Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Adesão de instituições ao ProUni inicia em 13 de maio
Início do conteúdo da página
Notícias

Propostas de cursos de pós-graduação aumentam 7%

  • Quarta-feira, 22 de junho de 2005, 12h01

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) recebeu, este ano, 474 propostas de criação de cursos de mestrado, doutorado e mestrado profissional. O número de projetos apresentados cresceu 7% em relação ao ano passado, quando 442 pedidos de cursos novos foram apresentados.

As áreas com mais pedidos foram a multidisciplinar, com 79 projetos, e a de ciências sociais aplicadas, com 75. Em 2002, foram 380 propostas. Em 2003, 440. Nos últimos três anos, foram criados 582 cursos. Confira a tabela.

O presidente da Capes, Jorge Guimarães, avaliou como positiva a procura por abertura de cursos. Segundo ele, a pós-graduação pode resolver deficiências do Brasil na área de ciência e tecnologia. “Há propostas em áreas importantes de inovação, não só de engenharias e biológicas, mas nas ciências sociais e humanas”, disse.

Os projetos foram encaminhados por meio do Aplicativo para Propostas de Cursos Novos (APCN), usado pelas pró-reitorias para apresentação de propostas. No documento eletrônico, elas devem comprovar a capacidade de oferecer cursos de qualidade. Entre as informações, estão qualificação dos professores, produção científica, instalações de laboratórios e capacidade de produção de conhecimento.

Os processos serão analisados pelos comitês de áreas. De acordo com o diretor de avaliação da Capes, Renato Janine Ribeiro, a meta é avaliar as propostas e os eventuais recursos em seis meses. “Dos pedidos que ingressaram em 2004, só se conseguiu chegar ao patamar de 95% após dez meses. E já foi um avanço em relação aos anos anteriores”, comparou. “O APCN é mais simples para o usuário e mais transparente para o Conselho Técnico-Científico da Capes, que delibera sobre os pareceres encaminhados pelas comissões de área. É fundamental que a comunidade possa julgar a qualidade dos cursos aprovados. O APCN permite isso.”

Histórico — A primeira edição do APCN foi lançada em junho de 2004. O mecanismo foi aperfeiçoado, em seguida, para oferecer um serviço melhor às pró-reitorias e comitês de área que fazem a avaliação anual. Uma das melhorias foi a consolidação do currículo dos professores, pesquisadores, mestres e doutores. Antes, as propostas eram encaminhadas à Capes pelo Sistema Nacional de Pós-graduação e por carta-consulta.

Adriane Cunha

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página