Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Termina nesta sexta-feira, 11, o prazo para os estudantes selecionados em segunda chamada pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) comprovarem as informações e efetuarem a matrícula nas instituições de educação superior em que as bolsas são ofertadas. Os candidatos que não foram selecionados em nenhuma das duas chamadas podem integrar a lista de espera. Eles devem manifestar o interesse em participar da lista nos dias 21 e 22 próximos, pela internet.

    O ProUni oferece bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior com cursos de graduação e sequenciais de formação específica. Os candidatos precisam comprovar renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio para a bolsa integral; para a parcial, renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos.

    Professores dos quadros permanentes das redes públicas estaduais e municipais, em efetivo exercício do magistério, que concorram a bolsas em cursos de licenciatura, pedagogia ou normal superior, estão dispensados de comprovar renda.

    Criado em 2004 pelo governo federal, o programa é dirigido a estudantes egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular, na condição de bolsistas integrais. Na segunda edição de 2014, o ProUni oferece 115.101 bolsas em 22.139 cursos de 943 instituições.

    O interesse em participar da lista deve ser manifestado na página do ProUni na internet. Na mesma página, os candidatos podem conferir a lista de pré-selecionados do programa.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Os candidatos convocados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) têm nesta sexta-feira, 1º de julho, o último dia para comparecer à instituição de ensino responsável pela convocação a fim de comprovar as informações prestadas no momento da inscrição e providenciar a matrícula.

    Aqueles que deixaram de ser chamados nas duas convocações podem integrar a lista de espera do programa. O prazo para a adesão vai do dia 8 até as 23h59 do dia 11 próximos, pela internet. Nos dias 18 e 19, os convocados com base na lista devem apresentar a documentação e providenciar a matrícula na instituição de ensino.

    O sistema de seleção do ProUni para o segundo semestre recebeu 1.215.768 inscrições de 627.978 participantes. Para esta edição, foram oferecidas 125.442 bolsas. Desse total, 68.350 são parciais (50% da mensalidade) e 57.092, integrais. As vagas foram distribuídas em 22.967 cursos de 902 instituições particulares de educação superior. Cada candidato pôde se inscrever em até dois cursos.

    O ProUni oferece bolsas integrais e parciais em instituições particulares de educação superior que mantenham cursos de graduação e sequenciais de formação específica. Criado em 2004, é dirigido tanto a estudantes egressos do ensino médio da rede pública quanto àqueles que tenham vindo da rede particular na condição de bolsistas integrais, com renda familiar per capita máxima de três salários mínimos.

    Mais informações na página do ProUni na internet.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Termina nesta segunda-feira, 1º de fevereiro, o prazo para os estudantes selecionados na primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) comprovarem os dados apresentados no momento da inscrição e providenciar a matrícula na instituição de ensino que fez a seleção. A perda do prazo ou não comprovação resultará em reprovação.

    Os estudantes não selecionados nessa primeira chamada devem aguardar a segunda, que tem resultado previsto para o dia 12 próximo. Uma terceira oportunidade será a adesão à lista de espera. O período para integrar lista irá de 26 a 29 deste mês.

    Nesta primeira edição do ProUni em 2016, o número de inscritos e de inscrições é recorde: foram registrados 1.599.808 candidatos e 3.108.422 inscrições — cada estudante pôde fazer, em ordem de preferência, até duas opções de instituição, curso e turno dentre as bolsas disponíveis. A oferta é de 203.602 bolsas de estudos em 30.931 cursos de instituições particulares de educação superior.

    Concorrem a bolsas integrais os estudantes com renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa. O programa já concedeu mais de 1,7 milhão de bolsas a estudantes de baixa renda desde que foi criado, em 2004.

    Mais informações na página do ProUni na internet.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Os estudantes pré-selecionados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) têm prazo somente até esta terça-feira, 19, para apresentar os documentos e providenciar a matrícula na instituição de ensino. O resultado da segunda convocação pode ser conferido pela internet.

    Os candidatos não selecionados nesta segunda chamada podem integrar a lista de espera do programa. A adesão deve ser feita nos dias 24 ou 25 próximos. A primeira convocação da lista de espera será divulgada no dia 28.

     

    Criado pelo governo federal em 2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005, o ProUni oferece a estudantes brasileiros de baixa renda bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior que ofereçam cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

     

    O resultado da segunda chamada está na página do ProUni na internet.


    Assessoria de Comunicação Social

     

     

     

     

     

  • A Fundação Conselho Espanha-Brasil homenageou nesta quarta-feira, 12, o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. A iniciativa é um reconhecimento à gestão do ex-ministro à frente do Ministério da Educação, pela promoção e desenvolvimento da educação no Brasil e sua contribuição na relação entre os dois países. Participaram da solenidade o príncipe Felipe das Astúrias, o ministro da Educação, Henrique Paim, e o prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad.

    De acordo com Paim, Mercadante exerceu um papel fundamental na construção de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento da educação no Brasil, como o programa de educação técnica e profissional, que prepara os jovens para o mundo do trabalho.

    Nas relações com a Espanha na área da educação, o ministro destacou a importância do país como um dos destinos mais procurados pelos estudantes do programa Ciência Sem Fronteiras, que promove a mobilidade acadêmica internacional, para ampliar a presença de estudantes, professores e pesquisadores brasileiros em instituições de excelência no exterior. De acordo com o ministro, atualmente, 45 instituições espanholas recebem estudantes brasileiros por meio do programa.

    Brasil e Espanha mantêm em andamento 49 projetos, nas modalidades de doutorado sanduíche e pós-doutorado, no âmbito do programa Capes/DGU, pelo qual a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a instituição espanhola Dirección General de Universidades apoiam a cooperação científica entre universidades brasileiras e espanholas em nível de pós-graduação e o aperfeiçoamento de docentes e pesquisadores. Também há projetos no âmbito do ProUni Salamanca, programa de fortalecimento da cooperação bilateral na educação, mediante seleção de estudantes brasileiros de baixa renda  para graduação completa na Universidade de Salamanca.

    Enquanto a primeira turma do ProUni Salamanca se forma em maio de 2014, a Capes prorrogou, até a próxima sexta-feira, 14, as inscrições para seleção de novos estudantes interessados no Programa ProUni Salamanca de Bolsas de Graduação Plena. Para participar, os candidatos precisam cumprir os programas de renda do Programa Universidade para Todos e ter nota mínima de 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir de 2009.

    Os aprovados receberam um financiamento para uma reunião pré-partida em Brasília, auxílio instalação, seguro saúde, passagem aérea para a Espanha, mensalidades durante o curso preparatório de entrada na universidade de Salamanca com duração de seis meses e mensalidades por até quatro anos.

    Acesse a página do Programa ProUni Salamanca de Bolsas de Graduação Plena

    Assessoria de Comunicação Social

  • Lançado em dezembro de 2011, o Programa Ciência sem Fronteiras apresenta saldo positivo para o Brasil. Mais de 6,7 mil estudantes brasileiros já estão no exterior, em universidades de excelência, como bolsistas do programa. Em setembro, mais 12 mil alunos embarcam para o exterior para fazer um ano da graduação em instituições de 12 países: Alemanha, Austrália, Bélgica, Canadá, Coreia, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Portugal e Reino Unido.

    O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, adiantou que os próximos editais do Ciência sem Fronteiras serão lançados no final deste mês. Serão oferecidas bolsas para graduação sanduíche nos 12 países que receberão os bolsistas em setembro, e também na China.


    A meta do programa é oferecer 101 mil bolsas de graduação e pós-graduação até 2015, sendo 75 mil bancadas pelo próprio governo federal. As demais virão de parcerias com a iniciativa privada. Para este ano, a previsão é a concessão de 20 mil bolsas. “Não tenho dúvida de que esse programa vai abrir um novo capítulo na história da educação brasileira”, disse o ministro Aloizio Mercadante, que fez um balanço do Ciência sem Fronteiras no programa de rádio Hora da Educação, gravado nesta quinta-feira, 12.

     

    Nobel ­– Com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da embaixada de Israel no Brasil, o cientista israelense Dan Shechtman, prêmio Nobel de Química de 2011, ficará no Brasil durante 10 dias, no final deste mês. Ele vai participar da 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que se realizará no Maranhão. Pelo programa Escola de Altos Estudos, da Capes, deverá fazer uma série de palestras na Universidade de São Paulo (USP).

     

    Atualmente, 949 alunos de outros países estudam no Brasil, com bolsas da Capes. “O Brasil é um polo de atração de pesquisadores. A Europa vive uma crise muito grave e os Estados Unidos também têm desemprego na área acadêmica”, comentou.

     

    O ministro comentou a premiação de Diogo Publio, bolsista do Ciência sem Fronteiras, que conquistou um prêmio de tecnologia promovido pela prefeitura de San Diego e pela principal empresa de telefonia dos Estados Unidos. Diogo é aluno do curso de ciências da computação da Universidade da Califórnia e faz parte do primeiro grupo de bolsistas do Ciência sem Fronteiras que embarcaram para estudar nos Estados Unidos.

     

    Ele e dois colegas da universidade criaram um aplicativo móvel para facilitar a vida dos jovens que buscam diversão na noite de San Diego. O aplicativo AllNighters permite acessar a programação cultural, com informações atualizadas, nas imediações em que a pessoa está.

     

    “Tecnologia mobile sempre me interessou e pretendo continuar trabalhando nessa área. Criamos uma forma de listar a programação de bares e casas de show, sem a necessidade de seguir cada uma delas para saber das novidades”, disse o estudante, de 23 anos, que só volta ao Brasil em janeiro de 2013. O estudante ainda não sabe se vende a tecnologia, abre um negócio próprio ou prossegue com a pesquisa acadêmica sobre o aplicativo.


    Rovênia Amorim

     

    Ouça o programa Hora da Educação

     

  • A Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação, em decisão publicada nesta segunda-feira, 20, desvinculou do Programa Universidade para Todos (ProUni) 266 entidades mantenedoras. O motivo é a não comprovação de regularidade fiscal. Essas entidades são responsáveis pela administração de 330 instituições particulares de educação superior.

     

    A decisão da Sesu não causará prejuízos aos estudantes, que terão a matrícula preservada pelas mantenedoras.

     

    “O ProUni é um grande programa de inclusão de estudantes carentes. Por isso, é doloroso para o MEC tomar essa decisão, mas é indispensável”, salientou o ministro Aloizio Mercadante. “Precisamos ser rigorosos com as bolsas do ProUni e do Fies [Fundo de Assistência Estudantil].”

     

    Por não terem apresentado a quitação de tributos e contribuições federais em 2012, as mantenedoras agora desvinculadas não puderam participar do processo de adesão ao ProUni neste primeiro semestre. Com isso, deixaram de oferecer cerca de 20 mil vagas.

     

    Ao final de cada ano-calendário, como prevê a Lei nº 11.128, de 28 de junho de 2005, as mantenedoras devem apresentar a quitação de tributos e contribuições federais administrados pela Secretaria da Receita Federal, sob pena de desvinculação do programa. A exigência foi dispensada por lei até o exercício de 2012, ano de criação do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (Proies).

     

    O Proies estabeleceu critérios para que as instituições particulares de ensino renegociassem as dívidas tributárias com o governo federal. Elas poderiam converter até 90% das dívidas em oferta de bolsas de estudos ao longo de 15 anos e, assim, reduzir o pagamento em espécie a 10% do total devido. Em 2007, o governo federal abriu a adesão ao Programa de Recuperação Fiscal (Refis).

     

    De acordo com a legislação do ProUni, as mantenedoras desvinculadas podem pedir nova adesão mediante a comprovação da quitação de tributos e contribuições federais administrados pela Receita Federal. As mantenedoras desvinculadas podem interpor recurso em cinco dias.


    Adesão — A partir desta segunda-feira, 20, até as 23h59 de 6 de junho próximo, as instituições particulares de educação superior interessadas em participar do ProUni devem emitir o termo de adesão, por meio da entidade mantenedora. O procedimento deve ser feito on-line, no Sistema Informatizado do ProUni (SisProuni).

     

    Quanto às instituições já participantes do programa, as mantenedoras devem emitir o termo aditivo ao processo seletivo do segundo semestre deste ano, também por meio do SisProuni.

     

    A Portaria Normativa do MEC nº 10, que dispõe sobre os procedimentos de adesão ao ProUni, foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 20, seção 1, páginas 25 e 26. Na mesma edição (seção 1, páginas 27 e 28) foi publicada a Decisão da Sesu nº 1, que lista as mantenedoras desvinculadas do ProUni


    Paula Filizola

  • São Paulo – A parceria entre Brasil e Alemanha nas áreas de ciência, tecnologia e inovação foi um dos principais temas debatidos em encontro da presidenta da República, Dilma Rousseff, e Joachim Gauck, presidente da Alemanha, nesta segunda-feira, 13, em São Paulo.

    A presidenta aproveitou a oportunidade para agradecer a acolhida que a Alemanha vem dando aos estudantes do programa Ciência Sem Fronteiras.

    “Hoje, quase 2 mil brasileiros estão sendo acolhidos em universidades e centros de pesquisa alemães e se beneficiarão notavelmente dos avanços que existem na Alemanha na área de inovação, pesquisa tecnológica”, salientou Dilma.

    A Alemanha está entre os dez países que mais recebem bolsistas desse programa no mundo. “Estamos seguros de que, ao regressar ao Brasil, esses estudantes darão sua contribuição para incorporar inovação nos processos produtivos de companhias aqui instaladas em benefício de toda a sociedade brasileira”, ressaltou a presidenta.

    Principal programa do governo federal de mobilidade acadêmica no exterior, o Ciência sem Fronteiras já atingiu mais de 41 mil bolsas de estudos concedidas desde sua criação, em 2011.

    Assessoria de Comunicação Social
  • Washington — A relação de cooperação entre Brasil e Estados Unidos no âmbito do programa Ciência sem Fronteiras foi comemorada pela presidenta Dilma Rousseff durante o encerramento da conferência Brasil-EUA: Parceria para o Século 21, realizado em Washington, nesta segunda-feira, 9.

    “Essa parceria é muito especial porque, ao mesmo tempo em que representa uma importante oportunidade para os professores e estudantes envolvidos, também estreita as relações entre as comunidades brasileira e norte-americana”, destacou.  

    Agradecendo às instituições norte-americanas por receberem os estudantes brasileiros participantes do programa, Dilma Rousseff destacou as consequências do Ciência sem Fronteiras para o crescimento da economia brasileira. “Pretendemos dar um salto de competitividade na estrutura produtiva no Brasil e essa parceria contribui para que nossas pequenas e médias empresas deem um salto tecnológico.”

    Antes do encerramento da programação, foram assinados 14 acordos entre o governo brasileiro e instituições de ensino norte-americanas para mobilidade de estudantes e professores por meio do programa. Em universidades dos Estados Unidos estudam hoje 555 bolsistas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério da Educação, selecionados pelo programa. Outros 1 mil seguirão para aquele país no segundo semestre.

    Programa — O Ciência sem Fronteiras promove a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileiras por meio do intercâmbio e da mobilidade internacionais de estudantes, professores e pesquisadores. A oferta de bolsas prevê as modalidades graduação-sanduíche, educação profissional e tecnológica e pós-graduação — doutorado-sanduíche, doutorado pleno e pós-doutorado.

    O programa estabelece a oferta de até 101 mil bolsas em quatro anos. Estudantes de graduação e pós-graduação podem fazer estágio no exterior para manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Além disso, tenta atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil.

    Letícia Tancredi

    Acesse o resumo dos acordos entre Brasil e Estados Unidos
  • O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, participou nesta terça-feira, 19, em São Paulo, da assinatura de renovação do convênio entre a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e o banco Santander. Há quatro anos, a entidade mantém um acordo com a empresa para ofertar bolsas aos estudantes de graduação em universidades federais brasileiras.

    A novidade é que este ano o valor da bolsa sofreu reajuste. A bolsa concedida, antes no valor de R$ 2,5 mil por semestre, aumentou para R$ 3 mil. Esse valor é dividido em cinco parcelas. Assim como nos anos anteriores, serão ofertadas 320 bolsas. O objetivo é que os universitários possam cursar disciplinas em outras instituições federais do país.

    Assessoria de Comunicação Social

     

  • A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga nesta sexta-feira, 10, a lista de bolsistas contemplados para estágio de doutorando nos Estados Unidos, selecionados pelo programa Capes-Fulbright. Foram recomendados 15 candidatos, que permanecerão nove meses nos Estados Unidos.

    Constam da lista candidatos de instituições de ensino superior de várias partes do Brasil, como as universidades federais do Ceará (UFC), da Bahia (UFBA) e de Santa Catarina (UFSC). Entre as áreas contempladas estão história, linguística, letras e biologia.

    O Programa Capes-Fulbright de Estágio de Doutorando nos EUA 2012-2013 é fruto de parceria entre a Capes e a Comissão Fulbright daquele país, e tem como objetivo incrementar as pesquisas realizadas por doutorandos e estreitar as relações bilaterais entre os dois países.

    Fulbright– O Programa de Intercâmbio Educacional e Cultural do governo dos Estados Unidos, conhecido em todo o mundo como Programa Fulbright, foi estabelecido em 1946, por lei de autoria do Senador J. William Fulbright. Tem como principal objetivo ampliar o entendimento entre a sociedade norte-americana e a de outros países. Com o passar do tempo, vem permitindo uma real integração cultural e educacional entre as nações.

    No Brasil, o programa teve início em 1957, quando foi instituída a Comissão Fulbright. É dirigida por um conselho diretor, formado por seis brasileiros e seis cidadãos norte-americanos residentes no Brasil.

    O Programa Fulbright oferece bolsas de estudos para estudantes de pós-graduação, professores e pesquisadores. Nesses mais de 50 anos no Brasil, beneficiou 3,5 mil brasileiros e 2,7 mil norte-americanos que puderam realizar o sonho de estudar no exterior, conhecer uma nova cultura e estreitar os laços de amizade entre os dois países. No mundo, o programa já concedeu mais de 370 mil bolsas de estudo, pesquisa e docência a cidadãos norte-americanos e de outros 150 países.

    Assessoria de Imprensa da Capes

    Acesse o edital nº 34/2011

    Acesse a lista completa do resultado

    Conheça o Programa Capes-Fulbright de Estágio de Doutorando nos EUA 2012-2013

    Conheça o conselho diretor da Comissão Fulbright

  • As inscrições para as bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (ProUni), referentes ao primeiro semestre de 2019, já estão abertas. Os alunos matriculados nas instituições de ensino superior podem se inscrever até 30 de abril. Já para os estudantes não matriculados, o prazo é menor e vai somente até a próxima sexta-feira, 29 de março. O edital com o cronograma do programa foi publicado na última segunda-feira, 25, no Diário Oficial da União (DOU).

    O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em cursos de graduação de instituições privadas de educação superior. As integrais se destinam aos estudantes com renda familiar bruta mensal per capita de até 1,5 salário mínimo. Já as bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa.

    Podem concorrer às bolsas remanescentes do ProUni brasileiros sem diploma de curso superior e que tenham participado de qualquer edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com nota superior a 450 pontos e sem ter zerado a prova de redação. Os professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e que não tenham participado do Enem, também podem se inscrever às bolsas de estudo em cursos de licenciatura.

    As inscrições para ocupação das bolsas remanescentes devem ser feitas exclusivamente pela internet, na página do programa, e os candidatos deverão atender às mesmas exigências dos alunos pré-selecionados nas chamadas regulares do processo seletivo do ProUni referente ao primeiro semestre de 2019.

    Remanescentes – As bolsas remanescentes são aquelas que por desistência dos candidatos pré-selecionados, falta de documentação, entre outros motivos, não foram ocupadas no decorrer do processo seletivo regular do ProUni (primeira chamada, segunda chamada e lista de espera).

    Diferentemente do processo seletivo regular, nesta etapa não há chamadas nem nota de corte diária e a ocupação das bolsas é feita por ordem de inscrição. Ao concluir a inscrição, a bolsa automaticamente é reservada ao candidato, assegurando a expectativa de direito à bolsa. Para confirmar a ocupação, o candidato deve comparecer à instituição de ensino em até dois dias úteis após a conclusão da inscrição para comprovar as informações prestadas. Caso a ocupação não seja confirmada, a bolsa volta a ficar disponível no sistema para nova inscrição.

    Confira o edital do ProUni  

    Acesse a página do ProUni na internet  

    Assessoria de Comunicação Social

  • Profissionais estrangeiros que tenham interesse em fazer pós-graduação stricto sensu no Brasil têm prazo até a próxima sexta-feira, 25, para concorrer a bolsas de doutorado em instituições de ensino brasileiras. Nessa data, encerram-se as inscrições do Programa de Estudantes–Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão vinculado ao Ministério da Educação.

    Serão concedidas até 100 bolsas de estudos a cidadãos originários de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantenha acordo de cooperação educacional, cultural ou de ciência e tecnologia. “O objetivo é aprimorar a qualificação de professores universitários, pesquisadores, profissionais e graduados da educação superior, de forma a que eles contribuam para o desenvolvimento de seus países”, explicou o ministro da Educação, Mendonça Filho.

    Os candidatos não podem ter visto permanente no Brasil. Os selecionados receberão bolsa de doutorado e passagem aérea de retorno à capital do país de origem ou de residência. Além disso, estarão isentos do pagamento de mensalidades ou de qualquer espécie de taxa no âmbito acadêmico e de assistência médica, odontológica e farmacêutica oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

    O resultado deve ser divulgado até 31 de dezembro. As atividades terão início em fevereiro de 2017. O Programa é uma parceria entre a Capes, o Ministério das Relações Exteriores e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

    As inscrições devem ser feitas na página da Capes na internet. Mais informações no Edital nº 23/2016 do PEC-G.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Estudante ainda não matriculado em curso da instituição de educação superior em que deseja se inscrever tem prazo até esta quarta-feira, 26, para se candidatar às vagas remanescentes do Programa Universidade para Todos (ProUni). A inscrição deve ser feita on-line. Todos os candidatos terão dois dias úteis, subsequentes ao da inscrição, para comprovar as informações na instituição de ensino na qual pretende ingressar.

    As bolsas remanescentes do ProUni também podem ser ocupadas por candidatos já matriculados no curso da instituição de educação superior em que deseja se inscrever. Para este público, o prazo final de inscrição é 27 de maio.

    O processo de preenchimento das bolsas remanescentes do ProUni teve as regras alteradas a partir desta primeira edição de 2014. Nos anos anteriores, as vagas eram ocupadas por meio de processo seletivo realizado pelas próprias instituições. Com as mudanças, o estudante pode fazer a inscrição on-line, na página do ProUni.

    Para concorrer às bolsas remanescentes, o estudante deve cumprir os requisitos estabelecidos pela Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005, e atender a uma das condições: ter efetuado inscrição, em todas as suas opções, em cursos com registro de não formação de turma no processo seletivo regular do ProUni; ser professor da rede pública, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrar o quadro de pessoal permanente da instituição; ter participado do Enem a partir da edição de 2010 e obtido, em uma mesma edição, no mínimo 450 pontos na média das notas das provas e nota na redação que não tenha sido zero.

    O professor que se inscrever para bolsas em cursos de grau de licenciatura não precisa comprovar renda nem ter feito o ensino médio em escola pública ou ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

    A instituição terá o dia útil seguinte ao final do prazo de comparecimento do candidato para registrar o resultado da comprovação das informações no Sistema Informatizado do ProUni (SisproUni). Caso o estudante não compareça ou a instituição não registre o preenchimento da bolsa, a mesma volta a ser oferecida pelo sistema.

    As inscrições devem ser feitas na página do ProUni na internet. As novas regras para ocupação das vagas remanescentes constam do Edital nº 6/2014 da Secretaria de Educação (Sesu) do Ministério da Educação, publicado no Diário Oficial da União de 28 de fevereiro último.

    Assessoria de Comunicação Social

    Confira a Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005

  • Os estudantes que obtiveram, em 2007 e 2008, as melhores notas no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) podem ter bolsas de estudos em cursos de pós-graduação stricto sensu. Segundo a Portaria Normativa nº 9, publicada nesta terça-feira, 27, no Diário Oficial da União, os estudantes devem participar de processo seletivo em instituições de educação superior. Eles têm prazo de um ano para ingressar em programas de pós-graduação oferecidos por essas instituições e reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

    Após aprovados no processo seletivo, os candidatos às bolsas terão de apresentar cópia do boletim de desempenho do estudante, emitido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). As instituições responsáveis pelos cursos encaminharão o pedido de bolsas ao Inep e à Capes, órgão do Ministério da Educação responsável pela avaliação dos cursos no Brasil e pelas concessões de bolsas de estudos.

    As disposições da portaria abrangem também estudantes já matriculados em cursos de pós-graduação. As bolsas terão duração máxima de 24 meses para os cursos de mestrado e de 48 meses para os de doutorado.

    Assessoria de Imprensa da Capes



  • O Programa de Licenciaturas Internacionais (PLI), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), está com inscrições abertas até a próxima segunda-feira, 30, para estudantes de licenciaturas interessados em passar até dois anos em universidades de Portugal. A universidade em que o aluno está matriculado deverá enviar um projeto contendo a participação de até sete estudantes.

    O PLI teve início em junho de 2010 e nesta terceira edição prevê a seleção de até 40 projetos, num total de 280 bolsistas. “O aluno terá dupla titulação. Ele terá um diploma no Brasil e outro da universidade em Portugal. Por isso, a seleção é criteriosa e institucional, feita pela universidade do Brasil”, explica Thais Nere Marques Aveiro, coordenadora geral de cooperação internacional da Capes.

    Para participar dos projetos, o estudante deverá ter estudado em escola pública ou na rede privada como bolsista integral. São aceitos universitários de licenciatura em química, física, matemática, biologia, português, artes e educação física. “O principal objetivo do programa é elevar a qualidade da graduação para melhorar o ensino de licenciatura e de formação de professores”, ressalta Thais.

    Participam do Programa de Licenciaturas Internacionais 11 universidades portuguesas, entre as quais as universidades de Lisboa, de Coimbra e do Porto. Já participaram do programa 66 estudantes. Confira o edital na página da Capes na internet.

    Rovênia Amorim

    Ouça entrevista com a coordenadora geral de cooperação internacional da Capes, Thais Nere Marques Aveiro
  • Pela primeira vez, desde a criação do Programa Universidade para Todos (ProUni), em 2005, estudantes de cursos de licenciaturas podem se candidatar, em suas instituições de ensino, ao benefício do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid). Este ano, a oferta é de 10 mil bolsas, de R$ 400 por mês, específicas para estudantes que chegaram à educação superior por meio do ProUni.

     

    Além dos estudantes de cursos de licenciatura, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), responsável pelo Pibid, oferece bolsa de R$ 1,4 mil mensais aos coordenadores do programa nas instituições particulares de ensino e de R$ 765 ao professor-supervisor da escola pública na qual o estudante de licenciatura vai desenvolver a parte prática do curso.

     

    Dados da Diretoria de Políticas e Programas de Graduação da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação mostram que 73.259 estudantes cursam licenciatura com bolsas do ProUni. Eles são os potenciais candidatos a bolsas de iniciação à docência. O artigo 36 da Portaria nº 96, de 18 de julho de 2013, que trata do regulamento do Pibid, define como candidatos a bolsas os alunos que tenham concluído pelo menos um período letivo da licenciatura e, entre outros requisitos, bom desempenho acadêmico e disponibilidade de 32 horas mensais para dedicação às atividades do programa.

     

    A bolsa terá duração de até 24 meses, prorrogável pelo mesmo prazo. Para coordenação e supervisão, de até 48 meses, também prorrogável por igual período.


    Prazos — Para ter acesso ao Pibid, as instituições de educação superior devem pedir senha para o cadastramento da proposta no Sistema Integrado Capes (Sicapes) até 25 de setembro. As propostas de projetos de iniciação à docência devem ser inscritas entre 19 de setembro e 4 de outubro. O Edital nº 61/2013 determina a publicação do resultado da seleção de projetos no Diário Oficial da União em 6 de dezembro e o início das atividades dos projetos até 14 de março de 2014.

     

    A Capes orienta as instituições de educação superior, na elaboração das propostas, a dar prioridade a escolas públicas com índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) inferior média nacional, que tenham experiências bem-sucedidas de ensino e aprendizagem e que aderiram a programas em tempo integral e ao ensino médio inovador. A instituição pode concorrer com um projeto e um ou mais subprojetos. Cada subprojeto deve ser composto, no mínimo, por cinco estudantes de licenciatura, um coordenador de área e um supervisor escolar.

     

    As atribuições e o regulamento do Pibid constam da Portaria da Capes nº 96, de 18 de julho de 2013.


    Ionice Lorenzoni

  • Em Salamanca, o ministro Aloizio Mercadante incentivou os bolsistas brasileiros (foto: Ary Franco Sobrinho/MEC) O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, encontrou-se com um grupo de dez bolsistas que participam do programa Universidade Para Todos (ProUni) Internacional, em Salamanca, Espanha. A reunião aconteceu no Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca e contou com a presença do reitor daquela instituição, Daniel Hernández Ruipérez. O ProUni Internacional garante a estudantes de escola pública selecionados pelo Ministério da Educação fazer toda a graduação na universidade espanhola.

    Ruipérez destacou a parceria de cooperação entre a Universidade de Salamanca e o governo e universidades brasileiras, como o Grupo Tordesilhas, que reúne universidades de Portugal, Brasil e Espanha para o desenvolvimento da ciência e da educação. A Universidade de Salamanca foi a primeira universidade espanhola a aderir ao ProUni Internacional.

    O estudante de matemática Alexandre de Almeida, de 17 anos, está entre os selecionados para a edição de 2012 do programa e está desde abril na Espanha e fará o curso de matemática em Salamanca. Alexandre obteve uma das dez melhores notas em matemática, química e física entre os estudantes de escola pública no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano passado.

    Estar em uma universidade que é referência internacional é uma grande oportunidade, segundo Alexandre. “Sei que inúmeras portas se abrirão no meu futuro por ter feito o intercâmbio. Além do espanhol que estamos aprendendo, temos contato com pessoas de diversas partes do mundo”, afirmou. Quando retornar ao Brasil, Alexandre pretende atuar como professor de matemática.

    O ministro Aloizio Mercadante ressaltou a importância da internacionalização da ciência, para o desenvolvimento da tecnologia e educação brasileiras. Este ano a Espanha recebeu cerca de 1500 estudantes brasileiros por meio do programa Ciência Sem Fronteiras, 69 apenas na universidade de Salamanca.

    De acordo com Mercadante, o MEC precisa aprimorar a parceria. “O estudante tem que sair do Brasil mais bem preparado, principalmente na proficiência do espanhol, para ter maior facilidade nas provas de ingresso para a Universidade”, afirmou o ministro.

    Assessoria de Comunicação Social
  • Candidatos com excelente qualificação científica e acadêmica podem concorrer a bolsas de doutorado na Alemanha, implementadas a partir de abril de 2011. As bolsas são concedidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), para doutorado integral, duplo doutorado ou doutorado sanduíche. Todas as áreas de conhecimento são contempladas. O prazo para encaminhamento das propostas é 5 de março.

    O objetivo da parceria é a formação de docentes e pesquisadores de alto nível e a consolidação da cooperação científica entre Brasil e Alemanha. A seleção dos candidatos será realizada por uma comissão mista formada por consultores e representantes das três agências financiadoras do programa e a distribuição das bolsas aos candidatos aprovados será estabelecida de acordo com os critérios de cada uma das agências.

    O programa prevê um curso de alemão para todos os bolsistas selecionados antes do início da pesquisa. A duração do curso é estabelecida de acordo com os conhecimentos do idioma alemão de cada candidato, a área da pesquisa na Alemanha e as condições e pré-requisitos da universidade anfitriã alemã.

    Requisitos– Para inscrever-se no programa é necessário ter curso de mestrado concluído ou em fase conclusão até o final do primeiro semestre de 2010, para doutorado integral, e estar matriculado em curso de doutorado no Brasil, nos casos de doutorado-sanduíche ou duplo-doutorado.

    O candidato também precisa ter comprovante de conhecimento do idioma inglês ou alemão, carta de aceitação do orientador alemão, projeto de pesquisa científica de qualidade e ser formalmente aceito pelos orientadores, além de ser cidadão brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no país.

    Além da bolsa e do curso de alemão, outros benefícios concedidos são alojamento, seguro saúde, auxílio para cônjuge e filhos, passagens aéreas e auxílio-instalação. Interessados devem encaminhar as propostas exclusivamente via internet, por meio do formulário de propostas on-line, disponível na Plataforma Carlos Chagas, do CNPq, até 5 de março. É imprescindível a atualização do Currículo Lattes antes do preenchimento do formulário.

    Uma via de todos os documentos (não encadernados) deverá ser enviada pelos correios com data de postagem até o dia 4 de março para o escritório do DAAD (Rua Pres. Carlos de Campos 417, Rio de Janeiro, RJ, Cep 22231-080). Mais informações podem ser obtidas pelo Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. eletrônico, e outros requisitos exigidos pelas agências devem ser verificados nas páginas da Capes ou do CNPq na internet.

    Assessoria de Imprensa da Capes

    Confira o edital.
  • Estudantes que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 e professores efetivos das redes públicas da educação básica podem concorrer a vagas remanescentes, edição do segundo semestre de 2014, do Programa Universidade para Todos (ProUni). As inscrições, gratuitas, devem ser feitas pela internet na página do programa.

    Para concorrer, o estudante deve ter obtido, no mínimo, 450 pontos no Enem e nota que não seja zero na redação. Professor do quadro permanente de rede pública da educação básica, sem diploma de curso superior, que deseja fazer cursos de licenciatura com bolsa do ProUni está dispensado da participação no Enem e de comprovar renda.

    Com os números do CPF e a data de nascimento, estudante ou professor faz a inscrição on-line na página do ProUni. O próprio sistema recupera a nota do Enem, no caso do estudante. Já o professor precisa informar a condição de efetivo exercício do magistério público.

    No sistema, o estudante candidato à vaga deve preencher o cadastro socioeconômico, informar itens como cor, raça, se estudou em escola pública, a renda bruta familiar. Para bolsa integral, a renda bruta familiar por pessoa é de até 1,5 salário mínimo; para bolsa parcial, de até três salários mínimos por pessoa da família. No cadastro socioeconômico, o professor não precisa informar a renda.

    Concluída a inscrição, o candidato tem dois dias úteis para ir à instituição de ensino superior, apresentar os documentos pessoais por ela exigidos e comprovar os dados socioeconômicos. Se os documentos atenderem às exigências, o aluno faz a matrícula. Se não efetuar a matrícula nesse prazo, a vaga retorna ao sistema para ser ocupada por outro candidato. É importante ressaltar que a ocupação da vaga é por ordem de inscrição, sem concorrência.

    Regras – O estudante ainda não matriculado em instituição de educação superior tem até 7 de setembro para fazer a inscrição. Se conseguir a bolsa remanescente do ProUni nessa etapa do processo, pode iniciar o curso ainda neste semestre. Aquele que está matriculado tem até 1º de dezembro para se inscrever. O estudante matriculado que for aprovado no ProUni passa a ter a mensalidade do curso coberta pela bolsa de estudos.

    Na página do ProUni, o candidato pode conferir o calendário e as exigências, tirar dúvidas e fazer a inscrição.

    Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página