Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Censo da Educação Superior

Paim destaca crescimento do número de mestres e doutores e defende qualidade

  • Terça-feira, 09 de setembro de 2014, 19h01

Ministro Henrique Paim e o presidente do Inep, Francisco Soares, apresentam os dados do Censo da Educação Superior (Foto: Isabelle Araújo)Em todo o país, os cursos de graduação presencial e a distância somam 7,3 milhões de estudantes matriculados em 32.049 cursos distribuídos em 2.391 instituições de ensino superior, públicas e privadas. Os dados são do Censo da Educação Superior, divulgados pelo Ministério da Educação nesta terça-feira, 9. No intervalo 2012-2013, o número de matrículas cresceu 3,8%.

Ao apresentar os dados do censo, o ministro da Educação, Henrique Paim, destacou que tão importante quanto a expansão do número de matrículas no sistema de educação superior nacional é ter e garantir a qualidade. “Queremos expandir o sistema, mas queremos qualidade na educação superior”, observou ele. “Esse trabalho que estamos fazendo em torno da qualidade, inclusive suspendendo processos seletivos, acaba refletindo na questão dos ingressantes.” Segundo o ministro, a taxa de matrícula na educação superior cresceu em ritmo menor, mas o censo não revelou queda.

Ainda no quesito qualidade, o censo traz um quadro sobre a evolução da formação dos professores nas instituições de ensino superior públicas. Nos últimos dez anos, o número de mestres cresceu 90% e de doutores 136%.

Sobre a relação entre o número de ingresso de jovens no ensino superior – 2,7 milhões em 2013 – e o de concluintes no mesmo ano, 1 milhão, Paim informou que é preciso cruzar dados para ter um quadro completo, mas adiantou que houve crescimento significativo da entrada de jovens trabalhadores em cursos noturnos e é natural que esses estudantes necessitem de um tempo maior para concluir sua formação.

Além disso, 97% da queda no número de concluintes verificada em 2013 está concentrada em 14 instituições de ensino superior entre as mais de 2,4 mil existentes no país. Destas 14 instituições, a maioria passou por processo de supervisão que resultou em suspensão, redução de vagas ou descredenciamento. Do total, há três estaduais (uma delas foi descredenciada em educação a distância) e um instituto federal, que teve redução de vagas como resultado de medida administrativa.

Tecnológicos – A área tecnológica também se destaca no censo da educação superior. Os dados mostram que ela tem 13,6% das matrículas, o que representa 995.746 estudantes. Em 2003, esse percentual era de 2,9% com 114.770 alunos. O censo revela que 85,6% dessas matrículas estão na rede particular.

Líderes – A graduação em administração, direito e pedagogia continua na liderança entre os dez cursos mais procurados pelos estudantes. Administração aparece no censo 2013 com 800,1 mil matrículas, direito com 769,8 mil e pedagogia com 614,8 mil. Na sequência, ciências contábeis (328 mil), engenharia civil (257,2 mil), enfermagem (228,5 mil), psicologia (179,8 mil), serviço social (173,7 mil), gestão de pessoas/RH (172 mil) e engenharia de produção (144,1 mil).

Deficientes – O acesso à educação superior de pessoas com deficiência é destaque. Em 2010, o censo registrou 19 mil estudantes. Em 2013, eles somam 29.221, sendo 23.076 em cursos presenciais e 6.154 em cursos a distância.

Mulheres – Nos cursos de graduação presenciais predominam as mulheres com idade média de 21 anos, que estudam no turno da noite e cuja preferência é pelos bacharelados.

Distância – O censo registra mais de 1,2 mil cursos de educação a distância, que respondem por 15% das matrículas. As universidades são responsáveis por 90% dessa oferta, o que representa 71% das matrículas nessa modalidade.

Assessoria de Comunicação Social

 

Veja a apresentação sobre o Censo da Educação Superior

Assunto(s): educação superior , Censo
X
Fim do conteúdo da página