Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Documento divulga informações sobre cursos de licenciatura

    Universidades públicas abrem mais de 52 mil vagas de graduação para professores das redes públicas (Foto: Júlio César Paes)As escolas públicas da educação básica em todo o país começam receber, na próxima semana, a Cartilha do Professor. O documento foi organizado pelo Ministério da Educação para orientar os docentes sobre como fazer a inscrição nos cursos de licenciatura que começarão neste semestre.


    Estão abertas 52.894 vagas em universidades públicas, federais e estaduais, e em institutos federais, os antigos Cefets. A cartilha traz uma série de informações, entre elas, que as vagas são gratuitas e específicas para os professores que lecionam nas redes públicas; que as inscrições devem ser feitas até o final de julho; que a primeira licenciatura é destinada a professores sem graduação em nível superior; que a segunda licenciatura é para aqueles que têm graduação, mas que lecionam em área diferente da formação.


    A Cartilha do Professor divide as informações em três campos – cadastro, currículo e pré-inscrição – e apresenta a Plataforma Freire. É na Plataforma Freire que o professor vai cadastrar seu currículo, escolher o curso e fazer a pré-inscrição. Receberão a cartilha as escolas públicas da educação básica e as secretarias municipais de educação das 156 maiores cidades do país, incluídas as capitais.


    Vagas para professores – De 2009 a 2011, o Ministério da Educação, em parceria com 90 instituições de ensino superior públicas e comunitárias, abrirá 330 mil vagas exclusivas para professores em exercício. Os cursos fazem parte do Plano Nacional de Formação de Professores, lançado em 28 de maio deste ano. Para o segundo semestre de 2009 são mais de 52 mil vagas.


    Na Plataforma Freire o professor também pode programar seu ingresso numa faculdade entre 2009 e 2011. Os ingressos acontecerão em cinco semestres: segundo semestre de 2009; primeiro e segundo semestres de 2010, e primeiro e segundo semestres de 2011.

    Ionice Lorenzoni

  • Estados se mobilizam para preencher vagas de cursos

    MEC oferece mais de 50 mil vagas em cursos de licenciatura para professores da educação básica. (Júlio César Paes)As secretarias de educação do Piauí e do Rio Grande do Norte estão divulgando em cada município de seus estados a abertura de vagas gratuitas em cursos de licenciaturas para professores da educação básica. A mobilização nos estados tem a meta de ocupar as vagas até a próxima sexta-feira, 31, que é o último dia das inscrições. Para garantir a matrícula, o professor tem que se inscrever na Plataforma Freire.

    O Piauí tem lugar disponível para 2.500 professores e o Rio Grande do Norte possui 313 vagas, mas até o começo da tarde desta terça-feira, 28, o Piauí tinha 335 inscritos e o Rio Grande do Norte 66. O esforço de divulgação das vagas nos municípios foi precedido de comunicados, informes e avisos veiculados em rádios e televisões.

    O ingresso de professores em cursos de licenciatura faz parte do Plano Nacional de Formação de Professores, lançado em 28 de maio. Para a execução do plano, o Ministério da Educação fez parceria com as secretarias estaduais de educação e com 90 instituições públicas e comunitárias de ensino superior. A parceria funciona assim: o professor escolhe o curso e se inscreve; a secretaria de educação valida o ingresso; e a universidade faz a matrícula. Se tiver mais inscrições que vagas, a universidade faz uma seleção, que pode ser por sorteio.

    O plano prevê ingressos em cinco semestres: segundo semestre de 2009, primeiro e segundo de 2010, primeiro e segundo de 2011. No conjunto, são 330 mil vagas exclusivas para professores no exercício do magistério em escolas públicas.

    Mobilização nos estados - Para que os professores do Rio Grande do Norte tomem conhecimento da oferta de vagas, diz a coordenadora de desenvolvimento escolar, Lúcia de Souza, a secretaria do estado montou equipes que estão visitando as 16 regionais de ensino. O trabalho começou há uma semana, mas Lúcia avalia que não será possível preencher as vagas até dia 31. Ela sugere que o prazo seja prorrogado.

    No Piauí, a estratégia de mobilização envolve dois técnicos de informática treinados para auxiliar os professores no preenchimento da ficha de inscrição. A assistência é pelo telefone 2107-3311. A secretaria promoveu um encontro com as 21 gerências regionais na semana passada para ampliar a divulgação do plano de formação de professores, das vagas e do prazo de inscrição.

    A secretária de educação de Goiás, Milca Severino Pereira, diz que o preenchimento das vagas no estado foi prejudicado porque julho é o mês de férias coletivas nas escolas públicas. Goiás tem 2.100 vagas e até esta terça-feira tem 675 inscritos. Embora defenda a prorrogação do prazo de inscrições, a secretária diz que o estado fará todo o esforço para ocupar as vagas. “Temos professores interessados e reconhecemos a importância de usar essa oportunidade de formação”.

    Entre as estratégias de mobilização, a secretaria de educação de Goiás colocou no portal da secretaria uma chamada para a Plataforma Freire e fez divulgação na imprensa, rádio e televisões locais. Na volta às aulas, que será na próxima segunda-feira, 3 de agosto, a secretaria fará um comunicado direto para as escolas estaduais e para as 38 regionais de ensino, que são o canal de comunicação entre a secretaria do estado com os municípios goianos.

    Milca Severino Pereira explica como funciona esse sistema de informação: a regional do município de Posse, por exemplo, é responsável por 11 municípios da microrregião. Ao receber o pedido da secretaria, o representante vai nas 11 secretarias municipais levar as informações e prestar esclarecimentos que, depois, serão transmitidos às escolas.

    Vagas para 2009 – O Plano Nacional de Formação de Professores oferece neste semestre 57.784 vagas em cursos de licenciaturas, em 17 estados. Até às 14 horas desta terça-feira, a Plataforma Freire registrou 34.285 inscrições, o que corresponde a 60% da ocupação das vagas.

    Na Plataforma Freire, o professor encontra uma série de informações: pode, por exemplo, consultar o número de vagas por estado e no seu município, ver quais licenciaturas estão disponíveis, se o curso é presencial ou a distância, se inscrever e fazer até três opções de cursos. Pode, ainda, programar o ingresso em curso de formação em 2010 ou 2011. Para ingresso em 2009, as inscrições devem ser feitas até a próxima sexta-feira, dia 31.

    Ionice Lorenzoni
  • Institutos federais vão oferecer 135 mil vagas em licenciaturas

    Mais 135 mil vagas em cursos de licenciatura serão oferecidas pelos institutos federais de educação, ciência e tecnologia até 2014. As instituições podem reservar 20% dessas vagas à oferta de licenciaturas em química, física, matemática e biologia e também oferecerão conteúdos específicos da educação profissional, como formação de professores de mecânica, eletricidade e informática. Nesse caso, serão cem mil vagas — as outras 35 mil destinam-se ao Plano Nacional de Formação do Professor.


    Todos os 38 institutos oferecerão cursos de licenciatura, missão estabelecida na Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Cinco estados — Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Acre e Rondônia —, além do Distrito Federal, não aderiram ao plano de formação, mas os 12 institutos federais ali localizados manterão a oferta. “A transformação em curso da educação brasileira passa necessariamente pela formação e qualificação dos docentes. A rede federal não tem se furtado a ampliar a oferta de vagas para licenciaturas”, afirma o reitor do instituto federal de Goiás, Paulo César Pereira, presidente do Conselho das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).


    Anteriormente à obrigatoriedade, instituições públicas de educação profissional e tecnológica já ofereciam cursos de formação de professores, como o instituto do Maranhão, que atua na área desde 1987. Em 2000, o então Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) do Maranhão firmou projeto de cooperação com 42 municípios do estado para a formação de dois mil professores de matemática. A instituição também oferecia licenciatura em eletricidade, mecânica e construção civil. “Essa vocação para melhorar a educação básica é intrínseca à rede federal”, destaca o secretário de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco.


    Tradição — Também têm a história ligada à formação do professor os institutos do Rio de Janeiro, Fluminense e do Rio Grande do Norte. No primeiro, são oferecidas 360 vagas em matemática, física e química nos campi de Nilópolis, Duque de Caxias e Volta Redonda. No instituto Fluminense, são 280 vagas em biologia, física, química, geografia e matemática.


    O instituto do Rio Grande do Norte teve a licenciatura em geografia classificada como a terceira melhor do país entre instituições públicas e particulares. O curso de formação em física obteve a sexta colocação. “Nosso trabalho na formação de professores é reconhecido pelos exames de qualidade feitos pelo MEC”, salienta o reitor Belchior Oliveira. A instituição forma mestres desde 2002 e oferece 120 vagas anuais. (Assessoria de Imprensa da Setec)

Fim do conteúdo da página