Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
  • Brasileiro conquista prêmio tão importante quanto o Nobel

    O carioca Artur Avilla, 35 anos, é o primeiro latino-americano a conquistar a Medalha Fields, conhecida como o Nobel de matemática. A entrega da premiação foi realizada na noite de terça-feira, 12, no 27º Congresso Internacional de Matemáticos em Seul, Coreia do Sul.

    Avilla, que cursou graduação em matemática na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é pesquisador do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), instituição em que concluiu o curso de doutorado, em 2001. É pesquisador ainda do Centro Nacional de Pesquisa Científica, órgão do governo francês.

    Ao justificar a premiação, o júri salientou que Avilla proporcionou “notáveis contribuições no campo dos sistemas dinâmicos, análise e outras áreas, em muitos casos, provando resultados decisivos que resolveram problemas há muito em aberto”.

    A medalha Fields, comparada ao prêmio Nobel, pela importância, é entregue a cada quatro anos a matemáticos de até 40 anos de idade. Em cada edição, são premiados de dois a quatro pesquisadores destacados. Este ano, também receberam a distinção o canadense Manjul Bhargava, o austríaco Martin Hairer e a iraniana Maryam Mirzakhani, primeira mulher a receber a distinção.

    Assessoria de Comunicação Social

  • MEC marca presença na abertura do mais importante encontro de matemáticos do mundo

    Abertura do Congresso Internacional de Matemáticos ocorreu nesta quarta-feira, 1º, no Rio de Janeiro, e teve a presença do ministro da Educação, Rossieli Soares (Foto: André Nery/MEC)

    Rio de Janeiro, 1º/8/2018 – O Brasil recebe, pela primeira vez, o mais importante e tradicional encontro de matemáticos do mundo. A abertura do Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018, na sigla em inglês) realizada nesta quarta-feira, 1º, no Rio de Janeiro, contou com a presença do ministro da Educação, Rossieli Soares. “É um momento histórico para toda a sociedade matemática brasileira, mas também da América do Sul e da América Latina”, destacou o ministro. “É um prazer estar aqui hoje e ter o Rio de Janeiro nos próximos dias como a capital mundial da matemática”.

    Com cerca de 2,5 mil pesquisadores dos cinco continentes, o evento segue até o próximo dia 9 e terá mesas redondas sobre temas como distribuição de gênero, história da matemática, desenvolvimento da disciplina nos países em desenvolvimento e o impacto que a tecnologia tem nessa ciência exata. Esta é a 28ª edição do ICM.

    O diretor-geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana, também presidente do Comitê Organizador do ICM, ressaltou que o Brasil passa por um momento histórico e de reconhecimento do avanço das pesquisas nessa área. “Há 70 anos, praticamente não havia pesquisa em matemática no país, mas isso mudou quando o Brasil foi promovido e passou a integrar o grupo máximo da União Matemática Internacional [Grupo 5], que reúne as 11 nações mais avançadas na área”, afirmou.

    Em nível nacional, o ICM integra o Biênio da Matemática do Brasil 2017-2018, responsável pelas ações nacionais e internacionais destinadas, entre outros objetivos, a incentivar o estudo da disciplina, popularizá-la e promover atividades que contribuam para aproximá-la do público.

    Nobel da Matemática – Durante o evento, o ministro Rossieli Soares fez a entrega da mais importante premiação da matemática mundial, a Medalha Fields, conhecida como Nobel da Matemática. A honraria é destinada aos matemáticos mais notáveis e promissores do planeta, destaques da área com menos de 40 anos de idade.

    Até hoje, Artur Ávila é o único brasileiro da história a ganhar a medalha, conquista registrada em 2014. Atualmente, ele divide seu tempo entre a Escola Técnica Federal de Zurique, na Suíça, e o Impa, onde fez toda a sua formação.

    Os vencedores deste ano são os professores Caucher Birkar, iraniano, 40 anos, da Universidade de Cambridge, na Inglaterra; Alessio Figalli, italiano, 34 (Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, Suíça); Peter Scholze, alemão, 30 (Hausdorff Center for Mathematic, Bonn, Alemanha); e Akshay Venkatesh, indiano, 35 (Universidade de Stanford, Califórnia, Estados Unidos). Até hoje, somente 56 matemáticos receberam essa distinção, instituída em 1936.

    Obmep - Os medalhistas de ouro da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) também participaram do ICM 2018 e tiveram a oportunidade de entrar em contato com os quatro mais importantes matemáticos do mundo. E não é só isso. Na quinta-feira, 2, 576 estudantes de escolas públicas e privadas de todo o Brasil receberão a medalha de ouro conquistada na Obmep de 2017.

    “Esses jovens, de escolas públicas, buscam seu caminho desde cedo na matemática”, lembrou Rossieli Soares. “Quem sabe, dessas centenas de jovens, também saiam grandes professores e pensadores. É muito importante ter os jovens aqui neste evento, olhando este mundo e este universo de grandes pensadores”.

    Maior olimpíada estudantil do país, destinada a alunos do sexto ano do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio, a Obmep reuniu 18,2 milhões de concorrentes de 99,6% dos municípios brasileiros – 17,8 milhões de escolas públicas e os demais de instituições privadas.

    A Obmep é elaborada pelo Impa e promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do MEC, com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

    ICM – Nunca antes realizado no hemisfério Sul, o primeiro ICM aconteceu em 1897, em Zurique, na Suíça. O evento é organizado a cada quatro anos pelo país-sede em parceria com a União Matemática Internacional (IMU).

    Assessoria de Comunicação Social

  • Vencedores da olímpiada de matemática das escolas públicas recebem medalhas no RJ

    “A matemática começou a transformar a vida de vocês, que são os campeões que o Brasil verdadeiramente precisa”, afirmou o ministro da Educação, Rossieli Soares, na cerimônia de premiação (Foto: André Nery/MEC)

    Os 574 estudantes que tiveram melhor desempenho na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) de 2017 receberam nesta quinta-feira, 2, as medalhas de ouro em reconhecimento aos resultados alcançados. No ano passado, mais de 18 milhões de estudantes de 53,2 mil escolas participaram da competição.

    A premiação da 13ª edição ocorreu durante o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM) 2018, no Rio de Janeiro. A solenidade contou com a presença do ministro da Educação, Rossieli Soares, do único brasileiro a ganhar a medalha Fields, considerada o Nobel da matemática, Artur Ávila, e do diretor do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana.

    Rossieli parabenizou os vencedores e enfatizou que eles estão dando um grande passo na vida deles e que esse reconhecimento é muito importante para o Ministério da Educação e para toda a sociedade brasileira. “Vocês vão parar em vários lugares do mundo. A matemática começou a transformar a vida de vocês, que são os campeões que o Brasil verdadeiramente precisa”, frisou o ministro. 

    O diretor do Impa destacou que ainda há espaço para o país avançar, e lançou um desafio para os agraciados: “Ser medalhista de ouro em uma olimpíada que começa com mais de 18 milhões é uma façanha que ninguém vai tirar de vocês, mas essa façanha vem com uma responsabilidade: o futuro do Brasil está com vocês”, disse Viana.

    “Eu espero que cada vez mais vocês e as pessoas que virão depois se motivem por meio dessa olimpíada e que venham a contribuir de maneiras variadas, não necessariamente como matemáticos, mas de uma maneira geral para o Brasil e para todos”, foi o recado dado aos medalhistas pelo único brasileiro a ganhar a medalha Fields, Artur Ávila.

    Obmep - Criada em 2005, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas é um projeto nacional dirigido às escolas públicas e privadas brasileiras, realizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), e promovida com recursos dos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

    Em 2018, será realizada a 14ª edição da premiação com uma inovação: a partir desse ano, os alunos do quarto e do quinto ano do ensino fundamental também poderão participar da competição.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página