Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Belém recebe delegações de todo o mundo para debater alfabetização

    Começa nesta terça-feira, 1º de dezembro, em Belém, a 6ª Conferência Internacional de Educação de Adultos (Confintea). Para a primeira edição do encontro na América do Sul, são esperadas cerca de 190 delegações, de todos os continentes.


    Os participantes vão discutir a importância da educação de jovens e adultos no desenvolvimento global e detalhar temas como a alfabetização de adultos e as políticas públicas implementadas no mundo para estabelecer os marcos internacionais que balizarão essa modalidade de ensino até 2020.


    O secretário de educação continuada, alfabetização e diversidade do Ministério da Educação, André Lázaro, lembra que a Confintea será realizada em um país do hemisfério sul, região que concentra o maior número de analfabetos entre pessoas jovens e adultas. “O debate internacional permite ampla troca de experiências entre países com realidades bem distintas. Os desafios são imensos”, disse Lázaro. “A Confintea certamente contribuirá para o debate técnico e político nessa área.”


    Segundo Lázaro, o debate fortalecerá a educação de jovens e adultos em todo o mundo, em uma nova perspectiva. “A de que as questões do direito à educação, a educação para a paz e a sustentabilidade ocuparão um espaço relevante.”


    Coordenada pelo Ministério da Educação e pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), a Confintea é um evento intergovernamental, realizado a cada período de 11 ou 12 anos, desde 1949. Os encontros anteriores foram realizados na Dinamarca, Canadá, Japão, França e Alemanha. A edição de Belém vai se estender até sexta-feira, 4.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Evento reunirá jovens de todo o mundo para debater o clima

    Dia 15 de janeiro é o prazo máximo para inscrição na Conferência Internacional Infantojuvenil Vamos Cuidar do Planeta (Confint 2010), que reunirá jovens de diversos países para discutir juntos e propor ações locais para enfrentar as mudanças socioambientais globais.

    A iniciativa do governo brasileiro, por meio do Ministério da Educação, tem por base a experiência bem-sucedida das três conferências nacionais infantojuvenis pelo meio ambiente, que aconteceram no Brasil em 2003, 2006 e 2009, e envolveram 13 milhões de pessoas, em 20 mil escolas de todo o país.

    A conferência internacional seguirá a mesma metodologia, com os países participantes primeiro organizando conferências em suas escolas, onde alunos e professores terão a chance de debater os desafios das mudanças climáticas, além de assumir responsabilidades e propor ações em suas comunidades. Em seguida, será realizada uma etapa nacional, que selecionará os delegados para a conferência internacional no Brasil.

    Ao todo, 50 países aderiram à conferência, e vários já iniciaram seus processos preparatórios nacionais. A África terá uma forte participação, com 13 países já inscritos. Em alguns deles as conferências nas escolas já começaram, caso de Guiné-Bissau e Libéria, onde mais de mil alunos se mobilizaram para discutir o impacto das mudanças climáticas. Na República Democrática do Congo, em Cabo Verde e em Moçambique, elas devem se iniciar este mês. Angola, São Tomé e Príncipe e Burundi serão os próximos, com conferências marcadas para fevereiro e março.

    Países da América do Sul, Central e do Norte também se preparam para participar. No Chile, 2.800 escolas realizaram conferências em novembro, e a conferência nacional chilena aconteceu em 16 de dezembro. Na Guatemala, as crianças vão fazer ações de reflorestamento com plantio de mudas para combater o desmatamento. Estados Unidos e Canadá também estão participando.

    Segundo a coordenadora executiva da conferência, Rachel Trajber, o projeto não se limita à organização de um evento global, mas é uma ação de educação ambiental de amplo alcance. “Como a fase pré-conferência envolve a mobilização de escolas, alunos, professores e educadores, é uma forma de inserir a temática ambiental no sistema formal de ensino em todos os países participantes”, declara.

    Informações sobre o regulamento, a forma de participar e o andamento do processo, além de materiais didáticos em quatro idiomas e outros documentos, podem ser acessados na página da conferência na internet. Também há atualizações diárias em seu grupo no Facebook (Let's Take Care of the Planet) e no Twitter (Confint2010).

    Assessoria de Imprensa da Secad
Fim do conteúdo da página