Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Gabarito oficial e cadernos de questões estão disponíveis
Início do conteúdo da página
WorldSkills 2015

Ministros do Brasil, Coreia, Holanda e Rússia assinam carta de apoio ao ensino profissional

  • Sexta-feira, 14 de agosto de 2015, 14h40

O ministro Janine Ribeiro assina a carta aberta às nações a favor do ensino técnico (Foto: Carlos Bruno/MEC)Representantes do Brasil, Coreia do Sul, Holanda e Rússia, nas áreas de educação, ciência e tecnologia, discutiram na manhã desta sexta-feira, 14, estratégias para promover a empregabilidade de jovens e a produtividade da indústria por meio de seus sistemas educacionais. O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, assinou, com os representantes desses países, uma carta aberta às nações para incluir o ensino técnico na agenda global de educação. O encontro fez parte do programa de conferências da WorldSkills 2015.

A carta relaciona oito objetivos a cumprir, para que a educação profissional possa ocupar a esteira das políticas e estratégias para o desenvolvimento socioeconômico. As principais propostas são as seguintes: aperfeiçoar a articulação entre governo, setor produtivo, família e mídia para a promoção e valorização da educação profissional; ofertar cursos que integrem teoria e prática, com foco no desenvolvimento cognitivo e das competências profissionais em acordo com as demandas dos meios produtivos; desenvolver e fortalecer programas para atender aos adultos e trabalhadores que já passaram por uma qualificação profissional inicial; incentivar e promover a mobilidade estudantil em intercâmbios profissionais e participação em competições de capacidade técnica.

Conferência – O painel foi o mais concorrido de toda a programação de conferências e teve na plateia a presença de mais de 20 ministros e vice-ministros de Estado de diversos países, secretários estaduais e reitores dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia.

Janine Ribeiro apresentou aos conferencistas a organização do sistema educacional brasileiro, com um recorte na estrutura da educação profissional. O ministro destacou as possibilidade de acesso dos jovens e trabalhadores por meio da redes de educação profissional públicas e privadas.

No campo das estratégias brasileiras, o ministro destacou a eficácia e o alcance do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). “Antes, até 2011, tínhamos várias iniciativas dispersas de qualificação profissional por parte do governo federal, era até difícil mensurar e avaliar”, lembrou. “O Pronatec resolveu esse problema, expandiu as redes físicas de educação profissional e promoveu a interiorização e o aumento de vagas para qualificação profissional. O Pronatec não é apenas um programa para a qualificação profissional, ele tem um forte vetor de inclusão social.”

De acordo com dados do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec), o Pronatec realizou, entre os anos de 2011 e 2014, mais de 8,1 milhões de matrículas em cursos de formação inicial e continuada e técnicos. Os dados apresentam ainda a capilaridade do programa, que capacitou jovens e trabalhadores em mais de 4300 municípios brasileiros, o que representa um percentual de 77% das cidades brasileiras.

Ao falar dos novos desafios para o programa, Janine Ribeiro lembrou a projeção do Pronatec para o quadriênio 2015-2018, de ofertar mais 12 milhões de vagas em articulação com o Plano Nacional de Educação (PNE). As metas do PNE incluem triplicar a oferta de cursos técnicos e garantir a oferta de ensino profissional para, no mínimo, 25% dos estudantes da Educação de Jovens e Adultos.

Na conferência, o ministro voltou a destacar que a valorização do ensino profissional é fundamental. “O ensino técnico tem a grande vantagem de inserir, de forma rápida e com qualidade, o jovem e o trabalhador no mercado de trabalho. É importante para o crescimento profissional e para o aumento da competividade do parque produtivo.”

Assessoria de Comunicação Social

Conheça o texto da carta assinada pelos ministros (em inglês)

Mais informações sobre o evento na página da WorldSkills – São Paulo, 2015 na internet

Leia também:

• Brasil e África fazem debate sobre educação profissional
• Educação profissional deve deixar de ser vista como opção secundária, alerta ministro
• Estudantes do Pronatec dominam a delegação brasileira e superam as de outros países
• Competidores começam a disputa por medalhas e novas oportunidades
• Ministro destaca educação tecnológica como política central para o desenvolvimento do país
• Jovens de mais de 60 países estão em São Paulo para a maior competição de profissões técnicas do mundo
• Olimpíada das profissões reúne em São Paulo equipes de 74 países e 1,2 mil competidores

X
Fim do conteúdo da página