Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Educação básica

Novo programa pretende estimular vocações de professor e cientista

  • Quarta-feira, 18 de setembro de 2013, 12h40
O Ministério da Educação lançou nesta quarta-feira, 18, em Brasília, o programa Quero Ser Professor, Quero ser Cientista, voltado para os estudantes do ensino médio da rede pública. A proposta do programa é despertar vocações docentes e científicas, com ênfase em matemática, química, física e biologia.

Inicialmente, serão oferecidas 40 mil bolsas de iniciação júnior, no valor de R$ 150, para estimular a participação dos estudantes em atividades de monitoria, pesquisa cientifica e tecnológica, bem como em visitas a universidades federais para manter contato com laboratórios e pesquisas. A meta é ofertar 100 mil bolsas.

“No contraturno, os alunos vão fazer pesquisa e terão apoio de professores universitários”, disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. “Eles vão visitar laboratórios de física, química, vão fazer pesquisa em matemática e biologia para desenvolver o talento e estimular a vocação para áreas em que o Brasil ainda tem demandas abaixo do que precisa.”

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) concede atualmente 10 mil bolsas do Programa de Iniciação Científica Júnior. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) vai oferecer outras 30 mil, com início previsto para 2014. O investimento inicial será de R$ 54 milhões no primeiro ano.

As bolsas de iniciação júnior serão prioritariamente concedidas a estudantes do ensino médio e dos anos finais do ensino fundamental da rede pública dos estados, preferencialmente em escolas participantes do Programa Ensino Médio Inovador. Também são candidatos às bolsas os premiados em olimpíadas cientificas e participantes de projetos vinculados a programas apoiados pela Capes e pelo CNPq.

Até o fim deste mês, será publicada portaria da Capes para a adesão, ao novo programa, de universidades e institutos federais de educação, ciência e tecnologia participantes de programas de formação e valorização docente da própria Capes. As instituições que aderirem terão de apresentar propostas de atividades a serem desenvolvidas em articulação com as secretarias estaduais de Educação.

Exemplo — O estudante Renato Ferraz Pinto, 19 anos, participou da cerimônia de lançamento do programa do MEC. Desde os 12 anos, Renato participa da Olimpíada Brasileira de Informática. Este ano, ele ficou em sétimo lugar na competição, que envolveu participantes de 80 países. Segundo ele, iniciativas como a do novo programa são fundamentais para estimular os estudantes.

Assessoria de Comunicação Social

Veja a apresentação do ministro Aloizio Mercadante

Ouça a exposição do ministro Mercadante



X
Fim do conteúdo da página