Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
×

Atenção

Error loading component: com_users, Component not found.
  • Aluno do instituto federal do RS conclui estágio na França

    17/3/2009 - O aluno Marcel Faria Mugica, 24 anos, do curso de tecnologia em automação industrial do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, campus Pelotas, é destaque na França. Ele mostrou aos franceses toda a qualidade do ensino profissionalizante oferecido pela instituição em apenas um ano entre estudos e estágio na Universidade Tecnológica de Compiègne (UTC).

    De volta ao Rio Grande do Sul, o estudante prepara a defesa de sua monografia e aguarda uma oportunidade no concorrido mercado de trabalho brasileiro. Se depender do próprio currículo, a vaga está bem próxima. Na UTC, cujo ensino é direcionado a diferentes áreas da engenharia, Mugica mesclou os conhecimentos adquiridos no instituto federal com a metodologia adotada pela instituição francesa.

    O aluno conta que ficou um pouco surpreso com o sistema de avaliação de Compiègne (lá se avalia a turma e não individualmente), que é totalmente diferente do meio utilizado no Brasil. Apesar do baque inicial, o rapaz sobrou em talento e não poupou os franceses de comparações.

    “O curso de automação industrial do instituto é mais dinâmico e as disciplinas mais condensadas, enquanto que na UTC o foco predominante é na teoria e com mais espaço de tempo entre uma disciplina e outra. O aluno assiste à aula e vai para casa para estudar o conteúdo visto naquele dia”, diz Mugica. O estudante estagiou em uma empresa do ramo da siderurgia na cidade de Marseille, localizada a 800 quilômetros ao sul de Paris, e trabalhou diretamente com indicadores de manutenção mecânica. Durante sua estada na Europa, conheceu diversos países, alguns em detalhes, como Espanha, Portugal e Suíça.

    A experiência vivenciada por Mugica foi proporcionada por um acordo firmado entre o instituto federal sul-rio-grandense e a UTC em 2005. De lá para cá, sete alunos já foram beneficiados pela parceria, inclusive com seus estágios reconhecidos pelo próprio instituto federal, responsável pela certificação.

    “Além da França, temos acordos com os Estados Unidos, o Uruguai e o México. Os critérios básicos para a seleção de alunos são a fluência em língua estrangeira e o bom desempenho acadêmico”, informa a assessora de relações internacionais e institucionais do instituto federal do Rio Grande do Sul, Lia Pachalski.

    A assessora adianta que a meta agora é mobilizar coordenadores de cursos superiores para a indicação de alunos. Ela diz que, apesar de ainda não ter bolsas para financiar o intercâmbio, o instituto federal tem ofertado gratuitamente o ensino de língua estrangeira aos estudantes e oferecido apoio por meio da assessoria. Lia ressalta que é importante que o aluno saiba que precisa se organizar com antecedência para estudar no exterior, pois sempre há custos.

    “Estamos trabalhando para buscar aporte financeiro a fim de auxiliar o aluno com as despesas de um intercâmbio. Com verba destinada para mobilidade discente, faremos chamadas ou editais específicos para os programas”, comenta Lia, lembrando que convênios formais assinados entre as instituições facilitam a obtenção da dupla diplomação e a inserção do aluno em estágios.

    Para o reitor Antônio Carlos Barum Brod, o trabalho intermediado pela Assessoria de Relações Internacionais e Institucionais tem ratificado a importância do instituto federal em escala internacional, servindo de referência e aproximação entre países.

    Assessoria de Comunicação Social do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
  • Alunos desenvolvem projeto que gera economia no campus

    Um projeto desenvolvido por quatro alunos do curso técnico de mecatrônica proporcionou economia 97% ao campus de Charqueadas (RS) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense. Com os ensinamentos obtidos em sala de aula, eles tiraram do papel um projeto de três bancadas de trabalho.


    A instituição fez vários orçamentos para a compra das bancadas em empresas metalúrgicas da região. Como o valor de cada uma atingiu, em média, R$ 700, a ideia foi reaproveitar material oriundo das obras no campus. “O material seria jogado no lixo. Então, compramos apenas o eletrodo e os discos de corte para executar o serviço”, explica o coordenador da área física do ensino e orientador do projeto, Marcos Prietto, técnico em eletromecânica.


    O projeto dos alunos Viviane Moura, Gabriel Ribeiro, Gabriel Verdum e Juliano Ienczak evitou uma despesa de quase R$ 2,1 mil. As três bancadas saíram por inacreditáveis R$ 50 e serão utilizadas na disciplina de solda do curso de mecatrônica. “Além de ter feito bem aos cofres públicos, o projeto possibilitou aos alunos aprimorar os conhecimentos”, destaca o diretor-geral do campus de Charqueadas, José Luiz Lopes Itturriet.


    Matemática — Estudantes, professores e servidores do campus de Urutaí do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano participaram, na segunda-feira, 6, à noite, da aula inaugural do curso de licenciatura em matemática. Com o tema Reflexões sobre as Atuais Diretrizes Educacionais para as Licenciaturas em Matemática, o professor Rogério Ferreira, da Universidade Federal de Goiás, destacou a importância da formação do professor no contexto da interdisciplinaridade. Segundo ele, é possível estabelecer um diálogo entre a matemática e outras formas de conhecimento.


    A graduação em matemática é a primeira licenciatura oferecida pelo campus de Urutaí. O vestibular para ingresso no curso ocorreu no fim do ano passado e ofereceu 30 vagas no período noturno. As aulas foram iniciadas em fevereiro. O próximo vestibular ocorrerá no fim do ano.

    Assessoria de Imprensa da Setec

  • Campus da Universidade Federal de Juiz de Fora recebe novas instalações

    O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o ministro da Educação, Fernando Haddad, inauguram nesta sexta-feira, 17, em Minas Gerais, as recém-concluídas instalações do campus sede da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A solenidade está prevista para as 15h.

    As obras por que passou a UFJF compreenderam a reforma do restaurante universitário e a construção do Instituto de Ciências Exatas, com salas de aulas e laboratórios, e de um centro de convivência, com fonte e concha acústica.

    Desde 2006, foram ofertadas 11.436 vagas no campus. O investimento realizado na instituição pelo Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) chega a R$ 24,4 milhões.

    Com uma população de aproximadamente meio milhão de habitantes, Juiz de Fora é o município mais extenso da zona da mata mineira. A economia local baseia-se nos setores industriais e de serviços — a cidade está situada em meio a um parque industrial e recebe investimentos de grandes núcleos empresariais.

    Assessoria de Comunicação Social
  • Material reciclado vira decoração em Cubatão

    O campus Cubatão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo participa de um movimento na cidade em prol de geração de renda e consciência ambiental. O projeto O lixo pode virar luxo prevê a elaboração da ornamentação natalina a partir de materiais recicláveis.


    A idéia do projeto surgiu na reunião da Comissão Municipal de Emprego, da qual o campus participa como membro. O plano já definiu que a decoração de locais públicos como praças, avenidas e escolas no Natal deste ano será totalmente feita a partir de materiais recicláveis. O sucesso do projeto está no envolvimento da comunidade, seja na coleta de produtos ou na capacitação para a produção de enfeites.


    Alcir de Oliveira, coordenador de extensão do campus Cubatão, explicou que o projeto vai beneficiar moradoras carentes de favelas e catadores de lixo reciclável. As moradoras serão cadastradas e qualificadas por artesãos da fábrica da comunidade – vinculada à Secretaria de Assistência Social – para aprender a confeccionar os enfeites. A matéria-prima será coletada pelas associações de catadores de materiais recicláveis que receberão uma determinada quantia pelo trabalho prestado.

    Ana Júlia de Souza

  • MEC assina ordem de serviço para criação de novo campus do IFSP no estado de São Paulo

    O Instituto Federal de São Paulo (IFSP) irá ganhar o seu 37º campus, localizado na cidade de São José do Rio Preto (SP). O ministro da Educação, Rossieli Soares, assinou nesta sexta-feira, 23, na cidade paulista, ordem de serviço para a execução da obra de reforma e ampliação do prédio que abrigará o novo polo do IFSP. A obra e a compra de mobiliários e equipamentos estão orçados em aproximadamente R$ 7 milhões. O novo prédio deverá ser entregue em julho do próximo ano.

    O novo campus do IFSP será implantado no prédio do antigo Cefam, que foi doado pela prefeitura da cidade. Rossieli destacou que é estratégico que a cidade tenha um campus do IFSP, e que, no futuro, esse campus poderá se tornar a sede de um outro Instituto Federal que deverá ser criado no estado de São Paulo. “Nós estamos trabalhando e pretendemos apresentar, ainda nesse ano, a criação de mais dois novos institutos federais no estado de São Paulo: um na capital e outro na região de Rio Preto”, comentou o ministro.

    O ministro da Educação ainda destacou que o Brasil precisa dar mais atenção à educação técnica e valorizar mais esse tipo de capacitação. “Educação técnica no país precisa ser olhada de uma maneira diferente. Educação técnica não é menos, é mais. Todo o país que a gente admira tem 54% dos alunos fazendo educação técnica, no Brasil são apenas 8%”, ressaltou Rossieli.

    O ministro da Educação, Rossieli Soares, assinou nesta sexta-feira, 23, em São José do Rio Preto, ordem de serviço para a execução da obra de reforma e ampliação do prédio que abrigará o novo polo do IFSP (Foto: André Nery/MEC)

    De acordo com o reitor do IFSP, Eduardo Modena, o campus irá oferecer, inicialmente, o ensino médio e depois cursos de ensino superior. Serão disponibilizados cursos para tecnólogos, engenharias e licenciaturas. “Que isso seja um grande êxito de toda a população, filhos, sobrinhos e netos. Que eles tenham mais uma enorme oportunidade para terem um ensino de qualidade para garantir uma vida melhor, o desenvolvimento da região e a riqueza desse país”, comemorou Modena.

    O prédio cedido ao instituto tem 4,2 mil metros quadrados e será totalmente reformado. Além das obras, o campus também irá receber equipamentos como projetores, ventiladores de teto e de parede, cadeiras estofadas, computadores e monitores, carteiras e cadeiras escolares, entre outros.

    Assessoria de Comunicação Social

  • MEC inaugura equipamentos do IFPB e Hospital Universitário com recursos de R$ 11,6 milhões

    João Pessoa (PB), 29/06/2018 – O ministro da Educação, Rossieli Soares, cumpriu agenda nesta sexta-feira, 29, na Paraíba, e entregou equipamentos que receberam recursos da ordem de R$ 11,6 milhões. Em Itabaiana, o ministro inaugurou a sede definitiva do Campus Itabaiana do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), cujo investimento foi de R$ 11,3 milhões. Em João Pessoa, capital do estado, foram entregues a Clínica de Doenças Infecciosas e Parasitárias (DIP), onde foram investidos R$ 353 mil na obra de reforma, e o prédio reformado do Serviço de Fissuras Labiopalatinas (FLP), que recebeu investimento de uma organização internacional. Ambos os espaços fazem parte do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

    Rossieli Soares destacou a importância do HULW para o estado e disse que as obras contribuirão para uma melhor assistência médica à população. “Fiz questão de estar aqui, hoje, para registrar a importância daquilo que este hospital universitário realiza, não só para a Paraíba, mas para o Nordeste e para as pessoas. Eu sei que temos a missão de ensino, pesquisa e extensão, mas temos aqui um compromisso muito grande com a vida, os sonhos das pessoas, e este hospital é um grande exemplo”, afirmou.

    O projeto da Clínica de Doenças Infecciosas e Parasitárias do HULW vai ampliar a assistência à população feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo referência na Paraíba. A unidade é dedicada ao atendimento de urgência de pacientes diagnosticados com meningite, dengue hemorrágica e difteria, entre outras doenças, incluindo a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids). Além disso, representa uma expansão no campo de prática dos alunos de graduação e pós-graduação.

    A médica Margareth Diniz, reitora da UFPB, ressaltou os avanços do MEC à frente dos hospitais universitários brasileiros, bem como da atual gestão da Ebserh, e reafirmou o compromisso de todos com a saúde pública do estado. “As novas instalações desses serviços no HULW renovam nosso comprometimento de manter esta unidade médica como referência na Paraíba, cuja equipe de servidores faz toda a diferença. A UFPB vai continuar comprometida com um ensino superior de qualidade e agora vamos lutar para finalizar obras que ainda precisam ser concluídas”, pontuou.

    Já o Serviço de Fissuras Labiopalatinas atende pacientes de todo o estado e outros vizinhos, tendo em seu cadastro 2.269 pessoas. O local é composto por uma equipe multidisciplinar formada por cirurgiões, fonoaudiólogos e ortodontistas, que atuam no tratamento da completa reabilitação biopsicossocial. O espaço foi reformado com recursos da organização internacional Shriners em parceria com o Ministério da Educação.

    O presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), órgão vinculado ao MEC que gerencia os hospitais universitários, Kleber Morais, reiterou que o HULW é referência nacional no tratamento de crianças com fissuras labiopalatinas. “Toda vez que venho a este hospital eu fico mais sensibilizado com o trabalho que é um diferencial nacional. Me sensibiliza saber que nós tenhamos um hospital na nossa rede, dos nossos 40, uma referência nacional”, disse.

    O ministro ressaltou a importância do hospital universitário não só para os moradores da Paraíba, mas de todo o Nordeste (Foto: André Nery/MEC)Flávia Pimenta, superintendente do HULW, relembrou que as atividades do Serviço de Fissuras Labiopalatinas começaram há mais de 20 anos e que, neste período, o local permaneceu com o compromisso de prestar uma assistência médica de qualidade. “Este hospital se preocupa não apenas com a assistência prestada, mas também com a difusão do conhecimento, por isso se tornou uma referência ambulatorial em todo o estado. Nosso desafio é manter este padrão e buscar novas conquistas”, completou.

    Itabaiana - Ainda na Paraíba, Rossieli Soares participou da inauguração da sede definitiva do Campus Itabaiana do Instituto Federal da Paraíba (IFPB). O campus, localizado na cidade homônima, faz parte da terceira fase de expansão da rede federal de educação profissional e científica e tecnológica. A nova sede vai atender a cerca de 1.200 estudantes presencias nos três turnos de ensino.

    “Hoje, a Paraíba é uma referência nacional na educação profissional tecnológica por toda a organização nos institutos federais. Não dá mais para pensar no Brasil sem passar pela educação de qualidade e, independente de corrente política, e está na hora, cada vez mais, de escolher os representantes que tenham compromisso e façam da educação prioridade. Itabaiana será outra a partir da entrega deste prédio e do empenho de todos os professores que fazem a diferença na vida dos jovens”, atestou Rossieli Soares.

    O reitor do IFPB, Cícero Nicácio Lopes, agradeceu a entrega do projeto pelo MEC e lembrou que o órgão tem sido atendido nas suas demandas. “No ano passado, fomos o instituto que mais recebeu recursos em todo o país para as obras necessárias, cerca de R$ 25 milhões. Hoje, não temos uma única obra parada e todos esses projetos são essenciais para uma educação transformadora”, declarou.

    Atualmente, o IFPB possui 25.780 alunos matriculados e oferece cursos presenciais e a distância (EAD) nas modalidades integrado ao ensino médio, subsequente e pós-graduação, sendo dez em qualificação profissional de Formação Inicial Continuada (FIC), dez tecnólogos, 20 técnicos, seis licenciaturas, quatro bacharelados, seis especializações lato sensu e um mestrado. O quadro de servidores conta com 1.161 professores efetivos, 163 substitutos/temporários e 1.040 técnicos-administrativos.

    Lúcio Flávio Araújo Costa, prefeito de Itabaiana, afirmou que fará parcerias com o IFPB para ajudar a desenvolver a região. “Vamos ampliar o grau de cooperação entre a prefeitura e o IFPB, com a manutenção do prédio, onde funciona, bem como desenvolvendo projetos, ações e parcerias que têm contribuído para a melhoria da qualidade de vida da nossa população”, disse.

    Ao todo, o IFPB possui 21 unidades de ensino distribuídas na Paraíba, entre campus, campus avançado e centro de referência, assim divididas: Cabedelo, Cajazeiras, Campina Grande, Catolé do Rocha, Esperança, Guarabira, Itabaiana, Itaporanga, João Pessoa, Monteiro, Patos, Picuí, Princesa Isabel, Santa Rita e Souza (campus), Areia, Cabedelo Centro, João Pessoa Mangabeira, Pedras de Fogo e Soledade (campus avançado), e Santa Luzia (centro de referência).

    29/06/2018 - Reinauguração dos Serviços de Doenças Infecto-parasitárias e de Cirurgia Labiopalatal do Hospital Universitário Lauro Wanderley, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). (Foto: André Nery/MEC)

    Assessoria de Comunicação Social

  • MEC libera R$ 4,2 milhões para obras do campus Tefé, do Instituto Federal do Amazonas

    O ministro Rossieli Soares, durante o anúncio da liberação da verba, ressaltou a importância da obra para o município e para todo o estado (Foto: André Nery/MEC)

    Tefé (AM), 19/10/2018 –O Ministério da Educação vai liberar R$ 4,2 milhões para a conclusão das obras do campus Tefé, do Instituto Federal do Amazonas (Ifam). O anúncio foi feito pelo ministro Rossieli Soares, na manhã desta sexta-feira, 19, em Tefé, durante visita ao local para vistoria da construção.

    “Nós encontramos aqui uma obra que estava parada, mas estamos concluindo a licitação esse mês e faremos a transferência de mais R$ 4,2 milhões que garantem a conclusão dos trabalhos”, explicou o ministro. “Acredito que o campus já vai funcionar no ano que vem. Já poderemos entregar para a comunidade. É uma obra grande, importante para Tefé e para o desenvolvimento do nosso Amazonas”.

    O valor total da obra licitada pelo Ifam foi de R$ 7,5 milhões. Após a execução de pouco mais de 45% da reforma, a construção foi paralisada por problemas com a empresa contratada. Com o objetivo de retomar a execução, o MEC já havia repassado, no início deste ano, R$ 1 milhão ao Ifam. O recurso liberado agora possibilita que o instituto conclua o campus.

    Atualmente, o campus Tefé funciona, de forma provisória, no prédio da Escola Municipal Professor Luzivaldo Castro dos Santos, e oferece os cursos de administração, secretariado, informática e agropecuária, nas modalidades integradas e subsequentes. Os eixos tecnológicos são gestão e negócios; informação e comunicação e recursos naturais. No primeiro semestre de 2018, a instituição teve 846 matrículas. O novo espaço, com mais de 4 mil m² construídos, terá salas administrativas, dez salas de aula e seis laboratórios. 

    Coari – Mais tarde, Rossieli Soares seguiu para o município de Coari, onde participou da inauguração do ginásio poliesportivo do campus Coari, também do Ifam. O valor total dessa obra foi de R$ 3,5 milhões. O ginásio, com área construída de 2,5 mil m², é composto pelos seguintes ambientes: quadra poliesportiva oficial; vestiários; sanitários; salas multiuso; palco de eventos; setor administrativo; arquibancadas e cobertura com estrutura metálica e telha com isolamento térmico.

    “Nós temos um grande desafio de entender o Brasil. Os institutos federais têm avançado muito para o interior e estas obras que têm sido entregues no Amazonas são espaços de emancipação, pois não são apenas para a prática de esportes, mas também de cultura e conhecimento das ciências. O potencial deve ir muito mais longe e o Ifam é hoje uma referência na formação dos jovens do Amazonas”, afirmou Rossieli Soares.   

    Antônio Venâncio, reitor do Ifam, disse que a nova estrutura multifuncional inaugurada vai se tornar um referencial para todo o estado do Amazonas. “Este é o único ginásio poliesportivo oficial da região do Médio Solimões e será um espaço não somente do Ifam, mas de todo o município e vai atender a comunidade em geral, razão maior da construção deste espaço. Parabenizo os servidores deste campus e os alunos, nós queremos aperfeiçoar cada vez mais para que daqui saiam atletas de sucesso”, disse.  

    Ifam – O Instituto Federal do Amazonas conta hoje com 15 campi. Dessas unidades, três funcionam em Manaus e as demais em Tefé, Coari, Lábrea, Maués, Manacapuru, Parintins, Presidente Figueiredo, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Humaitá, Eirunepé e Itacoatiara. Já no estado de Roraima, o Ifam está estabelecido em 23 municípios com três polos de Educação a Distância (EaD).

    No primeiro semestre de 2018, a instituição soma 25.768 matrículas distribuídas em 62 cursos técnicos presenciais, 68 cursos em EaD, sendo 15 tecnológicos, sete licenciaturas, cinco bacharelados, duas especializações latu sensu e três mestrados profissionais.

    Assessoria de Comunicação Social

    O Ministério da Educação vai liberar R$ 4,2 milhões para a conclusão das obras do campus Tefé, do Instituto Federal do Amazonas (Ifam). O anúncio foi feito pelo ministro Rossieli Soares, na manhã desta sexta-feira, 19, em Tefé, durante visita ao local para vistoria da construção.
    “Nós encontramos aqui uma obra que estava parada, mas estamos concluindo a licitação esse mês e faremos a transferência de mais R$ 4,2 milhões que garantem a conclusão dos trabalhos”, explicou o ministro. “Acredito que o campus já vai funcionar no ano que vem. Já poderemos entregar para a comunidade. É uma obra grande, importante para Tefé e para o desenvolvimento do nosso Amazonas”.
    O valor total da obra licitada pelo Ifam foi de R$ 7,5 milhões. Após a execução de pouco mais de 45% da reforma, a construção foi paralisada por problemas com a empresa contratada. Com o objetivo de retomar a execução, o MEC já havia repassado, no início deste ano, R$ 1 milhão ao Ifam. O recurso liberado agora possibilita que o instituto conclua o campus.
    Atualmente, o campus Tefé funciona, de forma provisória, no prédio da Escola Municipal Professor Luzivaldo Castro dos Santos, e oferece os cursos de administração, secretariado, informática e agropecuária, nas modalidades integradas e subsequentes. Os eixos tecnológicos são gestão e negócios; informação e comunicação e recursos naturais. No primeiro semestre de 2018, a instituição teve 846 matrículas. O novo espaço, com mais de 4 mil m² construídos, terá salas administrativas, dez salas de aula e seis laboratórios. 
    Coari – Mais tarde, Rossieli Soares seguiu para o município de Coari, onde participou da inauguração do ginásio poliesportivo do campus Coari, também do Ifam. O valor total dessa obra foi de R$ 3,5 milhões. O ginásio, com área construída de 2,5 mil m², é composto pelos seguintes ambientes: quadra poliesportiva oficial; vestiários; sanitários; salas multiuso; palco de eventos; setor administrativo; arquibancadas e cobertura com estrutura metálica e telha com isolamento térmico.
    “Nós temos um grande desafio de entender o Brasil. Os institutos federais têm avançado muito para o interior e estas obras que têm sido entregues no Amazonas são espaços de emancipação, pois não são apenas para a prática de esportes, mas também de cultura e conhecimento das ciências. O potencial deve ir muito mais longe e o Ifam é hoje uma referência na formação dos jovens do Amazonas”, afirmou Rossieli Soares.   
    Antônio Venâncio, reitor do Ifam, disse que a nova estrutura multifuncional inaugurada vai se tornar um referencial para todo o estado do Amazonas. “Este é o único ginásio poliesportivo oficial da região do Médio Solimões e será um espaço não somente do Ifam, mas de todo o município e vai atender a comunidade em geral, razão maior da construção deste espaço. Parabenizo os servidores deste campus e os alunos, nós queremos aperfeiçoar cada vez mais para que daqui saiam atletas de sucesso”, disse.  
    Ifam – O Instituto Federal do Amazonas conta hoje com 15 campi. Dessas unidades, três funcionam em Manaus e as demais em Tefé, Coari, Lábrea, Maués, Manacapuru, Parintins, Presidente Figueiredo, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Humaitá, Eirunepé e Itacoatiara. Já no estado de Roraima, o Ifam está estabelecido em 23 municípios com três polos de Educação a Distância (EaD).
    No primeiro semestre de 2018, a instituição soma 25.768 matrículas distribuídas em 62 cursos técnicos presenciais, 68 cursos em EaD, sendo 15 tecnológicos, sete licenciaturas, cinco bacharelados, duas especializações latu sensu e três mestrados profissionais.
  • Ministro da Educação inaugura prédio reformado do Campus Avançado Manacapuru do IFAM

     O ministro da Educação, Rossieli Soares, inaugurou e entregou o novo prédio do Campus Avançado Manacapuru do IFAM (Foto André Nery/MEC)

    Manacapuru (AM), 08/06/2018 – Alunos do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) - Campus Avançado Manacapuru, cidade da Região Metropolitana de Manaus, já podem contar com uma sede revitalizada e moderna. Nesta sexta-feira, 8, o ministro da Educação, Rossieli Soares, inaugurou e entregou o novo prédio, cuja obra de reforma e ampliação contou com recursos da ordem de R$ 1.743.953,88. Outros R$ 284.410,00 foram investidos em mobiliário e equipamentos.

    “Como ministro, e por conhecer a realidade local, faz toda a diferença saber o que o povo do Amazonas precisa e merece receber na educação. O Brasil necessita discutir, cada vez mais, o custo diferenciado para fazer educação de qualidade, pelas regiões, respeitando as necessidades de cada estado e a região amazônica. O MEC vai continuar priorizando o que está planejado – a conclusão de obras, como este campus de Manacapuru”, afirmou Rossieli Soares.

    O novo espaço do Campus Avançado Manacapuru possui 3.679 m² de área construída, distribuídos em quatro salas de aula, dois laboratórios de informática, biblioteca, quatro banheiros, cozinha e refeitório adaptados, além de quatro salas para o administrativo do campus e estacionamento. Atualmente, o espaço tem capacidade para atender 480 alunos regulares e 100 alunos não regulares.

    Ao todo, a unidade oferta cursos técnicos em administração, secretariado, recursos pesqueiros e informática, nas formas integrado e subsequente. São oferecidos ainda cursos de vendas, pelo Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (PROEJA), e de redes, pelo Mediotec. Atualmente, conta com 474 alunos matriculados em cursos distribuídos nas modalidades de ensino integrado, subsequente, Proeja e Mediotec.

    O IFAM - Campus Avançado Manacapuru também oferece cursos presenciais e de formação inicial e continuada, e formação profissional de nível médio, em atenção aos arranjos produtivos sociais e culturais locais. A instituição também atende a comunidade por meio de projetos de extensão e atividades culturais.

    Antônio Venâncio Castelo Branco, reitor do IFAM, ressaltou que a obra entregue vai beneficiar a educação profissional tecnológica no Amazonas. “Nós acreditamos no modelo de educação profissionalizante como meio de desenvolvimento da região e do país. Essa obra não vai se limitar apenas ao campo industrial, mas sim todas as potencialidades da nossa região com sustentabilidade. Cada aluno que passar por esta instituição fará a diferença na sua comunidade”, disse.

    O campus iniciou as atividades de forma provisória em 2014, como parte da expansão III da Rede Federal de Educação Tecnológica, localizado na Estrada Manoel Urbano, em Manacapuru, distante 98 km da capital amazonense. As instalações definitivas passaram a operar desde julho de 2017 e, até então, o funcionamento ocorria em três diferentes sedes provisórias. A Prefeitura Municipal doou um espaço para receber a unidade e, posteriormente, o local foi reformado e ampliado para o prédio definitivo.

    O prefeito de Manacapuru, Beto Dangelo, afirmou que o Campus Avançado do IFAM vai mudar a realidade dos estudantes da região do município e entorno. “Este espaço vai contemplar o que mais temos buscado nesta gestão, uma educação de qualidade para todos os jovens, não apenas de Manacapuru, mas de todo o estado do Amazonas, para que possam ter um futuro melhor”, completou.

    Histórico - A trajetória do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM) começou em 2008, quando foi sancionado o Decreto Lei Nº 11.892, criando 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. O início das atividades ocorreu com a Escola de Aprendizes de Artífices, instalada em 1910, em Manaus.

    Durante sua existência, o IFAM vivenciou diversas mudanças e sua atuação se divide em seis fases: Escola de Aprendizes Artífices; Liceu Industrial; Escola Técnica de Manaus; Escola Técnica Federal do Amazonas; Centro de Educação Tecnológica do Amazonas; Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas.

    Atualmente, o IFAM conta com 15 campi, sendo três em Manaus (Manaus Centro, Manaus Distrito Industrial e Manaus Zona Leste), Coari, Lábrea, Maués, Manacapuru (avançado), Parintins, Presidente Figueiredo, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Humaitá, Eirunepé, Itacoatiara e Tefé, proporcionando um ensino profissional de qualidade a todas as regiões do Amazonas. O instituto está estabelecido em 23 municípios, sendo três deles polos de Educação a Distância (EAD), em Roraima.

    O IFAM conta com cerca de 1.950 servidores e oferece cursos da educação básica ao ensino superior, de graduação e pós-graduação, lato e stricto sensu. Segundo a Plataforma Nilo Peçanha, a instituição soma 25.768 matrículas, distribuídas em 265 cursos, sendo cinco em qualificação profissional (Formação Inicial e Continuada - FIC); 203 técnicos; 15 tecnólogos; 15 licenciaturas, cinco bacharelados, 19 especializações lato sensu; e três mestrados profissionais.

    08/06/2018 - Inauguração do Instituto Federal do Amazonas, Campus Avançado Manacapuru. (Foto: André Nery/MEC)

    Assessoria de Comunicação Social

  • Ministro fala em mudança histórica durante inauguração de campus universitário em SP

    Mercadante, na nova biblioteca da Unifesp: “Uma universidade é uma obra de séculos; nós estamos falando do impacto de apenas dez anos” (foto: José Luiz Guerra/Unifesp)O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, participou nesta segunda-feira, 2, da inauguração das novas instalações do campus de Guarulhos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Na cerimônia, Mercadante falou sobre a importância do campus para o desenvolvimento local. “Uma universidade é uma obra de séculos; nós estamos falando do impacto de apenas dez anos”, disse. “O campus melhora o transporte, a alimentação, os investimentos, a qualidade de vida; isso traz o desenvolvimento, traz progresso, traz uma mudança histórica.”

    O ministro também destacou a expansão da instituição paulista nos últimos 14 anos. “Em 2002, a Unifesp tinha cinco cursos de graduação; hoje, tem 50”, afirmou. “O número de estudantes também aumentou na graduação, passando de 1.289 matrículas para 9.589 no mesmo período.”

    O novo prédio da universidade tem 38 salas de aula, 14 laboratórios de pesquisa, biblioteca, anfiteatro e restaurante, em um espaço de 22 mil metros quadrados. De acordo com a reitora, Soraya Smaili, a inauguração do prédio é uma conquista. “Nos primeiros momentos do campus, onde não existia este prédio, havia um galpão; tínhamos uma estrutura pequena, que foi se expandindo rapidamente, mas trabalhamos para dar respostas aos desafios que estavam sendo colocados”, disse. “É o resultado de muitas pessoas que lutam e defendem a universidade pública brasileira.”

    O campus de Guarulhos abriga a Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas e tem participação importante nos cursos de licenciatura.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Ministro inaugura campus da Universidade do Sul da Bahia

    As novas instalações da UFSB, que consumiram investimento de quase R$ 2 milhões, receberão 595 alunos (Foto: Mateus Pereira/GOVBA)A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) ganhou novas instalações para o campus Sosígenes Costa, em Porto Seguro. A solenidade de inauguração, realizada nesta segunda-feira, 14, contou com a presença do ministro da Educação, Aloizio Mercadante. O investimento em obras e compra de equipamentos para o novo campus soma quase R$ 2 milhões.

    Iniciadas em setembro de 2014, as atividades letivas do campus aconteciam no Centro de Cultura e Eventos do Descobrimento (CCED), cedido à universidade pelo governo estadual da Bahia. “É uma universidade com grande perspectiva de futuro. Esse centro de convenções era subutilizado, agora vai ser requalificado, vai ser um campus universitário”, comentou o ministro.

    Com a reforma, foram entregues à comunidade acadêmica 18 salas de aula com capacidade para 595 alunos, uma biblioteca com 285 m², capaz de abrigar 2 mil livros, cabines de leitura e salas de estudo, um laboratório multimídia, além de salas de atendimento psicológico, de enfermaria e assistência social.

    “É uma universidade que já tem 100% dos seus professores doutores de altíssimo nível. Está trabalhando com a população local, com os colégios universitários, está buscando fazer licenciaturas, bacharelado interdisciplinar. Portanto, formando professores para as áreas fundamentais do ensino básico”, frisou Mercadante, para quem a UFSB tem mostrado inovação em áreas como medicina.

    “Nós temos muita segurança de que essa universidade vai fazer história entre as universidades brasileiras”, afirmou o ministro.
    O complexo de 232 mil m² onde está o Campus Sosígenes Costa é dividido em pavilhão de feiras, pórtico, pavilhão de convenções, restaurante e área administrativa.

    Humanidades – Além de inaugurar o novo campus, Aloizio Mercadante aproveitou para assinar ordem de serviço para a construção do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências do Campus Jorge Amado, também da UFSB, em Itabuna. A previsão de entrega do prédio é em 2017 e são estimados R$ 17 milhões em investimento. O instituto vai atender 4.800 alunos.

    A UFSB, criada pela lei 12.818, de 5 de agosto de 2013, é composta de três campi – um em Itabuna, onde fica a sede, outro no município de Teixeira de Freitas e o de Porto Seguro. São oferecidos 12 cursos distribuídos nas três unidades. A universidade mantém, ainda, os colégios universitários da Rede Anísio Teixeira (Cuni) nos municípios de Itabuna, Ilhéus, Coaraci, Ibicaraí, Porto Seguro, Cabrália, Teixeira de Freitas e Itamaraju.

    Assessoria de Comunicação Social

    Ministro da Educação inaugura campus universitário na Bahia

     

  • Ministro inaugura nova unidade de instituto federal no Ceará

    Ao lado do governador Camilo Santana, o ministro Cid Gomes inaugura novo campus em Itapipoca (Foto: Divulgação)Itapipoca (CE) – O ministro da Educação, Cid Gomes, inaugurou nesta segunda-feira, 26, o novo campus do Instituto Federal do Ceará (IFCE), no município de Itapipoca, a 140 km de Fortaleza. A cerimônia contou com a presença do reitor do instituto, Virgílio Araripe, do governador do estado, Camilo Santana, e do prefeito da cidade, Dagmauro Moreira.

    Com a inauguração do novo campus, o IFCE chega a 26 unidades. Até 2016, serão entregues mais sete unidades no Ceará. Segundo Cid Gomes, a expansão deve continuar. “Nosso compromisso é ampliar o acesso à educação”, pontuou o ministro.

    O campus de Itapipoca possui área construída de 4.442 m², com 10 laboratórios e 20 salas de aula, bloco administrativo, auditório, biblioteca e sala de videoconferência. A unidade tem ainda um bloco voltado para os cursos da área da indústria, com mais seis laboratórios, sala de aula e oficina de manutenção, bem como um ginásio poliesportivo coberto.

    “É uma meta cumprida, mas ainda temos muito a fazer pela educação, que deve ser sempre prioridade”, destacou o reitor Virgílio Araripe. Segundo ele, a unidade já oferta os cursos de operador de computador e cuidador de idoso para 50 alunas atendidas pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Alguns cursos já têm turmas em andamento desde dezembro do ano passado.

    A oferta de cursos pelo IFCE de Itapipoca começará ainda no primeiro semestre de 2015, por meio das formações técnicas em edificações e mecânica. “Os cursos foram definidos em parceria com a comunidade, por meio de consulta”, explicou Virgílio Araripe.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do IFCE


  • Ministro inaugura novo campus do Instituto Federal do Acre, que teve investimentos de R$ 12 milhões



    Sena Madureira (AC), 11/5/2018
    – Uma nova era para o ensino técnico do estado do Acre foi aberta na última quinta-feira, 10, com a inauguração da nova sede do campus Sena Madureira, do Instituto Federal do Acre (Ifac). A obra, concluída em fevereiro deste ano, demandou investimentos de R$ 12 milhões e foi inaugurada com a presença do ministro da Educação, Rossieli Soares, que destacou o empenho do ex-ministro Mendonça Filho para a realização desse empreendimento.

    "Nos últimos dois anos, ele [o ex-ministro Mendonça Filho] se esforçou e deu todo o suporte para várias obras, inclusive esta”, lembrou Rossieli. “É um momento de compartilhar uma história que vem sendo construída. Entregamos uma obra que será transformadora da educação e do futuro da cidade de Sena Madureira. Esse campus já tem sucesso pelo material humano e melhores condições físicas vão beneficiar não apenas os estudantes do Acre, mas de outros estados".  

    O campus conta com mais de 4,5 mil m² de área construída. Possui nove salas de aula, sete laboratórios (biologia, física, informática, nutrição animal, química e zootecnia), além de auditório, piscina semiolímpica, biblioteca e quadra poliesportiva. O espaço tem capacidade para receber até 1,2 mil estudantes.

    "Fazemos parte de uma rede de ensino que transforma realidades sociais”, ressaltou a reitora do Ifac, Rosana Cavalcante dos Santos. “Cada espaço dessa obra representa o nosso compromisso de fortalecer esse projeto articulado com ações do futuro, no qual os jovens tenham acesso a uma educação técnica profissional de qualidade", completou. 

    Cursos integrados – O novo campus oferece cursos técnicos integrados em informática e agropecuária e cursos de bacharelado em zootecnia e licenciatura em física, além de Formação Inicial e Continuada (FIC) em auxiliar de cozinha e cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) para formação em sonoplasta, higienista de serviço de saúde, pintor restaurador e assistente de costura. 

    Atualmente, o campus do Ifac atende a cerca de 500 estudantes regularmente matriculados, além de outros 200 nas modalidades Pronatec e FIC.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Ministro inaugura sede definitiva do campus Itacoatiara do Instituto Federal do Amazonas

    A obra do Campus Itacoatiara do Instituto Federal do Amazonas teve investimentos de R$5,8 milhões e vai atender a 1.200 estudantes. (Foto: André Nery/MEC)

    Itacoatiara (AM) – O ministro da Educação, Rossieli Soares, cumpriu agenda oficial no estado do Amazonas e inaugurou, neste sábado, 7, a sede definitiva do Campus Itacoatiara do Instituto Federal do Amazonas (IFAM). O projeto recebeu um investimento de R$ 5,8 milhões do Ministério da Educação (MEC) e poderá atender 1.200 estudantes, divididos em três turnos de ensino.

    Rossieli Soares destacou a importância do Campus Itacoatiara para a região e afirmou que a parceria entre o ministério e o instituto continuará. “A obra está concluída e este é um prédio determinante para a conexão de toda a comunidade e o desenvolvimento da região. Há planos que estão sendo estudados para a expandir as possibilidades do instituto e no segundo semestre podemos ter novidades”, afirmou.

    Do total de recursos investidos na obra, cujo terreno para a construção foi doado pela Prefeitura Municipal de Itacoatiara, R$ 1 milhão será direcionado à aquisição de mobiliário. O IFAM está em Itacoatiara desde 2014, funcionando em diferentes locais provisórios, mas iniciou as atividades na sede definitiva em maio de 2018. Oferece cursos técnicos nas modalidades integrado e subsequente, além de ensino a distância (EaD) e conta, atualmente, com 739 estudantes matriculados e 50 servidores, entre professores e técnicos-administrativos.

    Reitor do IFAM, Antônio Venâncio Castelo Branco, ressaltou que Itacoatiara tem se consagrado como uma cidade universitária e que, em breve, haverá a oferta de novos cursos. “O diferencial do instituto é que ele oferece cursos que estão em harmonia com os arranjos produtivos locais”, disse.

    Localizado a 269 km de Manaus, o Campus Itacoatiara possui uma área total construída de 3.050,61 m², distribuída em dois pavimentos. No bloco principal, o prédio dispõe de auditório com capacidade para 220 pessoas, salas da direção, de reunião e dos professores, além de espaços de atendimento ao aluno e médico, departamentos administrativos e pedagógicos, secretaria escolar, copa, cantina, guarita de segurança e estacionamento.

    Conta, ainda, com seis laboratórios, sendo um de física, um de química, um de biologia e três de informática, nove salas de aula, biblioteca, banheiros e salão de convivência. Na unidade, são ofertados os cursos de administração, agropecuária, agronegócio, informática e meio ambiente, nas modalidades integrado e subsequente, além dos cursos da educação a distância (EaD).

    No IFAM, há a oferta de ensino desde a educação básica até o ensino superior, de graduação e pós-graduação lato e stricto sensu. Hoje, conta soma 25.768 alunos matriculados, distribuídos em 265 cursos, sendo: cinco de qualificação profissional em Formação Inicial Continuada (FIC), 203 técnicos, 15 tecnólogos, 15 licenciaturas, cinco bacharelados, 19 especializações lato sensu, e três mestrados.

    Atualmente, o instituto conta com 15 campi, sendo três em Manaus (Manaus Centro, Manaus Distrito Industrial e Manaus Zona Leste), Coari, Lábrea, Maués, Manacapuru (avançado), Parintins, Presidente Figueiredo, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Humaitá, Eirunepé, Itacoatiara e Tefé. Está estabelecido em 23 municípios, dois quais três deles são polos de Educação a Distância (EaD), em Roraima. No total, o quadro de profissionais conta com 1.950 servidores.

    07/07/2018 Inauguração do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) Campus Itacoatiara, no Amazonas.

    Assessoria de Comunicação Social

  • No Maranhão, MEC inaugura campus com capacidade de atender a 1,2 mil alunos

    São Luís, 2/10/2017 - O ministro Mendonça Filho inaugurou, na manhã desta segunda-feira, 2, o campus São José de Ribamar, do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís. Orçada em R$ 7.373.349,76, a unidade teve as obras iniciadas em outubro de 2013. As atividades, em instalação provisória cedida pela prefeitura local, começaram em março de 2015, tendo a mudança para o prédio atual sido feita em março de 2017.

    Mendonça Filho reforçou que proporcionar acesso a educação e formação técnica e profissional é garantir empregabilidade, acesso ao mercado de trabalho e dar outro horizonte de vida para o jovem brasileiro. “Fico feliz em inaugurar essa unidade do IFMA, um campus novo, recentemente concluído, e que abriga um número relevante de estudantes aqui do Maranhão em cursos técnicos e tecnológicos”, afirmou o ministro. “Estamos expandindo a Rede de Educação Técnica do MEC e, mais uma vez, o Maranhão é contemplado com investimentos relevantes em São José do Ribamar.”

    Parceria – O governador do Maranhão, Flávio Dino, destacou que o campus é fruto da parceria entre o governo federal, o governo do estado e as prefeituras municipais. “Estamos felizes de testemunhar aquilo que buscamos, que é a ação sinérgica, organizada e eficiente entre o governo federal, o governo do estado e as prefeituras municipais”, resumiu. “A maior obra de qualquer sociedade que pretende ser civilizada é abrir as avenidas de oportunidades e de sonhos para sua juventude. É assim no mundo inteiro e não seria diferente aqui no Maranhão.”.

    O reitor do IFMA, Francisco Roberto Brandão Ferreira, ressaltou a importância do campus São José de Ribamar para a região e para o estado: “É importante porque a cidade de São José de Ribamar é estratégica. Não tínhamos instituto federal de educação profissional e tecnológica e agora chegamos com essa proposta para atender os mais de 200 mil habitantes da região”.

    No campus São José de Ribamar, os cursos funcionam com foco no desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, econômico e social da região (Foto: Diego Dubard/MEC)

    O local tem capacidade para atender até 1,2 mil alunos presencialmente. Hoje, são 960 estudantes, sendo 910 em cursos presenciais e 50 em cursos da modalidade Educação a Distância (EAD), além de 35 professores e 20 técnicos-administrativos.

    Cursos – Voltada à formação de qualidade dos seus alunos, a unidade atua de forma comprometida com o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, econômico e social da região. Atualmente, conta com os cursos de administração, eletroeletrônica, informática para internet, programação de jogos digitais e redes de computadores.

    O campus São José de Ribamar é polo de EAD e oferta o curso técnico em informática para internet para 50 estudantes por meio do Mediotec, programa do MEC. Também atua na oferta de cursos de formação inicial e continuada (FIC), por programas e projetos de extensão, já tendo capacitado cerca de 320 jovens trabalhadores em diversos cursos, como eletricista predial, auxiliar administrativo, inglês básico, libras básico, francês básico, programador de sistemas e operador de computador.

    Estrutura – Distante 30 quilômetros do centro da capital maranhense, o campus ocupa uma área de 20 mil m², sendo 6.137 m² de área construída. O prédio tem nove salas de aula, auditório para 120 pessoas, dois laboratórios de informática, laboratórios de física, eletroeletrônica, química e biologia, biblioteca, salas administrativas e estacionamento.

    Mendonça Filho aproveitou a oportunidade para falar sobre os investimentos feitos na área de educação no Maranhão. “Temos várias parcerias com o governo do estado no campo da educação técnica. Há apoio, inclusive, na educação básica, para a construção de quadras poliesportivas que estão sendo tocadas com recursos do governo federal, via Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)”, explicou o ministro. “A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) tem recebido aportes significativos de recursos, inclusive na área de ciências do mar. Até o fim do ano, voltarei ao Maranhão para entregar um navio escola importante para as pesquisas tocadas pela UFMA”, finalizou.

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Petrolina (PE) recebe recursos de R$ 6,5 milhões do MEC para Instituto Federal e outras obras

    Petrolina (PE), 28/6/2018 – O ministro da Educação, Rossieli Soares, entregou uma obra e anunciou dois projetos em Petrolina (PE), nesta quinta-feira, 28, ambos no Campus Petrolina Zona Rural, do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE). O investimento total é de R$ 6,5 milhões. No município, localizado no Sertão do Rio São Francisco, ele inaugurou a nova residência estudantil e assinou duas ordens de serviço para a reforma da quadra e a ampliação da rede elétrica.

    “A educação básica é a coisa mais importante que temos e o desafios com as crianças do Brasil são enormes. Se quisermos transformar esse país, precisamos começar por elas. Vamos trabalhar e conseguir fazer as escolas que Petrolina precisa para que este município, tão importante para Pernambuco e o Brasil, continue avançando e sendo reconhecido, além das frutas que produz e exporta, pela educação básica de qualidade, produzindo e exportando inteligência”, afirmou Rossieli Soares.     

    Orçada em R$ 2 milhões, a obra de reforma da residência estudantil vai beneficiar alunos que se enquadram em condições de vulnerabilidade social e econômica ou que residem distante. Ao todo, o local possui 96 vagas e oferta três refeições diárias, aos internos em tempo integral, e almoço, aos alunos semi-internos, dos cursos técnicos.

    A residência é composta por três blocos (A, B e C) com 24 apartamentos estudantis, constituídos por sala de estar, quarto e banheiro. Com a entrega, o novo ambiente proporcionará ao corpo estudantil um espaço adequado para o repouso e higiene pessoal, visando maior conforto aos discentes internos e, consequentemente, melhor desempenho acadêmico.

    Ministro Rossieli Soares inaugura residência estudantil em Petrolina (Foto: André Nery/MEC)

    A professora Maria Leopoldina Veras Camelo, reitora do IF Sertão-PE, ressaltou que a obra no Campus Petrolina Zona Rural, entregue em tempo hábil, será um determinante para o avanço da educação no Sertão pernambucano. “Este novo espaço resgata a dignidade de todos os estudantes que ficam longe de suas famílias e precisam de uma estrutura apta a recebê-los. Temos obras importantes em andamento que certamente irão melhorar os nossos índices e elevar a nossa educação”, pontuou.    

    Rural –  O campus Petrolina Zona Rural, do IF Sertão-PE, foi criado a partir da transformação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Petrolina (Cefet Petrolina), pela Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Atualmente, conta com cerca de 1.200 estudantes. Além de Petrolina, a unidade beneficia diversos municípios do sertão pernambucano e do estado da Bahia.

    Ao todo, são ofertados seis cursos regulares, sendo dois superiores (agronomia e tecnologia em viticultura e enologia), três técnicos subsequentes (agricultura, zootecnia e agroindústria), e um técnico de nível médio integrado (agropecuária), além de cursos em Formação Inicial e Continuada (FIC) em diversas áreas.

    Serviço – Além da entrega no novo espaço estudantil, o ministro da Educação também assinou as ordens de serviço destinadas à reforma da quadra do Campus Petrolina Zona Rural e à ampliação da rede elétrica do Campus Petrolina, ambas do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE). Juntos, os dois projetos estão orçados em aproximadamente R$ 4,5 milhões.

    Na reforma da quadra poliesportiva, serão demolidas as alvenarias internas e construídas arquibancadas com capacidade para 380 pessoas, incluindo oito vagas para cadeirantes. Além disso, será criada uma sala para a Coordenação de Educação Física, uma copa/cantina com um espaço exclusivo para o armazenamento de gás e dois vestiários, sendo um feminino e masculino, e outro para pessoas com necessidades especiais.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Universidades do Mato Grosso do Sul inauguram instalações nesta terça

    O presidente Luíz Inácio Lula da Silva e o ministro Fernando Haddad participam nesta terça-feira, 24, da inauguração de instalações do campus de Dourados da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

    Foram inauguradas quatro obras realizadas a partir do Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni): a quadra poliesportiva, o restaurante universitário, o centro de educação infantil – com capacidade para atendimento a 120 crianças – e o edifício do auditório com capacidade para um público de quase 900 pessoas.

    Atualmente, a UFGD atende cerca de 4.500 alunos matriculados em 28 cursos de graduação. A instituição também oferece cursos de pós-graduação em nível de especialização, mestrado e doutorado.

    A UFGD foi criada em 2005 a partir do desmembramento do campus de Dourados da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).

    Simultaneamente à inauguração em Dourados, foram inauguradas as instalações do campus de Ponta Porã da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. A inauguração na cidade sul-mato-grossense foi transmitida por videoconferência durante a cerimônia em Dourados e contou com a participação da diretora de desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior do MEC, Adriana Rigon Weska.

    O campus de Ponta Porã da UFMS possui uma área de 1.756m² com 20 salas de aula, um laboratório de informática, um auditório para 130 pessoas, uma biblioteca, 16 salas de professores e 12 salas administrativas.

    Tendo iniciado seu funcionamento em 2008, o campus de Ponta Porã oferece os cursos de graduação em sistemas de informação (bacharelado) e matemática (licenciatura), cada um com 60 vagas disponíveis. No início deste ano, teve início o curso de ciências da computação, com a oferta de 50 vagas.

    Assessoria de Imprensa da Sesu

Fim do conteúdo da página