Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > País ganha cinco novas universidades federais e 41 campi da rede de educação profissional
Início do conteúdo da página
  • Pesquisa aponta queda do analfabetismo e aumento na escolaridade

    Ao lado da ministra Tereza Campello, Henrique Paim analisa os resultados da pesquisa (Foto: Isabelle Araújo/MEC)

    O analfabetismo recuou em todas as faixas etárias. Apenas manteve-se estável na faixa entre 20 e 24 anos, com 1,6. A taxa de analfabetismo caiu de 8,7% em 2012 para 8,5% em 2013, considerando a população com 15 anos ou mais. Enquanto a taxa de escolarização registrou avanço em todas as faixas etárias.

    Os dados retificados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) de 2013 foram apresentados neste sábado, 20 pelos ministros da Educação, Henrique Paim, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e do ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri.

    Paim destacou que a taxa de analfabetismo na faixa dos 15 aos 19 anos, que caiu de 1,2 para 1,0 em 2013, é um resultado a ser comemorado. “Significa que o Brasil não está produzindo mais analfabetos, que fechamos a torneira. Isso demonstra o acerto das políticas públicas do governo federal, articuladas com estados e municípios”, afirmou o ministro.

    Escolarização- A taxa de escolarização registrou avanço em todas as faixas etárias, com destaque para a faixa dos quatro aos cinco anos de idade, que passou de 78,2% em 2012 para 81,4% em 2013. De acordo com o ministro da Educação, o desempenho reflete as políticas de expansão da educação infantil. Conforme o ministro Henrique Paim, é preciso considerar o aumento da taxa de escolarização entre a população entre 0 e 3 anos. Em 2012 era de 23,98 já em 2013 subiu para 26,01.

    Anos de estudo – O levantamento indicou aumento na média de anos de estudo em todas as regiões brasileiras. A média nacional passou de 7,5 anos em 2012 para 7,6 anos no ano passado, tempo que é ainda maior entre as mulheres, atingindo 7,8 anos.

    A Pnad, elaborada anualmente, tem como base 362.555 entrevistas realizadas em 1.100 municípios de todos os estados e Distrito Federal em 2013, abordando temas como população, migração, educação, trabalho, rendimento e domicílios.


    Assessoria de Comunicação Social

    Veja a apresentação sobre o Pnad

Fim do conteúdo da página