Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Diretrizes curriculares de jornalismo

    Foi instalada nesta quinta-feira, 19, a comissão de especialistas que vai subsidiar o Ministério da Educação na revisão das diretrizes curriculares do curso de jornalismo. No primeiro encontro, foi definido o cronograma dos trabalhos que contará com consulta disponível na internet e a realização de três audiências públicas para contribuições dos diversos segmentos da sociedade civil, das universidades e de representantes do mercado de trabalho.

     

    Até a próxima semana estará disponível no portal do MEC uma página eletrônica para o envio de contribuições sobre aspectos levantados pela comissão. O prazo para o envio de sugestões vai até o dia 30 de março.

     

    As audiências públicas devem ocorrer nos estados do Rio de Janeiro, Pernambuco e São Paulo, nos dias 20 de março, 24 de abril e 18 de maio, respectivamente. A intenção, de acordo com o presidente da comissão, professor José Marques de Melo, é garantir que, além dos membros da comissão, demais setores da sociedade também possam opinar sobre o perfil e as competências desejáveis do profissional de jornalismo.

     

    “Cada audiência será focada em um público específico. Para a primeira, serão convidados professores e intelectuais da área; na segunda, representantes das associações, entidades de classe e jornalistas profissionais que estejam no mercado de trabalho; e para a terceira, segmentos da sociedade civil, movimentos sociais e organizações não-governamentais”, afirma o professor.

     

    Durante a abertura dos trabalhos, a secretária de educação superior, Maria Paula Dallari Bucci, destacou a importância e o pioneirismo da comissão de especialistas. “Com o jornalismo estamos iniciando um trabalho de revisão das diretrizes curriculares dos cursos de graduação do país, uma vez que muitas estão desatualizadas e não correspondem mais à realidade de diversas profissões.” As diretrizes curriculares orientam as instituições de ensino superior no processo de formulação do projeto pedagógico de um curso de graduação e, no caso do jornalismo, foram estabelecidas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) em 2001.

     

    José Marques de Melo defendeu ainda a proposta de revisão das diretrizes como uma oportunidade para o reconhecimento das particularidades e da relevância social da profissão. “Apesar de ser fundamental para o exercício da democracia, o jornalismo enfrenta hoje um dilema de ser um curso sem personalidade própria, e por isso é importante que se forme um jornalista para a sociedade e não para as empresas e corporações.”

     

    Comissão – O professor José Marques de Melo, presidente da comissão, é graduado em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco e em ciências jurídicas e sociais pela Universidade Federal de Pernambuco. Possui doutorado e livre-docência em ciências da comunicação - jornalismo pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é professor titular da Universidade Metodista de São Paulo, onde é diretor da cátedra Unesco de comunicação. Publicou vários livros, coletâneas, assim como periódicos científicos do país e do exterior.

     

    Além do professor José Marques, integram a comissão: Alfredo Eurico Vizeu Pereira Junior (Universidade Federal de Pernambuco), Eduardo Barreto Vianna Meditsch (Universidade Federal de Santa Catarina), Lucia Maria Araújo (Canal Futura), Luiz Gonzaga Motta (Universidade de Brasília), Manuel Carlos da Conceição Chaparro (Universidade de São Paulo), Sergio Augusto Soares Mattos (Universidade Federal do Recôncavo Baiano), Sonia Virgínia Moreira (Universidade do Estado do Rio de Janeiro).

     

    Assessoria de Imprensa da Sesu

Fim do conteúdo da página