Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Escolas cearenses lideram as inscrições para 4ª Conferência

    Temas relativos a preservação e sustentabilidade serão debatidos na 4ª Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, em novembro (foto: ACS/MEC – 8/8/11) Com 280 escolas públicas cadastradas no sistema da 4º Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, as redes de ensino estadual e municipal do Ceará aparecem em primeiro lugar no quesito participação entre as unidades da Federação. Até 30 de junho, o sistema da conferência recebeu cadastros de projetos de 468 escolas de 22 estados e do Distrito Federal. O prazo para as escolas registrarem projetos vai até 7 de setembro. A conferência nacional será realizada de 25 a 29denovembro.

    Na avaliação da coordenadora de educação ambiental do Ceará, Lindalva Cruz, 280 escolas é um número irrelevante, considerada a trajetória do estado nas três conferências anteriores. “Nosso objetivo, este ano, é ter a participação de mais de mil escolas”, afirmou. Lindalva atribui à mudança de gestão na maioria das redes municipais de educação, após as eleições municipais de 2012, uma das dificuldades para alcançar os números dos anos anteriores. Em 2003, o Ceará teve participação de 1.969 escolas; em 2005, foram 2.196; em 2009, 2.241.

     

    Além das atividades para a conferência, a secretaria de Educação cearense trabalha os temas ambientais todos os anos. Dois eventos estão consolidados — a mostra estadual de meio ambiente e a feira de ciências do ensino médio. A mobilização em torno da mostra e da feira, segundo Auxiliadora Vasconcelos, da coordenação de diversidade e inclusão educacional da Secretaria de Educação, cria um ambiente participativo e motivador de educadores e estudantes.

     

    Para divulgar a conferência, a secretaria reproduziu material disponível na página on-line da 4ª Conferência e promoveu encontros nas 22 regionais de ensino, com a presença de professores, coordenadores pedagógicos e diretores. Nessas reuniões, de acordo com Lindalva, foram apresentados os temas e orientações sobre a elaboração do trabalho na escola, criação do projeto e eleição de delegados para a representação estadual.

     

    Conferência — A 4ª Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente é dirigida a estudantes do sexto ao nono ano do ensino fundamental, com idade de 11 a 14 anos. É constituída de três etapas:

     

    • Escolar, obrigatória para as fases seguintes — cadastramento de projetos até 7 de setembro

    • Estadual, que reúne os delegados eleitos nas escolas para debater os projetos — deve ocorrer até 25 de outubro

    • Nacional, que deve alcançar 700 delegados, de 25 a 29 de novembro

     

    Promovida pelos ministérios da Educação e do Meio Ambiente, a Conferência Nacional Infantojuvenil teve a primeira edição em 2003, a segunda em 2005 e a terceira em 2009. Cada uma reúne entre 600 e 700 delegados eleitos nas etapas escolares e estaduais.

     

    O calendário e todos os procedimentos da preparação do evento estão na página da 4ª Conferência na internet.

     

    Ionice Lorenzoni

     

     

     

     

  • Estudantes abrem no sábado o debate sobre escola sustentável

    A conferência tem como proposta fortalecer a educação ambiental nos sistemas de ensino e levar as escolas a participar ativamente na construção de políticas públicas (foto: arquivo MEC– 8/8/11)Começa no sábado, 23, a etapa nacional da 4ª Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. Mais de mil pessoas, entre estudantes e educadores, estarão reunidas no Centro de Treinamento Educacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Indústria, em Luziânia (GO), para participar da abertura. Nesta edição, 673 estudantes de 11 a 14 anos, que representam 18 mil escolas, além de 250 educadores de todas as unidades da Federação, debaterão o tema Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis.

     

    A quarta edição da conferência conta com a maior adesão de escolas nos dez anos de realização do encontro. Durante seis dias, os participantes vão discutir possíveis formas de transformar as unidades de ensino em espaços sustentáveis. A dinâmica do evento envolve a realização de atividades em grupo — os estudantes vão os projetos desenvolvidos nas escolas durante as etapas regionais.

     

    Promovida pelos ministérios da Educação e do Meio Ambiente, a conferência tem como proposta fortalecer a educação ambiental nos sistemas de ensino e levar as escolas a participar ativamente na construção de políticas públicas. A primeira edição, em 2003, reuniu 15.452 escolas; a segunda, em 2005–2006, 11.475; a terceira, em 2008–2009, 11.630.


    Assessoria de Comunicação Social

  • Estudantes pedem esforço para o Brasil construir um futuro sustentável

    Dilma destacou a importância de políticas públicas de preservação: “O país tem compromisso com o meio ambiente” (foto: Marconi Henrique/MEC)A presidenta da República, Dilma Rousseff, recebeu nesta terça-feira, 26, em cerimônia no Palácio do Planalto, estudantes de 11 a 14 anos que participam como delegados da 4ª Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, iniciada no sábado, 23. O tema deste ano é Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis. O ministro da Educação interino, Henrique Paim, e a secretária de educação continuada, alfabetização, diversidade e inclusão do Ministério da Educação, Macaé Evaristo, estiveram presentes.

     

    Dois delegados entregaram a Dilma um documento, identificado como presente sustentável, com 108 propostas para a implementação de escolas sustentáveis. Dois representantes dos delegados leram carta endereçada à presidenta com pedido de esforços conjuntos para a construção de um futuro sustentável para o país. Ao todo, mais de três municípios participam da quarta edição da conferência, que envolve quase nove milhões de pessoas na organização e realização. O evento será encerrado na quinta-feira, 28.

    A estudante Maria Gabriela disse ter aprendido muito com a conferência e fez apelo pela preservação:  “Somos o futuro da nação, muita coisa depende da gente” (foto: Marconi Henrique/MEC)

    Em sua fala, Dilma destacou a importância de políticas públicas voltadas para a preservação e conservação do meio ambiente. Segundo ela, é preciso que haja respeito. “Essa preocupação deve ser de todos. O país tem compromisso com o meio ambiente”, afirmou. A presidenta elogiou a iniciativa da conferência e ressaltou a participação dos jovens. “O futuro está aqui”, disse.


    Mudanças — Aos 13 anos, Maria Gabriela Lopes Alves já ajudou a desenvolver projeto que pode mudar a realidade da sua escola, em Manaus. Ela integrou o grupo de 673 estudantes que participaram da conferência, que se realiza em Luziânia, Goiás. “Foi um aprendizado muito grande. Tive o privilégio de aprender muitas coisas”, vibrou a jovem.

     

    O projeto desenvolvido por Maria Gabriela e seus colegas, apresentado na conferência, é voltado para a preservação de um lago próximo à escola na qual estuda. A ideia é organizar passeatas e campanhas de mobilização para a limpeza do lago e de conscientização da população local. “Somos o futuro da nação. Muita coisa depende da gente”, afirmou.


    Assessoria de Comunicação Social

  • Evento sobre meio ambiente vai reunir 400 jovens de 52 países

    Iniciativa dos ministérios da Educação e do Meio Ambiente vai reunir em Luziânia (GO), a 50 quilômetros de Brasília, 400 adolescentes, provenientes de 52 países, entre os dias 5 e 10 de junho. Reunidos na Conferência Internacional Infantojuvenil – Vamos cuidar do planeta, os jovens, com idades entre 12 e 15 anos, vão assumir responsabilidades e pedir a seus governantes que adotem políticas em defesa do clima e do planeta.

    O evento tem por base a experiência bem-sucedida das três conferências nacionais infanto-juvenis pelo meio ambiente, que aconteceram no Brasil em 2003, 2006 e 2009, e envolveram 13 milhões de pessoas, em 20 mil escolas de todo o país. Agora o governo brasileiro está replicando a iniciativa em âmbito internacional.

    Durante a conferência, os jovens delegados vão aprender a produzir peças de comunicação para divulgar sua mensagem e participarão de atividades culturais e oficinas relacionadas à temática das mudanças socioambientais globais.

    Os adolescentes também visitarão o Parque Nacional de Brasília e o Jardim Botânico, para conhecer um dos principais biomas brasileiros, o cerrado. O produto final da conferência será a Carta das responsabilidades – Vamos cuidar do planeta, na qual todos os jovens participantes se comprometem a adotar ações em suas comunidades e divulgar a carta para seus governos locais e nacionais.

    Assessoria de Imprensa da Secad 

    Mais informações sobre a conferência.

  • Haddad lança desafio a jovens de todo o mundo para proteção do planeta

    Final: jovens de 53 países se despedem da Confint (Foto: Fabiana Carvalho)O ministro da Educação, Fernando Haddad, desafiou os jovens de todo o planeta a manter o comprometimento com a causa da preservação ambiental. Haddad participou na noite de quinta-feira, 11, no Museu da República, em Brasília, do encerramento da 1ª Conferência Internacional Infantojuvenil Vamos Cuidar do Planeta.

    “Terremotos, tsunamis, são tragédias inevitáveis, mas outras estão sob nosso controle. Vocês vieram ao Brasil num momento muito delicado do mundo, em que acontece um dos maiores desastres ambientais da história, no Golfo do México”, lembrou o ministro. “Para satisfazer nossas ambições de consumo, atacamos a nós mesmos. A lógica, hoje, não opõe apenas o homem contra a natureza, mas o homem contra o homem.”

    Segundo Haddad, os jovens representantes de 53 países não voltam os mesmos que chegaram ao Brasil. “O papel de vocês é fundamental daqui pra frente. Vocês são protagonistas para reverter esses conflitos”, afirmou.

    O ministro alertou a todos os participantes da conferência sobre a necessidade de estar comprometidos com uma causa destinada a preservar a vida. “O desafio aqui imposto é como podemos conviver em paz com nossas gerações e com a natureza. Vocês vão queimar muito neurônio para nos livrar das armadilhas que criamos para nós mesmos”, salientou.

    Ao encerrar a conferência, os participantes entregaram a carta de responsabilidades Vamos Cuidar do Planeta. “Se queremos nos proteger das mudanças ambientais, precisamos assumir responsabilidades e ações”, diz o documento, que contém nove ações concretas relativas à preservação do meio ambiente.

    Assessoria de Comunicação Social


Fim do conteúdo da página