Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Prazo para recadastramento de avaliadores termina no dia 2

    O Banco de Avaliadores (BASis) do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) encerra na próxima terça-feira, 2 de maio, o período para recadastramento dos docentes inscritos. Os avaliadores precisam fazer o recadastramento ou validar o formulário por meio do sistema e-MEC.

    Mais de 2,9 mil docentes já tinham se recadastrado até 10 de abril, quando encerrava o prazo. O período foi prorrogado para que outros 1,1 mil avaliadores confirmem seus dados.

    O BASis é um cadastro nacional e único de avaliadores selecionados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para realizar as avaliações in loco nas instituições de educação superior. Os docentes são selecionados de acordo com a demanda de avaliações do Inep e precisam cumprir alguns requisitos: titulação mínima de doutor; efetiva produção acadêmica e intelectual nos cinco anos imediatamente anteriores à seleção; reputação ilibada; não ter pendências junto às autoridades tributárias e previdenciárias e ter disponibilidade para participação em pelo menos três avaliações anuais.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep  

  • Universidade paraense lança novo concurso para docentes

    A Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) abre às 10h desta terça-feira, 13, as inscrições para concurso público destinado ao preenchimento de 27 vagas para docentes do quadro permanente da instituição. As inscrições serão realizadas via internet no endereço eletrônico www.ceps.ufpa.br, até as 18h do dia 26 de abril.

    Neste ano já foram empossados 62 docentes pela universidade, selecionados em concurso público aberto em 2009, ano da criação da univesidade.

    A Ufopa iniciou seu funcionamento neste ano, com aulas no campus de Santarém, sede da instituição. Nos próximos meses, começam as atividades nos campi das cidades de Alenquer, Itaituba, Oriximiná, Monte Alegre, Óbidos e Juruti. A atuação da universidade se estenderá por 20 municípios da mesorregião do Baixo Amazonas.

    A universidade está estruturada em cinco institutos temáticos: Instituto de Biodiversidade e Florestas, Instituto de Ciências e Tecnologias das Águas, Instituto de Engenharia e Geociências, Instituto de Ciências da Sociedade e Instituto de Ciências da Educação.

    Assessoria de Comunicação da Ufopa


  • Agenda: Evento reúne indígenas na Bahia

    Educação escolar indígena é tema de evento em Salvador

    Cerca de 200 pessoas, entre técnicos de secretarias estaduais e municipais de educação, do Ministério da Educação, das universidades, das organizações e representantes dos povos indígenas dos estados da Bahia, Alagoas e Sergipe, participam a partir de hoje, 10 de março, até quinta-feira, 13, em Salvador, da Conferência Regional de Educação Escolar Indígena etapa Nordeste I. O evento, que será realizado no Hotel Sol da Bahia, é uma das etapas preparatórias para 1ª Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena, que será realizada em setembro, em Brasília. Serão realizadas 18 conferências nas regiões, até agosto. A divisão das regiões obedece ao critério dos territórios etnoeducacionais - agrupamento das terras indígenas, respeitando a territorialidade dos povos e suas redes de relações interétnicas. Mais informações na página eletrônica da conferência nacional.



    Prazo para envio de sugestões para evento sobre Educação Superior

    Termina hoje, 10 de março, o prazo para que entidades de abrangência nacional, governamental e não-governamental, de natureza acadêmica ou associativa, relacionadas com a educação superior encaminhem contribuições ao documento referência que será discutido no Fórum Nacional de Educação Superior. O evento, que será realizado em Brasília, nos dias 13, 14 e 15 de abril, é promovido pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), em parceria com a Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação. O fórum tem como objetivo mobilizar e buscar subsídios à participação da delegação brasileira na Conferência Mundial de Educação Superior, que será realizada em julho na França. A Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação elaborou documento referência que se constitui em base inicial para as discussões. Mais informações na página eletrônica do Fórum.



    Encontro internacional sobre gênero em Santa Catarina

    A partir de hoje, 10 de março, estão abertas as inscrições para ouvinte no Colóquio Internacional Gênero, Feminismos e Ditaduras no Cone Sul. O evento, que será realizado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) entre os dias 4 e 7 de maio, tem como objetivo formar uma rede de pesquisadores a fim de se recuperar a história recente sobre gênero, feminismos e ditadura no Cone Sul. O colóquio reunirá conferencistas do Brasil, Paraguai, Chile, Uruguai, México, Argentina e Bolívia. Mais informações no endereço eletrônico O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar ativado para poder visualizar o endereço de email ou na página eletrônica do evento.



    Ministério da Justiça promove pesquisa sobre temas jurídicos

    Faculdades, universidades públicas e privadas, fundações mantenedoras de apoio e de amparo à pesquisa e entidades não-governamentais interessadas em participar do projeto Pensando o Direito têm até o dia 13 de março para encaminhar propostas. Promovido pelo Ministério da Justiça, por meio da Secretaria de Assuntos Legislativos (SAL), com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o projeto busca consolidar parcerias com universidades e centros de pesquisa. Os selecionados contarão com um financiamento de até R$ 80 mil. O texto completo da Convocação nº 01/2009 encontra-se na página eletrônica da SAL.



    Inscrições para residência em saúde da família e comunidade

    A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) está com inscrições abertas até 26 de março para o processo seletivo para a residência multiprofissional em saúde da família e comunidade para 2009. São oferecidas 25 vagas: educação física (2), enfermagem (4), farmácia (2), fisioterapia (4), nutrição (4), odontologia (4), psicologia (3) e serviço social (2). Podem candidatar-se os alunos graduados que atendam aos pré-requisitos específicos do edital do concurso. A carga horária é de 60 horas semanais, sendo 48 horas distribuídas de segunda a sábado e plantões semanais de 12 horas, podendo ocorrer em qualquer dia da semana. Os aprovados receberão uma bolsa mensal no valor bruto de R$ 1.916,45 (mil, novecentos e dezesseis reais e quarenta e cinco centavos), pelo período de 24 meses, a partir do início das atividades do curso. Mais informações pelo telefone do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva/CCS/UFPB (83) 3216 -7249 , pelo endereço eletrônico O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar ativado para poder visualizar o endereço de email ou na página eletrônica do Núcleo.



    Capes prorroga inscrições do Pró-Administração

    A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) prorrogou até 31 de março o prazo para inscrições no Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Administração (Pró-Administração). O programa visa estimular a realização de projetos conjuntos de pesquisa e apoio à capacitação docente, utilizando-se de recursos humanos e de infra-estrutura disponíveis em diferentes instituições de ensino superior e outras instituições que se enquadrem nas regras do edital. O objetivo é possibilitar a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados na área de administração e gestão. Os projetos devem ter duração máxima de quatro anos para o exercício orçamentário e cinco anos para a execução das atividades. Mais informações na página eletrônica da Capes.



    UFPA promove encontro de ensino de química

    A Universidade Federal do Pará (UFPA), por meio do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento da Educação Matemática e Científica, e a Associação Brasileira de Química – Seção Pará promovem, em Belém, no período de 22 a 24 de abril, o 11º Encontro Paraense de Ensino de Química. A programação do encontro prevê a realização de minicursos, oficinas, palestras, mesas-redondas, exposição de pôsteres, além de momentos culturais. Mais informações na página eletrônica do evento.



    Capes lança edital do Programa Dra. Ruth Cardoso

    A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) está com inscrições abertas até 30 de abril para o Programa Dra. Ruth Cardoso, que oferece apoio à participação de professores e pesquisadores brasileiros das áreas de ciências humanas e sociais nas atividades da Universidade de Columbia, na cidade de Nova York, EUA. O programa é uma parceria da Capes com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), a Universidade de Columbia (UC) e a Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil (Fulbright). Mais informações na página eletrônica do programa.



    CNPq divulga calendário de bolsas e auxílios para 2009

    O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) divulga o calendário para 2009 de ações de fomento à pesquisa e de apoio à formação de recursos humanos. São 13 modalidades de bolsas e duas de auxílios com datas de inscrição e períodos de julgamentos distribuídos ao longo do ano. Já as bolsas de pós-doutorado no exterior, sanduíche no país e no exterior, estágio sênior e pesquisador visitante têm dois períodos para inscrição. O primeiro se encerra em 28 de maio e o último em 30 de setembro. Para demais bolsas e mais informações consultar calendário ou na página eletrônica do CNPq.



    Inscrições abertas para o prêmio Vivaleitura

    Professores, agentes de leitura e outros profissionais que desenvolvem atividades de leitura em escolas, bibliotecas e instituições podem apresentar trabalhos e concorrer ao Prêmio Vivaleitura 2009. As inscrições estão abertas até 24 julho. Na sua quarta edição, o Vivaleitura vai distribuir prêmios de R$ 90 mil, distribuídos entre três categorias. Iniciativa conjunta dos ministérios da Educação e da Cultura, o prêmio tem a coordenação da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI) e o patrocínio da Fundação Santillana, da Espanha. Democratizar o acesso à leitura, fomentar a leitura e a formação cidadã, valorizar o livro e a leitura e apoiar a criação e a produção literárias são os objetivos do Vivaleitura. As inscrições são gratuitas e poderão ser feitas pela internet ou por carta registrada, com aviso de recebimento para o seguinte endereço: Caixa Postal 71037-7, CEP 03410-970 – São Paulo (SP). Informações também pelo telefone gratuito 0800-7700987 ou na página eletrônica do prêmio.

  • Alunos do Norte e Centro-Oeste terão bolsas da Capes

    Foi anunciado, nesta terça-feira, 14, pelo presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Almeida Guimarães, em Manaus (AM), que a partir de agosto todos os estudantes de mestrado e doutorado matriculados e os que ainda vão se matricular em março de 2010, nas regiões Norte e Centro-Oeste, excluindo o Distrito Federal, terão bolsas da coordenação.


    Serão beneficiados os estudantes sem vínculo empregatício e que não possuam bolsas da Capes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), de fundações de amparo à pesquisa (FAPs) ou de empresas.


    De acordo com Jorge Guimarães, dos 160 mil estudantes de pós-graduação no Brasil, um terço possui vínculo empregatício, um terço recebe bolsa e um terço não tem nenhum apoio. As bolsas que a Capes vai conceder representam cerca de 5% desse total.


    A ação vai contribuir para minimizar as diferenças regionais referentes a cursos de pós-graduação. Dados de 2009 sobre a distribuição regional da pós-graduação no Brasil apontam que 50% a 59% dos cursos estão na região Sudeste, enquanto que a região Norte possui de 3% a 5%. “Há realmente uma concentração. Por isso precisamos trabalhar com componentes indissociáveis, que são os discentes, os docentes e a Capes. Essa é a idéia do programa”,  diz Jorge Guimarães.


    Para o presidente da Capes, o objetivo é fixar mestres e doutores nos estados. “A chance de fixar jovens nestas regiões é pouca. Para ter um projeto de formação de doutores que a região necessita, é necessário formar gente da terra”, enfatizou. Ele também explicou que as bolsas são tanto para universidades públicas quanto para as privadas.

    Assessoria de Imprensa da Capes

  • Até o segundo dia de inscrições, Medicina, Direito e Administração são os cursos mais procurados

    Luciano Marques, do Portal MEC

    Em dois dias, 452 mil candidatos se inscreveram no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Medicina é o curso mais procurado, com 138.432 pedidos. Em seguida, aparecem Direito (53.614) e Administração (41.156). O balanço contabiliza os números de meia-noite de terça-feira, 4 de junho, até as 15 horas de quarta, 5.

    Dos três cursos mais procurados, apenas Administração não está entre os mais concorridos. O curso de Medicina tem o maior número de alunos por vaga, 95,73, enquanto Psicologia registra 42,04 alunos por vaga. Direito e Odontologia vêm logo em seguida, com 36,75 e 36,51, respectivamente.

    Administração fica fora dos mais concorridos porque é o curso com maior número de vagas ofertadas em todo o país: 1.996. Entram na mesma situação Pedagogia (1.989 ) e Ciências Biológicas (1.748).

    Os estados com mais vagas disponíveis são Rio de Janeiro (12.937), Minas Gerais (8.479), Bahia (6.745) e Paraíba (5.990).

    Como o sistema permite que os estudantes escolham mais de uma opção de curso, já foram realizadas um total de 856.053 inscrições. No segundo semestre de 2018, no mesmo período, o número registrado era de 632.786, ou seja, 32,2% a menos.

    A edição do segundo semestre de 2019 tem a maior oferta de cursos, vagas e de instituições participantes da última década. São 59.028, 1.731 e 76 em todo o país, respectivamente. O prazo segue até as 23h59 de 7 de junho. Os interessados devem acessar o site do Sisu.

    O resultado da chamada regular sai em 10 de junho. As matrículas devem ser realizadas de 12 a 17 de junho. O prazo para manifestar interesse na lista de espera é de 11 a 17 de junho. A convocação ocorre após o dia 19.

  • Atualizada legislação que regulamenta Educação a Distância no país

    O Ministério da Educação regulamentou a Educação a Distância (EaD) em todo território nacional. A partir de agora, as instituições de ensino superior podem ampliar a oferta de cursos superiores de graduação e pós-graduação a distância. Entre as principais mudanças, estão a criação de polos de EaD pelas próprias instituições e o credenciamento de instituições na modalidade EaD sem exigir o credenciamento prévio para a oferta presencial.

    Com a regulamentação, as instituições poderão oferecer, exclusivamente, cursos a distância, sem a oferta simultânea de cursos presenciais. A estratégia do MEC é ampliar a oferta de ensino superior no país para atingir a Meta 12 do Plano Nacional de Educação (PNE), que exige elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% e a taxa líquida em 33% da população de 18 e 24 anos.

    O Decreto Nº 9.057/2017, publicado na edição do Diário Oficial da União desta sexta, 26, que atualiza a legislação sobre o tema e regulamenta a Educação à Distância no país, define, ainda, que a oferta de pós-graduação lato sensu EaD fica autorizada para as instituições de ensino superior que obtêm o credenciamento EaD, sem necessidade de credenciamento específico, tal como a modalidade presencial. A nova regra também estabelece que o credenciamento exclusivo para cursos de pós-graduação latu sensu EaD fique restrito às escolas de governo. Todas as mudanças tiveram como objetivo, além de ampliar a oferta e o acesso aos cursos superiores, garantir a qualidade do ensino. Os polos de EaD, por exemplo, passam a ser criados pelas instituições, que deverão informá-los ao MEC, respeitados os limites quantitativos definidos pelo ministério com base em avaliações institucionais baseadas na qualidade e infraestrutura.

    O ministro Mendonça Filho destaca que, com a regulamentação, instituições de ensino superior podem ampliar a oferta de cursos na modalidade de EaD (foto: Luís Fortes/MEC)Oferta – O ministro da Educação, Mendonça Filho, justifica a atualização da legislação ao comparar o percentual de jovens entre 18 e 24 anos matriculados no ensino superior em diferentes países. Enquanto Argentina e o Chile têm cerca de 30% de seus jovens na educação superior – percentual que ultrapassa os 60% nos Estados Unidos e no Canadá –, o Brasil amarga um índice inferior aos 20%. “Essa realidade é resultado tanto do fato de que se trata de uma modalidade ainda muito recente na educação superior brasileira quanto da constatação de que a regulamentação atual data de 2005 e não incorpora as atualizações nas tecnologias de comunicação e informação, nem os modelos didáticos, pedagógicos e tecnológicos consolidados no momento presente”, explica.

    A oferta de cursos a distância já estava prevista no Art. 80 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e passou pela última atualização pelo Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Nesse período, a modalidade EaD tem crescido fortemente no país, acompanhando o progresso dos meios tecnológicos e de comunicação. De acordo com o Censo da Educação Superior realizado em 2015 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), há no país 1.473 mil cursos superiores a distância ofertados cujo crescimento é de 10% ao ano, desde 2010. Atualmente, são mais de 1,3 milhão de estudantes matriculados, com crescimento de 50% entre os anos de 2010 e 2015.

    Outras modalidades – O Decreto Nº 9.057/2017 também regulamenta a oferta de cursos a distância para o ensino médio e para a educação profissional técnica de nível médio. Nessas modalidades, as mudanças devem atender ao Novo Ensino Médio e ainda terão seus critérios definidos pelo MEC em conjunto com sistemas de ensino, Conselho Nacional de Educação (CNE), conselhos estaduais e distrital de educação e secretarias de educação estaduais e distrital, para aprovação de instituições que desejam ofertar educação a distância.

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Aumento de incentivo à titulação para professores federais

    A Lei nº 11.344, em vigor, concede aumento de incentivo à titulação para os professores do ensino superior. O percentual passa para 75% no caso de doutores ou livre-docentes; 37% para aqueles que têm grau de mestre; 18% para os que apresentarem certificado de especialização; e 7,5% para quem possui certificado de aperfeiçoamento.

    Esta lei, oriunda da Medida Provisória nº 295 e promulgada no dia 8 de setembro, é resultado de negociações realizadas no ano passado entre o governo e os professores, e trata da reestruturação e remuneração das carreiras de magistério de ensino superior e de magistério de 1º e 2º graus, além das carreiras da área de ciência e tecnologia, especialista do Banco Central e fiscal federal agropecuário, entre outros cargos.

    Além do aumento por reconhecimento de títulos, a lei reestrutura a carreira de magistério em cinco classes: professor titular, associado, adjunto, assistente e auxiliar. Ela também institui a criação do cargo de professor associado, fazendo-se necessária a permanência mínima de dois anos no último nível da classe de professor adjunto, a obtenção de título de doutor ou livre-docente e ser aprovado em avaliação de desempenho acadêmico, que será realizada por uma banca examinadora especializada para este fim, em cada instituição federal de ensino superior.

    GED – No texto da lei, está previsto aumento na Gratificação de Estímulo à Docência (GED) dos aposentados para 115 pontos, aproximando-se dos 140 pontos dos professores ativos. Já a carreira de magistério de ensino fundamental e médio do Plano Único de Classificação e Retribuição de Cargos e Empregos de que trata a Lei nº 7.596, de 10 de abril de 1987, fica estruturada em seis classes: A, B, C, D, E e Classe Especial.

    Cada classe fica dividida em quatro níveis, com exceção da Classe Especial, que terá um nível. A progressão na carreira do magistério de 1º e 2º graus ocorrerá, exclusivamente, por titulação e desempenho acadêmico, segundo a lei. Para alcançar a Classe Especial, o professor que estiver no nível 4, da Classe E, passará por avaliação de desempenho e deverá ter o mínimo de oito anos de exercício efetivo de magistério em instituição de ensino federal, quando portadores de título de mestre ou doutor; 15 anos de efetivo exercício de magistério em instituição de ensino federal, quando portadores de diploma de especialização, aperfeiçoamento ou graduação. A íntegra do texto está na página eletrônica da Casa Civil.

    Repórter: Fabiana Gomes

  • Caixa dá prioridade a bolsista ao selecionar seus estagiários

    A Caixa Econômica Federal tem este mês 1.655 estudantes bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni) fazendo estágio em suas unidades, distribuídas nos 26 estados e no Distrito Federal. Há dois anos, bolsistas do ProUni têm prioridade na seleção de estagiários do banco. Um protocolo assinado entre o Ministério da Educação e a presidência da Caixa, em fevereiro de 2008, assegura esse direito.

    De acordo com Josibel Rocha Soares, da gerência de responsabilidade social e empresarial da matriz da Caixa, em Brasília, o tempo padrão do estágio no banco é de dois anos, com atividades de cinco horas de segunda à sexta-feira. Desde que ingressa no estágio, o aluno é acompanhado por um supervisor que orienta e avalia seu desempenho. A cada seis meses, informa Josibel, o supervisor envia o relatório para a instituição de ensino superior onde o aluno faz a graduação.

    Direito, administração, contabilidade, comunicação social, engenharia, psicologia e tecnologias da informação são os cursos que abrem maiores oportunidades de estágio na Caixa Econômica. Segundo Josibel, essas áreas de formação estão em sintonia com as atividades desenvolvidas nos departamentos do banco.

    Direitos– O estagiário que cumpre 25 horas semanais (cinco horas por dia) recebe bolsa mensal de R$ 581,00, auxílio transporte de R$ 66,00, recesso remunerado a cada 12 meses de atividades e redução da jornada de trabalho em dias de prova na faculdade.

    Podem se candidatar ao estágio bolsistas do ProUni que estejam no terceiro semestre dos cursos com duração de três anos a três anos e meio; e no quinto semestre dos cursos com duração de quatro anos ou mais. A procura de bolsistas por estágio aumentou em 2009, segundo Josibel. Só no Centro de Integração Empresa Escola (Ciee) estão inscritos 52.398 beneficiários do ProUni.

    As inscrições devem ser feitas na página eletrônica do Ciee ou do Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

    Ionice Lorenzoni
  • Comissão da Câmara aprova projeto de criação da Unila

    A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, 27, o Projeto de Lei nº 2.878-B/2008, que cria a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). A matéria segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a última comissão permanente da Câmara que deverá analisá-la antes do projeto seguir para o Senado Federal.


    Quando o projeto de lei chegar à CCJ, será aberto um prazo de cinco sessões da Câmara para a apresentação de emendas. Terminado este prazo, o relator deverá apresentar o seu parecer. A expectativa do presidente da Comissão de Implantação da Unila, Hélgio Trindade, é que a tramitação do projeto na Câmara seja concluída ainda neste semestre. Ele acredita que no Senado o curso será rápido. Por se tratar de proposição ordinária, as comissões têm poder terminativo, o que significa que o projeto não precisa ser voltado em plenário.


    “Vencemos mais uma etapa. Estamos confiantes que o projeto estará aprovado até o início do segundo semestre, possibilitando que a Unila inicie suas atividades ainda neste ano”, comemorou Paulino Motter, integrante da Comissão de Implantação da Unila.

    Assessoria de Comunicação da CI-Unila

  • Consulta pública ultrapassa 40 mil cadastrados

    Guilherme Pera, do Portal MEC

    A consulta pública do Future-se já conta com mais de 43 mil pessoas cadastradas para contribuir com ideias ao programa. Os dados são desta segunda-feira, 12 de agosto. Desse total, o sistema registrou 14.265 comentários sobre ao menos um dos pontos da proposta. As sugestões da população serão consolidadas pelo Ministério da Educação (MEC) para aperfeiçoar o processo normativo.

    Lançado em 17 de julho, o Future-se é o principal programa desta gestão do MEC para a educação superior. O objetivo é dar maior autonomia na gestão das universidades e institutos federais.

    Para participar, é preciso criar um cadastro com e-mail e CPF na plataforma da consulta pública, que pode ser acessada pelo portal do MEC. Somente os cadastrados podem enviar comentários sobre a proposta. Os interessados precisam preencher um perfil, indicando sua cidade e estado, faixa etária, nível de escolaridade e ocupação.

    Etapas - A consulta pública tem duas etapas. Na primeira, o participante pode escolher três opções a cada capítulo: "totalmente claro", "claro com ressalvas" e "não está claro". Além disso, há espaço para incluir comentários por escrito no fim de cada capítulo.

    Já na segunda etapa, o participante pode ainda utilizar um campo de texto para fazer comentários gerais sobre o tema e ainda contribuir com propostas.

  • Convênio com hospital formará técnicos e especialistas em saúde

    O instituto federal do Rio Grande do Sul, campus Porto Alegre, e o Grupo Hospital Conceição (GHC) assinaram nesta quinta-feira, 12, um convênio para formação de técnicos, educadores e especialistas em temas de educação em saúde.  

    O termo de cooperação prevê inicialmente dois cursos de especialização e um técnico que serão ministrados pela Escola GHC – Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde a partir deste mês.

    O diretor-geral do campus Porto Alegre, Paulo Sangói, disse que a colaboração entre as instituições inaugura uma nova etapa para a escola, permitindo maior oferta de vagas. “Com o convênio, antecipamos nossa previsão de termos cursos de pós-graduação, programada para o próximo ano”. O campus Porto Alegre passa a contemplar todos os níveis de ensino, desde o Proeja até os cursos de especialização na área de saúde.

    “É de iniciativas como essa que colheremos grandes frutos no futuro”, destacou o secretário de educação profissional do MEC, Eliezer Pacheco.

    Na área de especialização, serão oferecidas 60 vagas entre os cursos de gestão da atenção à saúde do idoso e saúde da família e comunidade, destinados a profissionais diplomados em nível superior na área da saúde. O curso técnico será em registros e informações em saúde, voltado a candidatos que concluíram o ensino médio.

    A ampliação da oferta de vagas no setor de ensino de saúde ocorre devido ao interesse da comunidade. Até ontem, apenas no curso técnico, existiam 240 candidatos para as 30 vagas oferecidas.

    Assessoria de imprensa do IFRS

  • Cursos Sequenciais no Ensino Superior

  • Dinheiro público precisa ser revertido para a sociedade em gratuidade, afirma Haddad em entrevista

    Dinheiro público precisa ser revertido para a sociedade em gratuidade 

     

    O ponto principal da proposta de reforma no Sistema S – conjunto de 11 entidades que inclui Sesc, Senai e Sebrae – é a melhor distribuição de recursos às unidades. Foi o que afirmou o ministro da Educação, Fernando Haddad, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo publicada no último sábado, 10. Com o novo modelo, a distribuição dos recursos arrecadados passa a ser feita por desempenho das unidades.

     

    “É um dinheiro público que deve ser revertido para a sociedade em forma de gratuidade; essa é a lógica que sustenta o projeto”, enfatizou Haddad. “Hoje, cada unidade tem sua verba garantida independentemente das atividades que realiza.”

     

    Para o ministro, a competição entre as entidades pelo dinheiro arrecadado vai proporcionar a redução do custo-aluno dos cursos técnicos do Sistema S, aproximando-os dos praticados pelas escolas técnicas federais, estaduais e privadas. Atualmente, esse custo está em R$ 10 mil no Sistema S. Nas escolas técnicas federais, por exemplo, ele fica em R$ 3 mil. A verba passaria a ser concentrada em um fundo nacional de formação técnica e profissional.

     

    O ministro admite rever a proposta de inversão da proporção dos recursos destinados à educação e à cultura. Hoje, dos 2,5% arrecadados para o Sistema S, 1% vai para ensino e 1,5% para cultura. “Não queremos prejudicar a cultura. Por isso, metade para cada um seria aceitável e, mesmo assim, já nos permitiria formar, ao ano, cerca de 1 milhão de alunos no ensino médio profissionalizante. Com 1,5% dos recursos, poderiam ser formados 1,5 milhão”, disse Haddad. (Letícia Tancredi)

     

    Leia a matéria publicada pelo O Estado de S. Paulo

     

    Leiaa entrevista do ministro Fernando Haddad ao O Estado de S. Paulo


     

  • Diplomados no exterior devem se cadastrar para prova em outubro

    Os mais de 500 candidatos que tiveram a inscrição homologada para participar do processo de revalidação de diplomas de médicos obtidos no exterior poderão preencher o formulário de cadastramento a partir desta sexta-feira, 8, até as 23h59 do dia 12 de outubro. Essa etapa é fundamental para efetivar a participação do inscrito na seleção que avaliará os conhecimentos, habilidades e competências requeridos para o exercício da medicina no Brasil.

    O processo de revalidação é formado por três testes: objetivo, discursivo e prova prática de habilidades clínicas, todas de caráter eliminatório. Os exames serão realizados em Brasília. A data provável da prova objetiva é 24 de outubro, das 8h às 13h. O teste discursivo deverá ser realizado no dia 24 de outubro, das 15h às 18h.

    O edital com os locais dos exames objetivo e discursivo deverá ser divulgado no 18 de outubro, na página eletrônica do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) da Universidade de Brasília, mesmo endereço onde os interessados devem preencher o formulário de cadastramento.

    Serão considerados aprovados nas provas escritas (objetiva e discursiva) os participantes que alcançarem 112 pontos, no mínimo. Candidatos com média igual ou superior a essa, estarão aptos para participar da prova prática de habilidades, prevista para acontecer nos dias 4 e 5 de dezembro.

    O resultado final de cada candidato nas provas escritas e na prova prática de habilidades clínicas será submetido ao Comitê Coordenador da Subcomissão Temática de Revalidação de Diplomas, para homologação e subsequente comunicação às 25 universidades conveniadas.

    Essa nova sistemática para a revalidação dos diplomas começou a ser planejada pelo grupo de trabalho interministerial criado em 2007, com a participação de representantes do Ministério da Educação, do Ministério das Relações Exteriores e do Ministério da Saúde. O grupo de trabalho ouviu universidades, associações médicas e associações de ex-alunos para discutir formas de aperfeiçoamento do sistema.

    O projeto piloto foi elaborado com base na Matriz de Correspondência Curricular, que leva em consideração as diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina para estabelecer parâmetros e critérios mínimos de aferição de equivalência curricular.

    Assessoria de Imprensa do Inep

    Acesse a íntegra do Edital nº 8, que define as regras para a revalidação do diploma

  • Em Macau, MEC e Capes discutem parcerias com instituições chinesas de educação superior

    Representantes do MEC e da Capes se reuniram para discutir projetos de pós-graduação e parcerias que envolvem ensino e pesquisa de língua portuguesa (Foto: Divulgação)Freguesia da Sé (Macau), 21/11/2018 – Representantes do Ministério da Educação, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e de oito universidades federais brasileiras se reuniram nesta terça-feira, 20, com a vice-presidente do Instituto Politécnico de Macau, Vivian Lei, para discutir projetos de pós-graduação e parcerias em difusão, ensino e pesquisa de língua portuguesa. Realizado em Freguesia da Sé, cidade de Macau onde fica o instituto, o encontro integra uma extensa programação na China que se estende até a próxima sexta, 23.

    A missão, que também foi a Pequim, contou com o apoio do consulado brasileiro em Hong Kong e teve o objetivo de promover a aproximação das instituições públicas nacionais com as instituições de educação superior chinesas. O secretário-executivo do MEC, Henrique Sartori, destacou que a busca de parcerias internacionais com instituições de ponta “é importante para dar direcionamento, objetivo e ao mesmo tempo prospectar novas oportunidades de cooperação para a educação superior no Brasil”.

     Chefiada pelo vice-presidente da Capes, Geraldo Nunes Sobrinho, a delegação visitou cinco universidades e o Grupo de Assessoramento do Ensino Superior de Macau (Gaes). Segundo a Assessoria Internacional do MEC, o resultado foi positivo e as universidades identificaram possibilidades de parceria de pesquisa acadêmica e mobilidade de alunos e professores, incluindo ensino e pesquisa na língua portuguesa.

    Cooperação – Após o encontro, a comitiva, formada por 13 integrantes, almoçou com o coordenador do Gaes, Sou Chio Fai, responsável do governo pela articulação das instituições de ensino locais. A região foi colonizada pelos portugueses até 1999, quando passou a integrar a República Popular da China, e ainda tem o português como uma das línguas oficiais. “Têm sido muito produtivas as reuniões com o intuito de estabelecer eventuais parcerias e ações importantes e estratégicas”, resumiu Henrique Sartori.

    O grupo também se reuniu com o reitor da Universidade de Macau, maior instituição do tipo da região autônoma, Yonghua Song, para debater sobre educação superior e eventuais acordos de cooperação, bem como para criar comissões bilaterais dedicadas a outros ambientes de discussão. “A formação de professores que possam lecionar a língua portuguesa na China tem feito crescer o interesse dessas instituições e, ao mesmo tempo, também leva todo o nosso know-how de pesquisas e outras questões para as universidades chinesas e vice-versa”, exemplificou Sartori.

    Programa - A Capes tem fomentado o Programa Institucional de Internacionalização (PrInt) para a construção, a implementação e a consolidação de planos estratégicos de internacionalização das instituições contempladas nas áreas do conhecimento por elas priorizadas, além de estimular a formação de redes de pesquisas internacionais para aprimorar a qualidade da produção acadêmica vinculada à pós-graduação.

    Também faz parte do programa promover a mobilidade para o exterior, assim como do exterior para o Brasil, de docentes e discentes, com ênfase em doutorandos e pós-doutorandos vinculados a programas de pós-graduação stricto sensu com cooperação internacional.

     

    Assessoria de Comunicação Social 

     

  • Em menos de 24 horas, número de candidatos inscritos no Sisu supera os 208 mil

    O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) contava com 208.634 candidatos, desde a abertura das inscrições, a zero hora desta terça-feira, 12, até as 19 horas do mesmo dia. O Sisu é um sistema informatizado criado pelo Ministério da Educação, no qual as instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a estudantes com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Como o sistema permite mais de uma opção por candidato, já foram realizadas 398.702  inscrições.

    Nesta edição do segundo semestre de 2018, estão sendo ofertadas 57.271 vagas em 68 instituições. A distribuição se dá entre oito instituições públicas estaduais – um centro universitário e sete universidades –, uma faculdade pública municipal e 59 instituições públicas federais, com dois centros de educação tecnológica, 27 institutos federais de educação, ciência e tecnologia e 30 universidades.

    Os candidatos interessados em ingressar no ensino superior pelo programa podem se inscrever até a próxima sexta-feira, 15. Pode concorrer quem fez a prova em 2017 e obteve nota acima de zero em redação. Todo o processo de inscrição é feito exclusivamente pela internet, por meio da página eletrônica do Sisu.

    Ao ingressar no sistema, o candidato deverá escolher, por ordem de preferência, até duas opções de curso entre as vagas ofertadas. É possível alterar essas opções durante todo o período de inscrição, sendo considerada válida a última modificação confirmada.

    O resultado da chamada regular está previsto para 18 de junho. Já o período de matrícula vai de 22 a 28 de junho, considerando ainda os dias, horários e locais de atendimento definidos pela instituição em seu edital próprio. Já o prazo para participar da lista de espera é de 22 a 27 de junho, sendo necessário que o candidato manifeste interesse em participar.

    Acesse a página do Sisu.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Em Sergipe, escola pública focada no Enem registra melhoras nos resultados dos alunos


    Dezenas de alunos da Escola Estadual Dr. Milton Dortas, em Simão Dias, interior de Sergipe, têm obtido boa classificação no ingresso à universidade. Faz três anos que instituição registra excelentes notas dos estudantes no Exame Nacional do ensino Médio (Enem), com média superior à das escolas estaduais de todo o Brasil. Este é o tema da semana do programa da série Trilhas, transmitido pela Rádio MEC todas as sextas-feiras.

    O sucesso dos estudantes se deve, sobretudo, à consciência dos alunos sobre a importância de se preparar para o Enem. “O que nos ajudou foi o corpo docente e a gestão da escola, que sempre prezou por focar no Enem e colocar o aluno na faculdade”, afirma a ex-aluna Roseane Nogueira, recém-aprovada em segundo lugar no curso de odontologia da Universidade Federal de Sergipe (UFSE). “A gente tinha aulas aos sábados, aulas de reforço. Não é só questão didática; é também de uma preparação mental, um conjunto de coisas. E a escola oferece tudo isso para gente”.

    A diretora da escola, Daniela Silva, acredita que, além dos professores, técnicos e equipe de direção, os alunos foram percebendo que a preparação para o Enem é um processo de aprendizado que necessita da união de todos. “A cada ano, eles foram se empenhando e os professores ficavam mais motivados”, conta. “Com isso, passamos a analisar melhor a conjuntura que envolve o Enem e melhoramos os projetos relacionados à prova.”

    Roseane reforça a importância do aprendizado ao longo dos três anos em que frequentou a escola Dr. Milton Dortas. “Sem dúvida, vou levar muito conhecimento agregado nesses três anos, mas também a vontade de crescer mais”, diz. Com a visibilidade construída a partir do sucesso de seus alunos no Enem, a escola tem recebido vários alunos oriundos de instituições privadas. O bom desempenho, lembra Daniela, sempre traz novos desafios – como a luta pela redução dos índices de abandono escolar, causa à qual a escola sergipana também tem se dedicado com afinco.

     “Estou indo para um intercâmbio com vários diretores de escolas nos Estados Unidos, e a gente tem a expectativa de trazer coisas novas para ajudar a construir nosso projeto para 2018”, conta a diretora. “A cada ano, a gente se sente mais responsável, porque o Enem sofre mudanças e a escola precisa estar atualizada. O mais importante é que nossos alunos tenham acesso à universidade”.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Emissão e registro de diplomas de graduação terão novas regras

    O Ministério da Educação publicou, no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 26, a portaria nº 1.095, que apresenta novas regras para a expedição e o registro de diplomas de cursos de graduação. O objetivo é mitigar o risco de fraudes e conferir maior segurança nos procedimentos internos das instituições de educação superior, que terão um prazo de 180 dias para se adequar às novas regras.

    De acordo com o ministro da Educação, Rossieli Soares, a nova norma segue orientações do Tribunal de Contas da União (TCU) e atualiza a legislação de emissão e registro de diplomas, que está em vigor desde 1978. “Com essas novas regras, teremos maior controle social, monitoramento e transparência dos novos documentos que são colocados no mercado. O procedimento ficará mais seguro”, enfatizou o ministro.

    A portaria também é resultado das conclusões da Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa de Pernambuco (CPI-Alepe), que identificou irregularidades em diplomas de instituições credenciadas pelo MEC. “As novas regras têm o escopo de inibir fraudes na emissão e registro de diplomas, melhorar a qualidade do ensino superior e auxiliar nas atividades de supervisão do Ministério da Educação”, explica o secretário-executivo do MEC, Henrique Sartori.

    O que muda – Entre as mudanças está a exigência de um termo de responsabilidade a ser assinado pelas instituições de educação superior e prazos para a expedição e o registro dos diplomas. As instituições também deverão cancelar diplomas irregulares quando detectarem vícios nos procedimentos de expedição e registro e dar publicidade dos diplomas cancelados.

    Outra alteração é que o verso do diploma deverá trazer a identificação da mantenedora da instituição de educação superior. Além disso, as instituições terão que publicar no Diário Oficial da União informações sobre os diplomas registrados, bem como manter informações detalhadas para consulta pública em seus sites. A portaria ainda traz anexos com modelos de diploma e de declarações de emissão e registro que poderão ser adaptados pelas instituições de educação superior.

    A portaria mantém a gratuidade da expedição e registro da primeira via do diploma, do histórico escolar final e do certificado de conclusão de curso. Também ficam mantidas as regras previstas no Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, para as universidades, institutos federais e centros federais de educação tecnológica registrarem seus próprios diplomas e aqueles expedidos por faculdades. Já os centros universitários e as faculdades com alta qualificação continuam com a prerrogativa de registrar seus próprios diplomas.

    Acesse a Portaria nº 1.095.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Enade - Apresentação

    O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) avalia o rendimento dos alunos dos cursos de graduação, ingressantes e concluintes, em relação aos conteúdos programáticos dos cursos em que estão matriculados. O exame é obrigatório para os alunos selecionados e condição indispensável para a emissão do histórico escolar. A primeira aplicação ocorreu em 2004 e a periodicidade máxima da avaliação é trienal para cada área do conhecimento.

  • Estrangeiros têm último dia para tentar bolsas no Brasil

    Estudantes estrangeiros interessados em bolsas de graduação a distância em instituições brasileiras de educação superior têm até esta sexta-feira, 19, para efetuar as inscrições no Programa de Estudantes–Convênio de Graduação (PEC-G) do Ministério da Educação. As vagas nas áreas de educação e cultura estão disponíveis a candidatos da América Latina, Caribe, Oceania, Ásia e África.

    A angolana Alice Ngunga, 26 anos, formou-se em ciências da computação pelo PEC-G. Ela diz ter abraçado a oportunidade da graduação no Brasil, principalmente, pela qualidade de ensino aqui ofertada. “Foi uma experiência excelente e muito gratificante, tanto no lado pessoal quanto no acadêmico”, afirma. “Fiz amizades para toda a vida e cresci culturalmente.”

    Alice destacou a oportunidade de conhecer outra cultura e conhecer hábitos diferentes. “Sem falar do conhecimento que obtive na graduação. Tudo hoje me serve de suporte, principalmente no meio profissional.”

    Depois de formada, Alice teve boa proposta de trabalho em Angola e retornou ao seu país. Ela também iniciou curso de pós-graduação em gestão de projetos a distância e pretende voltar ao Brasil, em breve. 

    Critérios — O programa oferece três tipos de bolsas. São 86 cursos disponíveis nos turnos diurno ou integral. Podem concorrer estudantes estrangeiros, sem visto, com idade entre 18 e 23 anos, que tenham certificado de proficiência em língua portuguesa. Em alguns casos, o programa inclui passagem aérea para a apresentação do trabalho de conclusão de curso (TCC).

    Mais informações na página do PEC-G na internet.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página