Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
×

Atenção

Error loading library: joomla, Library not found.
  • Apresentação

    Desde sua primeira edição, em 2001, o Fórum Mundial de Educação (FME) coloca o direito à educação entre as prioridades da agenda internacional. Em 2009, para comemorar os 100 anos da Rede Federal, o FME ganha versão especial sobre a educação profissional e tecnológica.

    Venha debater propostas e fazer intercâmbio de experiências com professores, estudantes, gestores e formadores de opinião do mundo inteiro. Essa importante discussão pode determinar o futuro profissional de milhares de pessoas.
  • Apresentação - Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

    Desde sua primeira edição, em 2001, o Fórum Mundial de Educação (FME) coloca o direito à educação entre as prioridades da agenda internacional. Em 2009, para comemorar os 100 anos da Rede Federal, o FME ganha versão especial sobre a educação profissional e tecnológica.


    Venha debater propostas e fazer intercâmbio de experiências com professores, estudantes, gestores e formadores de opinião do mundo inteiro. Essa importante discussão pode determinar o futuro profissional de milhares de pessoas.

    Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Brasília-DF.
    De 23 a 27 de novembro de 2009.

  • Cartazes

    Cartazes finais
  • Conferencistas de 15 países participarão do Fórum Mundial

    Especialistas de 15 países estarão reunidos de 23a 27 de novembro para uma semana de conferências e debates no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (FMEPT). O Brasil é a sede do evento, que acontece no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, com um público estimado de 15 mil participantes e a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na solenidade de abertura, que terá ainda as apresentações da Escola de Teatro Bolshoi e do Grupo Tholl – Trupe Circense.

    Estudantes, professores, pesquisadores, trabalhadores, governos, sindicatos, associações e sociedade civil organizada são os convidados para dividir experiências, compartilhar conhecimento e levantar propostas para integrar a plataforma mundial de educação, além de colaborar para a promoção de melhorias das políticas públicas de educação. O tema do evento é educação, desenvolvimento e inclusão.

    São 42 conferencistas de quatro continentes já confirmados na programação. Nomes como Filomena de Fátima Vieira Martins (Cabo Verde), Leonardo Boff (Brasil), Miguel Nicolelis (Brasil), Paul Singer (Brasil), Bernard Charlot (França), Maria Victoria Angulo (Colômbia), Álvaro Marchesi (Espanha), Martha Ford (Canadá), Liliana Rodrigues (Portugal) e Changhong Yuan (China). Participarão especialistas do Brasil, Argentina, Colômbia, Uruguai, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Itália, França, Alemanha, Portugal, Cabo Verde, Angola, Benin e China.

    O evento faz parte das comemorações dos 100 anos de criação das primeiras escolas federais de educação profissional e tecnológica. Entre as atividades programadas, há conferências, debates temáticos, feira gastronômica, ações paralelas, mostras de projetos, feira de produtos, exposição de trabalhos científicos, atividades culturais, entre outras.

    Assessoria de Imprensa da Setec

    Acesse a página para inscrição.
  • Contatos

    Se você tem dúvidas, críticas e sugestões, entre em contato:

    Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica
    Comitê Organizador Nacional
    Esplanada dos Ministérios, bloco L, Sala 413 - 4º Andar - Ministério da Educação
    CEP: 70047-900 - Brasília/DF
    Telefones: (61) 2104-7663 / 8430
    Fax: (61) 2104-9892
    e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
  • Feira gastronômica vai ensinar receitas típicas brasileiras

    Que chefe de cozinha não gostaria de aprender receitas de queijo minas frescal, charque na moranga, ostras à primavera, iogurte, bolo de laranja com casca e muitas outras iguarias? Quem for ao Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica poderá aprender a fazer e degustar, gratuitamente, esses e muitos outros quitutes. O fórum contará com uma feira gastronômica que ensinará receitas e trará comidas de várias partes do Brasil.

    Os especialistas que conduzirão as oficinas de culinária são professores de institutos federais de educação, ciência e tecnologia. Vinda de Santa Catarina, Fabíola Zimmermann trará receitas de comidas típicas catarinenses. “Teremos uma torta de pêras com calda de frutas vermelhas e também a sobremesa mais consumida de Blumenau, torta de ricota com uva-passa”, conta.

    O Instituto Federal de Rondônia ensinará aos participantes as receitas de creme e iogurte de buriti. Já o Instituto Baiano trará receitas de chips de banana ideais para tira-gosto. “Teremos um painel com comidas típicas de vários estados do país”, conta Eliezer Pacheco, secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação.

    As oficinas da feira gastronômica serão realizadas de 24a 26 de novembro, das 9h às 19h, e no dia 27, das 9h às 14h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. Para participar, basta entrar napágina eletrônica do Fórum Mundial e se inscrever.

    Assessoria de Imprensa da Setec
  • Fórum Mundial define temática para segunda edição do evento

    “Democratização, emancipação e sustentabilidade” será o tema do 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (FMEPT), que ocorrerá de 28 de maio a 1º de junho de 2012 em Florianópolis. O evento é coordenado pelo Instituto Federal de Santa Catarina e tem o apoio do Ministério da Educação.

    A definição do tema do fórum era o principal item da pauta da segunda reunião do comitê organizador do evento. Cerca de 30 entidades participaram do encontro. De acordo com o professor Silmar Primieri, do Campus Urupema do instituto de Santa Catarina, um dos integrantes da comissão temática, o objetivo é discutir o acesso à educação.

    “Queremos abordar as questões da inclusão, permanência e êxito”, explica. Sobre o termo “emancipação”, a intenção é que se perceba que a educação profissional deve ser pensada para a formação do indivíduo. “Já a sustentabilidade será abordada não só pensando na questão ambiental, mas em todos os processos que possam impactar as gerações futuras”, destaca Primieri.

    Participação– Para chegar às idéias apresentadas ao comitê organizador, a comissão temática realizou três reuniões prévias, com a participação de diversos integrantes de movimentos sociais, organizações civis e instituições de ensino, além da discussão em um grupo via internet e da coleta de propostas construídas por alunos. No próximo mês, a comissão temática do fórum pretende realizar um seminário com intelectuais e especialistas nas discussões do evento. “Nosso objetivo é levantar os eixos temáticos e constituir grupos de trabalho para elaboração do ementário”, afirma Primieri.

    As instituições que tiverem interesse em participar do comitê organizador do fórum podem enviar mensagem para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou ligar para (48) 3877 9007.

    Assessoria de Imprensa do Instituto Federal de Santa Catarina

  • Fórum mundial vai debater a educação profissional em Recife

    Foi lançado nesta terça-feira, 9, no Ministério da Educação, o 3º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, que será realizado de 26 a 29 de maio de 2015 em Recife. Esta edição é coordenada pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), com apoio do MEC. Com o tema Diversidade, Cidadania e Inovação, o Fórum deve reunir cerca de 20 mil participantes.

    De acordo com o ministro da Educação, Henrique Paim, o Brasil passa por uma estruturação da educação profissional. “Estamos criando no Brasil as condições para que tenhamos uma educação profissional que é necessária. O Brasil tem grandes desafios pela frente, como a formação para o trabalho”, disse.

    O ministro também destacou o papel da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica como referência na expansão das oportunidades na formação profissional. “O Brasil precisa oferecer ao jovem a oportunidade de seguir na educação profissional a partir do ensino médio”, concluiu.

    O Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica surgiu do Fórum Mundial de Educação e do Fórum Social Mundial. O evento faz parte de um movimento pela cidadania e pelo direito universal à educação, reunindo instituições, entidades e associações de todo o planeta. A programação reúne desde conferências, palestras e debates até apresentações culturais, mostras tecnológicas, oficinas, além de feiras temáticas.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Inscrições

    Se você se interessou pelo Fórum Mundal de Educação Profissional e Tecnológica, as inscrições estarão disponíveis a partir de 30 de junho de 2009.

    Acesse e venha fazer parte desse evento.
  • Instituto Federal Fluminense capacita gestores angolanos

    Quatro diretores dos centros de Formação Profissional de Angola começaram a capacitação de gestores, nesta segunda-feira, 16, no Instituto Federal Fluminense, campus Campos-centro. O trabalho segue até o dia 29 de novembro e faz parte do acordo de cooperação técnico-científica entre o Instituto Federal Fluminense e o Ministério das Obras Públicas de Angola, no Projeto Angola-Brasil.

    André Andrade (diretor do centro de Huambo), João Dias (diretor do centro de Benguela), Nelson Garcia (diretor do centro de Malanje) e Antonio Sardinha (diretor do centro de Luanda) chegaram ao Brasil no domingo, 15. Nesta segunda, 16, eles foram recebidos pela reitora Cibele Daher e pela coordenadora geral do projeto, Gláucia Mendes.

    Cibele falou com eles sobre política da educação profissional no Brasil. A reitora mostrou a área de abrangência do instituto com os seis campi, falou sobre os planos de expansão do Governo Federal e a meta para 2010 de chegar a 354 unidades em todo o Brasil. Hoje eles ainda visitam a estrutura do campus centro.

    “Queremos mostrar a eles a nova institucionalidade do instituto, já que quando o convênio começou ainda éramos Cefet, além de falar sobre como está a Rede Federal, hoje, no Brasil, que passa por um momento de fortalecimento”, afirmou Cibele. “Acredito que, em Brasília, durante o Fórum Mundial, eles terão a oportunidade de conhecer de perto o trabalho da rede e vivenciar experiências de outros institutos.”

    De terça, 17, a quinta-feira, 19, os angolanos cumprem uma programação intensa, com apresentações e palestras, além do lançamento da revista e do documentário do Projeto Angola-Brasil. Entre 23e 27 de novembro, participam do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, em Brasília. Os diretores retornam para Angola no dia 29 de novembro.

    Assessoria de Imprensa do Instituto Federal Fluminense
  • Presidente Lula abrirá evento que deve receber visitantes de 16 países

    Especialistas de 16 países estarão reunidos até a próxima sexta-feira, 27, para uma semana de conferências e debates no Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (FMEPT). A abertura ocorre às 19h desta segunda-feira, 23, no ginásio Nilson Nelson, com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ministro da Educação, Fernando Haddad.


    A cerimônia de abertura contará com as apresentações da Escola de Teatro Bolshoi e do Grupo Tholl Trupe Circense. O evento acontece ao longo da semana no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O público estimado é de 15 mil participantes.


    Estudantes, professores, pesquisadores, trabalhadores, governos, sindicatos, associações e sociedade civil organizada são os convidados para dividir experiências, compartilhar conhecimento e levantar propostas para integrar a plataforma mundial da educação, além de colaborar para a promoção de melhorias das políticas públicas de educação. O tema do evento é educação, desenvolvimento e inclusão.


    Conferencistas de quatro continentes já estão confirmados na programação. Nomes como Filomena de Fátima Vieira Martins (Cabo Verde), Leonardo Boff (Brasil), Miguel Nicolelis (Brasil), Paul Singer (Brasil), Bernard Charlot (França), Maria Victoria Angulo (Colômbia), Álvaro Marchesi (Espanha), Alessio Surian (Itália), Liliana Rodrigues (Portugal) e Changhong Yuan (China). Participarão especialistas de Brasil, Argentina, Colômbia, Uruguai, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Itália, França, Alemanha, Portugal, Cabo Verde, Angola, Benin e China.


    A programação cultural, gratuita, lista 202 atividades, que vão de oficina de culinária a sessões de cinema e aulas de dança afro. Um caderno de 75 páginas será distribuído aos participantes com a programação completa do evento. As inscrições, que até a última sexta-feira somavam quase 14 mil pessoas, podem ser feitas até a próxima quarta-feira, 25, de 9h às 17h, no Centro de Convenções.


    O evento faz parte das comemorações dos 100 anos de criação das primeiras escolas federais de educação profissional e tecnológica. A cerimônia de abertura será transmitida pelas TVs MEC, Fórum e NBr. (Assessoria de Imprensa da Setec)


    Mais informações na página do fórum. 


    Republicada com acréscimo de informações.

    Leia aqui outras matérias sobre o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica

  • Programação

    Eixos temáticos


    I. Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável
    II. Educação, Culturas e Integração
    III. Educação, Ética, Inclusão e Diversidade


    23/11  Abertura


    24/11  Conferência - Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável
    Debate 1 - Educação, mundos do trabalho e desenvolvimento sustentável
    Debate 2 - Educação, trabalho, ciência, tecnologia e inovação
    Debate 3 - Formação de trabalhadores e trabalhadoras da educação profissional e tecnológica: saberes, metodologias e práticas pedagógicas
    Debate 4 - Educação e financiamento


    25/11  Conferência - Educação, Culturas e Integração
    Debate 5 - A organização da educação profissional e tecnológica: um panorama mundial
    Debate 6 - As ações dos organismos e associações internacionais nos processos de integração, pesquisa e formação de redes de apoio ao desenvolvimento de educação profissional
    Debate 7 - Mobilidade estudantil e docente: desafios da formação, certificação e orientação profissional
    Debate 8 - Educação e interculturalidade


    26/11  Conferência - Educação, Ética, Inclusão e Diversidade
    Debate 9 - Juventude, educação e mundo do trabalho
    Debate 10 - As relações entre a educação profissional, educação formal e reconhecimento de saberes não formais
    Debate 11 - Educação, diversidade e cidadania
    Debate 12 - Educação profissional do campo


    27/11  Carta do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica
    Encerramento

    Ementário

  • Projetos de institutos federais vão da tecnologia à música

    No centro de convenções de Florianópolis, o professor Arlindo Ricarte toca seu papirofone (foto: Danilo Almeida)Florianópolis – As mais de 10 mil pessoas que já circularam pelo centro de convenções onde acontece o 2° Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica encontraram música, tecnologia, cultura e educação nos estandes das instituições participantes do evento. São expostos desde trabalhos culturais e artesanato até projetos de tecnologia desenvolvidos pelos estudantes e professores.

    O Instituto Federal Baiano optou por apresentar ao público pesquisas desenvolvidas nas áreas de combustíveis e agroindústria. Os resíduos do refeitório da instituição, como gorduras, por exemplo, são aproveitados desde 2010 para produzir biodiesel. Parte do biodiesel é misturado com o diesel comum e utilizado em tratores.

    O instituto também desenvolve barra de cereal a partir da casca de maracujá. “Como temos uma característica fortemente agrícola, trabalhamos muito com a parte de agropecuária e de reaproveitamento de alimentos”, explica o professor de química e coordenador de inovação tecnológica da instituição, Denilson Santana.

    Quando se fala de musicalidade, um dos destaques da mostra de inovação tecnológica é o papirofone, instrumento musical desenvolvido pelo engenheiro elétrico Arlindo Ricarte, que também é professor do campus Cidade Alta do Instituto Federal do Rio Grande do Norte. Cada vez que o professor começa a tocar o instrumento de tubos metálicos cobertos por uma espécie de tecido o público para diante do estande. Os pedidos dos visitantes que querem tocar também são frequentes.

    A instituição oferta 15 vagas semestrais no curso de lutherie, ou luteria, ofício de construir instrumentos musicais. Arlindo afirma que a proposta do curso é produzir instrumentos de cunho pedagógico para o ensino de música e também com caráter profissional. “Produzimos desde instrumentos bem pequenos, com proposta mais artesanal, até outros de caráter mais profissional, para atender os alunos das escolas de música, já que os preços de mercado são muito caros”, conta.

    Danilo Almeida
  • Pronatec promete gerar ainda este ano 1,6 milhão de vagas em vários cursos

    Florianópolis – O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) deve gerar 1,6 milhão de vagas em 2012. O número foi destacado pelo secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antonio de Oliveira, na tarde desta terça-feira, 29, durante o segundo dia do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. O Pronatec é um conjunto de iniciativas do governo federal voltadas para ampliar o acesso de estudantes e trabalhadores brasileiros a essa modalidade educacional.

    O secretário informou em sua palestra que, desse total, 1,1 milhão serão abertas em cursos de formação inicial e continuada e 500 mil em cursos técnicos. “Temos avançado muito nos últimos meses, tanto na oferta de cursos quanto na efetivação de matrículas”, enfatizou.

    Marco Antonio de Oliveira apresentou um panorama geral das ações que já estão em curso, por meio do programa, e outras que deverão ser implantadas, voltadas para a consolidação das políticas de formação profissional.

    “Temos alguns desafios, o primeiro deles é a implantação do conselho deliberativo, previsto na lei que criou o Pronatec, que está em fase de definição. Nós também pretendemos criar nos estados os fóruns permanentes estaduais do programa”, afirmou.

    Outra iniciativa importante será a criação de um cadastro virtual para acesso e candidatura dos cidadãos às vagas ofertadas pelas instituições participantes do programa. De acordo com Oliveira, o sistema também será utilizado para dimensionar as demandas por formação no país a partir das necessidades manifestadas pelos brasileiros. “Com isso queremos ter um retrato fiel da demanda e criar melhores condições de funcionamento do programa.”

    Fórum – Até sexta, 1° de junho, especialistas, professores, estudantes e gestores públicos e privados debatem em Florianópolis temas ligados à formação profissional. O segundo dia do evento iniciou com uma conferência a respeito de educação, universalização e democratização. Também houve três debates sobre o contexto mundial da educação profissional e tecnológica, educação integral e ações afirmativas.

    Ao longo do dia ainda aconteceram apresentações artísticas nos palcos instalados no evento, como, por exemplo, a homenagem a Luiz Gonzaga, feita pelo coral do Instituto Federal de Pernambuco.

    Nos estandes, os visitantes têm contato com diversos projetos ligados ao ensino tecnológico desenvolvidos pelas instituições expositoras. O Instituto Federal do Rio de Janeiro, por exemplo, trouxe uma exposição itinerante de ciências. A monitora, Jéssica Oliveira, estudante do sexto semestre de licenciatura em química no instituto federal, explica que a exposição é levada aos alunos de escolas públicas fluminenses. “A gente leva tudo para as escolas, é itinerante. Mas elas também podem visitar a exposição no instituto”, contou.

    Para ela, a troca cultural que resulta da participação em um evento deste porte é importante. “O que mais me chamou a atenção foi a cultura regional que cada instituição trouxe. Essa experiência eu poderei levar para os meus alunos”, disse.

    Danilo Almeida
  • Realização

    Comitê Organizador do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica;


    Logo FME
      Logo GDF.
Fim do conteúdo da página