Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Notícias

Países de língua portuguesa selecionam livros para escolas públicas

  • Terça-feira, 25 de outubro de 2005, 08h27

Foto:Júlio Cesar PaesRepresentantes das oito nações da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) se reúnem nos dias 25 a 28 (terça a sexta-feira), em Fortaleza, para o 1º Encontro de Literatura da CPLP. Durante o evento, serão listados autores da comunidade cujos livros serão adotados no ensino básico de todos esses países e utilizados para a formação de professores. A idéia é fortalecer as relações culturais e promover o intercâmbio a partir da leitura.

De acordo com o professor Godofredo de Oliveira Neto, diretor do Departamento de Políticas da Educação Superior do MEC, cada país vai apresentar uma lista de sugestões que, após uma seleção, serão aprovadas pela Executiva de Educação da CPLP. “O Brasil vai levar o Guia Conciso de Autores Brasileiros, publicado pela Biblioteca Nacional, em 2002, a partir de uma consulta popular”, disse. Entre os autores que constam do guia estão Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa e Machado de Assis.

O encontro também vai debater a criação do Instituto Machado de Assis, que funcionará nos moldes dos institutos Goethe (Alemanha), Cervantes (Espanha) e Camões (Portugal). O projeto do novo instituto deve ficar pronto em dezembro e terá como objetivo difundir a cultura brasileira e o português fora do espaço lusófono. As discussões serão realizadas no Seara Praia Hotel (Avenida Beira Mar, 3080, Meireles, Fortaleza).

Intercâmbio – Criada em 1986, a CPLP é composta por Angola, Brasil, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste – este último aderiu em 2002.

A Comissão Executiva de Educação foi criada em 2004 durante a reunião anual dos ministros da Educação da CPLP. O MEC foi eleito para presidir a comissão no biênio 2004/2005. Para estimular a integração a partir de temas educacionais, o trabalho foi dividido entre os países. O Brasil ficou encarregado de coordenar a parte de literatura; Portugal, as áreas de história, ensino técnico e superior; e Moçambique, os setores de estatísticas e pesquisas educacionais.

Repórter: Flavia Nery

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página