Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Notícias

Manaus terá centro de antropologia e arqueologia

  • Quinta-feira, 27 de outubro de 2005, 14h26

Foto:Tereza Sobreira, na AmazôniaO projeto de criação do Centro de Excelência de Antropologia e Arqueologia na Amazônia, em Manaus, será discutido, no final da tarde do próximo dia 9, na reitoria da Universidade Federal de Manaus (Ufam). Participam da reunião o professor Manuel Palácios, do Departamento de Desenvolvimento da Educação Superior do Ministério da Educação, e o reitor da Ufam, Hidemberg Ordozgoith.

No mesmo dia (9), pela manhã, Manuel Palácios, Hidemberg Ordozgoith e o governador do Amazonas, Eduardo Braga (PPS), visitarão o campus de Benjamin Constant, que está sendo ampliado e consolidado pelo MEC. Em seguida, conhecerão o campus de Coari, que passa pelo mesmo processo.

Antropologia - Segundo Palácios, a Ufam, que já conta com um museu etnográfico, deve sediar o Centro de Excelência de Antropologia e Arqueologia na Amazônia, destinado à pós-graduação em antropologia e biodiversidade. “Temos mestrado e doutorado. Vários pesquisadores atuam nessas áreas”, disse o pró-reitor de planejamento e desenvolvimento institucional da universidade, Edmilson Bruno da Silveira.

Segundo Silveira, a idéia é formar um grupo de pesquisadores para trabalhar nessas áreas e com a biodiversidade da região, além de formar parcerias nacionais e internacionais. “A Amazônia tem uma explosão de sítios arqueológicos. O centro ampliará o trabalho do museu. Esperamos que os recursos sejam liberados já no ano que vem pelo MEC”, afirmou.

Foto: Tereza Sobreira, na AmazôniaExpansão — O campus de Benjamin Constant consta do projeto do MEC de expansão e interiorização do ensino superior. Na fronteira com Peru e Colômbia, a 1.628 quilômetros de Manaus, por via fluvial, o município de Benjamim Constant tem 25,5 mil habitantes e 85% de seu território em terras indígenas. O campus será fortalecido com a criação de cursos e a contratação de professores e técnicos. As instalações físicas serão ampliadas. O vestibular está previsto para março.

O MEC está criando nove universidades e instalando ou consolidando 36 campi. Pelo menos três dos cinco campi da Ufam serão beneficiados. O de Coari vai oferecer, em quatro anos, cursos de nutrição, fisioterapia, enfermagem e licenciatura em exatas e humanas a estudantes de nove municípios. Em agosto de 2006, serão abertos dois cursos superiores. Depois, será consolidado o campus de Humaitá. Mais informações pelos telefones (92) 3647-4414 e (61) 2104-8680.

Repórter: Susan Faria

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página