Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Diretores e secretários de educação iniciam avaliação do Saeb 2019
Início do conteúdo da página
  • Aberta consulta ao Serviço de Acesso a Dados Protegidos

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, publicou a versão 1.0 do Guia do Usuário – Serviço de Acesso a Dados Protegidos (Sedap). O documento é destinado a pesquisadores interessados em utilizar os dados produzidos pelo instituto com acesso condicionado ao cumprimento da Lei nº 12.527/2011, a Lei de Acesso à Informação (LAI). O guia descreve todos os procedimentos necessários, desde a submissão da solicitação de acesso até as orientações para a extração de resultados.

    O Inep orienta que todos os interessados em usar o Sedap façam uma leitura integral do documento antes da entrega da solicitação de acesso. A página do Sedap, no portal do Inep, também oferece orientações quanto ao acesso a dados protegidos, assim como os modelos de documentos exigidos. O acesso às bases de dados protegidos é exclusivo para pesquisadores com trabalhos que tenham fins institucionais e científicos. O objetivo do Sedap é viabilizar a realização de estudos, garantindo o desenvolvimento de pesquisas de interesse público e a manutenção do sigilo e da identidade dos indivíduos e instituições, conforme a legislação vigente.

    Para acesso aos dados, os projetos de pesquisa passam por uma análise técnica na qual é avaliada a pertinência do pedido. Se o processo for autorizado, os pesquisadores devem realizar seus trabalhos na Sala de Acesso a Dados Protegidos, na sede do Inep, onde têm acesso a microcomputadores com pacotes estatísticos amplamente utilizados. As saídas de resultados da pesquisa também passam por análise técnica e, uma vez aprovadas, são enviadas por meio seguro ao pesquisador titular.

    Sedap – O Serviço de Acesso a Dados Protegidos, uma das áreas de atuação do Centro de Informação e Biblioteca em Educação (Cibec), é responsável pela concessão e pelo monitoramento do acesso aos dados protegidos com o objetivo de promover a disseminação do conhecimento produzido pelo Inep em harmonia com a proteção da informação pessoal e sigilosa.

    Clique aqui para conhecer o Guia do Usuário.

    Veja mais informações sobre o Sedap.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Capes premia pesquisadores brasileiros com R$ 140 mil

    Acontece na tarde desta quarta-feira, 13, a cerimônia de entrega do Prêmio Vale-Capes de Tecnologia e Inovação – Edição 2017. Promovido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, o prêmio paga R$ 100 mil para pesquisador experiente e R$ 40 mil para jovem cientista, além de bolsa para a realização de pesquisas. Na edição 2017, o prêmio destacou pesquisadores cujos trabalhos tenham aplicação efetiva na resolução de problemas reais relativos as áreas de ecologia e conservação da natureza.

    Na categoria Pesquisador Emérito, o escolhido foi o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Jorge Rubio Rojas. Lucas William Mendes, da Universidade de São Paulo (USP), foi selecionado na categoria Jovem Pesquisador. A premiação será na sede da Capes, em Brasília.

    Premiação ­– Na categoria Emérito, o vencedor recebe da empresa Vale um auxílio de R$ 100 mil. A Capes também vai conceder ao premiado uma bolsa equivalente à de pesquisador visitante do exterior ou à de estágio sênior no exterior. Para o Jovem Pesquisador, será concedido auxílio de R$ 40 mil pela Vale. O premiado também receberá uma bolsa análoga à de Pesquisador Visitante do Exterior, paga pela Capes. A premiação considerou a produção dos pesquisadores.

    Foram avaliados itens como artigos científicos, livros e capítulos, patentes e orientações em cursos de pós-graduação. Os critérios de premiação foram originalidade do trabalho e relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação.

    Premiados – Lucas William Mendes, jovem pesquisador com apenas três anos de doutorado, apresenta produção científica relevante com mais de 20 artigos publicados e 297 citações. Suas contribuições se direcionam para a agricultura sustentável.

    Jorge Rubio Rojas, Pesquisador Emérito, foi indicado por unanimidade pelo Grande Juri. É pesquisador com carreira sólida, membro da Academia Brasileira de Ciências e pesquisador 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Fundou e coordenou o Laboratório de Tecnologia Mineral e Ambiental – (LTM) da (UFRGS). Publicou mais de 250 artigos científicos, dois livros e 15 capítulos de livros. Desenvolveu diversas técnicas e produtos tecnológicos (incluindo cinco patentes, quatro técnicas e quatro processos) na área de conservação da natureza, via tratamento de águas poluídas e efluentes industriais, tanto em áreas urbanas como minerais e industriais.

    Conheça o Prêmio Vale-Capes de Tecnologia e Inovação - Edição 2017

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes

     

  • Venezuela recebe estudantes do Brasil para jornada científica

    18/03/2009 - Caracas, na Venezuela, será a sede da 2ª Jornada Científica de Educação Profissional e Tecnológica do Mercosul, que será realizada de 18 a 21 de março. O evento divulga a produção científica de instituições envolvidas com educação profissional e tecnológica, estimula o intercâmbio entre pesquisadores e consolida cooperações.

    O Ministério da Educação estará representado nas conferências e mesas pelo coordenador de certificação e legislação da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), Moisés Domingos Sobrinho, e pela coordenadora de políticas de educação profissional e tecnológica, Caetana Juracy Rezende. Também integram a delegação, professores e alunos de institutos federais de educação, ciência e tecnologia que tiveram seus projetos selecionados.

    O aluno Domiciano Correa Marques da Silva, do instituto federal de Goiás, campus Jataí, apresentará uma proposta para o ensino de física nas salas de aula. Já Luana Rocha Fleming, do instituto federal do Rio de Janeiro, mostrará projeto sobre coliformes isolados de alimentos: produção de substâncias antimicrobianas e resistências a antibióticos.

    Outro projeto será o de Guilherme Musse Moreira, do instituto federal do sudeste de Minas, campus Rio Pomba, que observou o impacto de adubos verdes sobre o manejo de ervas e nutrição nitrogenada de cafeeiros. Everton Edrey Liberal Lopes, do instituto federal de Pernambuco, campus Vitória de Santo Antão, mostrará projeto sobre agricultura familiar.

    A iniciativa de promover jornadas científicas de educação profissional no Mercosul partiu do Brasil. O país sediou a primeira delas, em 2006, em Belo Horizonte.

    Ana Júlia de Souza
Fim do conteúdo da página