Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Educação no Ar

Professor fala sobre o planetário móvel, que já atendeu mais de 80 mil estudantes

  • Quinta-feira, 06 de setembro de 2018, 09h37

Despertar o interesse de jovens estudantes em relação à ciência: esse é o objetivo do Planetário Tatanka, uma instalação itinerante, criada pelo professor Luís Cavalcante em 2009, e que já levou as maravilhas do firmamento a milhares de jovens em escolas do Distrito Federal. O planetarista é o convidado da edição desta quinta, 6, do programa Educação no Ar, produzido pela TV MEC e transmitido pela NBR.

Luís é professor do ensino público, e a ideia de mostrar o espaço para jovens estudantes surgiu quando ele levou seus alunos a uma feira de ciências e percebeu o impacto da visita, principalmente em uma instalação em particular. “Quando voltei para a sala de aula, notei que eles comentaram muito sobre o planetário móvel que havia na feira. Naquela época, o planetário de Brasília estava fechado há algum tempo. Foi quando surgiu a ideia de apresentar um projeto à Secretaria de Educação”, lembra Luís.

Outro fator que despertou o interesse do professor foi ver os seus alunos entusiasmados com diversas atividades ligadas à astronomia, como maquetes para entenderem o movimento dos astros e outras intervenções pedagógicas. “Pensei que em um planetário isso poderia ficar ainda mais interessante”, explica.

O planetário já visitou quase todas as escolas públicas do Distrito Federal, expandindo o conhecimento dos alunos em relação à observação do céu noturno, dos planetas que compõem o sistema solar e das constelações, algo não muito comum nos dias de hoje. “As crianças já não têm essa oportunidade de observar o céu noturno, devido à poluição luminosa. A maioria vive em grandes cidades, então, quando elas visitam o planetário, isso é essencial na apresentação”, destaca Luís.

Segundo o planetarista, a ideia do projeto é despertar no jovem o gosto pela ciência e, quem sabe, possivelmente influenciar o futuro de alguns. “O planetário é uma experiência para a criança. Ele emociona, estimula o questionamento sobre o universo, alimenta os sonhos das crianças e alimenta a perspectivas delas de se tornarem cientistas. Meu planetário já atendeu 80 mil crianças. Gosto de imaginar que algumas delas, um dia, vão se tornar cientistas, astrônomos até, e vão pensar que foi por causa daquele planetário que passou, há não sei quanto tempo, na escola delas.”

Quem quiser mais informações sobre o projeto, deve procurar por Planetário Tatanka no Facebook.

Assessoria de Comunicação Social

 

Assunto(s): Astronomia , Tatanka , planetário
X
Fim do conteúdo da página