Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Estados e municípios têm até 27 de setembro para aderir ao modelo cívico-militar
Início do conteúdo da página
  • Exame terá 169 mil candidatos com tratamento diferenciado

    Mais de 8,7 milhões de pessoas farão, nos dias 8 e 9 de novembro, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição de 2014. Desses candidatos, 76.676 declararam que têm necessidades especiais e 36.385 solicitaram atendimento especializado. Outros 92.972 pediram atendimento específico.

    O atendimento especializado é oferecido aos participantes com baixa visão, cegueira, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdo-cegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo, discalculia (dificuldade ao calcular) ou outra condição especial. No momento da inscrição, eles pediram esse tipo de atendimento. Contarão, portanto, entre outros recursos, com sala de mais fácil acesso (para 15.115 participantes), prova superampliada (6.768) e auxílio para transcrição (6.328).

    O atendimento específico será oferecido a gestantes, lactantes, idosos e estudantes em classe hospitalar. Estão aí incluídos ainda os sabatistas, que por convicção religiosa guardam os sábados (62.396 participantes). As lactantes são 13.882; as gestantes, 9.256.

    No primeiro dia do Enem (sábado, 8 de novembro), os candidatos terão quatro horas e meia para fazer as provas de história, geografia, filosofia, sociologia, química, física e biologia. No segundo dia (domingo, 9), cinco horas e meia para as de matemática, língua portuguesa, literatura, artes, educação física, tecnologias da informação e comunicação e língua estrangeira, além da redação. Nos dois dias, as provas terão início às 13h, no horário de Brasília.

    Para as provas do primeiro dia, o participante que guarda os sábados deve chegar ao local do exame no mesmo horário de todos os participantes — entre 12h e 13h — e aguardar em sala específica até as 19h. No caso dos sabatistas do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima, a prova será realizada a partir das 19h locais (18h em Brasília).

    Para ter acesso ao local de provas, o candidato deve apresentar documento de identidade com foto. Durante o exame, terá de preencher o caderno de respostas com caneta esferográfica preta. Ele terá permissão para deixar o local da prova somente duas horas após o início. Além disso, só será autorizado a levar o caderno de questões se sair nos 30 minutos finais.

    Mais informações sobre o exame e perguntas mais frequentes estão na página do Enem na internet e também no facebook.

    Assessoria de Comunicação Social

    Matéria republicada com acréscimo de informações

    Leia também:
    Nota do exame vale para outros programas oferecidos pelo MEC

  • Lactantes terão atendimento específico nos dias de provas

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, preparou um esquema especial para atender as candidatas ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que são lactantes. O objetivo é garantir tanto o direito à amamentação das crianças como o tratamento isonômico para todos os candidatos ao exame. Do total de 16.898 atendimentos específicos que serão realizados em todo o país, 7.920 são para lactantes.

    A solicitação para o atendimento específico foi feita durante a inscrição para o Enem. As mães poderão deixar as salas de provas para amamentar seus filhos acompanhadas por um fiscal. Além disso, os acompanhantes das lactantes permanecerão em uma sala próxima, junto a outro fiscal. Caso haja mais de um acompanhante no mesmo local, eles permanecerão juntos na mesma sala.

    “A amamentação é um dos atos mais importantes que a mulher pode fazer por seu filho. É um período sagrado. E o Enem é um exame inclusivo; por isso, a nossa preocupação com a inclusão e o bem-estar de todos os participantes”, observa a diretora de Gestão e Planejamento do Inep, Eunice Santos. Não há limites de vezes para as mães saírem da sala. Contudo, não será concedido tempo adicional na prova. Portanto, caberá a elas se organizarem para conciliar a realização do exame com a amamentação.

    Eunice lembra ainda que as participantes devem ficar atentas para não descumprirem nenhum item do edital e acabarem desclassificadas. Especialmente, elas não podem manter nenhum tipo de diálogo com os acompanhantes. E, para garantir a segurança do certame, passarão por detector de metais todas as vezes que precisarem sair e voltar para as salas de aplicação das provas.

    “A dica que damos para todos os participantes é manter a tranquilidade. Mais que uma prova, o Enem é uma oportunidade de projetar um futuro, com a certeza que tudo foi preparado de forma muito profissional e considerando a peculiaridade de cada participante”, conclui a diretora.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • Mais de 50 mil participantes farão o Enem com recursos de acessibilidade

    Cerca de 50 mil inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019 solicitaram atendimento especializado para fazer o exame, o equivalente a 1% dos 5,1 milhões de participantes. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pela aplicação da prova, oferece 15 recursos diferentes para que as pessoas com deficiência realizem as provas com comodidade.

    Entre os recursos oferecidos, estão:

    • apoio para pernas e pés;
    • mesa para usuários de cadeira de rodas;
    • salas de fácil acesso;
    • prova impressa em braile. Para os participantes com baixa visão, o Inep também disponibiliza as provas nas modalidades ampliada ou superampliada, que são impressas com fontes caligráficas maiores e com imagens aumentadas.

    Os participantes que apresentaram laudo, declaração ou parecer que comprove a necessidade de tempo adicional poderão dispor de um acréscimo de 60 minutos para fazer as provas.

    As provas do Enem 2019 serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro. No dia 3, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e ciências humanas e suas tecnologias. No dia 10, as provas serão de ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias.

    Deficientes auditivos/surdos e surdocegos – Uma inovação desta edição do Enem foi a possibilidade de o participante indicar, no ato de inscrição, que usa aparelho auditivo ou implante coclear. O Inep registrou 1.846 usuários inscritos que utilizam um destes dispositivos ou os dois.

    A comunidade surda que tem a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeiro idioma realiza a videoprova traduzida em Libras desde 2017. A modalidade permite que o participante faça a prova em notebook, mediante vídeo com enunciados das questões e opções das respostas traduzidas em Libras. Quem faz a videoprova conta com 120 minutos adicionais para cada dia do exame.

    Em 2018, o Inep lançou a plataforma Videoprova em Libras, que traz exemplos de itens de edições anteriores do Enem traduzidos em Libras, disponibilizados em vídeo, utilizando a mesma interface empregada na aplicação do Enem em Libras.

    O edital do Enem possui também uma versão traduzida em Libras e descreve todas as possibilidades de atendimento especializado. Cada pessoa pode pedir mais de um recurso. Os documentos necessários para comprovar a necessidade de atendimento especial são detalhados pelo edital. O participante que teve a declaração ou o parecer aprovado no Enem 2017 e 2018 não precisou apresentar documentação em 2019.

    Material próprio – Em alguns casos, o participante pode levar material próprio no dia do exame, como máquina para a escrita em braile, lupa, reglete, luminária e outros objetos descritos no edital. O participante que solicitou atendimento e apresentou a documentação que comprova essa necessidade poderá utilizar objetos próprios para realizar a prova.

    Atendimento específico – O Inep já confirmou a inscrição de 5.277 pessoas que terão atendimento específico. São participantes que têm alguma necessidade especial para prestar o exame. Entram nessa categoria pessoas em situação de classe hospitalar, gestantes, lactantes, idosos e outras condições específicas.

    Acesse a Página do Participante do Enem

    Saiba mais sobre recursos acessíveis no press kit do Enem

    Confira o edital do Enem

    Veja todas as informações sobre o Enem em Libras

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

  • Saem os resultados dos recursos para atendimentos especiais

    Já estão disponíveis para consulta na Página do Participante os resultados dos recursos para atendimento específico e especializado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. Nessa etapa, foram analisados apenas os novos documentos — laudos médicos — enviados pelos participantes que tiveram a solicitação reprovada durante o período regular.

    Mais de 40 mil atendimentos especializados e 8 mil atendimentos específicos foram registrados nesta edição do Enem. As solicitações para uso de recursos de acessibilidade superaram 60 mil.

    Acessibilidade – A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep garante atendimento especializado, específico e por nome social aos participantes do Enem. Além dos três tipos de atendimento, são ofertados 15 recursos de acessibilidade.

    O Inep oferece atendimento específico para gestante, idoso, lactante, estudante em situação de classe hospitalar ou outra condição específica. Já o atendimento especializado é para participantes com autismo, baixa visão, cegueira, deficiência auditiva, deficiência física, deficiência intelectual (mental), déficit de atenção, discalculia, dislexia, surdez, surdocegueira e visão monocular.

    Confira o site do Enem

     

  • Último dia para estudantes solicitarem atendimentos especializados

    Quem é formando de algum dos cursos que serão avaliados no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2019 tem até esta sexta-feira, 13 de setembro, para solicitar atendimento especializado, específico ou por nome social, caso necessário. O pedido deverá ser feito pelo próprio estudante, por meio do Sistema Enade.

    O atendimento especializado destina-se a pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual (mental), surdocegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo e/ou discalculia.

    O atendimento específico é oferecido a gestantes, lactantes, idosos ou pessoa com outra condição específica. Já o atendimento por nome social aplica-se à pessoa que se identifica e quer ser reconhecida socialmente em consonância com sua identidade de gênero.

    Questionário – Todos os estudantes concluintes dos cursos devem responder ao Questionário do Estudante até 21 de novembro. O documento faz parte do processo avaliativo e o seu preenchimento é obrigatório. O formando que não preencher o formulário ficará irregular junto ao Enade e, mesmo que cumpra todas as outras obrigações do exame, não conseguirá colar grau.

    Exame – O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e é composto por dois instrumentos obrigatórios: uma prova para avaliação de desempenho dos estudantes e um Questionário do Estudante. No histórico escolar do estudante, ficará registrada a situação de regularidade em relação ao Enade.

    Cursos  Na edição de 2019, o Enade avaliará os cursos das áreas de ciências agrárias, ciências da saúde e áreas afins; engenharias e arquitetura e urbanismo; e os cursos superiores de tecnologia nas áreas de ambiente e saúde, produção alimentícia, recursos naturais, militar e de segurança.

    Os coordenadores de curso devem orientar os graduandos sobre a obrigatoriedade do preenchimento do Questionário do Estudante e também da realização da prova, que será aplicada em 24 de novembro.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

Fim do conteúdo da página