Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Integração

MEC realiza seminário sobre educação técnica no Mercosul

  • Segunda-feira, 23 de outubro de 2017, 19h30


Com a proposta de apresentar experiências bem-sucedidas e promover a interação da educação profissional no Mercosul, teve início nesta segunda-feira, 23, o 1º Seminário Perspectivas Globais e Regionais em Educação Profissional e Tecnológica no Âmbito do Setor Educacional do Mercosul (SEM). O evento é promovido pelo Ministério da Educação, por intermédio da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) e segue até 25 de outubro, em Brasília.

Desde 2009 o Brasil desenvolve várias parcerias em educação profissional com países da região. A titular da Setec, Eline Nascimento, ressalta, porém, que este seminário permite o avanço dessas cooperações. “Essa é uma parceria antiga, mas estamos sempre desenvolvendo novas atividades. Então este seminário é importante para atualizar e pensar a próxima década da educação profissional no Mercosul. Um evento como este é fundamental para que possamos construir novas pontes, mapeando pontos em comum, desafios em comum e trazendo quais soluções cada um tem para estes desafios”, disse.

Além dos integrantes do Mercosul, foram convidados representantes de outros países como Finlândia, Noruega, Canadá, Suíça e Portugal. “Eles foram convidados para que pudessem falar de experiências bem-sucedidas nestes países. Eles já estabelecem parcerias como o Brasil e têm outras práticas que podem ser incorporadas”, acrescentou a secretária do MEC.

Entre as práticas já desenvolvidas e que serão apresentadas no SEM está uma parceria entre o Instituto Federal Sul Rio-Grandense (IF-Sul) e a Universidade do Trabalho do Uruguai (UTU) que oferece formação técnica binacional para brasileiros e uruguaios.

“Atuamos nas regiões de fronteiras com o Uruguai e essas escolas binacionais surgem no intuito de criar uma integração entre os dois países. Avançamos em muitas questões e hoje temos uma certificação dupla com assinatura das duas instituições e validade nos dois países ”, explicou o reitor dO IF-Sul, Flávio Luiz Barbosa Nunes. No território brasileiro, as aulas acontecem no instituto, e do lado uruguaio no campus da UTU. Cinquenta por cento das turmas é formada por brasileiros e os outros 50% por cento por uruguaios.

Sandra Garate, diretora do campus regional noroeste da UTU, fala que as carreiras binacionais são pensadas para o desenvolvimento produtivo do local e contribuem com um novo conceito de interação para além das fronteiras. “Desenhamos os conteúdos e colocamos idiomas para que uma vez titulados eles possam exercer bem a profissão em ambos os países. São carreiras terciárias que potencializam a região da fronteira e anulam a ideia de limites territoriais, o que faz unir os povos.”

Os cursos binacionais realizados pela parceria IF-Sul/UTU acontecem nas cidades brasileiras de Santana do Livramento e Jaguarão, bem como nos municípios uruguaios de Rio Branco e Rivera. 

Assessoria de Comunicação Social

 

X
Fim do conteúdo da página