Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Concurso nacional homenageia a imperatriz Maria Leopoldina

    Alunos do ensino médio e fundamental têm até o dia 20 de outubro para inscrever vídeos e desenhos no concurso que homenageará a participação da imperatriz Maria Leopoldina no processo que levou o Brasil a se tornar independente de Portugal. Promovido pela Câmara dos Deputados, o concurso faz parte das celebrações do bicentenário da vinda de D. Maria Leopoldina para o Brasil (1817-2017), inserida nas comemorações dos 200 anos da independência do país (1822-2022).

    O concurso de desenho é aberto a alunos matriculados em escolas públicas e privadas, do quinto ao nono do ensino fundamental.  Já o de vídeo é reservado aos estudantes do ensino médio de até 18 anos, matriculados em escolas públicas ou privadas de todo o país.

    O primeiro colocado em cada categoria receberá, além de um diploma, um conjunto de obras das Edições Câmara, a ser destinado à sua escola. O vencedor e seu responsável ganharão, ainda, passagens aéreas de ida e volta a Brasília, com todas as despesas pagas, para participar da cerimônia de premiação. O segundo e o terceiro colocados receberão os diplomas pelos Correios e suas escolas também terão direito a coleções de obras da editora.

    Histórico – Primeira imperatriz brasileira, dona Leopoldina (Viena/Áustria, 22 de janeiro de 1793 – Rio de Janeiro/Brasil, 11 de dezembro de 1826), foi originalmente registrada como Caroline Josepha Leopoldine Franziska Ferdinanda von Österreich.  Era a quinta dos 12 filhos do imperador Francisco I da Áustria e da imperatriz Maria Teresa de Nápoles e Sicília. Em 1817, quando se casou com D. Pedro de Alcântara – que mais tarde assumiria o trono brasileiro como D. Pedro I –, passou a assinar Maria Leopoldina.

    A influência dela junto ao seu pai fez com que o poderoso e conservador chanceler austríaco, o príncipe de Metternich, acatasse a independência brasileira. Esse reconhecimento terminou por forçar o próprio reino de Portugal a assentir na emancipação política do Brasil, o que foi consolidado no Tratado de Reconhecimento da Independência, firmado entre o Brasil e Portugal, em 1825. Por sua atuação, contava com grande admiração do povo brasileiro, especialmente os escravos.

    Veja mais informações sobre os concursos de desenhose de vídeos

    Assessoria de Comunicação Social 

Fim do conteúdo da página