Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Escola do Amapá desenvolve projeto de sonorização com apoio do PDDE
Início do conteúdo da página
Notícias

Escola do Amapá desenvolve projeto de sonorização com apoio do PDDE

  • Quinta-feira, 27 de outubro de 2005, 09h04

Gestores públicos, diretores e educadores estão reunidos em Brasília para comemorar os dez anos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Para celebrar a data, o Ministério da Educação está realizando o 1º Encontro Nacional do PDDE, que termina nesta quinta-feira, 27, na Academia de Tênis. O objetivo é potencializar as ações do programa e incentivar a troca de experiências de sucesso entre os participantes.

No encontro de quarta, 26, a chefe da Seção de Avaliação, Controle e Acompanhamento das Caixas Escolares da Secretaria de Educação de Macapá, Roseana Marçal Valente, apresentou uma experiência inovadora da Escola Eunice Picanço, possível graças aos recursos recebidos do PDDE. O projeto se chama Sonorização do Ambiente Escolar e tem como tema a integração, a participação e o respeito.

O projeto começou em 2004 e funciona nos três turnos. Durante todo o dia, os alunos podem utilizar os aparelhos de som e imagem da escola para apresentar músicas instrumentais, vídeos, DVDs sobre temas variados, como família, saúde, meio ambiente, boas maneiras, cultura local, drogas e violência. Mas esses instrumentos são também utilizados para a divulgação de avisos importantes, calendário escolar, programação de eventos e cumprimentos pelos aniversários.

“O mais interessante é que, agora, todos os alunos querem ser locutores, o que provoca uma corrida aos microfones. Eles não perdem mais as aulas e acabamos até atraindo os pais ausentes para participar das atividades na escola”, conta Roseane. Segundo ela, o projeto ajudou a elevar a auto-estima das crianças e estimulou o interesse de muitos da comunidade a se oferecer como voluntários para as atividades culturais.

Recursos – O PDDE repassa recursos para a aquisição de material permanente e de consumo, manutenção, conservação e pequenos reparos da unidade escolar; capacitação e aperfeiçoamento de profissionais da educação; e implementação de projeto pedagógico e desenvolvimento de atividades educacionais. Para receber o dinheiro, as escolas com mais de 50 alunos devem criar uma unidade executora que funcione por meio de associações de pais e mestres, caixas ou conselhos escolares.

Os recursos são repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC). Para 2005, o orçamento do programa é de R$ 330 milhões.

Repórter: Lucy Cardoso

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página