Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Notícias

Núcleos Afro têm até dia 28 para inscrever projetos

  • Quarta-feira, 18 de maio de 2005, 15h08

As instituições de ensino superior públicas têm prazo até o próximo dia 28 para inscrever projetos no Programa de Ações Afirmativas para a População Negra nas Instituições Públicas de Educação Superior (Uniafro), desenvolvido pela Secretaria de Educação Superior (SESu/MEC) em parceria com a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC). O ministério destinou R$ 2,5 milhões para a concretização do programa que envolve um acordo de cooperação entre o MEC e os Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros (Neabs) para o desenvolvimento de programas e projetos de ação afirmativa para a população negra.


As propostas só poderão ser feitas via Internet. O formulário-padrão para as inscrições encontra-se disponinilizado na página eletrônica da SESu.


Na Universidade Federal da Bahia, Jocélio Teles dos Santos, diretor do Centro de Estudos Afro-Orientais - criado em 1959, o mais antigo do país -, vai inscrever um programa de ações afirmativas entre os dias 24 e 25. "O nosso programa é composto por cinco ações, dentre elas a de acesso e permanência", disse o professor.


No caso da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), a coordenadora do núcleo, Cláudia Onelina, disse que a instituição vai concorrer com um projeto voltado para o curso de extensão. "É o projeto Educação da Cultura Afro-Brasileira e Africana voltado para a extensão. Já definimos que ele terá 160 horas de duração e período de sete meses. Mas já estamos preparando um programa para enviar no próximo edital do Uniafro", afirmou ela.


Conforme a chefe do Núcleo de Estudos Étnico-Raciais, Maria de Lourdes Silva, da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS), uma comissão está decidindo quais propostas serão enviadas e as linhas gerais das mesmas. "Estamos propondo uma atuação de intervenção comunitária e uma articulação com a educação básica, tendo em vista a implementação da Lei nº 10.639", comentou Maria de Lourdes.


Sonia Jacinto

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página