Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Recursos

MEC anuncia verba de R$ 23,8 milhões para investimentos na educação em Santa Catarina

  • Quinta-feira, 18 de outubro de 2018, 13h46

Blumenau (SC), 18/10/2018 – Nove cidades de Santa Catarina terão recursos financeiros para investir em educação. Nesta quinta-feira, 18, o ministro da Educação, Rossieli Soares, cumpriu agenda na região e anunciou a liberação de R$ 23,8 milhões a serem utilizados na construção de prédios e na compra de equipamentos.

“Está na hora de o Brasil buscar a verdadeira transformação e não existe outro caminho que não seja pela educação básica”, afirmou o ministro. “É o momento de olharmos para as nossas crianças, de investirmos nelas. Santa Catarina é parceira nossa e temos vários projetos feitos em conjunto. As obras são importantes e esses recursos serão fundamentais para essas construções. Mas isso não vai mudar a vida das nossas crianças. O que vai mudar a vida delas é o que a gente deseja, com um bom professor, com a comunidade caminhando junto. É isso que vai ajudar a transformar a vida do jovem em qualquer ambiente.”

Pela manhã, em Blumenau, Rossieli liberou um total de R$ 12,4 milhões em recursos, destinados à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sendo R$ 4 milhões para o campus Florianópolis, R$ 5,8 milhões para o campus Curitibanos, R$ 1,5 milhão para o campus Blumenau, R$ 550 mil para o campus Araranguá e R$ 600 mil para o campus Joinville. A verba permitirá que a universidade continue a exercer suas atividades de ensino e extensão.

No campus Florianópolis, o montante será destinado ao Centro de Ciências Biológicas, para a construção dos blocos E, F, G e da subestação, um prédio multifuncional com salas de aula, laboratórios e salas de professores. Em Curitibanos, o dinheiro servirá para a conclusão do Bloco 2, com salas de aula, laboratórios e equipamentos. Em Blumenau, o valor será destinado à aquisição de equipamentos para cursos de engenharia. Já nos campi de Araranguá e Joinville, as quantias liberadas serão direcionadas à compra de equipamentos para laboratórios.

Segundo o reitor da UFSC, Ubaldo Cesar Balthasar, os recursos destinados aos campi fora da sede darão um impulso ao fortalecimento da universidade. “Cada centavo investido retornará à sociedade com ações de ensino, pesquisa e extensão. Isso vai possibilitar o aperfeiçoamento do setor público educacional”, explicou.

Homenagem – Durante o evento, Rossieli Soares anunciou também que vai conceder a Ordem do Mérito Educacional, ainda este ano, ao senador Dalirio Beber (PSDB-SC), um dos grandes incentivadores e entusiastas da área da educação no país. A honraria existe desde 1955 e tem por finalidade agraciar personalidades, nacionais ou estrangeiras, que tenham contribuído de maneira excepcional para o desenvolvimento da educação.

Municípios – Além dos valores destinados à UFSC, o MEC liberou, ainda, um total de R$ 9,2 milhões que serão empenhados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada à pasta, para municípios de Santa Catarina.

Em Blumenau, o recurso será de R$ 4 milhões para a construção da primeira escola bilíngue (português e alemão) da região. O espaço, localizado na Vila Itoupava – reduto que concentra a maior parte dos descendentes de alemães da cidade – terá 12 salas de aula. “O MEC faz hoje um anúncio importantíssimo para Blumenau”, destacou o prefeito da cidade, Mario Hildebrandt.

“Blumenau nos apresentou, como uma de suas necessidades, essa nova escola para atender à comunidade e regularizar o atendimento às crianças da região”, acrescentou Rossieli. “O município tem feito um bom trabalho na área da educação, tem buscado o caminho para organizar a sua rede, e cabe ao MEC apoiá-los nisso.”

Ao falar sobre a escola bilíngue, Rossieli Soares destacou a importância desse tipo de investimento. “Esse é um projeto de que nós gostamos muito. Se tem uma coisa que desenvolve as crianças, é justamente trabalhar com o bilinguismo, especialmente em uma região que tem a cultura, o seu povo bilíngue. Então, trazer essa cultura para dentro das escolas é fundamental. O Brasil precisa cada vez mais trazer não só o bilinguismo, mas o trilinguismo.”

Nos outros municípios, os recursos foram distribuídos da seguinte maneira: R$ 4 milhões à cidade de Santo Amaro da Imperatriz, para o mesmo projeto anterior; R$ 582 mil direcionados a Massaranduba, para a construção de uma quadra escolar coberta; e R$ 582 mil para Guaramirim, a serem utilizados para a construção de duas quadras escolares cobertas e um vestiário.

Legado – Rossieli Soares aproveitou a oportunidade para falar sobre o trabalho feito pelo MEC e o legado que este governo vai deixar na área da educação. “Temos uma série de coisas importantes sendo feitas, entre elas, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que é como se marcássemos um destino no GPS. Isso é importante para o Brasil, que, de norte a sul, tinha distintas formas de tratamento. É fundamental que o Brasil, como país, tenha a clareza do que as crianças devem aprender na escola”, destacou o ministro. “A outra coisa, muito importante para o Brasil, foi o início efetivo da reforma do ensino médio. Este é o grande desafio brasileiro que precisamos enfrentar. Não dá para perder milhões de jovens como a gente tem perdido.”

Visita – Mais tarde, já em Joinville, Rossieli Soares visitou as dependências do Centro Tecnológico da UFSC e participou do Fórum de Pró-reitores de Planejamento e Administração das Universidades Federais da Região Sul. Na cidade, o ministro inaugurou um bloco de salas de aula e uma biblioteca no campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC), cujo projeto recebeu um recurso no montante de R$ 2,1 milhões.

“Esta ampliação será importante para o desenvolvimento da educação nesta região e em todo o estado catarinense e o ministério vai continuar investindo aqui” declarou Rossieli. “O IFSC está longe de ser o que deve ainda, pois precisamos melhorar constantemente. Chega uma hora em que não vamos precisar de mais prédios, mas cada vez mais de inovação dentro deles. Há uma qualidade na educação que é desenvolvida no IFSC e somente ela vai transformar o Brasil. Vocês, aqui nesta instituição, são parte do futuro deste país.”

O IFSC atua na promoção de educação profissional, científica e tecnológica, oferecendo cursos em níveis variados, como técnicos, qualificação profissional, educação de jovens e adultos, superiores e de pós-graduação. No total, a instituição possui 22 campi, distribuídos em todas as regiões de Santa Catarina.

O diretor-geral do Campus Joinville, Valter Vander de Oliveira, destacou todo o trabalho realizado nos campi do IFSC e disse que Joinville tem contribuído para o avanço da educação e o desenvolvimento do estado. “Dependemos de recursos públicos, mas conseguimos, diante das limitações dessa política financeira, criar uma instituição com excelência, na qual o nosso diferencial será sempre a qualidade do ensino”, pontuou.   

Atualmente, o campus Joinville do IFSC atende a aproximadamente 1100 alunos em cursos presenciais, funcionando nos três turnos. A infraestrutura é composta por salas de aula, laboratórios, laboratórios de informática, biblioteca informatizada, auditório, cantina e quadra poliesportiva. Além disso, o local conta com mais de 100 servidores, equipe pedagógica composta por orientadora educacional, supervisora escolar, psicóloga, assistente social e técnico em assuntos educacionais para acompanhamento das condições de ensino e aprendizagem.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página