Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC lança piloto do programa Instituição Amiga do Empreendedor, com nove adesões
Início do conteúdo da página
  • O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) recebeu 393,8 mil inscrições até às 20 horas de segunda-feira, 12. Os candidatos têm prazo até as 23h59 do dia 23 próximo para fazer a inscrição, on-line. A inscrição é gratuita para estudantes de escolas públicas e para aqueles que se declaram carentes. As provas serão aplicadas em 8 e 9 de novembro próximo, às 13 horas (de Brasília).

    Este ano, pelas previsões, mais de oito milhões de candidatos pretendem fazer o exame, que dá acesso a políticas educacionais do governo federal, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). O ministro da Educação, Henrique Paim, fez alerta aos estudantes sobre os prazos. “Na última edição, tivemos dois milhões de estudantes que fizeram a inscrição no último dia. É muito importante que façam a inscrição logo”, recomendou.

    O Enem de 2014 será realizado em 1.699 municípios. Tanto no sábado, 8 de novembro, quanto no domingo, 9, os portões de acesso aos locais de provas serão abertos às 12 horas e fechados às 13 horas, também de acordo com o horário de Brasília.

    As inscrições devem ser feitas na página do Enem na internet.

     

    Assessoria de Comunicação Social

     

    Leia também:

    Exame será realizado em 8 e 9 de novembro, com novidades na acessibilidade e segurança




  • O ministro da Educação, Mendonça Filho, foi homenageado nesta sexta, 10, em São Paulo, pela Confederação Israelita do Brasil (Conib), em função da troca nos dias de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – que, anteriormente realizadas em um único fim de semana, passam a ser aplicadas em dois domingos consecutivos. A alteração foi bem recebida pelos sabatistas, entre os quais os judeus, que guardam os sábados. 

    A homenagem ocorreu durante a 48ª convenção nacional da entidade. Mendonça Filho lembrou do desafio que foi promover as mudanças no exame. “Nós precisávamos da legitimação de uma consulta pública, não só com relação a esse aspecto [dos dias de provas], como de outros relativos a aplicação do Enem”, lembrou o ministro.

    As mudanças promovidas no Enem são resultado de um amplo debate do Ministério da Educação e do Instituto Nacional de Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, com a sociedade, por meio de consulta pública realizada no início deste ano. Mais de 600 mil pessoas participaram.

    Até o ano passado, os sabatistas – categoria da qual faz parte a comunidade judaica, além dos adventistas e outros grupos religiosos – precisavam entrar no local de provas junto aos demais participantes. Chegavam às 13h, no horário de Brasília, mas ficavam isolados em uma sala até as 19h, quando começavam o exame. A alteração permite aos sabatistas concorrer em igualdade com os demais candidatos. Em alguns locais, o tempo de espera chegava a nove horas. Sabatistas, conforme os preceitos de sua religião, interrompem atividades produtivas do pôr do sol de sexta-feira ao pôr do sol de sábado.

    Mendonça Filho observou que a consulta pública deu legitimidade às mudanças no Enem (Foto: André Nery/MEC)

    Outra novidade é que a redação passou a ser realizada no primeiro domingo, junto às provas de linguagem, código e suas tecnologias e ciências humanas e suas tecnologias, com duração de cinco horas e 30 minutos. No segundo domingo serão aplicadas as provas de matemática e ciências da natureza e suas tecnologias, com quatro horas e 30 minutos de duração. O Enem também conta com novo recurso de acessibilidade para surdos e deficientes auditivos, a videoprova traduzida em língua brasileira de sinais (Libras).

    O presidente da Conib, Fernando Lottenberg, pontuou as contribuições que Israel pode oferecer ao Brasil em campos estratégicos. “Queremos colocar para a sociedade brasileira o que Israel tem de melhor. Lá não é só um lugar de conflito, de guerra. Tem muita coisa boa na ciência, na agricultura, na tecnologia e, especialmente, na tecnologia de educação”, salientou.

    Já o deputado federal Floriano Pesaro (PSDB/SP), atual secretário de Desenvolvimento Social de São Paulo, também presente ao evento, destacou a dedicação do ministro. “O senhor de alguma forma nos ajudou em um pleito que não era novo. Há muitos anos tentamos ver a questão do Enem aos sábados, que para nós é uma questão que afligia nossos jovens”, reforçou o parlamentar.

    Conib – Fundada em 1948, a Conib é o órgão de representação e coordenação política da comunidade judaica brasileira, cuja população é estimada em 120 mil pessoas. São filiadas à instituição comunidades organizadas em 14 unidades da federação, incluído o Distrito Federal. Trata-se de uma associação sem fins lucrativos, de caráter apartidário e de representação dos mais diferentes setores da comunidade judaica.

    A Conib estimula e dá suporte a ações nos campos social, político, cultural e educacional, reforçando o sentido comunitário e a identidade judaico-brasileira. Apoia o Estado de Israel, o movimento sionista e o diálogo pela paz no Oriente Médio.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • As formações para as provas começaram em agosto e encerram-se nos dias de aplicação do exame

    Aproximadamente duzentas mil pessoas foram capacitadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para atuarem na aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. Foram mais de 400 capacitações em todo o Brasil, incluindo treinamentos presenciais.

    Na lista de colaboradores que irão trabalhar nos dois dias do exame estão, por exemplo, coordenadores estaduais e municipais do Enem, coordenadores de locais de prova, assistentes e chefes de sala. Além disso, são orientados aplicadores para os participantes que solicitaram atendimento específico e especializado

    Durante as capacitações, foram reforçados os procedimentos padronizados a serem adotados antes e depois das provas, como:

    • A preparação para aplicação;
    • A chegada da equipe e a abertura dos malotes;
    • A entrada dos estudantes;
    • A entrega das provas nominais;
    • O procedimento final e as novidades do exame, dentre elas a forma da coleta da digital, que agora será no cartão-resposta; e
    • A eliminação do participante caso qualquer equipamento eletrônico toque, mesmo dentro do envelope porta-objetos.

    Todos os colaboradores passam por uma formação a distância, com duração de vinte horas. Já a modalidade presencial, que ocorreu em todos os estados brasileiros, durou oito horas para os coordenadores estaduais, municipais, de local de provas e assistentes. Nos dias do exame, as capacitações para chefes de sala, aplicadores e aplicadores especializados ocorrem por duas horas.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Instituição com maior oferta de vagas entre as 95 que aderiram ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a Universidade Federal do Piauí (UFPI) abre quase um terço dessas vagas em cursos noturnos. Do total de 5,9 mil registradas no sistema, 1,56 mil são oferecidas no turno da noite.

    Os 30 cursos noturnos da UFPI, divididos entre licenciatura e bacharelado, estão distribuídos na sede, em Teresina, e nas unidades da instituição nos municípios de Floriano, Parnaíba, Bom Jesus e Picos.

    UFPI — Oferta de cursos noturnos pelo Sisu

    Câmpus

    Vagas

    Cursos

    Teresina

    816

    14

    Parnaíba

    256

    5

    Picos

    300

    6

    Floriano

    140

    3

    Bom Jesus

    50

    1

    Total

    1.562

    29



    No país, a oferta de cursos noturnos ocupa a segunda colocação na distribuição das vagas oferecidas pelas 95 instituições de ensino superior federais e estaduais que aderiram ao Sisu para o primeiro semestre de 2012. Os noturnos abrem 38,8 mil das 108,5 mil vagas disponíveis no sistema. Ficam em primeiro lugar os de jornada integral (46,6 mil). Os demais se dividem entre matutinos (13,2 mil) e vespertinos (9,8 mil).

    Agenda— Os candidatos a vagas na educação superior por meio do Sisu podem consultar, pela internet, a relação das instituições de ensino que aderiram ao sistema para o processo seletivo do primeiro semestre de 2012, cursos que oferecem e número de vagas. Está à disposição um roteiro para orientar o processo de inscrição, que estará aberto de 7 a 12 de janeiro próximo.

    O Sisu selecionará os candidatos por meio da nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011.

    Ionice Lorenzoni

    Leia também:
    Oferta supera as 8 mil vagas em 13 instituições estaduais
    Nordeste lidera ranking das regiões na oferta de vagas
    Institutos federais dominam oferta de vagas em seis estados
    Cresce a adesão das federais, com aumento na oferta de vagas
    Candidato pode conferir oferta de vagas para o início de 2012
  • Estudantes que tenham concluído o ensino médio e feito as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em dezembro de 2009, podem concorrer a 2.160 vagas em cursos de graduação oferecidas pela Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). As inscrições para os 42 cursos vão até dia 15 deste mês. A UFFS tem campi nas cidades de Chapecó (SC), Erechim e Cerro Largo (SC), Realeza e Laranjeiras (PR).

    De acordo com o reitor Dilvo Ristoff, a instituição vai usar as notas do Enem 2009 combinadas com um bônus para alunos que tenham feito o ensino médio em escola pública. O bônus varia de 1,3 para quem fez todo o ensino médio público a 1,1 para quem fez apenas um ano. Os demais estudantes concorrem apenas com a nota do exame.

    Quando encerrar as inscrições, a universidade encaminhará a lista de candidatos ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que informará as notas do Enem obtidas pelos alunos. De posse das notas, explica o reitor, a universidade aplicará o fator de bonificação.

    Cada candidato pode se inscrever em dois cursos, em primeira e segunda opções. Das 2.160 vagas, 1.650 são para cursos que iniciam em 29 de março deste ano e 510 para o segundo semestre. Até esta segunda-feira, 4, o sistema da UFFS registrou 4.006 inscrições.

    O reitor explica que os cursos mais procurados até agora são engenharia ambiental e energias renováveis, oferecido em três dos cinco campi, seguido de enfermagem, medicina veterinária e arquitetura. Os menos procurados são as licenciaturas nas áreas de ciências (biologia, física e química), educação no campo, filosofia, geografia, história, pedagogia, português e espanhol, sociologia.

    Investimentos – Dados do reitor Dilvo Ristoff indicam que a nova universidade recebeu do Ministério da Educação R$ 12,5 milhões em 2009. Os recursos foram investidos numa série de ações, entre elas o início da construção de quatro pavilhões, aquisição do prédio do seminário São José, em Cerro Largo, onde vai funcionar provisoriamente o campus, compra de mobiliário para os cinco campi e de um acervo bibliográfico.

    Dos 220 servidores dos quadros técnicos da UFFS aprovados no primeiro concursos público, 53 foram nomeados em 31 de dezembro. A homologação do concurso de professores será feita no próximo dia 15. As prefeituras dos cinco municípios também doaram à instituição 500 hectares de terra, 100 hectares por município, para a construção dos campi.

    A UFFS é uma das quatro novas universidades federais criadas para promover a integração regional e com países do Mercosul e da África. As outras são a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), com sede em Foz do Iguaçu (PR); Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), com sede em Redenção (Ceará); e a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), com sede em Santarém.

    As informações sobre a inscrição de candidatos, a relação dos cursos e vagas e os prazos estão descritos no Edital nº 3/2009, da UFFS.

    Ionice Lorenzoni
  • O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 tem mais de 1 milhão de inscrições em pouco mais de dois dias de abertura do sistema. Até as 19h desta quarta-feira, 27, o número de inscritos era de 1 milhão 216 mil. Os interessados em participar do Enem têm até 5 de junho para acessar a página do exame na internet.

    No ato da inscrição, os candidatos precisam informar um número de telefone fixo ou celular válido. Também é necessário cadastrar um endereço eletrônico (e-mail), o qual não pode ser utilizado por outro participante, além de criar pergunta e resposta de segurança para acesso ao sistema de inscrição.

    Como nas edições anteriores, é recomendável buscar horários com menor fluxo de acessos na internet, de forma que fique mais fácil a navegação. É importante também ficar atento se o número de CPF e data de nascimento informados durante a inscrição estão de acordo com os dados na base da Receita Federal.

    Na edição deste ano, estão isentos da taxa de inscrição os concluintes do ensino médio em 2015 matriculados em escolas da rede pública e as pessoas que se declararem carentes. Para os demais, o valor é de R$ 63 e o pagamento deve ser efetuado até as 21h59 (horário de Brasília) do dia 10 de junho.

    No Enem 2015, travestis e transexuais poderão usar o nome social. Para tanto, deverão, de 15 a 26 de junho, preencher formulário específico e enviar pela página do exame na internet. Junto, é preciso encaminhar cópia de documento de identificação com foto, além de uma foto recente. É importante lembrar que, antes desse procedimento, é necessário fazer a inscrição normalmente, no período estipulado a todos os participantes, conforme prevê o edital.

    Sisu – A nota do Enem é usada como critério de acesso à educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em 115 instituições públicas, e do Programa Universidade para Todos (ProUni).

    A participação na prova é ainda requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participar do programa Ciência sem Fronteiras ou ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Estudantes maiores de 18 anos podem também obter a certificação do ensino médio por meio do Enem.

    Assessoria de Comunicação Social



  • As provas de língua estrangeira do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011 fazem parte da prova de linguagens, códigos e suas tecnologias e serão aplicadas no domingo, 23. No momento da inscrição, os participantes optaram por inglês ou espanhol. Essa opção não pode ser trocada no momento da prova. Os inscritos devem marcar no gabarito somente as questões do idioma selecionado no cartão de confirmação da inscrição.

    As provas de língua estrangeira avaliam a competência do inscrito em associar vocábulos e expressões de um texto em língua estrangeira ao tema, usar os conhecimentos do idioma e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informações, tecnologias e culturas.

    O estudante tem de mostrar capacidade de compreender um texto em inglês ou espanhol, suas estruturas linguísticas, função e uso social, além de reconhecer a importância da produção cultural em idioma estrangeiro como representação da diversidade cultural e linguística.

    Horário — As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão aplicadas, tanto no sábado quanto no domingo, às 13 horas (de Brasília). A abertura dos portões ocorrerá às 12 horas e o fechamento, às 13. O Ministério da Educação recomenda a todos os participantes que cheguem ao local de realização das provas até as 12 horas (de Brasília).

    Provas — No primeiro dia, serão aplicadas as provas de ciências humanas e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias. O candidato terá 4h30 para concluí-las. No segundo dia, o exame abrangerá linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e matemática e suas tecnologias, com tempo de 5h30 para conclusão.

    Assessoria de Comunicação Social

    Outras notícias sobre o Enem

    Confira o edital



  • Sistema para consulta está disponível na Página do Participante e gratuitamente em lojas virtuais pelo celular

    Às 19h08 desta quarta-feira, 16 de outubro, o número de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que visualizaram os seus locais de prova chegou a dois milhões. Isso representa 40% do total de inscritos este ano: 5,1 milhões de pessoas. O sistema foi liberado para consulta, hoje, às 9h30.

    A marca de um milhão de acessos foi atingida em duas horas e meia depois da liberação dos dados. Às 11h56, foram registrados 1.019.292 participantes distintos que visualizaram o local de prova.

    As informações sobre onde os candidatos irão realizar as provas estão no Cartão de Confirmação da Inscrição. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do Enem, disponibiliza o documento na Página do Participante na internet e por aplicativo nas plataformas Apple Store e Google Play. Basta procurar pela palavra “Enem”.

    O Cartão de Confirmação pode ser acessado na Página do Participante e no aplicativo do Enem, disponível para download nas plataformas Apple Store e Google Play.

    Pelo sistema, o candidato acessa o Cartão de Confirmação da Inscrição que traz as informações pessoais do participante, como:

    • o CPF;
    • o número de inscrição;
    • as datas e os horários do exame;
    • a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição;
    • e o tipo de atendimento específico e/ou especializado, com recursos de acessibilidade, caso tenha sido solicitado e aprovado, ou pelo nome social.

    Enem – O exame é composto por quatro provas objetivas, totalizando 180 questões e uma redação. As provas serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Nesta sexta-feira, 29, nas primeiras seis horas no ar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), foram realizadas mais de 30 mil inscrições de candidatos às 48 mil vagas oferecidas por 51 instituições públicas de educação superior. O sistema foi aberto às 6h (de Brasília) para a inscrição dos estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2009.

    Em razão do grande número de acessos desde a abertura do processo, o sistema apresentou relativa lentidão nas primeiras horas. O problema, no entanto, foi corrigido e o acesso normalizado ainda no início da manhã. As inscrições são feitas normalmente.

    Nesta primeira edição, 23 universidades federais e 26 institutos federais de educação, ciência e tecnologia participam da seleção unificada com a oferta de vagas em cursos de educação superior, entre bacharelados, licenciaturas e cursos superiores de tecnologia.

    Além das instituições federais, a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e a Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence) selecionarão candidatos pelo Sisu.

    De acordo com o Ministério da Educação, a antecedência da realização da inscrição é o último critério de desempate. O principal fator de seleção é a nota do candidato no Enem.

    Assessoria de Imprensa da Sesu
  • Apresentado por Land Vieira, o programa Hora do Enem tem 30 minutos de duração e vai ao ar diariamente, às 7h, 13h e 18h  (Foto: Rafael Lima/TV Escola)

    A quarta temporada do programa Hora do Enem, da TV Escola, estreia nesta segunda-feira, 15. Apresentado por Land Vieira, o programa é um dos produtos de maior audiência da emissora, tanto na TV como no YouTube. É o único meio de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) inteiramente gratuito, aberto, com conteúdo produzido por educadores e com base nas competências exigidas pelo exame. Os episódios vão ao ar diariamente, sempre às 7h, com reapresentações às 13h e às 18h.

    Cada programa tem 30 minutos de duração. São exibidos de segunda a sexta-feira, com reprises em maratona aos sábados e domingos. O projeto, que oferece conteúdo completo de preparação para o Enem, conta com uma plataforma de estudo personalizada, com aulas sobre os conteúdos exigidos nas cinco áreas de conhecimento que compõem o exame, resolução de exercícios dos exames anteriores, percursos educativos e entrevistas com profissionais relacionados aos segmentos abordados.

    A cada dia, uma área do conhecimento é o ponto de partida para dicas, entrevistas e muito conteúdo produzido por quem entende do exame. Além disso, o programa conta com dicas de como se preparar para a prova. Os episódios inéditos seguem em exibição até novembro.

    O Hora do Enem continua trazendo, com seriedade, as resoluções de questões do exame, sem abandonar os elementos de humor que caracterizam o programa”, afirma o professor Walmir Cardoso, gerente de conteúdo da TV Escola. “A simpatia do Land e o aprofundamento dos temas pedidos no Enem convivem em harmonia com os vários personagens que tornam o clima de estudos bem jovem e descontraído.”  

    Novidades - A nova temporada trará algumas novidades. O programa receberá ainda mais professores convidados e o foco a partir de agora será na revisão do conteúdo seguida da resolução das questões, para a preparação do exame. Os primeiros episódios vão relembrar o conhecimento, inclusive para quem já saiu da escola há algum tempo.

    A atração trará também um novo quadro, chamado Momento Pop Prof., um modelo de entrevista curtinha, com cerca de um minuto, com o Land sentado em frente ao professor, e com uma pegada divertida e inusitada. A intenção é criar um momento para relaxar, uma espécie de break, mas sempre com perguntas que unem conhecimento, curiosidade e brincadeira.

    Plataforma – Lançados em 2018, os Percursos Educativos continuarão funcionando como uma espécie de atividade complementar ao Hora do Enem. Essas ferramentas de aprofundamento permanecem abertas a qualquer pessoa em uma página própria. Na plataforma, o estudante tem a oportunidade de resolver uma questão do Enem e encontrar outras que abordam o mesmo assunto.

    Os Percursos Educativos da TV Escola continuam aprofundando o conteúdo de cada disciplina. Logo para o início da temporada de 2019, os percursos de matemática e língua portuguesa serão atualizados com as questões do exame de 2018. E há percursos novos, começando pelo mapa de física. A ele seguirão os percursos de artes, química, história, filosofia, sociologia e línguas estrangeiras. E aguardem, porque o Percurso de redação está no forno!”, conclui Walmir.

    TV Escola – A TV Escola é o canal do MEC, distribuído em multiplataforma, que tem como objetivo democratizar o ensino básico e elevar a qualidade da educação brasileira. Há mais de 20 anos no ar, o canal tem como público professores, coordenadores e gestores escolares, além de alunos da pré-escola ao ensino médio da rede pública. Sua programação também procura atender às demandas de pais preocupados com a educação de seus filhos e de todos os interessados em aprender.

    O canal pode ser acessado através de satélite, parabólica, DTH, TV a cabo e TVDigital, somando mais de 45 milhões de espectadores, além da web, presente em aplicativos para smartphones, tablets e computadores. São mais de 12 milhões de usuários via internet, um milhão de seguidores nas redes sociais e mais de 395 mil downloads para smartphones.

    Como assistir a TV Escola:

    Em todo Brasil:
    Sky: Canal 21
    Vivo: Canal 235
    Claro TV: Canal 08
    Oi TV: Canal 25

    Em São Paulo:
    TV Aberta: Canal 62.3
    Net: Canal 8 (capital)

    No Rio de Janeiro:
    TV Aberta: Canal 2.3
    NET: Canal 15

    Em Brasília:
    TV Aberta: Canal 2.3
    NET: Canal 13

    Acesse o canal da TV Escola no YouTube 

    Acesse os Percursos Educativos 

    Assessoria de Comunicação Social

  • Os portões de acesso aos locais de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 foram fechados às 13h (horário de Brasília). Antes de entrar na sala de aplicação, o participante deve guardar telefone celular e outros equipamentos eletrônicos desligados dentro do envelope porta-objetos. O envelope deve ser lacrado e identificado pelo participante e mantido embaixo da carteira durante a realização das provas, sob pena de eliminação.

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, não se responsabiliza por guarda, perda, extravio ou dano, durante a realização das provas, dos objetos levados pelos participantes, já que orienta o porte apenas do documento de identificação oficial com foto e da caneta estereográfica de tinta preta feita em material transparente. Entre as 13h e as 13h30, os chefes de sala e aplicadores realizam os procedimentos de verificação de segurança e só é permitido ir ao banheiro com o acompanhamento de um fiscal.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

     

  • Depois da indisponibilidade do sistema SiSU – Sistema de Seleção Unificada, verificada durante algumas horas da tarde desta sexta-feira, 29, e de ajustes na manhã de sábado, 30, o sistema foi normalizado a partir de 9h30. Com isso 48 mil fizeram inscrição até às 13h50 deste sábado, levando o número total para 93 mil inscritos. As inscrições seguem até a próxima quarta-feira, sempre entre 6 horas e 23h59. A área técnica do MEC segue acompanhando o sistema para resolver eventuais dificuldades enfrentadas pelos candidatos no momento da inscrição no SiSU.

  • Termina em 25 de junho o prazo para estudantes que solicitaram isenção de pagamento da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 e tiveram a Guia de Recolhimento da União (GRU) gerada enviarem a documentação exigida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Somente serão analisados os pedidos aos quais forem juntados os comprovantes da situação socioeconômica e de escolaridade dos requerentes.

    São três os caminhos para solicitar isenção da taxa de inscrição do Enem 2017. Pela forma automática, pode requerer o benefício o candidato que estiver terminando o ensino médio em escola pública. Já pela Lei nº 12.799/2013, podem pleitear isenção os estudantes que tenham cursado todo o ensino médio em escola pública ou como bolsistas integrais em escola privada e que sejam membros de famílias nas quais a renda por pessoa é igual ou menor que um salário mínimo. Por último, há o Decreto 6.135/2007, que permite o pedido de isenção ao candidato que, inscrito no CadÚnico, seja membro de família que recebe de meio a três salários mínimos por pessoa.

    Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800 61 61 61.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep


  •  
    O Ministério da Educação vai estrear dois recursos de segurança no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. Um deles é a prova personalizada com nome e número de inscrição do participante. O outro recurso são detectores de ponto eletrônico, novidade apresentada nesta quarta-feira, 27, durante o Encontro Nacional para Alinhamento Operacional do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, em São Paulo.

    O ministro da Educação, Mendonça Filho, destacou a importância da adoção de novos procedimentos de segurança. "Nosso objetivo é combater os pontos eletrônicos que, infelizmente, ainda são usados em exames de grande expressão como o Enem", afirmou. O ministro reforçou, ainda, os ganhos com as mudanças adotadas no Enem após consulta pública. "Se fizermos um paralelo, dificilmente encontraremos algo da magnitude e do significado do Enem. Estamos pensando no conforto dos participantes e isso representa um ganho extraordinário", afirmou.

    O encontro também marcou o início da expedição das provas do Enem. O Ministério da Educação, o Ministério da Defesa e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) assinaram a ordem de serviço. No total, 13,5 milhões de provas serão distribuídas para todos os estados brasileiros, além do Distrito Federal. O transporte será feito pela ECT, com escolta das Polícias Militar e Rodoviária Federal. Após a autorização, o primeiro carregamento de provas saiu em direção aos pontos de armazenagem no interior do país.

    A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, apresentou as características dos atendimentos específicos e especializados, e dos recursos de acessibilidade oferecidos. Além das mudanças da aplicação da prova em dois domingos consecutivos e da prova personalizada, uma das principais novidades do Enem 2017 é a Videoprova Traduzida em Libras, para participantes surdos ou com deficiência auditiva. "As equipes técnicas do Inep se empenharam em articular novas maneiras de trabalhar, necessárias com as inovações do Enem 2017, sem que fosse necessária qualquer verba extra", ressaltou Maria Inês.

    O ministro Mendonça Filho destacou que o objetivo é combater os pontos eletrônicos, “que ainda são usados em exames de grande expressão como o Enem" (Foto: Rafael Carvalho/MEC)

    A solenidade também contou com a participação do representante do Ministério da Defesa, Capitão de Mar e Guerra Hiran Pantaleão de Mello Alves; o comandante da Segunda Divisão do Exército, general Eduardo Diniz; o representante do diretor geral do Departamento de Polícia Federal, Franco Perazzoni; o vice-presidente da Empresa de Correios e Telégrafos, José Furian Filho; o vice-presidente de Operações da ECT, Miguel Martinho dos Santos Junior; o representante da gráfica RR Donnelley, Amilton Garrau; o líder do Consórcio Aplicador, Álvaro Henrique Monteiro de Freitas; o representante da Fundação Getúlio Vargas, Sidney Gonzales; e o Comandante do 4º Batalhão de Infantaria Leve do Exército, Julio Cesar Toledo de Sousa. Coordenadores estaduais do Enem 2017, da aplicação e da segurança também participaram da reunião de alinhamento.

    Ponto eletrônico – O novo recurso de segurança do Enem é um receptor avançado de detecção de campo próximo, capaz de detectar a emissão de sinais em radiofrequência de WiFi, Bluetooth, celulares e transmissões ilegais. O aparelho Andre, da marca Rei, fornecido pelo grupo Berkana, detecta transmissões de radiofrequência, independentemente de serem desconhecidas, ilegais, disruptivas ou de interferência.

    O recurso será usado para localizar e identificar, com precisão e sem a necessidade de busca pessoal, participante que tentarem usar pontos eletrônicos ou aparelhos de transmissão e que, eventualmente, possam ter burlado a inspeção por meio dos detectores de metal. A adoção dessa nova tecnologia reforça a estratégia de segurança do Enem, que já utiliza detectores de metais para a fiscalização e identificação de aparelhos eletrônicos. Os detectores são usados desde 2014 de forma amostral e estão presentes em todas as 13.620 coordenações de aplicação do Enem 2017.

    O uso dos detectores de metal, e agora dos detectores de pontos eletrônicos, fazem parte de uma estratégia de prevenção e repressão a fraudes adotada pelo Inep sob orientação da Polícia Federal (PF). Segundo o delegado Franco Perazzoni, a Polícia Federal está investindo mais em uma inteligência de repressão às fraudes praticadas em certames. "Existem, hoje, pontos eletrônicos quase imperceptíveis. À medida que o crime organizado aumenta, vamos também inserir novas soluções de segurança. Estamos planejando essa aplicação há mais de um ano e tudo que a Polícia Federal tem proposto vem sendo acatado pelo MEC e Inep", garantiu.

    Segurança – O estudo e viabilização de novos e mais eficientes recursos a cada edição de seus exames faz parte da Política de Segurança do Inep. Ao longo da história do Enem, já foram adotadas medidas de sucesso como o rastreamento dos malotes de provas por sistema de GPS, permitindo identificar no caso de violação de malotes, o local em que tal situação ocorreu; a utilização de aparelhos de detecção de ondas de rádio e GSM nos locais de prova, a fim de localizar e identificar com precisão e sem a necessidade de busca pessoal aqueles candidatos que estejam a utilizar pontos eletrônicos ou aparelhos de transmissão via rádio e que eventualmente possam ter burlado a inspeção por meio dos detectores de metal.

    Veja como será o Enem 2017

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • O Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para instituições federais que adotaram a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como fase única do processo seletivo, evita que o estudante tenha surpresas ao tentar o acesso à educação superior. De acordo com a secretária de educação superior do Ministério da Educação, Maria Paula Dallari Bucci, todo o processo de inscrição dos estudantes no sistema, que estará aberto a partir de sexta-feira, 29, será transparente e de fácil entendimento.

    “No período em que o sistema estiver aberto, o aluno vai ter a informação, dia-a-dia, de que está dentro ou fora das vagas oferecidas pela instituição de educação superior que ele escolheu”, disse a secretária. A primeira etapa de inscrições vai até 3 de fevereiro. São 47,9 mil vagas em cursos superiores, entre bacharelados, licenciaturas e cursos superiores de tecnologia, em 23 universidades federais e 26 institutos federais de educação, ciência e tecnologia. A Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e a Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence) também selecionarão candidatos pelo Sisu.

    O processo seletivo terá três etapas. Em cada uma, o estudante poderá fazer uma opção de curso e instituição. Enquanto o período de inscrições estiver aberto, o sistema informará ao candidato a nota de corte (mínima) entre os que fizeram determinada opção. A nota de corte será atualizada ao fim de cada dia. Com isso, o candidato poderá alterar a opção de inscrição caso não tenha nota suficiente para obter a vaga no curso desejado inicialmente. As notas de corte serão informadas pelo sistema a partir do segundo dia de inscrições de cada etapa.

    As vagas não ocupadas na primeira etapa serão oferecidas na segunda. Os processos são independentes — estudantes que não tentaram a vaga na primeira etapa podem participar da segunda. Após a nova seleção e a realização das matrículas nas instituições, o sistema abrirá uma terceira e última etapa de seleção, com a oferta das vagas ainda não ocupadas.

    Ao fim de cada etapa, o sistema classificará automaticamente os candidatos de acordo com a nota do Enem e com as vagas oferecidas pelas instituições. Os alunos classificados terão prazo para formalizar a matrícula na instituição.

    Segurança — Maria Paula ressalta que a segurança do sistema está reforçada, já que as inscrições só podem ser feitas pela internet. Segundo a secretária, o sistema está preparado para suportar o acesso dos 2,6 milhões de alunos inscritos no Enem. “Dá para aguentar até 200 mil acessos simultâneos.”

    A partir desta quarta-feira, 27, está disponível um hotsite para que estudantes e a sociedade possam conhecer o sistema e entender o funcionamento. Os estudantes já podem verificar a oferta de vagas nas instituições de ensino nas quais pretendem obter vaga.

    Assessoria de Comunicação Social

    Assista aqui ao video sobre o Sisu

    Leia mais...
    Seleção unificada para instituições federais abre inscrições na sexta

  • Para checar o desempenho, os inscritos no exame devem se cadastrar na plataforma gov.br


    As notas dos ‘treineiros’ do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 estão disponíveis a partir desta terça-feira, 17 de março. Na modalidade, jovens que ainda não se formaram no ensino médio realizam o exame para testar habilidades e se preparar para a prova em oportunidade futura.

    Na plataforma, o inscrito ‘treineiro’, assim como todos os participantes do exame, vai ter acesso ao espelho individual da redação, que traz a pontuação alcançada pelo participante em cada uma das competências avaliadas pelos corretores.

    Ao todo, são cinco competências: domínio da escrita formal da língua portuguesa; compreensão e atenção ao tema proposto; seleção, organização e interpretação de fatos, opiniões e argumentos em defesa de ponto de vista; conhecimento dos mecanismos linguísticos para a construção da argumentação; e respeito aos direitos humanos.

    Acesso.gov.br – Para acessar o desempenho na prova e os detalhes da correção da redação, os inscritos devem se cadastrar no portal gov.br, a nova plataforma do governo federal.

    A plataforma eletrônica unifica, de forma gradativa, todos os serviços digitais dos órgãos federais, com foco nas necessidades do usuário de serviços públicos. Para se cadastrar no endereço acesso.gov.br, confira abaixo o passo a passo:

    • na tela, aparecerá o aviso: PARTICIPANTE – ENTRAR COM GOV.BR;
    • o botão direciona o participante para o gov.br;
    • clique em Crie sua conta;
    • informe CPF, nome completo, celular e e-mail válido;
    • marque Não sou um robô e, depois de aceitar os termos de uso e política de privacidade, clique em continuar;
    • o participante receberá a mensagem no seu e-mail com o link para validação;
    • o participante poderá optar pela validação via SMS. Clique no link da mensagem para ativar o formulário de cadastro. Na opção de validação por SMS, será solicitado o código enviado para o celular;
    • digite o seu CPF e defina uma senha forte (utilize letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos), salve no seu navegador, se preferir, ou mantenha em local seguro;
    • você vai precisar da senha em todas as vezes que entrar no sistema do Enem e em todos os serviços do Governo Federal;

    Cadastro realizado, vá a Página do Participante

    • volte à Página do Participante e vá no aviso PARTICIPANTE – ENTRAR COM GOV.BR. Pronto! Agora, é só entrar com o usuário (CPF) e senha e conferir as notas.

    Está disponível o espelho da redação (pode ser baixado no seu dispositivo). O participante também tem acesso à vista pedagógica, que descreve os motivos da pontuação atribuída pelos corretores para cada uma das cinco competências.

    Enem – Realizado pelo instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar ao final da educação básica. Os participantes fazem provas de linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias, que, ao todo, somam 180 questões, além da redação.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) farão redação sobre Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil. O texto deve ser dissertativo-argumentativo de, no máximo, 30 linhas, desenvolvido a partir de uma situação-problema e de subsídios oferecidos sob a forma de textos motivadores.

    Um texto dissertativo-argumentativo precisa ser opinativo e organizado para a defesa de um ponto de vista sobre determinado assunto. A opinião do autor deve estar fundamentada com explicações e argumentos.
    O texto é dissertativo porque disserta sobre um assunto, descreve-o e explica-o. É também argumentativo porque defende uma opinião e tenta convencer e cativar o leitor com argumentos.

     

    Motivos para tirar zero na redação

    • Não atender a proposta solicitada ou desenvolver outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo.
    • Entregar a folha de redação sem texto escrito.
    • Escrever até sete linhas, qualquer que seja o conteúdo.
    • Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação.
    • Desrespeito aos direitos humanos.
    • Parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto.

    As linhas com cópia dos textos motivadores apresentados no caderno de questões serão desconsideradas para efeito de correção e de contagem do mínimo de linhas.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) farão redação sobre "Caminhos para combater o racismo no Brasil". O texto deve ser dissertativo-argumentativo de, no máximo, 30 linhas, desenvolvido a partir de uma situação-problema e de subsídios oferecidos sob a forma de textos motivadores.

    Para subsidiar a produção textual dos participantes, a proposta de redação traz quatro textos motivadores: um que trata da condição do homem negro, o segundo é um artigo de lei que tipifica o preconceito de raça ou de cor como crime; o terceiro é uma peça publicitária que distingue o racismo de injúria racial; e o quarto traz uma definição acerca do que são ações afirmativas.

    Um texto dissertativo-argumentativo precisa ser opinativo e organizado para a defesa de um ponto de vista sobre determinado assunto. A opinião do autor deve estar fundamentada com explicações e argumentos. O texto é dissertativo porque disserta sobre um assunto, descreve-o e explica-o. É também argumentativo porque defende uma opinião e tenta convencer e cativar o leitor com argumentos.

    Motivos para tirar zero na redação:

    • Não atender a proposta solicitada ou desenvolver outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo;
    • Entregar a folha de redação sem texto escrito;
    • Escrever até sete linhas, qualquer que seja o conteúdo;
    • Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação;
    • Desrespeito aos direitos humanos;
    • Parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto.

    As linhas com cópia dos textos motivadores apresentados no caderno de questões serão desconsideradas para efeito de correção e de contagem do mínimo de linhas.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Abraham Weintraub foi convidado a falar sobre o Exame Nacional do Ensino Médio e as ações da pasta

    O ministro da Educação, Abraham Weintraub, participou nesta terça-feira, 11 de fevereiro, de audiência no Senado Federal (Foto: Luís Fortes/MEC)

    Guilherme Pera, do Portal MEC

    Em audiência na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, do Senado, nesta terça-feira, 11 de fevereiro, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, destacou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 apresentou inconsistências que afetaram 0,15% dos participantes. Todas as provas foram corrigidas, e ninguém saiu lesado, segundo o titular da pasta.

    “Não houve fraude, não houve furto de prova, não houve vazamento de questão”, observou o ministro, que mencionou ainda a economia de gastos com o exame, de R$ 52 milhões em relação a 2018.

    Foi a nona vez, desde que assumiu o ministério, em abril de 2019, que Abraham Weintraub vai ao Congresso para prestar contas sobre a pasta.

    O Enem 2019 contou com índice de participação de 77,2% — o maior desde 2009, ano em que o exame começou a ser realizado em dois dias. Cerca de 4 milhões de estudantes realizaram as provas em dois dias de aplicação.

    Um total de 5.100 provas tiveram inconsistências nas correções. Os casos se concentraram em quatro municípios: Viçosa, Ituiutaba e Iturama, em Minas Gerais; e Alagoinhas, na Bahia. A discrepância entre o número de acertos e a nota divulgada inicialmente é consequência de uma associação equivocada entre a cor do Caderno de Questões e o gabarito correspondente. Não houve alteração nas notas da redação. Tudo foi sanado antes da abertura do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

    De forma inédita, o MEC utilizou o sistema em nuvem, sem ser por placas, para aumentar a capacidade de atendimento ao programa. A decisão se deu para suportar mais usuários ao mesmo tempo, e adaptar o portal para aparelhos mobile e economizar recursos.

    Foi registrado um pico de 7 mil inscrições por minuto no primeiro dia de inscrições, número recorde. Quanto ao dinheiro, a redução de gastos com a nova tecnologia é estimada em R$ 15 milhões já em 2020 e R$ 25 milhões nos primeiros cinco anos.

    “Ficou muito mais interativo para o celular e aumentou sobremaneira a demanda no sistema”, disse o ministro.  “Atendemos toda a demanda existente, das 4 milhões de pessoas, nos quatro primeiros dias”, emendou.

    O Enem é o segundo maior exame de acesso à educação superior do mundo. O Sisu é o sistema pelo qual as instituições públicas de ensino superior usam para selecionar estudantes por meio das notas do Enem.

    Ao final, o ministro fez um balanço de sua gestão — como registrado em café da manhã com jornalistas em janeiro deste ano.

    Fundeb – O ministro ressaltou que o governo enviará, em breve, ao Congresso Nacional, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

    O atual Fundeb tem vigência até o fim do ano e corresponde a mais de 60% dos recursos para financiamento da educação básica pública no Brasil. A maior parte do Fundeb é custeada por estados e municípios. O governo federal entra com uma complementação. "Tenho todo interesse em aumentar o Fundeb, sem aumentar imposto, sem ser pró-cíclico", disse Weintraub.  

    O modelo a ser apresentado pelo governo leva em consideração a responsabilidade fiscal com as contas públicas ao mesmo tempo que garante um piso, tecnicamente recomendável, para garantir um ensino de qualidade.

    11/02/2020 - Audiência Pública – Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal.  Fotos: Luis Fortes/MEC

  • O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação entrou no ar no início da madrugada desta segunda-feira. Até 8 horas desta segunda-feira, mais de 137 mil candidatos se inscreveram. Entre 00:01 e 1 hora, na primeira hora de funcionamento, o sistema registrou mais de 80 mil candidatos inscritos. Na primeira edição deste ano, a oferta de vagas chega a 129.319, em 3.752 cursos. Ao todo, 101 instituições públicas de educação superior selecionarão estudantes por meio do Sisu. Antes da abertura do sistema, vinte mil pessoas já estavam logadas. Com a abertura das inscrições, esse número saltou para 50 mil.

    Concorrem às vagas os estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2012 e obtiveram nota na redação que não tenha sido zero. O candidato pode fazer até duas opções de curso. No momento da inscrição, terá de especificar, pela ordem de preferência, o curso ao qual pretende concorrer e de que forma — por meio de cotas decorrentes da Lei nº 12.711, de 29 de agosto último, de outras políticas afirmativas adotadas pelas instituições participantes do sistema ou pela ampla concorrência.  Ao longo do período de inscrições, o estudante pode alterar ou cancelar as opções feitas.

     

    A primeira chamada de selecionados está prevista para o dia 14. Os convocados devem providenciar a matrícula nos dias 18, 21e 22. A segunda chamada será divulgada no dia 28 deste mês, com matrícula em , 4e 5 de fevereiro.

     

    Os estudantes que não forem selecionados nas duas primeiras convocações podem aderir à lista de espera. As instituições de ensino participantes do Sisu usam essa lista para convocar candidatos a vagas remanescentes. O prazo de adesão vai de 28deste mês a 8 de fevereiro. Caso ainda haja vaga no curso de primeira opção, o candidato será convocado pela instituição que tenha a vaga disponível.

     

    As regras e o cronograma da primeira edição de 2013 do Sisu constam do Edital da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do MEC nº 20/2012, publicado no Diário Oficial da União de 26 de dezembro último, seção 3, páginas 24 e 25.

     

    Assessoria de Comunicação Social

     

    Confira a oferta de vagas na página do Sisu na internet


    Confira a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012

Fim do conteúdo da página