Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Educação a distância

Programa da Capes ajuda a ambientar alunos do sistema Universidade Aberta

  • Segunda-feira, 08 de outubro de 2018, 13h41

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia vinculada ao MEC, identificou que, ao ingressarem nos cursos do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), muitos estudantes apresentam dificuldades para acompanhar as disciplinas, principalmente por deficiências em língua portuguesa e matemática.

Com foco nesse público, a Capes estruturou o Programa Acolhimento UAB. É um importante reforço para os alunos estudarem de acordo com a metodologia diferenciada da educação a distância adotada pelo sistema UAB, que exige novos hábitos e rotina, além do intenso uso de recursos tecnológicos.

O diretor de Educação a Distância e Formação de Professores da Educação Básica da Capes, Carlos Lenuzza, destaca que o programa atua para que o estudante em primeiro contato com o UAB tenha uma ambientação na sua atividade. “Esperamos que o aluno que está chegando tenha uma oportunidade, sem cobrança de nota e provas, mas focado na sua atividade e adaptação, para que futuramente possa desenvolver as atividades do seu curso com maior desempenho”, explica.

Módulos – O Acolhimento UAB será composto por três módulos, a serem oferecidos pela Universidade Federal de Goiás (UFG): matemática, português e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Juntos, esses módulos somam 180 horas, caracterizando a classificação do programa como curso de extensão universitária. Tão logo sejam concluídos os estudos e realizadas as respectivas avaliações, os certificados serão expedidos automaticamente.

O professor Gilson Barreto, coordenador do Laboratório de Tecnologia e Mídias Educacionais (LabTime), da UFG, conta que, desde quando surgiu a ideia do programa, foi identificada a importância de produzir um material que permitisse aos alunos uma experiência prévia de formação a distância.

“A proposta do acolhimento é disponibilizar para esses alunos um contato com a língua portuguesa, em nível de revisão ou apropriação da escrita de textos e leitura; e da linguagem matemática, desde os fundamentos e os princípios e das tecnologias da informação”, destaca.

“Boa parte do nosso público-alvo está afastado há algum tempo dos estudos, pois não tinha a perspectiva de fazer um curso superior”, pontua a coordenadora da UAB na UFG, Marília Goyaz. “Esse programa de acolhimento dá a esses alunos a possibilidade de serem introduzidos nessa modalidade de ensino de uma forma mais suave ou amigável”.

Quem já se inscreveu para o Acolhimento UAB deve procurar, junto à coordenação de seu curso, orientações sobre como proceder, para dar início às aulas de ambientação.

Clique aqui para conhecer mais sobre o programa e sobre o sistema UAB, que, atualmente, tem mais de 220 mil estudantes matriculados.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página