Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Notícias

Adultos com ensino fundamental terão vagas nos Cefets, EAF e escolas técnicas

  • Terça-feira, 21 de junho de 2005, 13h09

Júlio Cesar PaesEm 2006, as redes de educação técnica, tecnológica e agrotécnica federais vão destinar 10% das suas vagas para a formação profissional de nível médio, modalidade educação de jovens e adultos (EJA), para jovens acima de 18 anos e adultos que tenham cursado apenas o ensino fundamental. É este o compromisso que os dirigentes da rede vão apresentar ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na próxima sexta-feira, 24, às 11h30.

A rede do MEC é formada por 144 escolas de educação profissional: 34 são centros federais de educação tecnológica (Cefets), 43 unidades descentralizadas, 36 escolas agrotécnicas federais (EAF), 30 escolas técnicas vinculadas as universidades federais, e a Escola Técnica Federal de Palmas, em Tocantins.

De acordo com o presidente do Conselho Nacional dos Centros Federais de Educação Tecnológica (Concefet), Luiz Edmundo Vargas de Aguiar, o projeto de oferta de ensino médio com formação profissional para adultos foi construído pela rede, em parceria com o Ministério da Educação, e deverá ser objeto de decreto presidencial.

Adultos – O objetivo, diz Luiz Edmundo, é ampliar os espaços públicos da educação profissional para os adultos. A carga horária, na modalidade EJA, será de dois anos e a certificação vai abrir duas portas: do mercado de trabalho e do ensino superior. “Isso significa que um adulto que hoje tem o ensino fundamental pode, em cinco anos, ter concluído um curso superior em tecnologia”, explica o presidente do Concefet.

Na reunião com o presidente Lula, os dirigentes da educação profissional farão, também, um relato da extensão da rede, das atividades que desenvolve e das necessidades. Embora entre 2003 e 2004, o governo federal tenha autorizado a abertura de concursos públicos para contratação de 1.400 professores, a rede tem um déficit de 2.670 professores e de 6.315 técnicos administrativos, diz Edmundo Aguiar.

Repórter: Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página