Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Entrevistas especiais fazem homenagem e contam histórias de vida de mulheres

    Na semana da mulher, o Ministério da Educação (MEC) presta a sua homenagem com uma série de vídeos que contam histórias de mulheres que dedicam suas vidas ao trabalho e à educação.

    No quinto episódio, Carla Valéria de Souza, conta um pouco sobre a profissão de técnica de enfermagem do Hospital Universitário de Brasília (HUB). A profissional explica como seu trabalho é gratificante. “Todo dia é uma experiência nova. A cada paciente que eu atendo, a cada agradecimento, a cada olhar, percebo que eles ficam felizes mesmo. E isso é o que me realiza”, destacou.

    Confira mais no vídeo abaixo:

    Assessoria de Comunicação Social

    Leia também: Confira o quarto episódio da série do MEC para a Semana da Mulher

  • Entrevistas especiais contam histórias de vida dedicadas à educação

    Na semana da mulher, o Ministério da Educação (MEC) presta a sua homenagem com uma série de vídeos que contam histórias de mulheres que dedicam suas vidas à educação. No segundo episódio, Kelly Grace Magalhães conta um pouco de sua trajetória como bióloga e pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB).

    “Sempre foi um sonho ser cientista e, também, sempre foi muito importante para mim passar esse conhecimento e conseguir inspirar outros jovens a seguir o mesmo caminho dentro da ciência”, destacou Kelly.

    Confira mais no vídeo abaixo:

    Assessoria de Comunicação Social


    Leia também: Assista à série do MEC para homenagear a Semana da Mulher

  • Conheça histórias de pessoas que trilharam a vida sob os ensinamentos de seus docentes

    Inspirado por mestres que cruzaram seu caminho, um jovem do interior de Pernambuco que hoje cursa doutorado em Literatura na capital do país. A história de Rafael Teixeira, 26 anos, é contada no terceiro episódio da série “Professores e as nossas escolhas”, para homenagear os docentes nesta semana.

    O doutorando conta, no vídeo produzido pela TV MEC, como a professora Socorro Assis Monteiro o fez ir mais longe. “Ela me abraçou forte e disse que eu ainda iria traçar voos altos. De fato, aqui estou eu, como prova daquela influência e da forma de transmitir conhecimentos, fazendo doutorado. É uma realização sem precedentes para um jovem morador de uma pequena cidade, de um sítio, do interior”, afirmou.

    A série mostra histórias de pessoas que foram marcadas e influenciadas pelos mestres nas escolhas da vida pessoal e profissional.

    Assista:

    Assessoria de Comunicação Social

  • Candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terão o apoio de uma série de vídeos com dicas sobre a prova, a partir desta sexta-feira, 23, na programação da TV MEC. O material vai contar com sugestões para a execução da redação, como lidar com o nervosismo, além de regras e procedimentos de segurança adotados nos dois dias de prova.

    A princípio, os vídeos serão semanais, mas com a aproximação da prova, passarão a ser publicados duas vezes por semana. A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, vai contribuir com uma entrevista ao programa Educação no Ar.

    O vídeo de estreia, que será publicado nesta sexta, 23, terá dicas para fazer um bom plano de estudo na reta final. Três professores que atuam no Distrito Federal vão falar sobre o assunto, com conselhos sobre quais matérias devem ser prioridade e como conseguir provas anteriores para resolver e desenvolver o raciocínio necessário ao exame.

    O Enem, que acontece em 5 e 6 de novembro, é a porta de entrada de milhões de brasileiros na educação superior, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona estudantes para instituições públicas de educação superior. A nota do exame também é usada para acessar programas de democratização do acesso a instituições privadas, por meio do Programa Universidade para Todos (ProUni) e para o financiamento estudantil (Fies). Este ano, o exame conta com 8.627.194 inscritos.

    Acesse o canal da TV MEC

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Aperfeiçoar a educação profissional e tecnológica brasileira é o objetivo do II Simpósio dos Institutos Federais, que começa nesta quinta-feira, 29, das 14h às 18h. Com o tema A integração da educação profissional técnica de nível médio com o ensino médio: experiências de desenvolvimento curricular e implantação, o debate terá a transmissão da TV MEC.

    Até novembro, gestores e estudiosos dessa modalidade de ensino se reunirão na última quinta-feira de cada mês, em Brasília, para debater o modelo pedagógico dos institutos federais. “Os temas foram escolhidos entre aqueles que mais geram dúvidas no rol de atuação acadêmica de um instituto federal”, afirma Caetana Juracy, coordenadora de políticas da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec). No ano passado, uma série de debates sobre os recém-criados institutos compôs o I Simpósio.

    Participarão como debatedores deste primeiro encontro Maria Carolina Fortes, do Instituto Federal Sul-rio-grandense, que abordará o tema Uma experiência de currículo integrado em cursos técnicos subsequentes: a constituição de sentidos na formação docente continuada; Fernanda Zorzi, do Instituto Federal Rio Grande do Sul, que falará sobre A casa: uma proposta de integração curricular por projeto; e Cláudio Ribeiro, da Fundação Oswaldo Cruz, que tratará do Funcionamento dos cursos técnicos integrados ao ensino médio na Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio.

    Assessoria de imprensa da Setec

    Acesse a transmissão do Simpósio

    Perguntas aos debatedores podem ser feitas no endereço eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



  • O vice-presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Paulo Henrique Costa, é o entrevistado da semana no programa Educação no Ar, da TV MEC, que será exibido nesta quinta-feira, 25, às 9h30. Os hospitais administrados pela empresa realizaram no ano passado mais de 300 mil internações, cerca de 500 mil consultas especializadas e 16 milhões de exames, informa Costa. Atualmente, são oferecidas por esses hospitais mais de 6.800 vagas em 929 programas de residências médicas.

    Vinculada ao Ministério da Educação, a Ebserh administra a maior rede de hospitais públicos do Brasil, com 39 unidades, que também atuam na prática de ensino e pesquisa. A empresa é o maior polo de formação multiprofissional de saúde do país, tanto para procedimentos de baixa como alta complexidade.

    Paulo Henrique Costa conta os desafios para este ano e revela os números, as ações que estão sendo implementadas para melhoria no atendimento à população. Ele é formado em administração pela Universidade Católica de Pernambuco, cursou o MBA em administração de empresas na Universidade de Birmingham, na Inglaterra, e MBA em administração de negócios e gestão pela Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos. E há quatro meses está na vice-presidência da Ebserh.

    Paulo Henrique revela que, entre as metas para 2018, está a continuidade da centralização de compras de medicamentos. “Observando a demanda dos remédios e a força de nossos 39 hospitais, implementamos a centralização, que resultou em uma economia superior a R$ 4 milhões no último ano”, destacou.

    Explicou que os recursos economizados foram empregados na ampliação de leitos em unidades de terapia intensiva (UTIs), compra de equipamentos e treinamento e capacitação de profissionais para melhoria no atendimento à população e na construção de um hospital no estado do Amazonas.

    Paulo Henrique Costa, vide-presidente da Ebserh destacou as ações dos hospitais da empresa no atendimento às crianças afetadas pela microcefalia  (Frame: MEC TV)

    A diversidade dos hospitais da Ebserh espalhados pelo país e a restrição de recursos, destaca, leva ao aprimoramento de boas práticas de gestão, à eficiência operacional para continuar mantendo a qualidade dos serviços da empresa aos brasileiros. “Vamos continuar mantendo uma gestão transparente, com eficiência.”

    Reestruturação – A Ebserh ainda faz a gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que define as diretrizes e objetivos da revitalização de 11 unidades hospitalares, integradas ao Sistema Único de Saúde (SUS). “Por serem hospitais universitários, nossa essência é de atuação complementar a rede primária e básica do SUS, mas também de alta complexidade como tratamentos cardiovasculares, oncológicos e transplantes.

    Microencefalia – Paulo Henrique informa que os hospitais da Ebserh têm uma “experiência bastante rica” no atendimento às crianças afetadas pela microencefalia e está prestando atendimento também às famílias. “Temos uma presença bastante forte em hospitais no Nordeste e estamos atuando não só no tratamento, mas também na pesquisa da doença”, informa.

    Assessoria de Comunicação Social 

Fim do conteúdo da página