Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Exame terá 169 mil candidatos com tratamento diferenciado

    Mais de 8,7 milhões de pessoas farão, nos dias 8 e 9 de novembro, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição de 2014. Desses candidatos, 76.676 declararam que têm necessidades especiais e 36.385 solicitaram atendimento especializado. Outros 92.972 pediram atendimento específico.

    O atendimento especializado é oferecido aos participantes com baixa visão, cegueira, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdo-cegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia (dificuldade ao calcular) ou outra condição especial. No momento da inscrição, eles pediram esse tipo de atendimento. Contarão, portanto, entre outros recursos, com sala de mais fácil acesso (para 15.115 participantes), prova superampliada (6.768) e auxílio para transcrição (6.328).

    O atendimento específico será oferecido a gestantes, lactantes, idosos e estudantes em classe hospitalar. Estão aí incluídos ainda os sabatistas, que por convicção religiosa guardam os sábados (62.396 participantes). As lactantes são 13.882; as gestantes, 9.256.

    No primeiro dia do Enem (sábado, 8 de novembro), os candidatos terão quatro horas e meia para fazer as provas de história, geografia, filosofia, sociologia, química, física e biologia. No segundo dia (domingo, 9), cinco horas e meia para as de matemática, língua portuguesa, literatura, artes, educação física, tecnologias da informação e comunicação e língua estrangeira, além da redação. Nos dois dias, as provas terão início às 13h, no horário de Brasília.

    Para as provas do primeiro dia, o participante que guarda os sábados deve chegar ao local do exame no mesmo horário de todos os participantes — entre 12h e 13h — e aguardar em sala específica até as 19h. No caso dos sabatistas do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima, a prova será realizada a partir das 19h locais (18h em Brasília).

    Para ter acesso ao local de provas, o candidato deve apresentar documento de identidade com foto. Durante o exame, terá de preencher o caderno de respostas com caneta esferográfica preta. Ele terá permissão para deixar o local da prova somente duas horas após o início. Além disso, só será autorizado a levar o caderno de questões se sair nos 30 minutos finais.

    Mais informações sobre o exame e perguntas mais frequentes estão na página do Enem na internet e também no facebook.

    Assessoria de Comunicação Social

    Matéria republicada com acréscimo de informações

    Leia também:
    Nota do exame vale para outros programas oferecidos pelo MEC

  • Lactantes terão atendimento específico nos dias de provas

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, preparou um esquema especial para atender as candidatas ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que são lactantes. O objetivo é garantir tanto o direito à amamentação das crianças como o tratamento isonômico para todos os candidatos ao exame. Do total de 16.898 atendimentos específicos que serão realizados em todo o país, 7.920 são para lactantes.

    A solicitação para o atendimento específico foi feita durante a inscrição para o Enem. As mães poderão deixar as salas de provas para amamentar seus filhos acompanhadas por um fiscal. Além disso, os acompanhantes das lactantes permanecerão em uma sala próxima, junto a outro fiscal. Caso haja mais de um acompanhante no mesmo local, eles permanecerão juntos na mesma sala.

    “A amamentação é um dos atos mais importantes que a mulher pode fazer por seu filho. É um período sagrado. E o Enem é um exame inclusivo; por isso, a nossa preocupação com a inclusão e o bem-estar de todos os participantes”, observa a diretora de Gestão e Planejamento do Inep, Eunice Santos. Não há limites de vezes para as mães saírem da sala. Contudo, não será concedido tempo adicional na prova. Portanto, caberá a elas se organizarem para conciliar a realização do exame com a amamentação.

    Eunice lembra ainda que as participantes devem ficar atentas para não descumprirem nenhum item do edital e acabarem desclassificadas. Especialmente, elas não podem manter nenhum tipo de diálogo com os acompanhantes. E, para garantir a segurança do certame, passarão por detector de metais todas as vezes que precisarem sair e voltar para as salas de aplicação das provas.

    “A dica que damos para todos os participantes é manter a tranquilidade. Mais que uma prova, o Enem é uma oportunidade de projetar um futuro, com a certeza que tudo foi preparado de forma muito profissional e considerando a peculiaridade de cada participante”, conclui a diretora.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Saem os resultados dos recursos para atendimentos especiais

    Já estão disponíveis para consulta na Página do Participante os resultados dos recursos para atendimento específico e especializado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. Nessa etapa, foram analisados apenas os novos documentos — laudos médicos — enviados pelos participantes que tiveram a solicitação reprovada durante o período regular.

    Mais de 40 mil atendimentos especializados e 8 mil atendimentos específicos foram registrados nesta edição do Enem. As solicitações para uso de recursos de acessibilidade superaram 60 mil.

    Acessibilidade – A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep garante atendimento especializado, específico e por nome social aos participantes do Enem. Além dos três tipos de atendimento, são ofertados 15 recursos de acessibilidade.

    O Inep oferece atendimento específico para gestante, idoso, lactante, estudante em situação de classe hospitalar ou outra condição específica. Já o atendimento especializado é para participantes com autismo, baixa visão, cegueira, deficiência auditiva, deficiência física, deficiência intelectual (mental), déficit de atenção, discalculia, dislexia, surdez, surdocegueira e visão monocular.

    Confira o site do Enem

     

Fim do conteúdo da página