Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC repassa R$ 132 milhões às instituições federais de ensino vinculadas à pasta
Início do conteúdo da página
  • Seminário preparatório aborda situação da educação básica

    Não é possível fazer ciência e tecnologia sem recursos humanos. Esse foi o principal assunto, nesta terça-feira, 13, na abertura do seminário Educação e CT&I, evento preparatório para a 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (4ª CNCTI).

    Para Jorge Almeida Guimarães, presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a formação de recursos humanos constitui o principal elemento no desenvolvimento científico de qualquer país.

    Segundo Guimarães, o ensino de ciências é uma questão central para essa formação. “A qualificação da educação básica é o maior desafio brasileiro e estamos longe de ter o que é necessário”, disse enfatizando que a presença da educação básica nas discussões da 4ª Conferência de C&T foi uma decisão acertada.

    A vice-presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, destacou o papel central que a educação desempenha no desenvolvimento do país. “Há uma unanimidade de que a educação é importante para diminuir desigualdades e promover desenvolvimento sustentável. Educação é o eixo estratégico de ciência e tecnologia.”

    Para Nader, a conferência deverá se debruçar sobre questões como a falta de professores de ciência e como a utilização de novas tecnologias para motivar os estudantes.  

    Preparação– O Seminário Educação e CT&I, que acontece no edifício-sede da Capes, é transmitido ao vivo pela internet. Este é o sexto e último seminário preparatório para a 4ª CNCTI.

    Outros encontros aconteceram em diversas regiões do Brasil, quando temas como ciência básica, desenvolvimento sustentável e democratização do conhecimento foram debatidos.

    Segundo o secretário geral da conferência, Luiz Davidovich, o objetivo desses seminários é amadurecer temas relevantes que serão discutidos na conferência nacional em maio. Os encontros produzirão textos que qualificarão os debates. “Nossa meta é produzir um plano estratégico na área de ciência, tecnologia e inovação, não apenas para um plano de governo, mas um plano para os próximos dez anos. Por isso é importante que a sociedade como um todo participe”, concluiu.

    Histórico– Realizada desde 1985, a Conferência Nacional de Ciência e Tecnologia foi instituída para discutir com a sociedade as políticas para a área. No mesmo ano, foi criado o MCT. Em 2001, a 2ª CNCT foi marcada pela incorporação da inovação nas políticas públicas do setor. No terceiro evento, realizado em 2005, a palavra inovação, já incorporada ao nome da conferência, pautou as discussões em temas voltados à questões regionais como Amazônia e Semiárido, além de analisar o andamento dos novos mecanismos de apoio ao setor, como a Lei de Inovação e a Lei do Bem.

    A 4ª CNCTI, intitulada política de Estado para Ciência, Tecnologia e Inovação com vista ao Desenvolvimento Sustentável, terá suas discussões norteadas pelas linhas do Plano de Ação 2007/2010: Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional, do governo federal, coordenado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

    Assessoria de Imprensa da Capes

    Confira a página do evento.
Fim do conteúdo da página