Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Atenção à saúde tem recursos de R$ 82,4 milhões liberados

    Recursos de R$ 82,4 milhões serão destinados a 29 hospitais universitários federais do país para aplicação em atividades de atenção à saúde nos serviços ambulatoriais e hospitalares e aquisição de equipamentos de videocirurgia. O repasse está previsto no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), executado em parceria pelos ministérios da Educação e da Saúde.

     

    Estão contemplados hospitais de 18 estados e do Distrito Federal. O Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) é o maior beneficiado, com R$ 6,5 milhões, seguido do Hospital Universitário Prof. Edgard Santos, da Universidade Federal da Bahia, com R$ 6,1 milhões. A liberação dos recursos pelo Fundo Nacional de Saúde está condicionada à comprovação, pelas unidades, da necessidade de pagamento imediato.

     

    Criado em 2010, o Rehuf, coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), tem entre as atribuições a recomposição do financiamento dos hospitais universitários federais e a recuperação física e tecnológica das unidades.

     

    A Portaria nº 2.759/2013, que autoriza o repasse de recursos para os hospitais, foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 20, seção 1, página 44.


    Assessoria de Comunicação Social da Ebserh

  • Comitê gestor aprova liberação de R$ 100 milhões em sete dias

    O Comitê Gestor do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) reuniu-se na sede da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), para deliberar sobre a execução do orçamento do programa para 2015, estimado em R$ 870 milhões. Na reunião, realizada nesta semana, os conselheiros aprovaram a liberação de R$ 100 milhões pelo Ministério da Saúde, nos próximos sete dias, para serem usados no custeio de 49 hospitais universitários federais do país.

    Outros R$ 100 milhões serão liberados no segundo semestre deste ano e o restante dos recursos será repassado de acordo com as necessidades apresentadas pelos hospitais. “Apesar da distribuição tardia dos recursos, em função da demora da aprovação do orçamento da União, estão sendo tomadas as providências para garantir a sustentabilidade financeira dos hospitais universitários federais este ano”, afirmou o presidente da Ebserh, professor Newton Lima.  Além do custeio, foram definidas as diretrizes de investimento para a continuidade da reestruturação física e tecnológica dos hospitais.

    Estiveram presentes à reunião representantes da Ebserh, do Ministério da Saúde, do Ministério do Planejamento, do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conasss), do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e dos representantes dos hospitais universitários federais.

    O programa – Os recursos do Rehuf são geridos pela Ebserh e são destinados à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS).

    O objetivo do programa é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, assim como proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde.

    O programa também prevê o financiamento compartilhado das filiais entre as áreas da educação e saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico dos hospitais.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Empresa de Serviços Hospitalares libera R$ 4,75 milhões para hospitais universitários

    A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação, liberou R$ 4,75 milhões de créditos orçamentários do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) a quatro unidades hospitalares. Os recursos serão repassados em parcela única e liberados mediante a liquidação dos empenhos emitidos.

    A iniciativa destina-se ao financiamento da aquisição de medicamentos, materiais médico-hospitalares, produtos para a saúde, insumos e serviços. Nessa oportunidade, foram liberados: R$ 1,7 milhão para Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU-UFJF); R$ 700 mil para o Hospital Universitário da Universidade Federal de Brasília (HUB-UnB); R$ 2 milhões para o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA), e R$ 350 mil para o Hospital Universitário da Universidade Federal de Grande Dourados (HU-UFGD).

    Criado em 2010, o Rehuf estabelece as condições materiais e institucionais para que os hospitais desempenhem plenamente suas funções de ensino, pesquisa e extensão e assistência à saúde da população.

    A decisão pode ser encontrada nas páginas 11 e 12 da seção 1 do Diário Oficial da União (DOU), da última quarta-feira, 17.

    Assessoria de Comunicação Social da Ebserh

  • Equipamentos são comprados com economia de R$ 40,6 milhões

    As compras de equipamentos de videocirurgia para 39 hospitais universitários federais feitas por pregão eletrônico resultaram em economia de R$ 40,6 milhões aos cofres públicos. Além de maior transparência no processo, essa forma de aquisição permite a obtenção de menores preços. A economia foi de 24,8 % em relação ao preço de referência dos itens. Enquanto o valor inicial chegava a R$ 163,8 milhões, o preço final obtido com os pregões foi de R$ 123,2 milhões.

     

    Desde a criação, em 2010, do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), o pregão eletrônico passou a ser usado nas aquisições do material necessário ao funcionamento das unidades. Entre os equipamentos adquiridos estão conjuntos de videocirurgia; sistemas de bomba eletrônica de irrigação para histeroscopia; conjuntos básicos para artroscopia de joelho, punho e quadril e para videolaparoscopia, videocirurgia de tórax, histeroscopia e urologia.

     

    O resultado do julgamento do pregão eletrônico foi publicado na edição desta segunda-feira, 14, seção 3, página 36 do Diário Oficial da União.


    Assessoria de Imprensa da Ebserh

  • Governo destina R$ 100 milhões para 49 hospitais universitários

    O governo federal liberou R$ 100 milhões para 49 hospitais que fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf). A Portaria 879 do Ministério da Saúde, que disciplina a medida, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 1º de julho. O Rehuf é administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), órgão vinculado ao Ministério da Educação.

    O Fundo Nacional de Saúde adotará as medidas necessárias para a descentralização orçamentária, no valor descrito. Além desse montante, outros recursos de planos emergenciais já foram repassados em 2015. Os recursos disponíveis para cada hospital estão especificados no texto da portaria.

    Programa – Os recursos do Rehuf são geridos pela Ebserh e são destinados à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo do programa é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, assim como proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde.

    O programa também prevê o financiamento compartilhado das filiais entre as áreas da educação e saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico dos hospitais.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Ebserh

    Confira as informações da portaria 879, no Diário Oficial

  • Governo investe R$ 939 milhões em recuperação de hospitais

    O Comitê Gestor do Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), aprovou nesta quinta-feira, 23, o plano de aplicação dos recursos financeiros do programa para este ano. Em 2013, será destinado um total de R$ 939,1 milhões em investimento nas ações de recuperação das unidades vinculadas às instituições federais de ensino superior.

    O montante, que considera os recursos dos ministérios da Educação e da Saúde, parceiros no financiamento do programa, representa uma ampliação em relação a 2012, quando foram aplicados R$ 904 milhões em investimentos.

    Dos recursos do Ministério da Saúde, que somam R$ 630 milhões, a distribuição prevê a aplicação de R$ 180 milhões para a realização de reformas de melhorias nas unidades e R$ 170 milhões para a aquisição de equipamentos para a modernização do parque tecnológico. O restante é destinado ao custeio de atividades de ensino, pesquisa, serviços de atenção à saúde e apoio a iniciativas de melhorias na gestão. A outra parcela dos recursos corresponde à ação orçamentária do Ministério da Educação, aplicada pela Ebserh, nos 46 hospitais vinculados.

    O colegiado aprovou ainda o relatório de aplicação dos recursos no ano de 2012, a partir do qual foram viabilizadas ações como o início da realização de 110 obras em 22 hospitais e a aquisição de pouco mais de nove mil itens e equipamentos, entre camas eletrônicas, sistemas de videoendoscopia e aparelhos de neonatologia.

    Ao aprovar os investimentos realizados no último ano, o reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Natalino Salgado, representante da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) no comitê, destacou os impactos do programa nos serviços prestados pelo hospital. “O investimento por meio do Rehuf melhora a qualidade, amplia o atendimento, cria um ambiente adequado, humaniza as práticas assistenciais, além de permitir a implementação de reformas necessárias e a aquisição de equipamentos, o que induz a uma assistência melhor e mais humanística”, destacou.

    Para o diretor do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Antônio Ribeiro, também integrante do fórum, a atualização tecnológica dos hospitais tem resultado em benefícios para a população. “Os investimentos em radiologia e equipamentos trouxeram uma melhora significativa no atendimento”, ponderou.

    A distribuição dos recursos entre os 46 hospitais universitários federais é feita a partir de uma matriz de distribuição que considera indicadores como o porte do hospital, definido de acordo com o número de leitos; a produção e a complexidade dos procedimentos feitos em cada unidade; indicadores hospitalares e a inserção de cada hospital na rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

    Comitê Gestor– O Comitê Gestor do Programa Rehuf, instituído pela Portaria Interministerial nº 883/2010, é formado por representantes dos ministérios da Educação, da Saúde, do Planejamento, da Andifes, do Fórum de Diretores dos Hospitais Universitários Federais e dos conselhos nacionais de Secretários Estaduais (Conass) e Municipais de Saúde (Conasems).

    Assessoria de Comunicação Social

  • Hospitais universitários terão R$ 95 milhões para reformas

    Hospitais universitários federais receberão R$ 95,5 milhões para obras, reformas e ampliações de suas unidades. Os recursos, que contemplarão 21 unidades, fazem parte do Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e executado em parceria pelos ministérios da Educação e Saúde. O montante de R$ 44,8 milhões foi liberado pela estatal nesta terça-feira, 27. O restante, R$ 50,7 milhões, estará disponível após publicação de portaria do Ministério da Saúde no Diário Oficial da União.

    Os recursos são destinados aos hospitais que apresentaram projetos, aprovados após análise técnica. Entre as obras previstas pelas unidades estão reformas e ampliações de unidades de terapia intensiva (UTI) adulto e neonatal, ambulatórios, centros cirúrgicos, enfermarias, maternidades, aquisição e instalação de equipamentos prediais, reparo e modernização de instalações elétricas, adequação de espaços físicos, entre outras.

     

    O Rehuf tem como objetivo a ampliação do financiamento dos hospitais universitários, além da recuperação física e tecnológica das unidades. Mais de R$ 1,9 bilhão foram investidos na aquisição de equipamentos e realização de reformas nos hospitais universitários federais desde a criação do programa, em 2010.


    Assessoria de Comunicação Social

     

     

     

     

  • Hospital de Clínicas do Paraná recebe novos equipamentos

    O serviço de neurocirurgia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, recebeu neste mês quatro equipamentos para atendimento ao cidadão e tornou-se um dos mais modernos em neurocirurgia do Brasil. As novas aquisições custaram cerca de R$ 4 milhões e já estão em uso.

    Os novos materiais são um microscópio cirúrgico Pentero-Zeiss, um neuronavegador, um drill e um aspirador ultrassônico. O microscópio possibilita a realização de exames durante cirurgias de aneurismas e tumores cerebrais.
    Já o neuronavegador é semelhante a um GPS e permite a localização perfeita da lesão, sendo utilizado para cirurgias de tumores cerebrais e epilepsias.

    O equipamento drill é um motor cirúrgico de alta precisão, comparável a uma pequena serra, que realiza cortes precisos em procedimentos realizados no crânio para acessar o cérebro. O aspirador ultrassônico é um sistema que aspira e vibra ao mesmo tempo, quebrando e aspirando somente as células com tumor.

    As aquisições foram possíveis com verbas do Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários (Rehuf), administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), e destinadas por intermédio de ações dos ministérios da Saúde e da Educação.

    Com os novos equipamentos, o Hospital de Clínicas paranaense, que realiza 600 neurocirurgias por ano, pretende dobrar esse número.

    Assessoria de Comunicação Social





  • Liberados R$ 100 milhões para atenção à saúde, ensino e pesquisa

    Hospitais universitários federais receberão R$ 100 milhões para o custeio de atividades de atenção à saúde, ensino e pesquisa. A autorização do repasse, que representa a primeira parcela do exercício de 2013, foi publicada nesta sexta-feira, 19. Os recursos fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). O programa é constituído por recursos dos ministérios da Educação e da Saúde

     

    Os valores destinados a cada unidade foram definidos com base em critérios como porte do hospital, inserção no Sistema Único de Saúde (SUS), taxa de ocupação e permanência nos leitos e produção científica, entre outros. Além dos recursos autorizados nesta sexta-feira, está prevista para este ano a destinação, por meio do Rehuf, de R$ 329,8 milhões em investimentos para a aquisição de equipamentos e novas construções e de R$ 440 milhões para custeio. Desse total, R$ 180 milhões serão investidos em reformas de infraestrutura.

     

    A ampliação do financiamento dos hospitais universitários é um dos objetivos do Rehuf, que também contempla ações para a recuperação física e tecnológica das unidades. Desde a criação do programa, em 2010, foram repassados R$ 1,9 bilhão aos hospitais para aquisição de equipamentos e realização de reformas.

     

    A relação dos hospitais contemplados e os valores destinados a cada unidade constam da Portaria do Ministério da Saúde nº 1.464/2013, publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 19, seção 1, página 27.


    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Ebserh

  • Liberados R$ 82,4 milhões para funcionamento de 15 unidades

    Recursos de R$ 82,4 milhões foram destinados a hospitais-escola vinculados a 15 universidades federais para aplicação em custeio de atividades de assistência à saúde da população, ensino e pesquisa. Liberados pelo Ministério da Saúde, os recursos fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) do Ministério da Educação.

    Os valores destinados a cada hospital consideram, entre outros aspectos, o porte e o perfil das unidades, o número de leitos e a integração com o Sistema Único de Saúde (SUS).

    Criado em 2010, o Rehuf prevê o financiamento compartilhado dos hospitais universitários federais entre as áreas da educação e da saúde. O programa contempla iniciativas para a modernização da estrutura física e do parque tecnológico das unidades. Os hospitais universitários federais são responsáveis pela formação de grande número dos profissionais de saúde do país. Em determinadas regiões, são as unidades mais importantes do serviço público de saúde.

    Os hospitais contemplados e os valores destinados a cada um estão disponíveis na Portaria nº 2.638/2012, publicada no Diário Oficialda União desta quarta-feira, 21, seção 1, página 61.

    Assessoria de Imprensa da Ebserh
  • MEC antecipa liberação de R$ 31 milhões do Rehuf para os hospitais universitários federais

    O Ministério da Educação (MEC) antecipou a liberação de R$ 31 milhões do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) para que as unidades de saúde das instituições federais de ensino comecem o ano com dinheiro em caixa para realizar investimentos e planejar o início de 2018. Na última sexta-feira, o Comitê Gestor do Rehuf aprovou a liberação do recurso para 48 unidades federais. O programa é administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal ligada ao MEC.

    O ministro da Educação, Mendonça Filho, destacou a importância desses recursos para a garantia da boa prestação de serviço dos hospitais universitários do país. “Desde o início da gestão, temos dado uma atenção especial aos hospitais universitários federais. Nosso objetivo é garantir que eles continuem prestando serviços de qualidade nas áreas de ensino, pesquisa e assistência à população. Esta liberação confirma nosso compromisso em começar o ano de 2018 com verbas para investimentos e custeio de materiais para as unidades”.

    Essa iniciativa foi aprovada em tempo recorde. É a primeira vez que a liberação é realizada no começo de janeiro. O recurso será utilizado na compra de insumos, como medicamentos, ou em investimentos nas unidades, como novos equipamentos ou reformas. A decisão fica à critério do próprio hospital, que agora deve informar à Ebserh, por meio de planos de trabalho, o destino dos recursos.

    “Liberamos recursos em dezembro para garantir o abastecimento das unidades e o atendimento à população. Agora, estes valores estão sendo enviados para que as unidades possam planejar e cumprir as ações de 2018 com maior tranquilidade e celeridade”, destacou o vice-presidente da Ebserh, Paulo Henrique Costa.

    Os recursos do Rehuf serão utilizados na compra de medicamentos ou em investimentos nas unidades, como novos equipamentos ou reformas (Foto: Mariana Leal/MEC)

    Liberações mais rápidas têm sido uma constante na estatal e são resultado da criação de um novo fluxo de processos dentro da empresa, que dá maior celeridade na aprovação de recursos para os hospitais. Antes, o processo de descentralização de créditos por meio da inserção de planos de trabalho levava, em média, 54 dias para a aprovação. Com o novo fluxo, esse prazo tem durado cerca de 10 dias.

    “O Rehuf tem um impacto positivo muito grande para nós, principalmente na parte de capital e no crescimento da nossa infraestrutura. Todo investimento que o HU faz hoje é com recursos do Programa. Vindo agora no começo de janeiro, ainda nos ajuda a executar o planejamento que temos para o ano, sem atropelar etapas”, destacou a superintendente do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe, Ângela Maria Da Silva, que adiantou o interesse em usar o recurso em equipamentos na área de cirurgia.

    O Programa
    Os recursos do Rehuf são oriundos dos ministérios da Educação e da Saúde. O programa destina-se à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, incluindo as não filiadas à Ebserh, estatal vinculada ao MEC, que administra 39 hospitais universitários federais. A descentralização obedece a critérios como o porte do hospital (número de leitos), o perfil assistencial (baixa, média ou alta complexidade), obras e reformas em andamento, entre outros.

    O objetivo é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, assim como proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde. O programa também prevê iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico dos hospitais.

    Assessoria de Comunicação Social

  • MEC libera R$ 54,83 milhões para hospitais universitários

    O Ministério da Educação liberou na quinta-feira, 6, R$ 54,83 milhões para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). A maior parte, R$ 41,56 milhões, será destinada ao custeio de materiais de uso diário dos hospitais universitários federais do país. O programa Mais Médicos receberá R$ 7,9 milhões. Os demais R$ 5,36 milhões serão aplicados em outras despesas da empresa pública.  

    O aporte corresponde a descentralizações orçamentárias realizadas em 2016, que estarão disponíveis nas contas das unidades este mês, por meio do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf). “O Rehuf é essencial para continuarmos reestruturando os hospitais universitários federais. Hoje, já temos diversos exemplos de hospitais que conseguiram ampliar atendimentos e oferecer mais serviços por conta dos recursos do programa”, destacou o presidente da Ebserh, Kleber Morais.

    A verba do Rehuf é destinada à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo é criar condições materiais e institucionais para que essas unidades possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde e incentivar o ensino e a pesquisa.

    O programa também prevê o financiamento compartilhado dos hospitais por meio dos ministérios da Educação e da Saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico das unidades hospitalares.

    Assessoria de Comunicação Social 

  • MEC libera R$ 85,2 milhões para uso dos hospitais universitários

    O Ministério da Educação liberou, nesta semana, R$ 85,2 milhões em recursos financeiros para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada à pasta, para o custeio dos hospitais, a compra de materiais de consumo, como medicamentos, e aplicação no patrimônio. Desse valor, R$ 32 milhões fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf).

    “A liberação desse valor por parte do MEC, na reta final de fechamento do ano, foi fundamental para mantermos o mesmo volume de recursos do ano passado, abastecer os nossos hospitais e fazer investimentos em projetos que precisavam desses repasses extras”, explicou o diretor vice-presidente da Ebserh, Paulo Henrique Costa. “Dessa forma, estamos preparados para o fechamento do ano e para o novo ciclo de investimentos e custeio em 2018.”

    As filiais da Ebserh estão localizadas em 20 estados do país, mais o Distrito Federal. Além delas, outras unidades não filiadas, de três estados, recebem recursos do Rehuf. São elas: Hospital de Clínicas de Uberlândia, em Minas Gerais, Hospital de Clínicas de Porto Alegre e o complexo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que possui oito unidades.

    Ao longo de 2017, o MEC liberou para a Ebserh R$ 317.190.902,00 para serem investidos no Rehuf; R$ 120.815.000,00 no Programa Mais Médicos; R$ 3.200.259.053,00 para o pagamento de pessoal, benefícios e sentenças judiciais; R$ 161.516.370,00 para recursos de custeio; e R$ 29.607.328,00 para recursos de investimento.

    Programa – Os recursos do Rehuf são geridos pela Ebserh e são oriundos dos ministérios da Educação e da Saúde. O investimento é destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados ao Sistema Único de Saúde (SUS).

    O objetivo do programa é criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam oferecer atendimento médico e hospitalar de qualidade à população, assim como proporcionar a formação qualificada de profissionais da área de saúde.

    O programa também prevê o financiamento compartilhado das filiais entre as áreas da educação e saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico dos hospitais.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Ebserh  

     

  • Recursos de R$ 16 milhões são liberados para cinco unidades

    Hospitais universitários vinculados a quatro universidades federais receberão recursos de R$ 16 milhões para aplicar no custeio de atividades de assistência à saúde, ensino e pesquisa. O repasse, autorizado pelo Ministério da Saúde por meio de portaria, corresponde à segunda parcela do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf).

    Foram contempladas cinco unidades de saúde ligadas às universidades federais Fluminense (UFF), de Campina Grande (UFCG), de Mato Grosso (UFMT) e do Ceará (UFC). Os valores foram definidos com base no perfil de cada hospital, considerado o número de leitos, a complexidade do atendimento e o contrato com os gestores estaduais e municipais de saúde.

     

    O Rehuf, criado em 2010, tem entre suas diretrizes a recomposição do financiamento dos hospitais universitários federais e a recuperação física e tecnológica das instituições. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) é o órgão do Ministério da Educação responsável pela gestão do programa.

     

    A liberação dos recursos foi autorizada pela Portaria do Ministério da Saúde nº 2.531/2012, publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira, 9, seção 1, página 56. A portaria também publica a relação dos hospitais contemplados.

     

    Assessoria de Imprensa da Ebserh


     

  • Recursos de R$ 47,6 milhões serão liberados para reformas

    A Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, em Fortaleza, está entre as unidades de saúde contempladas com recursos do Rehuf (foto: blogs.diariodonordeste.com.br)Hospitais-escola vinculados a quatro instituições federais de educação superior receberão R$ 47,6 milhões para a realização de reformas. Os recursos, que fazem parte do Programa de Reestruturação de Hospitais Universitários Federais (Rehuf), criado em 2010 pelo governo federal, serão repassados a unidades hospitalares das universidades federais de São Paulo (Unifesp), Ceará (UFC), Rio Grande (Furg) e Grande Dourados (UFGD).

    Às instituições vinculadas à UFC serão destinados R$ 33 milhões para reformas na Maternidade-Escola Assis Chateaubriand e no Hospital Universitário Walter Cantídio. O Hospital São Paulo, administrado pela Unifesp, receberá R$ 8,5 milhões; o Hospital Universitário Professor Miguel Riet Correa Júnior, da Furg, R$ 3,3 milhões; o Hospital Universitário de Dourados, R$ 2,4 milhões.  

    O valor destinado a cada unidade foi definido com base em planos de trabalho por elas definidos. A descentralização ocorre por meio do Fundo Nacional de Saúde, enquanto a liberação fica condicionada à comprovação, pelas unidades, da necessidade de pagamento imediato.

    O Rehuf, criado em 2010, dispõe sobre o financiamento compartilhado dos hospitais universitários federais entre as áreas da educação e da saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico.

    Os 46 hospitais, vinculados a 32 universidades federais, são responsáveis pela formação de grande número de profissionais de saúde do país. Em determinadas regiões, são as unidades mais importantes do serviço público de saúde. Eles cumprem papel fundamental na consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que muitos são considerados de grande porte e têm perfil assistencial de alta complexidade.

    Desde o início de 2012, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação, é o órgão do governo federal responsável pela gestão do Rehuf.

    A liberação dos recursos, que corresponde à primeira parcela prevista no programa para reformas no exercício de 2012, consta da Portaria nº 1.979/2012, do Ministério da Saúde, publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 13, seção 1, página 138.

    Assessoria de Imprensa da Ebserh
  • Recursos para 37 unidades chegam a R$ 121,5 milhões

    Hospitais universitários vinculados a instituições federais de educação superior receberão R$ 121,5 milhões para aplicar em atividades de assistência à saúde da população, ensino e pesquisa. Os recursos serão destinados a 37 unidades, vinculadas a 27 universidades.

    Os recursos, do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), referem-se a parcela do Ministério da Saúde, como estabelecem as portarias nº 2.170, publicada na sexta-feira, 28 de setembro, e 2.177, publicada nesta segunda-feira, 1º de outubro, no Diário Oficial da União.

    Entre as unidades contempladas está o Hospital Universitário do Maranhão, para o qual serão destinados R$ 10,3 milhões; o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, que receberá 9,5 milhões, e o Hospital Universitário de Santa Maria, com R$ 7,7 milhões.

    Os valores destinados a cada hospital consideram, entre outros aspectos, o porte e perfil de cada unidade, o número de leitos e a integração com o Sistema Único de Saúde (SUS).

    Criado em 2010, o Rehuf dispõe sobre o financiamento compartilhado dos hospitais universitários federais entre as áreas da educação e da saúde e contempla iniciativas de modernização da estrutura física e do parque tecnológico. Desde o início de 2012, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação, é o órgão do governo federal responsável pela gestão do programa.

    Os hospitais universitários federais são responsáveis pela formação de grande número dos profissionais de saúde do país. Em determinadas regiões, são as unidades mais importantes do serviço de saúde pública. Eles cumprem papel fundamental na consolidação do SUS, uma vez que muitos são considerados de grande porte e têm perfil assistencial de alta complexidade.

    Assessoria de Imprensa da Ebserh

    Confira a Portaria nº 2.170, de 27/9/2012

    Confira a Portaria nº 2.177, de 28/9/2012

  • REHUF

    Decreto nº 7.082, de 27 de janeiro de 2010– Institui o Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF).

    Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários (AGHU)




  • Sistema informatizado auxilia unidades a modernizar gestão

    A modernização da gestão levou nove unidades de saúde, vinculadas a oito instituições de educação superior, à implantação do Aplicativo de Gestão dos Hospitais Universitários (Aghu), sistema desenvolvido pelo Ministério da Educação em parceria com o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, com base em modelo adotado pela instituição gaúcha. A modernização dos hospitais-escola é um dos objetivos do Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf).

    As unidades que adotaram o aplicativo estão sob o controle de instituições federais do Paraná, Pará, Maranhão, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Um dos mecanismos do aplicativo é o prontuário informatizado de cada paciente, com informações sobre ingresso, pedidos de exames, receitas de medicamentos e cirurgias. Os dados são usados por médicos, enfermeiros, setor administrativo e tesouraria. O sistema funciona em tempo real.

    Na opção pelo modelo desenvolvido pelo HC de Porto Alegre, foi considerado o fato de o sistema ter como principal referência o atendimento ao paciente. Diferente de outros aplicativos, geralmente voltados para os trâmites administrativo e financeiro, o Aghu tem como prioridade o processo assistencial.

    A implantação do sistema resulta em mudanças na rotina das instituições. Isso porque, antes de receber o aplicativo, o hospital precisa estar preparado do ponto de vista da organização interna. Essa implantação deve ocorrer em todos os 46 hospitais da rede. O prazo dependerá da necessidade de adequações de cada unidade, treinamento de pessoal e instalação de equipamentos.

    Hospitais em que o Aghu foi implantado

    UF

    Instituição de ensino

    Unidade de saúde

    MA

    Universidade Federal do Maranhão

    HU

    MS

    Universidade Federal da Grande Dourados

    HU

    Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

    HU Maria Aparecida Pedrossian

    PR

    Universidade Federal do Paraná

    Maternidade Vitor Ferreira do Amaral

    PA

    Universidade Federal do Pará

    HU João de Barros Barreto

    HU Betina Ferro de Souza

    MG

    Universidade Federal de Juiz de Fora

    HU

    Universidade Federal de Uberlândia

    Hospital de Clínicas

    RS

    Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Hospital de Clínicas de Porto Alegre


    O desenvolvimento do sistema ocorre paralelamente à implantação. O Ministério da Educação trabalha na construção, aperfeiçoamento e avaliações do aplicativo em parceria com técnicos do HC de Porto Alegre. O investimento do MEC chega a R$ 40 milhões, além dos R$ 68 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

    Assessoria de Comunicação Social da Ebserh

Fim do conteúdo da página