Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
  • Mais 135 mil vagas em cursos de licenciatura serão oferecidas pelos institutos federais de educação, ciência e tecnologia até 2014. As instituições podem reservar 20% dessas vagas à oferta de licenciaturas em química, física, matemática e biologia e também oferecerão conteúdos específicos da educação profissional, como formação de professores de mecânica, eletricidade e informática. Nesse caso, serão cem mil vagas — as outras 35 mil destinam-se ao Plano Nacional de Formação do Professor.


    Todos os 38 institutos oferecerão cursos de licenciatura, missão estabelecida na Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Cinco estados — Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Acre e Rondônia —, além do Distrito Federal, não aderiram ao plano de formação, mas os 12 institutos federais ali localizados manterão a oferta. “A transformação em curso da educação brasileira passa necessariamente pela formação e qualificação dos docentes. A rede federal não tem se furtado a ampliar a oferta de vagas para licenciaturas”, afirma o reitor do instituto federal de Goiás, Paulo César Pereira, presidente do Conselho das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).


    Anteriormente à obrigatoriedade, instituições públicas de educação profissional e tecnológica já ofereciam cursos de formação de professores, como o instituto do Maranhão, que atua na área desde 1987. Em 2000, o então Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) do Maranhão firmou projeto de cooperação com 42 municípios do estado para a formação de dois mil professores de matemática. A instituição também oferecia licenciatura em eletricidade, mecânica e construção civil. “Essa vocação para melhorar a educação básica é intrínseca à rede federal”, destaca o secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco.


    Tradição — Também têm a história ligada à formação do professor os institutos do Rio de Janeiro, Fluminense e do Rio Grande do Norte. No primeiro, são oferecidas 360 vagas em matemática, física e química nos campi de Nilópolis, Duque de Caxias e Volta Redonda. No instituto Fluminense, são 280 vagas em biologia, física, química, geografia e matemática.


    O instituto do Rio Grande do Norte teve a licenciatura em geografia classificada como a terceira melhor do país entre instituições públicas e particulares. O curso de formação em física obteve a sexta colocação. “Nosso trabalho na formação de professores é reconhecido pelos exames de qualidade feitos pelo MEC”, salienta o reitor Belchior Oliveira. A instituição forma mestres desde 2002 e oferece 120 vagas anuais. (Assessoria de Imprensa da Setec)

  • O campus de Sobral já atende 843 estudantes em cursos técnicos, superiores e de licenciatura. (Foto: Divulgação/Setec)O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado do ministro da Educação, Fernando Haddad, inaugura oficialmente nesta quinta-feira, 10, às 14h, duas unidades do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. Lula estará em Sobral, mas participará a distância, em transmissão simultânea da TV NBR e da TV MEC, da inauguração do campus de Limoeiro do Norte.


    Quando estiverem em pleno funcionamento, as duas unidades oferecerão 2,4 mil vagas em cursos de educação profissional — hoje, atendem 1.863 estudantes. O investimento em cada uma é de R$ 5 milhões, aproximadamente. As duas instituições integram o plano de expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, que prevê a criação de 214 unidades — 87 já estão em funcionamento — e investimento de R$ 1,1 bilhão.


    Em Sobral, estudam 843 alunos nos cursos técnicos de eletrotécnica, fruticultura, mecânica, meio ambiente e panificação; nos superiores de tecnologia de alimentos, irrigação, drenagem, mecatrônica industrial e saneamento ambiental e nos de licenciatura em física.


    No campus de Limoeiro do Norte, 1.020 alunos fazem os cursos técnicos de agropecuária, eletroeletrônica, fruticultura, mecânica industrial, meio ambiente e panificação; os superiores de tecnologia em agronegócios, alimentos, irrigação, drenagem, mecatrônica industrial e saneamento ambiental e o de bacharelado em nutrição.


    Obras — Ainda pelo plano de expansão da rede, estão em obras no estado as unidades de Canindé, Acaraú e Crateús. Quando estiverem concluídas, até o fim do próximo ano, o Ceará, que tinha cinco unidades até 2002, contará com 12 campi, todos vinculados ao instituto federal do estado, para atender cerca de 15 mil estudantes.

    Assessoria de Imprensa da Setec

    Leia mais...
    Ceará recebe R$ 124 milhões de programa do Ministério

  • Estudantes formados pelo instituto federal do Amazonas são aproveitados nas áreas de mecânica, química, manutenção, automação e informática do polo industrial de Manaus (Foto: Divulgação/Setec)O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas e a empresa Moto Honda trabalham juntos, desde a década de 90, na formação de profissionais das áreas de produção, informática e segurança do trabalho. O oferecimento de cursos técnicos é uma forma de atender a demanda das empresas instaladas no polo industrial de Manaus.


    Os estudantes formados pelo instituto são aproveitados nas áreas de mecânica, química, manutenção, automação e informática. A fábrica, que produziu 1,3 milhão de motos em 2007, faz a seleção anualmente. “A cooperação é resultado da grande demanda da empresa por técnicos dos cursos de mecânica, eletrotécnica, química e segurança do trabalho oferecidos pela nossa escola”, explica a coordenadora de cursos de qualificação profissional do instituto, Maria Nilda Lima de Oliveira.


    Segundo ela, a principal atividade da parceria é a realização de estágio profissional nas instalações da empresa.


    A chefe de treinamento da área de recursos humanos da Moto Honda, Maria das Graças Gonçalves, destaca que 90% dos estagiários do instituto são absorvidos pela empresa. “O instituto é uma fonte que buscamos para suprir a carência de técnicos”, salienta.

    Assessoria de Imprensa da Setec

    Confira as notícias sobre os Institutos Federais

  • O professor Denio Rebello Arantes foi empossado como reitor pro tempore do Instituto Federal do Espírito Santo na tarde desta quinta-feira, 26, em cerimônia realizada em Brasília e presidida pelo ministro Fernando Haddad. O reitor dá início à sua gestão quando são tomadas diversas iniciativas com o objetivo de atingir, entre 5 e 10 anos, um total de 30 mil alunos matriculados no Instituto.

    Denio Rebello Arantes é empossado como reitor pro tempore do Instituto Federal do Espírito Santo (Foto: Júlio Paes)Atualmente, o Instituto Federal do Espírito Santo é formado por 12 campi: Vitória, Colatina, Serra, Cachoeiro de Itapemirim, São Mateus, Cariacica, Aracruz, Linhares, Nova Venécia, Alegre, Santa Teresa e Itapina. Os próximos campi a entrar em funcionamento serão os de Venda Nova do Imigrante, Vila Velha, Ibatiba, Guarapari e Piúma. E está previsto um campus na região de Santa Maria de Jetibá.

    Denio Arantes, que substitui Jadir Pela na direção do Ifes, tem como objetivo consolidar campi em 18 municípios, além de pólos de educação a distância em 26 municípios, permitindo a ampliação do acesso da população do Espírito Santo à educação pública de qualidade. O Instituto oferta cursos presenciais e a distância, em áreas ligadas à saúde, gastronomia, pesca e turismo.

    Perfil — Denio Rebello Arantes é bacharel em física e matemática. Formou-se mestre em física e cursou doutorado em ciências dos materiais. Ingressou nos quadros do Centro Federal (Cefetes), como professor, em 1998; em 2000, assumiu a Coordenadoria de Metalurgia e Materiais. Em meados de 2001, foi nomeado diretor de ensino da instituição, passando a Pró-Reitor de Ensino Técnico e de Graduação após a transformação do Cefetes em Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo.

    Assessoria de imprensa do IFES
Fim do conteúdo da página