, com a construção de 5.562 creches e pré-escolas, educação integral, que contou com a adesão de 32.284 escolas ao programa Mais Educação, superando a meta prevista para 2014, e a dupla matrícula na educação especial.

    Assessoria de Comunicação Social

    Veja a apresentação do ministro na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado.
  • Governo faz compra recorde de mais de 162 milhões de volumes

    No início do próximo ano, serão distribuídos 2.108 novos títulos para o ensino fundamental e o ensino médio. (Foto: João Bittar)O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) encerrou nesta quarta-feira, 17, a negociação para a compra de 162,4 milhões de livros didáticos, a serem utilizados por alunos da rede pública a partir do ano que vem. Cada exemplar para o ensino médio custará, em média, R$ 7,80 e, para o ensino fundamental, R$ 5,45. O investimento total do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) para a aquisição das obras de 24 editoras ficará em R$ 1,1 bilhão.

    Os exemplares são negociados com base no valor do caderno tipográfico (cada conjunto de 16 páginas no miolo do livro), que teve preço médio de R$ 0,3561, resultado 1,5% abaixo dos R$ 0,3617 contratados no ano passado. “A economia foi possível devido ao ganho de escala na produção, pois estamos adquirindo quase 20% mais livros que na última compra”, afirma Rafael Torino, diretor de ações educacionais do FNDE.

    Foram adquiridas obras de todas as disciplinas para todos os alunos do ensino médio, num total de 91,7 milhões de exemplares, e outras 70,7 milhões de unidades de reposição e complementação para o ensino fundamental. “Os livros de ensino médio costumam ter mais páginas que os do ensino fundamental, por isso atingimos o recorde de quase 3,1 bilhões de cadernos tipográficos, cerca de 27% acima do volume anterior”, explica Torino. No total, o governo federal comprou 2.108 títulos diferentes para as duas etapas de ensino.

    A partir da assinatura de contrato com o FNDE, as editoras começarão a produzir os livros, que serão entregues nas escolas públicas de todo o país antes do começo do próximo ano letivo. Cada exemplar deve ser aproveitado por três anos, sendo passado de um estudante a outro ao final de cada período letivo. A exceção fica para os livros consumíveis de alfabetização dos anos iniciais do ensino fundamental, mais filosofia e sociologia do ensino médio, e também língua estrangeira dos dois níveis, que não precisam ser devolvidos.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE

    Conheça as editoras e os valores negociados

  • Governo federal compra 88% da produção de obras escolares

    A produção de obras didáticas para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), representou, em 2009, 88% do movimento do mercado editorial brasileiro nesse setor.

    O levantamento foi feito pela autarquia com base em dados da Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares (Abrelivros), e leva em conta os 115 milhões de obras distribuídas a 36,6 milhões de estudantes da educação básica pública, além de 3 milhões de títulos voltados à alfabetização de jovens e adultos. No mesmo período, o mercado privado adquiriu 15 milhões de exemplares.

    “Os números mostram a importância do PNLD no contexto educacional do país”, afirma Rafael Torino, diretor de ações educacionais do FNDE.

    Escolha – Base da escolha dos livros didáticos que serão usados no próximo ano pelos estudantes da rede oficial de ensino em todo o país, o Guia do PNLD 2011 já está disponível no portal do FNDE na Internet. A partir do guia, que traz um resumo das obras avaliadas e selecionadas pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação, professores e diretores de escolas públicas podem discutir seus conteúdos e verificar quais são mais adequadas para o trabalho em suas salas de aula.

    A escolha dos livros ocorrerá de 21 de junho a 4 de julho e envolverá as disciplinas de português, matemática, história, geografia, ciências e língua estrangeira (inglês e espanhol), do sexto ao nono ano do ensino fundamental.

    Torino lembra, no entanto, que somente as redes de ensino público que oficializarem sua participação no PNLD por meio de termo de adesão poderão escolher e receber livros para o próximo ano. O prazo final para a adesão é 31 de maio.

    O FNDE encaminhou o termo de adesão, pelo correio, a todos os gestores do país. O documento deve ser assinado pelo prefeito municipal, pelo secretário de educação do estado ou pelo diretor da escola federal e, em seguida, devolvido ao Fundo até o fim deste mês.

    Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Guia apresenta obras para anos iniciais a serem usadas em 2016

    Professores, diretores e coordenadores educacionais das redes públicas de ensino podem pesquisar a relação dos livros didáticos que vão escolher para uso pelos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental a partir do próximo ano letivo. O Guia de Livros Didáticos 2016, que contém resenhas e informações de cada uma das obras aprovadas para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), está disponível para consulta on-line.

    O período para a escolha das obras será aberto no dia 28 próximo e se estenderá até 8 de setembro, no sistema eletrônico do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Desta vez, serão selecionadas obras didáticas de todos os componentes curriculares dos anos iniciais do ensino fundamental — primeiro ao quinto ano: letramento e alfabetização linguística, alfabetização matemática e ciências humanas e da natureza (primeiro ao terceiro ano); ciências, história e geografia (segundo e terceiro anos); língua portuguesa, matemática, ciências humanas e da natureza, história, geografia, ciências e arte (quarto e quinto anos), além de livros com temáticas regionais para o quarto ou quinto ano.

    Com o guia, professores, diretores e coordenadores pedagógicos podem conhecer melhor as obras disponíveis e selecionar as mais adequadas ao método de ensino de cada escola. Depois disso, podem formalizar a escolha.  “Todo o corpo docente de cada escola deve participar dos debates e da escolha do livro didático”, afirma a coordenadora-geral dos Programas do Livro do FNDE, Sonia Schwartz. “E a própria escola e a secretaria de educação precisam garantir essa efetiva participação dos professores.”

    Novidade — A coordenadora alerta que, este ano, os professores podem optar pela coleção integrada de ciências humanas e da natureza, que engloba os componentes de ciências, história e geografia, ou escolher livros específicos de cada uma dessas disciplinas.

    Como regra básica, devem ser selecionadas duas opções de cada componente curricular, de editoras diferentes. Se não for possível a aquisição dos livros da editora da primeira opção, o FNDE negociará as obras da segunda.

    Caso a escola não queira receber livros de algum componente, basta manter a indicação inicial do sistema: “Não desejo receber livros deste componente”. Ou seja, se registrar escolha para alguns componentes e deixar de marcar em outros, só receberá os livros que escolheu. Se gravar a escolha sem marcar nenhum componente, não receberá nenhuma obra.

    Caso a instituição de ensino deixe de consultar o sistema ou não registre opção em nenhum momento, a ela será encaminhado, compulsoriamente, um dos títulos aprovados para o PNLD de 2016 de cada componente curricular.

    Negociação — Após avaliar os dados sobre os pedidos feitos por escolas públicas de todo o país, o FNDE negocia a aquisição das obras com as editoras e, em função da escala da compra, obtém preços inferiores aos do mercado. A previsão é de comprar cerca de 50 milhões de exemplares em benefício de 10,4 milhões de alunos dos anos iniciais do ensino fundamental.

    Assessoria de Comunicação Social

    Consulte o Guia de Livros Didáticos 2016

  • Guia orienta professores na escolha das obras para 2014

    Estudantes dos anos finais do ensino fundamental terão os livros para o próximo ano letivo escolhidos em agosto próximo (foto: Fabiana Carvalho/MEC – 16/4/12)Os professores dos anos finais do ensino fundamental já podem fazer a consulta on-line ao Guia de Livros Didáticos para 2014.O documento contém resumos e informações sobre as obras selecionadas para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Preparado pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação, o guia vai auxiliar os professores a escolher títulos de português, matemática, história, geografia, ciências e língua estrangeira a serem adotados na rede pública a partir do próximo ano.

     

    A escolha, a ser feita no período de 2 a 12 de agosto próximo, também on-line, abrangerá obras destinadas a alunos e professores do sexto ao nono ano do ensino fundamental. Devem ser feitas duas opções de cada componente curricular, de editoras diferentes. Caso não seja possível a aquisição dos livros da editora da primeira opção, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) tentará adquirir as obras da segunda. “Com o guia, professores, diretores e coordenadores pedagógicos podem conhecer melhor os livros e selecionar os mais adequados ao projeto de ensino de cada escola”, afirma o diretor de ações educacionais do FNDE, Rafael Torino.

     

    Após reunir os dados sobre os pedidos feitos por escolas públicas de todo o país, o FNDE negocia a aquisição das obras com as editoras e, em função da escala da compra, obtém preços inferiores aos do mercado. A previsão indica aproximadamente 90 milhões de exemplares para 13 milhões de estudantes. Os livros são confeccionados com estrutura física resistente para uso por três anos consecutivos.

     

    Além da versão digital do guia, na internet, o FNDE enviará versões impressas às unidades de ensino participantes do PNLD que atendam turmas dos anos finais do ensino fundamental.


    Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE

  • Inscrição de obras para aluno do campo começa em 28 de maio

    Livros para estudantes de classes multisseriadas de escolas do campo serão avaliados e entregues até setembro próximo (foto: juruaonline.com.br)

    Será aberto em 28 de maio próximo o prazo para cadastramento de editores de livros didáticos destinados a estudantes de escolas públicas do campo que tenham classes ou turmas multisseriadas dos anos iniciais do ensino fundamental. O prazo para o cadastramento das editoras, pré-inscrição e avaliação das obras se estenderá até 24 de agosto próximo.

    De acordo com edital publicado nesta terça-feira, 22, serão atendidas escolas situadas ou que mantenham turmas em áreas rurais que ofereçam os anos iniciais do ensino fundamental em turmas organizadas sob a forma multisseriada, seriada e por segmento de aprendizagem, que integrem as redes de ensino estaduais, municipais e do Distrito Federal. As escolas devem ser participantes do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD).

    Vencido o prazo de cadastramento e inscrição, as obras e a devida documentação devem ser encaminhadas para avaliação no período de 1º e 5 de setembro.

    O processo de avaliação estabelece a edição de livros consumíveis com componentes curriculares de letramento e alfabetização, alfabetização matemática, língua portuguesa, matemática, ciências, história e geografia, integrados em coleções multisseriadas ou seriadas.

    O Edital de Convocação nº 4/2014, que abre o processo de inscrição e avaliação de obras destinadas aos alunos de classes multisseriadas de áreas rurais, foi publicado no Diário Oficial de União desta terça-feira, 22.

    Literatura — No dia 7 último, foi aberto prazo de inscrição de obras literárias para o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) de 2015. Os editores devem fazer a pré-inscrição dos títulos até 26 de maio no Sistema de Material Didático (Simad) do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Os livros devem ser entregues para avaliação de 2 a 6 de junho próximo.

    Nesta edição do PNBE, serão selecionadas obras de literatura para os anos finais do ensino fundamental (sexto a nono) e para o ensino médio. As escolas públicas receberão acervos com títulos de gêneros literários como romance, conto, novela, biografia, poema, crônica, quadrinhos e obras clássicas. Serão atendidos 21 milhões de estudantes.

    Podem ser inscritos livros impressos isolados ou acompanhados de CD ou DVD em língua brasileira de sinais (libras). Como estabelece o edital do PNBE de 2015, obras incluídas nas últimas quatro edições do programa não serão aceitas.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Instituições avaliadoras têm até o dia 24 para fazer a inscrição

    Termina no dia 24 próximo o prazo de inscrição de instituições públicas de educação superior que pretendem participar da coordenação da avaliação pedagógica de obras inscritas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) de 2016 e no Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) de 2015. As chamadas públicas da Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação foram publicadas em 20 de outubro último.

    O Edital de Chamada Pública nº 1/2014 convoca as instituições interessadas em coordenar a fase de avaliação pedagógica das obras didáticas destinadas aos alunos e professores dos anos iniciais do ensino fundamental inscritas no PNLD de 2016 nas áreas de letramento e alfabetização e língua portuguesa, alfabetização matemática e matemática, ciências, história, geografia, arte e livro regional (abrange arte, história, cultura e geografia da região; pode ser integrado ou não).

    A avaliação deve ser feita em estrita observância ao edital do PNLD e em atendimento aos pressupostos éticos, pedagógicos e estéticos. Para participar, as instituições devem manifestar interesse institucional, projeto de avaliação pedagógica e equipe de avaliação.

    Literatura — De acordo com o Edital nº 2/2014, o MEC convoca as instituições interessadas em avaliar as obras literárias que farão parte do PNBE de 2015, destinadas às escolas públicas que oferecem os anos finais do ensino fundamental e ensino médio e que integram os sistemas de educação federal, estadual, municipal e do Distrito Federal.

    Em ambos os casos, a documentação deve ser entregue eletronicamente, com toda a documentação rubricada pelo dirigente máximo da instituição por meio de O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.. Também deve ser encaminhada documentação impressa, pelos Correios, para o Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Coordenação-Geral de Materiais Didáticos, Esplanada dos Ministérios, bloco L, anexo II, sala 412. CEP 70.047-900, Brasília, DF. Isso deve ser feito no prazo de até três dias úteis após o envio por meio eletrônico.

    Acesse mais informações sobre as chamadas públicas.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Instituições devem se inscrever até 30 de junho para avaliação

    As instituições públicas de educação superior interessadas em participar da coordenação da avaliação pedagógica do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) terão prazo maior para se inscrever. A nova data é 30 de junho. Aviso de alteração foi publicado pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação nesta quarta-feira, 10, no Diário Oficialda União.

    Serão selecionadas até sete instituições, que vão coordenar a avaliação das obras de língua portuguesa, matemática, história, geografia, ciências da natureza, língua estrangeira moderna (inglês e espanhol) e arte. Os livros, inscritos no PNLD de 2017, serão destinados a estudantes e professores dos anos finais do ensino fundamental.  A avaliação deve ser feita em estrita observância ao edital do PNLD e em atendimento a pressupostos éticos, pedagógicos e estéticos.

    Para participar, as instituições devem manifestar interesse institucional, projeto de avaliação pedagógica e equipe de avaliação, em observância ao Decreto nº 7.084, de 27 de janeiro de 2010. As propostas devem ser entregues em papel timbrado, rubricado pelo dirigente máximo da instituição, e encaminhadas por O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

    É necessário ainda, no prazo de até três dias úteis após o envio por meio eletrônico, encaminhar toda a documentação exigida, impressa, pelos correios, para o Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Coordenação-Geral de Materiais Didáticos, Esplanada dos Ministérios, bloco L, anexo II, sala 412, CEP 70.047-900, Brasília, DF. Mais informações podem ser obtidas no Edital de Chamada Pública nº 1/2015, da SEB, e no Edital do PNLD de 2017.

    Assessoria de Comunicação Social

    Acesse o aviso de alteração no Diário Oficialda União
    Acesse o decreto
    7.084/2010
    Acesse o edital
    de chamada pública nº 1/2015
    Acesse o edital
    do PNLD 2017

Fim do conteúdo da página