Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Foi divulgado o resultado provisório do prêmio Literatura para Todos, promovido pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (Secad). Mesmo cabendo recurso até o dia 14 de novembro, a comissão julgadora já elegeu os escritores e obras que venceram o concurso, criado para estimular a produção literária destinada a jovens e adultos em processo de alfabetização.

    Nove escritores serão premiados com R$ 10 mil cada e, além disso, as obras vencedoras serão publicadas e distribuídas às entidades parceiras do Programa Brasil Alfabetizado, universidades da Rede de Formação de Alfabetização de Jovens e Adultos (EJA), unidades prisionais e núcleos de EJA das universidades. A expectativa é que cerca de 1,5 milhão de estudantes tenham acesso às obras.

    Os candidatos concorreram nas categorias prosa (conto, novela ou crônica), poesia, biografia e texto de tradição oral (em prosa ou em verso). O Ministério da Educação recebeu 605 obras, sendo 133 de contos, 61 novelas, 30 de crônicas, 13 biografias, 29 textos de tradição oral e 249 de poesias.

    Na categoria tradição oral, as obras vencedoras foram A fera do canavial, de Antônio Almir Mota, e Pela voz do cordel, de Maria Augusta de Medeiros e César Tadeu Obeid. Já entre os que concorreram em biografia e prosa-conto os vencedores foram B. Léza?! Um africano que amava o Brasil, de Gláucia Aparecida Nogueira, e Família contadeira de histórias, de Stela Maris de Rezende, respectivamente. No atrito do corpo com o ar, de Sandra Jeane de Paula, foi a obra vencedora da categoria poesia, juntamente com Pé de alguma coisa pede outra, de Viviane Veiga Távora. Já entre os que concorreram na categoria prosa-novela, Cobrador,de Andréa Fátima dos Santos, foi a vencedora, ao lado de Tem onça na casa do Zé, de Isaura Daniel. O livro de poesia Via vária, de Iacyr Anderson Freitas, está indicado  para receber menção honrosa.  

    Esta é a segunda edição do Concurso Literatura para Todos. A novidade é que a competição vai premiar um escritor africano, natural de um país de língua portuguesa — Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. O autor africano ganhará o mesmo prêmio de R$ 10 mil, independentemente da categoria literária do texto apresentado. A obra africana selecionada foi Os secretos acrobatas, livro de poesia do escritor José Luis Tavares.

    Dez especialistas formaram a comissão de pré-seleção, que se reuniu nos dias 5 e 6 de agosto. O encontro serviu para definir os critérios de análise das obras inscritas. A comissão teve um mês — entre 18 de agosto e 18 de setembro — para leitura das obras. Em 31 de outubro, o material literário foi analisado pela comissão julgadora, formada pelos escritores Ana Miranda, Antônio Torres, Fabrício Carpinejar, Jane Paiva e Rubens Figueiredo.

    Ana Guimarães

Fim do conteúdo da página